A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 DGTEC - DESIS - DISJU – SESEJ Livro Adicional Eletrônico XML.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 DGTEC - DESIS - DISJU – SESEJ Livro Adicional Eletrônico XML."— Transcrição da apresentação:

1 1 DGTEC - DESIS - DISJU – SESEJ Livro Adicional Eletrônico XML

2 2 Introdução Introdução Por que XML ? Por que XML ? Características e Aplicações Características e Aplicações Validando documentos XML Validando documentos XML Processo do livro adicional Eletrônico Processo do livro adicional Eletrônico Padrões Adotados Padrões Adotados Criando um Livro Adicional Eletrônico Criando um Livro Adicional Eletrônico Tabelas de Referência Tabelas de Referência Exemplos de XML Exemplos de XML Incluindo, alterando e excluindo dados Incluindo, alterando e excluindo dados Pontos de Atenção Pontos de Atenção Críticas Críticas Integrando FTP ao sistema dos cartórios Integrando FTP ao sistema dos cartórios Downloads/Links Downloads/Links Contatos Contatos Agenda

3 3 Introdução XML é uma linguagem de marcação, mas o que é marcação ? Basicamente, uma forma de adicionar aos dados informações sobre os próprios dados. Linguagens de marcação permitem criar documentos consistindo de texto ou outras entidades, mais códigos de marcação que definem a estrutura, aparência e outros aspectos do dado. eXtensible Markup Language

4 4 Por que usar linguagens de marcação? Com a proliferação de redes de computadores ao redor do mundo, existe um grande número de aplicações, linguagens, sistemas operacionais e dispositivos proprietários de rede. Os dados transmitidos devem incluir todas as informações necessárias para que os sistemas automatizados possam transmitir, receber e tratar o dado. O receptor precisa das tags de marcação para interpretar corretamente a mensagem de formato e conteúdo dos dados.

5 5 Jorge Amado Java Por que XML ?

6 6 Características do XML Simplicidade Cada um descreve seus dados como os vê, aplicações extraem os dados que interessam. XML concentra-se na estrutura da informação e não na sua aparência Integra dado e metadado

7 7 InícioConteúdoFim Exemplos: /02/ /02/2006 Exemplos: /02/ /02/2006 Elemento XML Sintaxe

8 8 Primeiro exemplo: Autor Alguém Quarta-feira - 21 de junho de 2006 Introdução ao XML Obrigado pela leitura. Esperamos que seja proveitosa Autor Alguém Quarta-feira - 21 de junho de 2006 Introdução ao XML Obrigado pela leitura. Esperamos que seja proveitosa

9 9 Exemplos TXT | CSV 23567Paulo Nogueira Maria Cristina de Almeida Fernando Rosa da Silva 0112l Carolina dos Santos Thadeu Alves Ana Cristina Lages Flávio da Silva Carlos Eduardo Gomes Luiz Eduardo Almeida Filho Maria Eduardo da Silva ;Paulo Nogueira;03/07/1997; ;Maria Cristina de Almeida;22/04/2001; ;Fernando Rosa da Silva;01/12/l962; ;Carolina dos Santos;22/05/1977; ;Thadeu Alves;17/01/1956; ;Ana Cristina Lages;03/05/1989; ;Flávio da Silva;11/11/1967; ;Carlos Eduardo Gomes;14/08/1945; ;Luiz Eduardo Almeida Filho;27/09/1977; ;Maria Eduardo da Silva;05/07/1988; Paulo Nogueira Maria Cristina de Almeida Fernando Rosa da Silva 0112l Carolina dos Santos Thadeu Alves Ana Cristina Lages Flávio da Silva Carlos Eduardo Gomes Luiz Eduardo Almeida Filho Maria Eduardo da Silva ;Paulo Nogueira;03/07/1997; ;Maria Cristina de Almeida;22/04/2001; ;Fernando Rosa da Silva;01/12/l962; ;Carolina dos Santos;22/05/1977; ;Thadeu Alves;17/01/1956; ;Ana Cristina Lages;03/05/1989; ;Flávio da Silva;11/11/1967; ;Carlos Eduardo Gomes;14/08/1945; ;Luiz Eduardo Almeida Filho;27/09/1977; ;Maria Eduardo da Silva;05/07/1988;

10 10 Exemplos em XML Paulo Nogueira 03/07/ Maria Cristina de Almeida 22/04/ Fernando Rosa da Silva 01/12/ Paulo Nogueira 03/07/ Maria Cristina de Almeida 22/04/ Fernando Rosa da Silva 01/12/

11 11 ator2ator Governo Consumidor Empresa Business Governo Consumidor Empresa Business G2G C2C B2B B2G C2G B2C

12 12 Integração produtiva entre empresas Após a era em que muitas empresas conquistaram eficiência a partir de implantação de sistemas de informação, estamos vivendo a era em que conjuntos de empresas conseguem eficiência adicional por implantação de sistemas de processos compartilhados (integração entre sistemas de empresas diferentes). Após a era em que muitas empresas conquistaram eficiência a partir de implantação de sistemas de informação, estamos vivendo a era em que conjuntos de empresas conseguem eficiência adicional por implantação de sistemas de processos compartilhados (integração entre sistemas de empresas diferentes). Há muitas tecnologias para integração de sistemas. XML é uma das mais usadas. Há muitas tecnologias para integração de sistemas. XML é uma das mais usadas. Exemplos: Exemplos: –Supermercado Fornecedor –Montadora de carro Fabricante de peças Empresa 1Empresa 2 Troca de Informações

13 13 Vantagens Flexível Flexível Auto-contida Auto-contida Portável Portável Fácil de utilizar Fácil de utilizar Robusta Robusta Legível Legível

14 14 Elementos Tem casamentos das tags de início e fim As tags de elemento tem que ser apropriadamente posicionadas Documentos XML são sensíveis à letras maiúsculas e minúsculas Espaços não são permitidos! A endentação do XML não é necessária.

15 15 Validando Dados

16 16 Parser e documentos bem formados Parser é o nome genérico de programas que podem ler e reconhecer a estrutura de documentos bem formados Parser é o nome genérico de programas que podem ler e reconhecer a estrutura de documentos bem formados Um parser produz mensagens de erro ao encontrar erros estruturais Um parser produz mensagens de erro ao encontrar erros estruturais Os navegadores são parsers não validadores Os navegadores são parsers não validadores Um parser validador é um programa que lê o XML, verifica se é bem formado, depois vê se todos os seus elementos atendem às especificações do DTD ou XSD Um parser validador é um programa que lê o XML, verifica se é bem formado, depois vê se todos os seus elementos atendem às especificações do DTD ou XSD

17 17 DTD Definição de Tipo de Documento (Document Type Definition.) A validade de um documento depende do DTD. Um documento bem formado que é válido de acordo com um DTD pode não ser válido de acordo com outro DTD. DTD é uma maneira de colocar as regras de formação de um documento em código, para que programas possam facilmente gerar documentos novos, verificar e alterar corretamente documentos existentes. DTDs não resolvem todos os problemas de validação. Um programa que lê ou gera um documento XML freqüentemente faz alguma validação adicional dos dados. DTDs por exemplo não podem garantir que o conteúdo de um elemento seja um número entre 0 e 100. Também oferecem pouca flexibilidade para disposição dos elementos.

18 18 Documento well-formed : dentro das regras básicas Documento Válido: well-formed e dentro de uma especificação de um DTD. Validação de XML

19 19 Cardinalidade 1 0..* 1..* 0..1

20 20 Exemplo de Arquivo DTD

21 21 Exemplo: Nota Fiscal Aurelio V. Rodrigues Rua Xpto, 123 Tijuca Rio de Janeiro RJ Mouse Logitech preto óptico com scroll PS2/USB ref UN Cartucho preto original para EPSON STYLUS C87 3 CX Aurelio V. Rodrigues Rua Xpto, 123 Tijuca Rio de Janeiro RJ Mouse Logitech preto óptico com scroll PS2/USB ref UN Cartucho preto original para EPSON STYLUS C87 3 CX 28.00

22 22 Arquivos DTD e XSD Especificam os elementos do XML: Especificam os elementos do XML: –que elementos podem existir –que atributos eles podem conter –que elementos podem estar aninhados em outros elementos (a estrutura do documento XML) –a ordem em que elementos podem ser aninhados É possível montar um documento XML apenas olhando para um DTD,podemos dizer que o DTD é uma regra para um documento XML.

23 23 O XML tem sido muito comentado e analisado nos últimos anos. Podemos dizer que XML é: O padrão para apresentação e troca de informações da WEB Sustentado e apoiado por muitas ferramentas Além disso, muitos desenvolvedores renomados de aplicativos para Internet, como Microsoft, Google, Oracle e SUN estão investindo em softwares e pesquisas nesse ramo. Por XML deve-se entender meramente uma notação de texto hierarquicamente estruturado. Conclusão

24 24 WEB Dados Ok Digitação dos Dados Geração do Arquivo XML ftp.tj.rj.gov.br Empacotamento Atos + Selos + GRERJ´s + Mov. Estoque Banco de Dados Carga Livro Adicional Envio de arquivos XML para servidor FTP XML de Retorno Análise do Arq. XML de Retorno Serventia Extrajudicial Rede Corporativa TJERJ

25 25 Padrões adotados

26 26 Codificação Codificação ISSO (Latin 1)

27 27 Nome do Arquivo XML la_0999_0001.xml la - Constante, la = Livro Adicional. la - Constante, la = Livro Adicional – código da serventia, com zero à esquerda no caso 0999 – código da serventia, com zero à esquerda no caso de código da Serventia com 3 dígitos. de código da Serventia com 3 dígitos – Número da Remessa 0001 – Número da Remessa Exemplo: Cartório 222 enviando remessa de 17/12/2006: Arquivo: la_0222_0001.xml Arquivo: la_0222_0001.xml Outros exemplos: la_0520_0001.xml la_0777_0002.xml la_0777_0002.xml la_3520_0008.xml la_3520_0008.xml

28 28 Formato de Valores e de Datas Valores sem separadores de milhares e utilizando. (ponto) como separador decimal Exemplo: Data no formato DD/MM/AAAA Exemplo: 30/03/ /03/ /03/ ,62 R$ 1835,32 R$ Errado

29 29 Elementos Vazios Errado ! Certo

30 30 Criando um Livro Adicional Eletrônico

31 31 DTD – Livro Adicional

32 32 DTD – Livro Adicional

33 33 Tabelas de Referência

34 34 Atribuição Código Atribuição 1 Registros de Distribuição 2 Ofícios e Atos de Notas 3 Registro Civil das Pessoas Naturais 4 Tabelionato de Protesto de Títulos 5 Ofícios e Atos do Registro de Imóveis 6 Registro de Títulos e Documentos 7 Registro Civil das Pessoas Jurídicas 8 Registro de Interdições e Tutelas 10 Registro de Contratos Marítimos

35 35 Atos REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS 3012 averbação de outros atos 3011 averbação de paternidade, por declaração do interessado 3034 conversão de união estável em casamento 3015 juiz de paz fora da sede 3014 juiz de paz na sede 3006 lavratura do assento de casamento à vista de certidão de habilitação expedida por outro ofício 3008 processamento de retificação, averbação, transcrição, cancelamento ou restauração de registro, até averbamento final 3003 processo de habilitação de casamento 3009 processo e averbação em decorrência de carta de sentença ou mandado 3016 realização de casamento fora da sede 3021 registro de casamento civil 3004 registro de casamento religioso c/ efeito civil 3001 registro de nascimento 3002 registro de óbito 3035 registro de qualquer outro ato ou sentença sujeito a registro 3005 registro e afixação de edital de proclamas recebido de outro ofício 3010 termo de tutela ou curatela

36 36 Itens de Movimentação de Estoque de Selos CódigoDescriçãoOperação 10Estoque Inicial 20FornecedorEntrada 21Devolução pelo posto e/ou sucursalEntrada 22Absorção de serventiaEntrada 24Devolução pelo Juizado da Infância, da Juventude e do IdosoEntrada 25Recebimento de MatrizEntrada 31Saída para Absorção de serventiaSaída 32Consumo diárioSaída 33Cancelamento por perda de validadeSaída 34Cancelamento por extravioSaída 35Fornecimento a posto e/ou sucursalSaída 36Cancelamento por rouboSaída 37Cancelamento por ofícioSaída 38Cancelamento para destruiçãoSaída 39Cancelamento por furtoSaída 40Fornecimento para o Juizado da Infância, da Juventude e do IdosoSaída

37 37 Cadastro de Tipos de Selos SiglaDescrição AAutenticação CCertidão RRegistral N1Notas - 1 Ato N2Notas - 2 Atos RF1Reconhecimento de Firma – 1 Ato RF2Reconhecimento de Firma - 2 Atos NPProcuração RNRegistro de Nascimento RORegistro de Óbito Abertura de Firma

38 38 Tabelas de Referência IMPORTANTE: As tabelas listadas neste material é apenas uma amostra em 29/01/2007, podendo seu conteúdo ser alterado a qualquer momento sem prévio aviso. Estas tabelas devem ser obtidas e atualizadas regularmente através do site da Corregedoria.

39 39 Exemplo de XML

40 40 XML Versão 3 LIVRO_ADICIONAL GRERJ SELO ATRIBUICAO ESTOQUE (Estoque de selos) ESTOQUE (Estoque de selos) ATO

41 41 Serventia 999 – Remessa 567 Arquivo: la_0999_0567.xml la - Constante = Livro Adicional – Código da serventia, com zeros à esquerda no caso de código da serventia com 3 dígitos – Número da Remessa. Serventia 999 – Remessa 567 Arquivo: la_0999_0567.xml la - Constante = Livro Adicional – Código da serventia, com zeros à esquerda no caso de código da serventia com 3 dígitos – Número da Remessa. Serventia 999 Arquivo: la_0999_0567.xml Serventia 999 Arquivo: la_0999_0567.xml

42 42 --> --> DTD – Versão 3

43 43 --> --> DTD – Versão 3 DTD – Versão 3

44 I /11/2006 D /11/ /11/2006 C /11/ Ofícios e atos de notas 08/11/ I /11/2006 D /11/ /11/2006 C /11/ Ofícios e atos de notas 08/11/ la_0999_0567.xml : 567 Serventia: 999 Arquivo: la_0999_0567.xml Número da Remessa: 567

45 N A XPT N A XPT N A XPT N A XPT1001

46 N RF1 XPR N RF1 XPR N RF1 XPR N RF1 XPR1001

47 47 7 civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK1000

48 N S ofícios e atos do registro de imóveis 08/11/ títulos e documentos 08/11/ N S ofícios e atos do registro de imóveis 08/11/ títulos e documentos 08/11/2006 0

49 49 08/11/ XPT A 10 XPR RF1 20 LTK N1 08/11/ XPT A 10 XPR RF1 20 LTK N1

50 50 32 XPT A 32 XPR RF1 32 LTK 1000 N1 32 XPT A 32 XPR RF1 32 LTK 1000 N1

51 51 Estoque Inicial de Selos LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A XPR RF1 Entrada de Selos – Origem: Fornecedor LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO LTK N1 Saída de Selos – Consumo Diário LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A XPR RF1 LTK N1 Estoque Final de Selos LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A XPR RF1 LTK N1 Estoque Inicial de Selos LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A XPR RF1 Entrada de Selos – Origem: Fornecedor LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO LTK N1 Saída de Selos – Consumo Diário LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A XPR RF1 LTK N1 Estoque Final de Selos LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A XPR RF1 LTK N1 Estoque de Selos

52 52 0 Remessa [0567] Incluída com Sucesso. 0 Remessa [0567] Incluída com Sucesso. Arquivo de Retorno 999 Serventia: 999 : 567 Número da Remessa: 567 ret_la_0999_0567.xml Arquivo: ret_la_0999_0567.xml

53 53 Incluindo, Alterando e Excluindo Dados

54 54 Como incluir dados via arq XML Para Incluir uma Remessa devemos usar o código de operação I. Para Incluir uma Remessa devemos usar o código de operação I. Arquivo: la_0333_0020.xml Arquivo: la_0333_0020.xml Cartório: 333 Número da Remessa: 20 Cartório: 333 Número da Remessa: I /11/2006 D /11/ /11/2006 C /11/ I /11/2006 D /11/ /11/2006 C /11/2006

55 55 Como incluir dados via arq XML 7 civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK1000

56 56 Alteração da Remessa Anterior Para Alterar uma Remessa devemos usar o código de operação A. Para Alterar uma Remessa devemos usar o código de operação A. Exclusão da segunda GRERJ. Exclusão da segunda GRERJ. Arquivo: la_0333_0020.xml Arquivo: la_0333_0020.xml Cartório: 333 Número da Remessa: 20 Cartório: 333 Número da Remessa: A /11/2006 D /11/ A /11/2006 D /11/ I /11/2006 D /11/ /11/2006 C /11/ I /11/2006 D /11/ /11/2006 C /11/2006

57 57 Alteração da Remessa Anterior 7 civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK1000

58 58 Exclusão da Remessa Anterior Para EXCLUIR uma REMESSA devemos usar o código de operação E. Para EXCLUIR uma REMESSA devemos usar o código de operação E. Arquivo: la_0333_0020.xml Arquivo: la_0333_0020.xml Cartório: 333 Número da Remessa: 20 Cartório: 333 Número da Remessa: E E

59 59 Exemplo de como transmitir um dia prática de Ato Exemplo de como transmitir um dia sem prática de Ato Para Incluir uma Remessa devemos usar o código de operação I. Para Incluir uma Remessa devemos usar o código de operação I. Arquivo: la_0333_0030.xml Arquivo: la_0333_0030.xml Cartório: 333 Número da Remessa: 30 Cartório: 333 Número da Remessa: I 2 Ofícios e atos de notas 08/11/ civil das pessoas jurídicas 08/11/ certidões especiais 08/11/ I 2 Ofícios e atos de notas 08/11/ civil das pessoas jurídicas 08/11/ certidões especiais 08/11/2006 0

60 60 Inclusão de Remessa – exemplo: Certidão Para Incluir uma Remessa devemos usar o código de operação I. Para Incluir uma Remessa devemos usar o código de operação I. Arquivo: la_0444_0020.xml Cartório: 444 Número da Remessa: 20 Arquivo: la_0444_0020.xml Cartório: 444 Número da Remessa: I /11/2006 D /11/ civil das pessoas naturais 10/11/ N I /11/2006 D /11/ civil das pessoas naturais 10/11/ N

61 61 Inclusão de Remessa – exemplo: Certidão Arquivo: la_0444_0020.xml Cartório: 444 Número da Remessa: civil das pessoas jurídicas 10/11/ N N1 XPT civil das pessoas jurídicas 10/11/ N N1 XPT-5700

62 62 Como Transmitir uma Remessa de Complemento. Para Complementar uma Remessa devemos usar o código de operação C. Para Complementar uma Remessa devemos usar o código de operação C. Arquivo: la_0444_0051.xml Cartório:444 Número da Remessa:51 Arquivo: la_0444_0051.xml Cartório:444 Número da Remessa: C 3 civil das pessoas naturais 10/11/ N1 XPT C 3 civil das pessoas naturais 10/11/ N1 XPT civil das pessoas naturais 10/11/ N civil das pessoas naturais 10/11/ N

63 63 Como Transmitir uma Remessa de Complemento. Para Complementar uma Remessa devemos usar o código de operação C. Para Complementar uma Remessa devemos usar o código de operação C. Arquivo: la_0444_0051.xml Cartório:444 Número da Remessa:51 Arquivo: la_0444_0051.xml Cartório:444 Número da Remessa:51 08/11/ XPT 8760 N1 08/11/ XPT 8760 N1

64 64 Estoque de Selos

65 65 Estoque de Selos - Saldo e Movimentação Ar quivo: la_0222_0077.xml Serventia: 222 Remessa: I 2 Ofícios e atos de notas 08/11/ N A XPT I 2 Ofícios e atos de notas 08/11/ N A XPT1000

66 66 Estoque de Selos - Saldo e Movimentação 2013 N A XPT N A XPT1001

67 67 Estoque de Selos - Saldo e Movimentação 7 civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK civil das pessoas jurídicas 08/11/ N N1 LTK1000

68 68 Estoque de Selos - Saldo e Movimentação 08/11/ XPT A 20 LTK N ESTOQUE INICIAL DE SELOS LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A ENTRADA DE SELOS – ORIGEM: FORNECEDOR LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO LTK N /11/ XPT A 20 LTK N ESTOQUE INICIAL DE SELOS LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A ENTRADA DE SELOS – ORIGEM: FORNECEDOR LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO LTK N

69 69 Estoque de Selos - Saldo e Movimentação 32 XPT A 32 LTK 1000 N SAÍDA DE SELOS – CONSUMO DIÁRIO LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A LTK N ESTOQUE FINAL DE SELOS LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A LTK N XPT A 32 LTK 1000 N SAÍDA DE SELOS – CONSUMO DIÁRIO LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A LTK N ESTOQUE FINAL DE SELOS LETRA NUMERAÇÃO INICIAL NUMERAÇÃO FINAL TIPO DE SELO XPT A LTK N

70 70 Remessa XML – Códigos de operação válidos –Remessa – I (incluir), A (alterar), E (excluir), C (Complemento) C (Complemento) I I A A E E C C

71 71

72 72 Atos e selos com informações em branco I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/ I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/ Informações (valores e quantidades) do Ato e a quantidade do selo zeradas. Quando este caso ocorrer, basta suprimir as TAGs de Ato e do selo sem dados. Bastando informar a atribuição correspondente com a quantidade de atos zerada.

73 73 Atos e selos com informações em branco I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/ I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/2006 0

74 74 Dados do Livro Adicional incorretos. Arquivo : la_0577_0021.xml Serventia = 0577 Remessa = 21 Número da Versão = I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/ I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/2006 0

75 75 GRERJ Inválida. Número da guia com dígito separado por um traço Exemplo: I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/ I /11/2006 D /11/ civil das pessoas jurídicas 11/11/2006 0

76 76 GRERJ Inválida. Arquivo com valor da GRERJ zerado e/ou sem o número da guia. Quando este caso ocorrer, basta suprimir a TAG de GRERJ sem dados. Exemplo: I 11/11/2006 D 0 13/11/ I 11/11/2006 D 0 13/11/ I 7 civil das pessoas jurídicas 11/10/ N N1 LTK I 7 civil das pessoas jurídicas 11/10/ N N1 LTK1000

77 77 Código do cartório errado. Quando este caso ocorrer, o arquivo, com a remessa, não será executado. Quando este caso ocorrer, o arquivo, com a remessa, não será executado. Exemplo: Cartório 777 e Remessa 57. Arquivo ERRADO: la_777_0057.xml Arquivo ERRADO: la_777_0057.xml NOME CORRETO: la_0777_0057.xml NOME CORRETO: la_0777_0057.xml la_0999_XXXX.xml la_0999_XXXX.xml la = Constante, Livro Adicional la = Constante, Livro Adicional 0999 = código da serventia, com zeros à esquerda = código da serventia, com zeros à esquerda. Exemplos: 0777 – Serventia 777 la_0777_0057.xml 8765 – Serventia 8765 la_8765_0057.xml XXXX = Número da Remessa. XXXX = Número da Remessa. Arquivo ERRADO: la_777_0057.xml Arquivo ERRADO: la_777_0057.xml NOME CORRETO: la_0777_0057.xml NOME CORRETO: la_0777_0057.xml la_0999_XXXX.xml la_0999_XXXX.xml la = Constante, Livro Adicional la = Constante, Livro Adicional 0999 = código da serventia, com zeros à esquerda = código da serventia, com zeros à esquerda. Exemplos: 0777 – Serventia 777 la_0777_0057.xml 8765 – Serventia 8765 la_8765_0057.xml XXXX = Número da Remessa. XXXX = Número da Remessa.

78 78 Críticas

79 79 Arquivo de Retorno

80 80 Integrando FTP ao sistema dos cartórios

81 81 Documentação Seção Corregedoria Dinamic XML Editor Microsoft.NET Framework Version 1.1 d25e3-f d1e7cf3a3&displaylang=en Downloads

82 82 Alguns links sobre XML na web

83 83 Call Center: CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA Diretoria Geral de Fiscalização e Apoio às Serventias Extrajudiciais Divisão de Monitoramento Extrajudicial DIMEX Contatos

84 84 Dúvidas

85 85


Carregar ppt "1 DGTEC - DESIS - DISJU – SESEJ Livro Adicional Eletrônico XML."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google