A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução à identificação de marfim Desenvolvido pelo Secretariado CITES GreenCustoms Knowledge Series No. 12.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução à identificação de marfim Desenvolvido pelo Secretariado CITES GreenCustoms Knowledge Series No. 12."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução à identificação de marfim Desenvolvido pelo Secretariado CITES GreenCustoms Knowledge Series No. 12

2 2 Questões a responder O que é o marfim? Há quanto tempo se utiliza o marfim? Que tipos de marfim se encontram no comércio? Como se diferenciam os diversos tipos de marfim? Como identificar os seus substitutos? Como detectar marfim falsificado?

3 3 O que é o marfim? O termo marfim era tradicionalmente aplicado às presas de elefante Contudo, a estrutura química dos dentes e presas de mamíferos é a mesma independentemente da origem das espécies, e o comércio de alguns dentes e presas que não de elefante está bem estabelecido e difundido Artigos de outras espécies, que não mamíferos, também são chamadas de marfim

4 4 O que é o marfim? As presas são dentes extremamente grandes que se projectam para lá dos lábios Os dentes da maioria dos mamíferos são constituídos pela raiz, pescoço e a coroa, e as presas constituídas pela raiz e a presa propriamente dita Os dentes e as presas têm a mesma estrutura física, cavidade pulpar, dentina, cimento e esmalte

5 5 O que é o marfim? Os dentes e presas podem ser trabalhados em diversos tipos de formas e objectos As presas podem ser trabalhadas de forma a manter a sua forma característica As presas de javali africano, dentes de cachalote, orcas e de hipopótamos podem ser trabalhados superficialmente mantendo a sua forma original

6 6 O que é o marfim? O marfim também pode ser encontrado em formas menos reconhecíveis, tal como embutidos e pequenos artigos

7 7 Marfim no comércio O marfim tem sido valorizado desde há muito tempo, o primeiro registo de utilização em esculturas por Cro- Magnons que viveram à cerca de a anos atrás no período Paleolítico Superior do Pleistoceno

8 8 Marfim no comércio Egipto, 2600 AC Europa, Séc. XII-XIV

9 9 Marfim no comércio A partir do Séc. XVII, artistas Japoneses inventaram inteligentemente as esculturas miniatura, conhecidas como netsuke (amuletos) para servir uma função muito prática (quimonos não têm bolsos!) Cópias modernas de desenhos antigos de Netsuke são populares como objectos de arte, e são muitas vezes feitas de marfim

10 10 Marfim no comércio Esculturas Netsuke possuem dois pequenos buracos através dos quais passa um entrançado de seda Artigos genuínos e copias bem feitas possuem buracos de tamanhos diferentes, como uma buraco grande para acomodar o nó Netsuke modernos, criados como artigos turísticos geralmente possuem buracos de tamanho semelhante, ou buracos que não se conectam

11 11 Marfim no comércio Uso moderno e comércio –D–Decoração, arte –O–Objectos culturais –I–Instrumentos musicais –S–Selos de nomes

12 12 Marfim no comércio Uso moderno e comércio –Decoração, arte –Objectos culturais –Instrumentos musicais –Selos de nomes

13 13 Marfim no comércio Uso moderno e comércio –Decoração, arte –Objectos culturais –Instrumentos musicais –Selos de nomes

14 14 Marfim no comércio Uso moderno e comércio –Decoração, arte –Objectos culturais –Instrumentos musicais –Selos de nomes

15 15 Tipos de marfim Elefante (Asiático, Africano) Mamute (marfim fóssil) Hipopótamo Morsa (incluindo marfim fóssil de morsa) Narval Cachalote Javali africano Calau Substitutos naturais –Osso –Compostos –Conchas –Marfim vegetal Marfim sintético e falso –Plásticos –Resina Polyester –Sintéticos –Caseína –Celulóide

16 16 Real ou falso...? Não é tão simples, ou fácil de dizer... Identificação de marfim... e em que Apêndice CITES? Osso Celulóide Javali africano Sintético III Morsa II Hipo I Calau

17 17 Identificação de marfim Elefante e Mamute –Nas secções transversais de marfim polido de elefante e mamute, a dentina apresenta linhas de Schreger com características únicas, comummente referidos como anéis de crescimento, aparas de motor ou divisas empilhadas –As intersecções das linhas de Schreger formam ângulos, que variam entre 100º-115º (obtusos) no marfim de elefante Asiático/Africano

18 18 Identificação de marfim Elefante e Mamute –Nas secções transversais de marfim polido de elefante e mamute, a dentina apresenta linhas de Schreger com características únicas, comummente referidos como anéis de crescimento, aparas de motor ou divisas empilhadas –As intersecções das linhas de Schreger formam ângulos, que variam entre 100º-115º (obtusos) no marfim de elefante Asiático/Africano Mamute Elefante

19 19 Mamute (não-CITES)

20 20 Elefante

21 21 Mamute (não-CITES)

22 22 Identificação de marfim Lembre-se, as linhas Schreger aparecem nos cortes transversais Numa peça de marfim tridimensional, é normalmente possível encontrar um lado que corresponde ao corte transversal Contudo, artigos cortados longitudinalmente, em camadas finas (como as teclas de um piano) não apresentam estas linhas, e podem apresentar linhas onduladas ou paralelas na sua superfície

23 23 Identificação de marfim Marfim de mamute pode, ocasionalmente, exibir manchas intrusivas acastanhadas ou azul-esverdeadas causadas por fosfato de ferro chamado vivianite Quando a descoloração é quase imperceptível a olho nu, a utilização de uma fonte de luz ultravioleta, de mão, faz com que a área manchada se destaque com uma dramática aparência púrpura aveludada Mesmo descolorido, o marfim de elefante não terá esta característica de fluorescência da vivianite

24 24 Identificação de marfim Hipopótamo

25 25 Identificação de marfim Hipopótamo –Os caninos de cima e de baixo e os incisivos são as fontes mais comuns de marfim de hipopótamo O canino de cima é oval arredondado, num corte transversal O canino de é largo, com uma curvatura acentuada, e com um corte transversal triangular O incisivo tem a forma de uma cavilha, e tem um ponto central num corte transversal

26 26 Identificação de marfim Hipopótamo –Exame minucioso de um corte transversal de dentina de hipopótamo, com o auxílio de uma lente de mão 10X revela uma série de linhas finas apertadas e concêntricas que podem ser regular ou irregularmente espaçadas –A orientação das linhas seguirá a forma geral do dente em causa, e o centro do dente pode exibir uma zona intersticial

27 27 Identificação de marfim Morsa –O marfim de uma presa de morsa vem de dois caninos superiores modificados, que possuem uma forma de cavilha irregular –A ponta de uma presa de morsa tem um revestimento de esmalte que se desgasta durante a juventude do animal –Podem ser vistas ao longo do comprimento da presa, finas fendas longitudinais, que aparecem como fendas radiais no corte transversal,

28 28 Identificação de marfim Morsa –O marfim de uma presa de morsa vem de dois caninos superiores modificados, que possuem uma forma de cavilha irregular –A ponta de uma presa de morsa tem um revestimento de esmalte que se desgasta durante a juventude do animal –Podem ser vistas ao longo do comprimento da presa, finas fendas longitudinais, que aparecem como fendas radiais no corte transversal,

29 29 Identificação de marfim Morsa –O marfim de morsa Fossilizado também é comercializados (artefactos, partes de instrumentos musicais)

30 30 Identificação de marfim Marfim de morsa antigo, novo e fóssil Fóssil Antigo Novo Antigo

31 31 Identificação de marfim Narval –Incisivos superiores, em espiral, centro oco no corte transversal

32 32 Identificação de marfim Cachalote –Dentes inteiros –Dentes inteiros com decorações (superfície trabalhada) –Tábua Ponta em esmalte, anéis de dentina em corte transversal Muito boas falsificações, em resina de poliéster

33 33 Identificação de marfim Cachalote –A cavidade radicular de dentes de cachalote é geralmente profunda e cónica (excepto em animais velhos) –A borda de um dente de cachalote é bastante acentuada, fino, e pode apresentar fendas devido à idade e perda de humidade –Se a borda foi cortada é geralmente lisa, segue a forma exterior do dente, e é geralmente imaculada –A cavidade de base da maioria das falsificações é superficial e arredondada, e pode ser descolorada a partir da imersão em corante para simular patina sobre a superfície exterior

34 34 Identificação de marfim Cachalote –A ponta de um dente de cachalote é amarelada, com uma linha de separação acentuada a partir do marfim mais branco, e pode também exibir linhas de idade acentuadas, finas e curtas, atravessando a partir do marfim à coroa –A patina é geralmente subtil e não uniforme, e não é fácil raspar, é também de uma cor diferente da tinta da imagem –Muito poucos dentes decorados antigos têm texto, e menos ainda são datados –Com muitas das resinas agora em uso, os testes com agulhas quentes e exames com luz UV não são tão confiáveis quanto eram

35 35 Identificação de marfim Javali africano –O marfim de Javali africano vem dos caninos de cima e de baixo do animal –Estas presas têm uma curva muito acentuada e o corte transversal quadrada –O marfim de Javali africano é manchado –Um exame ao corte transversal com uma lente com ampliação de 10X mostra que a dentina do Javali africano possui linhas concêntricas com espaçamentos irregulares e de diferentes espessuras

36 36 Identificação de marfim Calau –O marfim de calau é proveniente do casco do Calau de casco Rhinoplax vigil (Apêndice I)

37 37 Identificação de marfim Substitutos naturais –Superficialmente, o osso pode- se parecer muito com o marfim O osso é muito poroso devido aos Canais de Havers através dos quais os fluidos circulam Isto pode ser observado na superfície de um osso polido com uma lente de 10X, e parecem-se com buracos ou riscos irregulares

38 38 Identificação de marfim Substitutos naturais –Composição Pó de marfim de elefante, um subproduto do artesanato e esculturas, pode ser ligado com resinas e moldado, cortado e polido para fazer um produto comercialmente utilizável (ex. Teclas de piano) Tecnicamente, continua a ser um espécime em marfim, mas não terá as características normais de identificação

39 39 Substitutos naturais –Concha Carbonato de cálcio polido para embutidos e pequenos artigos –Marfim vegetal (noz de tagua Phytelephas aequatorialis) Corte transversal revela linhas concêntricas finas, com espaços regulares, semelhantes às que o marfim de hipopótamo apresenta A fluorescência UV do marfim vegetal é muito semelhante à fluorescência do marfim de elefante –O ácido sulfúrico aplicado marfim vegetal provoca uma coloração rosa irreversível em cerca de 12 minutos Identificação de marfim

40 40 Esculturas em estilo asiático e modernas em noz de tagua

41 41 Identificação de marfim Sintéticos, falsificações –Plásticos, poliéster resinas, sintéticos, caseína, celulóide –Algumas tentam imitar as linhas Schreger (como celulóide, inventada em o que significa que se podem ter falsificações antigas)

42 42 Resumo O marfim é utilizado desde há muito tempo –Há muito disso por aí...! Existem diferentes tipos de marfim, cada um com diversas características morfológicas Uma identificação preliminar pode por vezes ser feita na mão, com a ajuda de uma lente......mas você pode não ser capaz sem um equipamento mais sofisticado e um laboratório, e talvez com material de referência para comparação

43 43 Secretariado CITES Genebra


Carregar ppt "Introdução à identificação de marfim Desenvolvido pelo Secretariado CITES GreenCustoms Knowledge Series No. 12."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google