A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

 Os animais desse grupo tem o corpo cilíndrico e dividido em anéis.  São representados pelas minhocas, sanguessugas e poliquetos.  Vivem em solo úmido,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: " Os animais desse grupo tem o corpo cilíndrico e dividido em anéis.  São representados pelas minhocas, sanguessugas e poliquetos.  Vivem em solo úmido,"— Transcrição da apresentação:

1  Os animais desse grupo tem o corpo cilíndrico e dividido em anéis.  São representados pelas minhocas, sanguessugas e poliquetos.  Vivem em solo úmido, e ambientes de água doce e marinho.  Podem ser parasitas ou de vida livre.

2 » A digestão é extracelular e o tubo digestório é completo, ou seja, tem boca e ânus. » De modo geral, respiram pela pele, que é muito fina e úmida. » Alguns são hermafroditas e outros apresentam sexos separados. » Muitos anelídeos podem apresentar cerdas, pequenos filamentos que auxiliam na locomoção. A classificação desse grupo é feito com base no número de cerdas. As três classes principais são: Oligoquetos, hirudíneos e Poliquetos.

3 » As minhocas são Oligoquetos que apresentam poucas cerdas. Vivem no interior do solo e se movimentam por contração da musculaturas, auxiliado pelas cerdas. » A respiração é cutânea. A pele deve permanecer sempre úmida para facilitar as trocas gasosas com o meio externo. » O sistema digestório é composto de boca, faringe, papo, intestino e ânus. Alimentam-se de restos de plantas e animais. » Apresentam sensibilidade a luz. Possuem um par de gânglios cerebrais e um longo cordão nervoso. » A circulação é fechada, pois o sangue está sempre circulando nos corações ou nos vasos. » Possuem um anel mais largo, denominado Clitelo, órgão importante na reprodução.

4 » As minhocas são hermafroditas, realizam fecundação cruzada. Após a fecundação, um casulo formado no clitelo é eliminado do organismo das minhocas, liberando os ovos que darão origem a pequenas minhocas (desenvolvimento direto).

5 » Os Hirudíneos, representado pelas sanguessugas tem o corpo achatado dorsoventralmente, não possuem cerdas. Apresentam duas ventosas, uma em cada extremidade do corpo, que auxiliam no deslocamento do animal e na absorção de alimento. »São parasitas, nutrem-se de sangue de outros animais. Fixa-se à pele do hospedeiro por meio das ventosas. São capazes de sugar uma quantidade de sangue cerca de oito vezes superior a seu peso. Produzem substâncias anticoagulante e anestésica. Antigamente eram muito usadas na medicina, para o controle da pressão arterial alta. » Vivem principalmente em água doce e solos úmidos, mas há espécies marinhas. » São hermafroditas e a reprodução é semelhante à das minhocas.

6 » Os Poliquetos são anelídeos marinhos que possuem corpo com muitas cerda. » Apresentam espécies de vida livre, como os nêreis e espécies séssies, como as sérpulas. » A sérpula se aloja num tubo calcário, fixo em rochedos. Da extremidade desses tubos partem diversos filamentos branquiais. Já a nereida é encontrada na maré baixa, sobre as pedras. A respiração é brânquial. São animais filtrdores. » Podem ser hermafroditas e de sexos separados. Fecundação interna e externa, o desenvolvimento é indireto, formam larvas.

7 FILO DOS ARTRÓPODES

8 mais de 1,6 milhão de espécies EXOESQUELETO (quitina) pernas articuladas (exoesqueleto mais fino, pode ser dobrado) olho simples / olho composto coração: simples vaso que pulsa para bombear o sangue claro

9 corpo dividido em segmentos apêndices do corpo: pernas, antenas, peças bucais MUDA: abandonam o exoesqueleto, crescem e fabricam outro maior

10 Fonte: SANTOS, (2009).

11 Insetos (pulga, mosca, gafanhoto...) Crustáceos (caranguejo, camarão...) Aracnídeos (escorpião, aranha, carrapato...) Diplópodes (piolho-de-cobra) Quilópodes (centopéia)

12 ARTRÓPODES: INSETOS

13 maioria terrestre CABEÇA: 1 par de antenas, ocelos e olhos compostos, peças bucais TÓRAX: 3 pares de pernas, 1 ou 2 pares de asas ABDOME

14 sistema respiratório: TRAQUÉIAS sistema digestório: boca, ânus e glândulas

15 sexos separados fecundação interna (ovo com casca impermeável) desenvolvimento direto (sem metamorfose) desenvolvimento indireto: METAMORFOSE INCOMPLETA (ovo, ninfa, adulto) METAMORFOSE COMPLETA (ovo, larva, pupa, adulto)

16 ninfa

17  Transmissores de doenças  Pragas (desequilíbrio ecológico)  Polinizadores  Mel e cera  Fios da seda (larva de mariposa)

18 maioria vive no mar ou próximos à água: respiração branquial CEFALOTÓRAX: 2 pares de antenas, 1 par de olhos, apêndices ao redor da boca, variado número de pernas (10 pares em muitos) ABDOME: pernas auxiliam natação reprodução sexuada, fecundação externa desenvolvimento indireto (ovo, larva, adulto)

19

20 pinça Isópodes Decápodes

21 maioria terrestre CEFALOTÓRAX: 4 pares de pernas, sem antenas, olhos simples, 1 par de quelíceras, 1 par de pedipalpos (tato) ABDOME: abertura das traquéias (alguns têm pulmões primitivos), fiandeiras reprodução sexuada, fecundação interna desenvolvimento direto

22 Escorpionídeos Araneídeos

23 Acarinos

24 ATENÇÃO!!! A maioria dos aracnídeos não causa mal algum. Ao contrário, são eficientes predadores de insetos que poderiam devastar plantações. Aranha-armadeiraViúva-negra

25 Aranha marromTarântula

26 Escorpião amareloEscorpião marrom TRATAMENTO: SORO ANTIARACNÍDICO, SORO ANTIESCORPIÔNICO

27 terrestres, carnívoros, respiração traqueal CABEÇA: olhos simples, 1 par de antenas, 1 par de forcípulas (peçonha) TRONCO: vários segmentos, 1 par de pernas em cada segmento (15 a 170 pares)

28

29 terrestres, herbívoros CABEÇA: olhos simples, 1 par de antenas, sem forcípulas TRONCO: vários segmentos, 2 pares de pernas em cada segmento (até 180 pares) defesa: se enrolam ou exalam cheiro desagradável

30

31

32

33 1. Revestimento e proteção A epiderme simples recobre o esqueleto e os espinhos (quando presentes). Os espinhos, que servem como proteção (principalmente no ouriço-do-mar), são bem alongados e às vezes providos de glândulas venenosas. Algumas espécies possuem ainda pequenas pinças (pedicelárias) que servem para defesa e para manter sempre limpa a superfície do corpo. 2. Sustentação e locomoção Possuem endoesqueleto de placas calcáreas móveis (articuladas) ou fixas, freqüentemente com espinhos. As placas podem ser macroscópicas, distribuídas pelo corpo, como nos pepinos-do-mar, ou constituir uma carapaça muito resistente, como nos ouriços-do-mar. Nestes animais, a locomoção é lenta e é feita pelos pés ambulacrários e ainda por espinhos movidos por músculos. 3. Nutrição e digestão O sistema digestivo é completo, exceto nos ofiúros. As estrelas-do-mar são carnívoras e predadoras, seu alimento preferido são as ostras. Apesar da potente musculatura das ostras, as estrelas-do-mar conseguem abrir-lhe as valvas, introduzir seu estômago e lançar enzimas, ocorrendo um digestão externa. Os ouriços-do-mar alimentam-se de algas, que são trituradas pelos cinco dentes calcários, que formam a lanterna de Aristóteles. 1. Revestimento e proteção A epiderme simples recobre o esqueleto e os espinhos (quando presentes). Os espinhos, que servem como proteção (principalmente no ouriço-do-mar), são bem alongados e às vezes providos de glândulas venenosas. Algumas espécies possuem ainda pequenas pinças (pedicelárias) que servem para defesa e para manter sempre limpa a superfície do corpo. 2. Sustentação e locomoção Possuem endoesqueleto de placas calcáreas móveis (articuladas) ou fixas, freqüentemente com espinhos. As placas podem ser macroscópicas, distribuídas pelo corpo, como nos pepinos-do-mar, ou constituir uma carapaça muito resistente, como nos ouriços-do-mar. Nestes animais, a locomoção é lenta e é feita pelos pés ambulacrários e ainda por espinhos movidos por músculos. 3. Nutrição e digestão O sistema digestivo é completo, exceto nos ofiúros. As estrelas-do-mar são carnívoras e predadoras, seu alimento preferido são as ostras. Apesar da potente musculatura das ostras, as estrelas-do-mar conseguem abrir-lhe as valvas, introduzir seu estômago e lançar enzimas, ocorrendo um digestão externa. Os ouriços-do-mar alimentam-se de algas, que são trituradas pelos cinco dentes calcários, que formam a lanterna de Aristóteles.

34 4. Circulação Não possuem coração nem mesmo sistema circulatório típico. Existe, porém, um reduzido sistema de canais, onde circula um líquido incolor contendo amebócitos. 5. Respiração A respiração por difusão ocorre no sistema ambulacrário. 6. Excreção Não existe nenhum órgão especializado. Também nos pés ambulacrários. 7. Sistema nervoso Não há gânglios, mas sim um anel nervoso próximo à região oral, de onde saem nervos radiais. Possuem células táteis na superfície do corpo. 9. Reprodução São animais de sexos separados e de fecundação externa. Os órgãos sexuais são simples, existindo, geralmente, apenas gônadas sem ductos genitais. O desenvolvimento é indireto, larvas. 4. Circulação Não possuem coração nem mesmo sistema circulatório típico. Existe, porém, um reduzido sistema de canais, onde circula um líquido incolor contendo amebócitos. 5. Respiração A respiração por difusão ocorre no sistema ambulacrário. 6. Excreção Não existe nenhum órgão especializado. Também nos pés ambulacrários. 7. Sistema nervoso Não há gânglios, mas sim um anel nervoso próximo à região oral, de onde saem nervos radiais. Possuem células táteis na superfície do corpo. 9. Reprodução São animais de sexos separados e de fecundação externa. Os órgãos sexuais são simples, existindo, geralmente, apenas gônadas sem ductos genitais. O desenvolvimento é indireto, larvas.

35 1. Classe Crinoidea (Crinóides) Estes equinodermos semelhantes a flores vivem desde abaixo da linha de maré baixa até profundidades abissais. O corpo é um pequeno cálice em forma de taça, de placas calcárea Boca e ânus estão presentes na superfície oral. Boca e ânus estão presentes na superfície oral. Alimentam-se de plâncton e de detritos, colhidos pelos tentáculos e dirigidos à boca pelos cílios. Exemplo: lírio-do-mar.

36 2. Classe Echinoidea (ouriços-do-mar e bolachas-da-praia)  Os membros desta classe têm o corpo arredondado sem braços ou raios livres, mas possuem espinhos delgados e móveis.  Em um ouriço-do-mar comum as vísceras estão encerradas em uma carapaça.  Boca e ânus são centrais, mas em pólos opostos.  Ouriços alimentam-se de plantas marinhas, matéria animal morta e pequenos organismos.  Bolachas-da-praia alimentam-se de partículas orgânicas da areia ou do lodo através de ingestão direta ou por meio de rede de muco.

37 3. Classe Asteroidea (estrelas-do-mar) As estrelas-do-mar abundam em quase todas as costas marinhas, especialmente em praias rochosas e ao redor de pilares de portos. As estrelas-do-mar abundam em quase todas as costas marinhas, especialmente em praias rochosas e ao redor de pilares de portos. Várias espécies vivem desde as linhas de maré até profundidades consideráveis na areia e no lodo. Várias espécies vivem desde as linhas de maré até profundidades consideráveis na areia e no lodo. O corpo de uma estrela-do-mar consiste de um disco central e cinco raios ou braços afilados. O corpo de uma estrela-do-mar consiste de um disco central e cinco raios ou braços afilados. Na superfície aboral ou superior há espinhos calcários, os quais são partes do esqueleto. Na superfície aboral ou superior há espinhos calcários, os quais são partes do esqueleto. Brânquias Brânquias O ânus é uma abertura diminuta próxima ao centro da superfície aboral. O ânus é uma abertura diminuta próxima ao centro da superfície aboral. A boca está no centro da superfície oral, ou inferior. A boca está no centro da superfície oral, ou inferior. Sistema ambulacrário. Sistema ambulacrário. Na ponta de cada braço há um tentáculo táctil e uma mancha ocelar, sensível a luz. Na ponta de cada braço há um tentáculo táctil e uma mancha ocelar, sensível a luz. As estrelas-do-mar alimentam-se de moluscos, crustáceos e vermes tubícolas. As estrelas-do-mar alimentam-se de moluscos, crustáceos e vermes tubícolas. Algumas alimentam-se de matéria orgânica em suspensão e até mesmo animais pequenos e ativos, como peixes, ocasionalmente podem ser capturados Algumas alimentam-se de matéria orgânica em suspensão e até mesmo animais pequenos e ativos, como peixes, ocasionalmente podem ser capturados Reprodução Reprodução óvulos e espermatozóides são postos na água do mar, onde ocorre a fecundação. óvulos e espermatozóides são postos na água do mar, onde ocorre a fecundação.

38 4. Classe Ophiuroidea (ofiúros) 4. Classe Ophiuroidea (ofiúros) Os ofiúros têm um disco pequeno, arredondado, com 5 braços distintos, longos, delgados, articulados e frágeis. No braço há um ramo do sistema ambulacrário. Os pés ambulacrários são ventrolaterais, sem ventosas. Eles são sensitivos, auxiliam na respiração e podem levar alimento à boca. Todos os órgãos digestivo e reprodutores estão no disco. A boca fica no centro da superfície oral. Não ha ânus. Vivem desde água rasa a profunda, Podem se esconder embaixo de pedras ou plantas marinhas ou no lodo e areia São ativos à noite. Movem-se por movimentos serpenteantes rápidos. Alimentam-se de pequenos crustáceos, moluscos e outros animais e detritos do fundo; podem servir de alimentos a peixes. Ex.: serpente-do-mar.

39 5. Classe Holothuroidea (Holotúrias) Em oposição aos outros equinodermos, as holotúrias têm o corpo delgado, alongado. A boca é circundada por 10 a 30 tentáculos que são modificações de pés ambulacrários bucais. O lado ventral se encontram os pés ambulacrários, com ventosas, que servem para a locomoção. As holotúrias movem-se como lesmas no fundo do mar ou cavam no lodo ou areia da superfície deixando somente as extremidades do corpo expostas, quando perturbadas, contraem-se lentamente. O alimento é de material orgânico dos detritos do fundo, que é empurrado para a boca ou de plâncton aprisionado em muco nos tentáculos. As holotúrias frequentemente são os invertebrados dominantes nas partes mais profundas dos oceanos As holotúrias frequentemente são os invertebrados dominantes nas partes mais profundas dos oceanos Ex.: pepino-do-mar.

40 Os equinodermos são pouco usados como alimento; no entanto, Os equinodermos são pouco usados como alimento; no entanto, ▫ Habitantes da bacia do Mediterrâneo comem. 1. Assadas ou cruas,as gônadas do ouriço-do-mar. 2. As paredes do corpo do pepino-do-mar, após serem fervidas e secas, produzem o “trepang” usado para fazer sopas. 3. As vísceras de vários equinodermos são usadas como iscas para peixes; As estrela-do-mar podem danificar culturas comerciais de ostras e mexilhões, trazendo sérios prejuízos aos criadores. As estrela-do-mar podem danificar culturas comerciais de ostras e mexilhões, trazendo sérios prejuízos aos criadores. Está nas pesquisas biológicas a maior utilidade dos equinodermos. Está nas pesquisas biológicas a maior utilidade dos equinodermos. ▫ Muitos são os ensaios experimentais sobre fecundação e desenvolvimento feitos com o ouriço-do-mar. Os equinodermos são pouco usados como alimento; no entanto, Os equinodermos são pouco usados como alimento; no entanto, ▫ Habitantes da bacia do Mediterrâneo comem. 1. Assadas ou cruas,as gônadas do ouriço-do-mar. 2. As paredes do corpo do pepino-do-mar, após serem fervidas e secas, produzem o “trepang” usado para fazer sopas. 3. As vísceras de vários equinodermos são usadas como iscas para peixes; As estrela-do-mar podem danificar culturas comerciais de ostras e mexilhões, trazendo sérios prejuízos aos criadores. As estrela-do-mar podem danificar culturas comerciais de ostras e mexilhões, trazendo sérios prejuízos aos criadores. Está nas pesquisas biológicas a maior utilidade dos equinodermos. Está nas pesquisas biológicas a maior utilidade dos equinodermos. ▫ Muitos são os ensaios experimentais sobre fecundação e desenvolvimento feitos com o ouriço-do-mar.

41  profiva.dominiotemporario.com/doc/7_Equin odermos.ppt  rtropode%20-%203º.ppt  nelidaAnelideos5.ppt


Carregar ppt " Os animais desse grupo tem o corpo cilíndrico e dividido em anéis.  São representados pelas minhocas, sanguessugas e poliquetos.  Vivem em solo úmido,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google