A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Escola Secundária Manuel Cargaleiro Trabalho realizado por: Imran Fazal nº10 12ºA Tiago Monteiro nº29 12ºA No âmbito da disciplina de Biologia Projecto:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Escola Secundária Manuel Cargaleiro Trabalho realizado por: Imran Fazal nº10 12ºA Tiago Monteiro nº29 12ºA No âmbito da disciplina de Biologia Projecto:"— Transcrição da apresentação:

1 Escola Secundária Manuel Cargaleiro Trabalho realizado por: Imran Fazal nº10 12ºA Tiago Monteiro nº29 12ºA No âmbito da disciplina de Biologia Projecto: Biologia e os Desafios da Actualidade Professora Teresa Hilário

2 DST é a designação pela qual é conhecida uma categoria de patologias antigamente conhecidas como doenças venéreas. São doenças que se transmitem essencialmente pelo contacto sexual e a melhor medida de prevenção é o uso de contraceptivos. Todavia, nem todo o tipo de contraceptivos previne ou defende doenças sexualmente transmissíveis. Alguns apenas servem para impedir a gravidez da mulher, o que permite haver contacto entre os órgãos sexuais masculinos e os femininos. Algumas doenças são letais se não tomado os devidos cuidados. Como tal a nossa finalidade é informar sobre o tema.

3 Doenças Sexualmente Transmissíveis O que são DST’s? Doenças infecciosas que se transmitem essencialmente pelo contacto sexual, outrora conhecidas como doenças venéreas; Estas podem ser provocadas por vírus, bactérias ou outro tipo de germes; Podem causar infertilidade, malformações e manifestam-se com os mais variados sintomas; Podem espalhar-se pelo corpo se não tomadas as devidas precauções; A forma mais eficiente de as evitar é o uso do preservativo.

4 Doenças Sexualmente Transmissíveis Nomes de algumas DST’s: Sida; Candidíase; Clamídia, Herpes Genital; Hepatite B e C; Epididimite; Gonorreia; Infecção por HPV; Triconomas; Sífilis; DIP; Uretrite.

5 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Sida – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida O que é a Sida? A Sida é causada pelo vírus VIH. Uma pessoa pode carregar o vírus por diversos anos sem que a doença se manifeste. A sida é uma doença que enfraquece o sistema imunológico e abre caminho para outras infecções, acabando por ser fatal. A pessoas apenas portadoras do vírus, cuja doença não se manifesta são denominados seropositivos. Esta doença não tem sintomas, o indivíduo sente apenas os sintomas de outras doenças que se aproveitam para atacar o organismo.

6 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Sida – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Transmissão: O vírus HIV é transmitido por alguns fluídos do corpo humano tais como: esperma, secreções vaginais, sangue e leite materno; Crianças que nasceram de mães contaminadas correm o risco de desenvolver a doença se entrar em contacto com o sangue durante o parto; O vírus não consegue sobreviver fora do organismo, o que impossibilita a sua transmissão nesse meio. Esta doença ainda não tem cura, apenas se consegue aumentar um pouco o tempo de vida do doente.

7 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Sida – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Constituição do VIH: Material Genético e Proteínas Constituição do Material Genético: Cadeias simples de ARN; Como age o VIH? Liga-se aos glóbulos brancos do sangue, células intestinais e células do cérebro; Liberta o seu conteúdo para a célula hóspede; Uma proteína viral, enzima de transcrição, converte cadeias simples de ARN em cadeias duplas de ADN;

8 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Outra proteína, a enzima HIV-integrase, espalha o ADN viral no núcleo da célula hóspede; A terceira proteína, enzima protease, divide as proteínas virais em enzimas funcionais; Proteínas virais e ARN são empacotados numa nova VIH; O vírus fica pronto para espalhar-se pelo organismo.

9 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Dúvidas comuns sobre a Sida: 1- É possível ficar contaminado pelo vírus HIV através de sexo oral? Sim, mas com riscos bem menores do que no sexo anal ou vaginal. É preciso que o esperma ou as secreções vaginais contaminadas entrem em contacto com cortes ou outros ferimentos na boca para que o vírus se misture com o sangue. 2- E por beijos? A hipótese é praticamente nula. A concentração do vírus HIV na saliva é mínima, e só há alguma hipótese de contaminação se a boca estiver com algum tipo de sangramento.

10 Progressão e Sintomas de algumas DST’s 3- É possível contrair o vírus HIV se usar o mesmo copo ou utilizar os mesmos talheres de alguém infectado pelo vírus? Não existe nenhum risco. O vírus é somente adquirido por contacto directo com o sangue, fluidos vaginais ou com sémen de uma pessoa infectada. 4- E por compartilhar o mesmo banco de escola, aperto de mão, abraços ou visitar a casa de alguém infectado? Não existe risco, pois o vírus HIV nunca é transmitido através do contacto físico quotidiano. Este vírus é somente adquirido por contacto directo com o sangue, fluidos vaginais ou com sémen de uma pessoa infectada como já fora afirmado antes.

11 Progressão e Sintomas de algumas DST’s 5- Existe risco se partilhar a maquina de barbear ou escova de dentes com alguém infectado? Sim, devido aos cortes feitos na pele ao barbear ou devido ao sangramento das gengivas ao escovar os dentes. No caso de escovar os dentes, o risco não é o contacto com a saliva do portador, mas os eventuais sangramentos. A saliva não é um meio de contágio de HIV. 6- Se a Sida não tem sintomas próprios, como pode a pessoa descobrir se está infectada? É preciso fazer um exame de sangue em caso de dúvida. O melhor é faze-lo o quanto antes de modo a não correr riscos de contaminar outros indivíduos, tais como parceiros sexuais.

12 Progressão e Sintomas de algumas DST’s 7- Em que lugares do organismo se hospeda o vírus HIV? O vírus fica isolado em numerosos fluidos do organismo: sangue, sémen, secreções vaginais, leite materno, saliva, lágrimas. Para que ocorra contágio, deve existir suficiente concentração de vírus HIV em alguns deles. A concentração de vírus HIV existente na saliva e nas lágrimas é insuficiente para contaminar outra pessoa.

13 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Hepatite B e C O que são? A hepatite B é o tipo de hepatite sexualmente transmissível mais comum. Pode ser crónica. O contágio é possível por via sexual devido ao contacto com fluidos corporais tais como: sangue, saliva, sémen e secreções vaginais. Os recém-nascidos podem ser infectados logo à nascença pelas mães. A hepatite C foi recentemente identificada como uma importante causa de doença crónica do fígado e de cancro do fígado. Indivíduos que partilham agulhas, algodões ou colheres podem ser contaminados.

14 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Hepatite B e C Sintomas: Aparecem duas a seis semanas após a infecção. Podem ser breves ou durarem algumas semanas. Muitos indivíduos não têm consciência da gravidade da infecção até que tenham um cancro no fígado. Variam de indivíduo para indivíduo, contudo eis alguns: fatiga, dor abdominal, pele ou olhos amarelados, urina escura, fezes com cor clara e febre. 70 a 80% dos doentes de Hepatite C, não tem qualquer sintoma Diagnóstico: É feito através de testes químicos que procuram anticorpos de hepatite.

15 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Hepatite B e C Tratamento: O tratamento geral para todos os tipos de hepatite baseia-se em descanso na cama e toma de líquidos para evitar a desidratação. Não existe medicação/tratamento eficaz neste momento. Hepatite B é uma doença fatal à qual o portador pode não ter consciência que tem. Não existem tratamentos eficazes para esta doença. A Hepatite C pode ser tratada, mas depende das lesões causadas. Cerca de 80% das pessoas evoluem para um tipo de doença crónica, destes 20 a 50% desenvolvem cirrose e destes ainda, 20 a 30% evoluem para cancro. Em todos os casos, é melhor consultar um médico para que seja avaliado o seu risco de contágio.

16 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Sífilis O que é? Trata-se de uma doença infecto-contagiosa sistémica, isto é, ataca todo o organismo e evolui de forma crónica ou lenta, tendo períodos agudos e outros de latência. Tem três fases de desenvolvimento. A sífilis apresenta vários sintomas dependendo do estágio em que se encontra. Se não tratada adequadamente, a sífilis pode causar sérios danos ao sistema nervoso central (SNC) e ao coração. Esta, sem tratamento pode ser fatal. Por fim, é transmitida por relações sexuais, transfusão de sangue e pela placenta, de mãe para filho. Período de Incubação: 3 a 4 semanas.

17 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Progressão da Sífilis – Evolução e Tipos de Sífilis 1- Sífilis Primária 2- Sífilis Secundária 3- Sífilis Terciária 4- Sífilis Congénita 5- Sífilis Decapitada 6- Sífilis Latente

18 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Progressão da Sífilis – Evolução e Tipos de Sífilis 1- Sífilis Primária A sífilis primária surge com uma média de 21 dias após o contacto. Depois aparece o cancro duro. O cancro é uma pequena ferida ou úlcera firme e dura que ocorre no ponto exposto, geralmente o pénis, a vagina, o recto ou a boca. Esta lesão permanece por 4 a 6 semanas, desaparecendo espontaneamente. Nesta fase a pessoa infectada pode pensar que está curada, mas engana-se.

19 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Progressão da Sífilis – Evolução e Tipos de Sífilis 2- Sífilis Secundária A sífilis secundária é a sequência lógica da sífilis primária não tratada e é caracterizada por uma erupção cutânea que aparece 1 a 6 meses após a lesão primária desaparecer. Esta erupção é vermelha rosada e aparece no tronco e membros, e ao contrário de outras doenças que se desenvolvem com erupções, como o sarampo ou a rubéola, as lesões atingem também as palmas das mãos e as solas dos pés. Aparição de manchas. O paciente é muito contagioso nesta fase. Juntamente aos sintomas já referidos, nesta fase surgem muitos mais sintomas.

20 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Progressão da Sífilis – Evolução e Tipos de Sífilis 3- Sífilis Terciária Acontece já um ano depois da infecção inicial, porém, pode levar mais tempo para se manifestar. Esta fase é caracterizada por formação de gomas sifilíticas, tumores amolecidos na pele e nas membranas mucosas que podem aparecer em quase qualquer parte do corpo, inclusive no esqueleto ósseo. As manifestações mais graves incluem neurosífilis e a sífilis cardiovascular. Importante: Complicações neurológicas nesta fase incluem uma demência generalizada que resulta em mudanças de personalidade e mudanças emocionais. Complicações cardiovasculares incluem aortite, aneurisma de aorta, aneurisma do seio, e regurgitação aórtica, uma causa frequente de morte.

21 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Progressão da Sífilis – Evolução e Tipos de Sífilis 4- Sífilis Congénita Sífilis congénita é a sífilis adquirida no útero e presente ao nascimento. Acontece quando uma criança nasce de uma mãe com sífilis secundária ou terciária. Manifestações de sífilis congénita incluem alterações radiográficas, problemas dentários, nariz em sela, entre muitas outras anomalias. A morte por sífilis congénita normalmente é por hemorragia pulmonar.

22 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Progressão da Sífilis – Evolução e Tipos de Sífilis 5- Sífilis Decapitada Sífilis decapitada é a sífilis adquirida por transfusão sanguínea, já que não apresenta a primeira fase e começa directamente na sífilis secundária. 6- Sífilis Latente O indivíduo apresenta um estado do tipo portador, em que o indivíduo está infectado e é infeccioso mas não apresenta sintomas significativos.

23 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Sífilis Tratamento: Tem tratamento. É importante iniciá-lo o mais cedo possível, porque com a progressão para a sífilis terciária os danos causados poderão ser irreversíveis, nomeadamente no cérebro. A penicilina G é a primeira escolha a ser feita para antibiótico. O tratamento consiste tipicamente em penicilina G ou benzatina durante vários dias ou semanas. Indivíduos que têm reacções alérgicas a penicilina podem ser tratados com tetraciclinas por via oral.

24 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Gonorreia O que é? Doença infecto-contagiosa que atinge todo o organismo, e é transmitida pela relação sexual. Período de Incubação: Varia de 24horas a 15 dias. Complicações: Aborto espontâneo, infertilidade, meningite, miocardite, gravidez ectónica (fora do útero), infecção generalizada e artrite aguda.

25 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Gonorreia Sintomas: Os sintomas mais comuns no homem são a ardência ao urinar acompanhada de febre baixa, aparecimento de um corrimento amarelo e purulento saindo da uretra. Nas mulheres é comum ocorrerem dores ao urinar, acompanhada de incontinência urinária e corrimento vaginal. Existe também o grande perigo de surgir DIP (Doença Inflamatória Pélvica), considerada também uma DST, podendo resultar em infertilidade. Esta doença afecta muitas outras partes do organismo e consequentemente surgirão diversos problemas.

26 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Gonorreia Tratamento: Além de medidas de higiene e o uso de preservativos, compreende o uso de antibióticos e quimioterápicos, sob rigorosa prescrição médica pois a doença pode não ser perceptível, originando consequências imprevisíveis para a pessoa. O tratamento poder ser feito à base de penicilina ou fluorquinolonas. A vacinação não é o melhor método de prevenção devido à grande variabilidade das estirpes e pequena gravidade da doença se tratada a tempo.

27 Progressão e Sintomas de algumas DST’s DIP – Doença Inflamatória Pélvica Sintomas Básicos: Variam de pessoa para pessoa; Dor e calor na parte baixa do abdómen – Região da Pélvis; Secreção vaginal abundante ou anormal com cheiro forte; Menstruação irregular ou abundante; Dor na região pélvica ou abdominal durante o acto sexual; Sintomas de gripe com febre, desconforto, fadiga, dor nas costas ou vómitos.

28 Progressão e Sintomas de algumas DST’s DIP – Doença Inflamatória Pélvica Período de Incubação: Cerca de 2 a 7 dias. Consequências: Depende do grau e estágio da doença, se não tratada a tempo, pode espalhar-se para outra áreas do corpo ou criar um abcesso nas tubas ou ovários, levando à infertilidade. O tratamento deve ser imediato e completo pois é muito importante para evitar problemas futuros.

29 Progressão e Sintomas de algumas DST’s DIP – Doença Inflamatória Pélvica Tratamento: Varia consoante a gravidade do caso; DIP leve, sem febre ou sintomas graves, é normalmente tratada com uma combinação de antibiótico oral e injectável, sempre sob a devida orientação médica; DIP moderada deve ser tratada com maior intensidade e número de dias no uso de antibiótico intravenoso, recebidos pelo doente uma ou duas vezes ao dia. Deverá ser sempre feito na presença de alguém específico como uma enfermeira; Se a mulher usa DIU – Dispositivo Intra-uterino o médico terá de removê-lo; Se a DIP for grave, recomenda-se internamento hospitalar.

30 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Clamídia O que é? Doença infecto-contagiosa dos órgãos genitais masculinos ou femininos, transmitida através de relações sexuais. É uma doença perigosa que normalmente só se manifesta quando já prejudicou seriamente os órgãos reprodutores, especialmente nas mulheres. Como identificar? A clamídia causa um corrimento escasso e ardor ao urinar. Se não tratada, pode permanecer anos a contaminar o organismo. Nas mulheres, é comum que a infecção se manifeste de forma aguda e de repente. Pode ser confundida com apendicite. Exige hospitalização.

31 Progressão e Sintomas de algumas DST’s Clamídia Período de Incubação: De uma semana a mais de um mês. Consequências: Infertilidade, doença inflamatória pélvica (DIP) e infecção nos órgãos, reprodutores. Tratamentos: Antibióticos.

32 Progressão e Sintomas de algumas DST’s HPV (Human Papiloma Virus) O que é? Infecção causada por um grupo de vírus HPV transmitida pelo contacto entre os órgãos genitais. Atenção: não é necessário que haja penetração para haver o contágio. Como identificar? Pequenas lesões não dolorosas por toda a região genital, no ânus, e no caso das mulheres também no colo do útero. Consequências: Cancro do colo do útero e vulva. Raramente cancro do pénis e ânus. Tratamento: Local, como a herpes genital.

33 Este trabalho assenta no conceito de que a saúde representa um valor inestimável, que todos nós devemos gerir o mais conscientemente possível, pois basta um estar infectado para representar perigo. As DST’s são pouco conhecidas e a ignorância no âmbito deste tema tem contribuído para o aumento de cada vez mais casos de indivíduos infectados. A finalidade deste trabalho é informar as pessoas, sem ver idades nem sexo, e permitir que o seu novo conhecimento adquirido os alerte para qualquer pequeno sintoma que possam sentir, recorrendo desta maneira a um médico. Esperamos agora, que se saiba prevenir e esteja sempre alerta, sem se esquecer do mais importante: “Use sempre o preservativo”.

34 m eamentoFamiliar/ Livro – "As Doenças Venéreas", Colecção Saúde, Autor: Prof. Paul Laugier


Carregar ppt "Escola Secundária Manuel Cargaleiro Trabalho realizado por: Imran Fazal nº10 12ºA Tiago Monteiro nº29 12ºA No âmbito da disciplina de Biologia Projecto:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google