A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DROGAS Trabalho realizado por: Joana Guedes nº12 Joana Santos nº13

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DROGAS Trabalho realizado por: Joana Guedes nº12 Joana Santos nº13"— Transcrição da apresentação:

1 DROGAS Trabalho realizado por: Joana Guedes nº12 Joana Santos nº13
Libânia Soares nº15 Plácido Santos nº24 Rita Soares nº 26

2 Drogas Droga é qualquer substância que possui propriedades farmacológicas que conduzem a uma tolerância do organismo, entre outras coisas e que na maioria dos casos conduz à toxicodependência.

3 Drogas (cont.) Muitas drogas começaram a ser usadas em tratamentos específicos de certas doenças e como paliativo. Outras fizeram parte de contextos socioculturais de outras épocas.

4 Existem 3 tipos de drogas:
(cont.) Existem 3 tipos de drogas: .Depressoras .Estimulantes .Psicadélicas

5 Depressoras As drogas depressoras são consideradas as mais perigosas. Este tipo de droga deprime o sistema nervoso central e pode causar dependência física. Leva muitas vezes à morte por consumo exagerado. Como exemplo temos: A heroína O álcool

6 Heroína Devido ao elevado número de viciados em morfina e às nefastas consequências que esta droga trouxe à sociedade no século XIX, impôs-se a necessidade de encontrar uma nova substância com igual potencial analgésico, mas que não gerasse dependência.

7 Heroína (cont.) Era, pelo menos, este o objectivo dos laboratórios de prestigio daquela época. Um deles, a firma alemã Bayer, acreditou ter encontrado o produto desejado em 1879, que foi aprovado e registado em 1898.

8 Heroína (cont.) Tinha sido descoberta a heroína. Pensaram que serviria para tratar os dependentes da morfina, assim como outras doenças (por exemplo, a tuberculose). Aparentemente, não tinha efeitos secundários adversos, mas depressa se tornaram evidentes os seus riscos e efeitos negativos, apesar de a Bayer ter conseguido manter as criticas sob o controlo, durante uma dezena de anos.

9 Heroína (cont.) Finalmente retirada do mercado como medicamento em todo o mundo, converteu-se numa droga ilegal.

10 Efeitos da heroína Efeitos imediatos: Sonolência Euforia
Sensação de tranquilidade Contracção da pupila Náuseas Vómitos Depressão da respiração Desaparecimento do reflexo da tosse Efeitos a longo prazo: Desenvolvimento de tolerância com grande rapidez Insónias Transpiração Tendência para aumentar a quantidade de heroína auto-administrada que conduz a uma manifesta dependência

11 Álcool O procedimento para produzir álcool destilado deve-se aos árabes, mas o seu desenvolvimento industrial começou nos países cristãos do mediterrâneo a partir do século XII, ficando a tecnologia perfeitamente desenvolvida e implantada no resto da Europa no século XIV.

12 Álcool (cont.) Quando dois séculos depois começa a expansão europeia nas colónias, o álcool torna-se num produto comercial de primeira ordem, seguramente o que mais lucros produz no momento da criação de um mercado mundial.

13 Efeitos do álcool Efeitos imediatos: Sonolência Turvação da visão
Descoordenação muscular Diminuição da capacidade de reacção Fadiga muscular Sede Dor de cabeça desidratação Lentidão dos reflexos Efeitos a longo prazo: Anemia Diminuição das defesas imunitárias Alterações cardíacas (miocardite) Gastrite Úlceras Irritabilidade

14 Estimulantes As drogas estimulantes têm em comum o facto de acelerarem o funcionamento do sistema nervoso central, reduzirem o apetite e tirarem o sono a quem as consome. Como exemplos temos: Anfetaminas Ecstasy Cocaína Tabaco

15 Anfetamínas A Éfedra é uma planta relativamente abundante no mediterrâneo, cuja utilização na medicina nunca foi conhecida; era no entanto, utilizada desde tempos remotos na medicina chinesa como um antiasmático.

16 Anfetamínas (cont.) Em 1926, Chen e Schmidt isolaram e estudaram a efedrina, precursora das actuais anfetaminas de produção sintética. A partir de 1930, começaram os ensaios clínicos que tiveram um grande impulso a partir de 1938, com a comercialização da metanfetamina.

17 Anfetamínas (cont.) A partir da Convenção de Viena de 1971, começaram a ser aplicados controlos muito severos: deu-se uma retirada progressiva de produtos farmacêuticos que continham anfetaminas, até à sua completa supressão em muitos países, o que proporcionou, nos anos 80, o aparecimento de um mercado negro de anfetaminas de produção ilegal.

18 Efeitos das Anfetaminas
Efeitos imediatos: Excitação nervosa Insónia Agitação Agressividade Falta de apetite Fadiga Hiperactividade Efeitos a longo prazo: Graves depressões Alta tolerância Dependência psicológica Tremores Sintomas delirantes e alucinatórios

19 Ecstasy O ecstasy foi patenteado em 1914 na Alemanha, pelos laboratórios Merck, como um medicamento supressor do apetite, que nunca chegou a era comercializado. Foi abandonado até à década de 50, época em que foi retomada para fins experimentais. Os primeiros consumos ilegais detectaram-se durante os anos 60 e 70 no oeste dos E.U.A, facto que levou à sua proibição neste país em 1985.

20 Ecstasy (cont.) Nos finais dos anos 80, começaram a espalhar-se por toda a Europa, acompanhado diversas modas musicais e o estilo de alguns locais do mediterrâneo. A sua expansão também não é alheia à queda do muro de Berlim e ao descontrolo politico de alguns dos países do Leste europeu, com uma enorme indústria farmacêutica. .

21 Ecstasy (cont.) Sem dúvida que o tema mais falado dos anos 90 foram as drogas, apesar do seu consumo se estar a reduzir e as consequências da sua presença ser menos dramática do que se imaginava

22 Efeitos do ecstasy Efeitos imediatos: Taquicardia Ranger dos dentes
Secura da boca Dilatação das pupilas Dificuldade de caminhar Reflexos exaltados Tremores Cãibras Efeitos a longo prazo: Cansaço Sonolência Dores musculares Fadiga Rigidez articular Ataques de pânico Má disposição

23 Cocaína Depois da descoberta da América, a cocaína não despertou grande interesse entre os conquistadores. Por um lado, a Igreja proibiu a mastigação da folha de coco por ser considerada um vicio pagão e desprezível, mas, por outro, deu-se conta dos benefícios que isso lhe trazia, permitindo que os índios trabalhassem sob os efeitos dessa substância

24 Cocaína (cont.) A cocaína foi isolada por Nieman e Wolter em 1858 e, nos anos que se seguiram, o interesse pela substância aumentou e rapidamente se comercializou em grande escala, convertendo-se num ingrediente fundamental de produtos como o vinho e inumeráveis remédios caseiros.

25 Cocaína (cont.) No entanto, neste mesmo período, uma importante discussão cientifica em relação à cocaína possibilitou avanços teóricos e conceptuais mais relevantes em torno do fenómeno da dependência.

26 Cocaína (cont.) No principio do século XX e em particular nos países ocidentais viveu-se uma epidemia de consumo de cocaína por aspiração nasal, até que as medidas internacionais de controlo e, também, a 2ª Guerra Mundial reduziram drasticamente o seu consumo.

27 Efeitos da cocaína Efeitos imediatos: Insónia
Aceleração do ritmo cardíaco Aumento da tensão arterial Aumento da temperatura corporal Ansiedade intensa e agressividade Visões e alucinações Tremores e convulsões Efeitos a longo prazo: Complicações psiquiátricas Irritabilidade Crises de ansiedade e de pânico Diminuição da memória, da capacidade e da concentração Transtornos alimentares Alterações neurológicas

28 Tabaco O tabaco é uma planta do género nicotínico e existem mais de cinquenta espécies diferentes. A Nicotina Tabacum é a que suscita maior interesse: é uma planta originária do continente americano, onde era conhecida e utilizada em grandes zonas antes da chegada dos espanhóis.

29 Tabaco (cont.) Com a chegada de Colombo à América, dão-se os primeiros contactos dos espanhóis com esta valiosa planta. A sua utilização difunde-se por toda a Europa, sobretudo por causa do grande e suposto valor terapêutico que lhe era atribuído. Através dos espanhóis, e mais tarde dos franceses e ingleses, o mundo foi invadido por esta substância desconhecida.

30 Tabaco (cont.) A partir do século XVIII, cessam as proibições e o consumo do tabaco cresce de forma gradual em quase todos os Estados. Nos finais do século XVIII, o consumo do tabaco tinha-se já estendido dos marinheiros a outros estratos sociais na Andaluzia, no Algarve e em Lisboa e, por volta de 1800, estava já difundido por toda a Península Ibérica e pelos portos do Mediterrâneo.

31 Efeitos do tabaco Efeitos imediatos: Diminuição dos reflexos tendiosos
Náuseas e vómitos Diminuição do peso Diminuição do apetite em relação aos doces Aumento do ritmo cardíaco Aumento da tensão arterial Efeitos a longo prazo: Diminuição da capacidade pulmonar Desenvolvimento de transtornos musculares ( ex: trombose) Cancro do pulmão

32 Psicadélicas As drogas psicadélicas confundem as mensagens que os sentidos enviam ao cérebro, alterando assim, a percepção da realidade. Os objectos ficam distorcidos e as cores mais brilhantes. São disto exemplo: Cannabis LSD

33 Cannabis A cannabis é uma planta originária da Ásia e da América do Sul, sendo cultivada em várias partes do mundo, dos E.U.A à Europa. Para além da produção de drogas, desta planta também se extraem fibras têxteis para a elaboração de tecidos, fibras para a elaboração do papel, substratos para a elaboração de sabão, tintas, calçado e produtos de beleza, entre outras utilizações.

34 Efeitos da Cannabis Os efeitos são: Olhos vermelhos Boca seca
Aumento do apetite Euforia Alucinações Insónias

35 LSD Trata-se de um produto sintético extraído da cravagem do centeio. Fabrica-se de forma clandestina a partir de precursores químicos e de uma boa formação em conhecimentos técnicos. Efeitos do LSD: Dificuldade de concentração Alteração da noção temporal e espacial Redução da coordenação muscular e da percepção da dor Mudanças de humor Alucinações

36 Razões que levam as pessoas a consumir drogas
A curiosidade é uma das razões mais citadas para o consumo de droga entre adolescentes, a disponibilidade de encontrar a droga, a existência de amigos que usam ou aprovam são factores que podem induzir qualquer pessoa a experimentá-la pela 1ªvez. Há também a pressão do grupo que já utiliza a droga sobre o iniciante que acaba por ter medo de ser desprezado pelos colegas do grupo. Finalmente, a instabilidade familiar também leva muitos jovens a tomarem drogas.

37 Medidas para prevenir o uso da droga
As medidas que se podem tomar para prevenir o uso de drogas são: Abordagem precoce. Deve-se começar a educar sobre as drogas a crianças de 9, 10 e 11 anos. Programas educativos: colaborar para estabelecer programas educativos permanentes sobre as drogas nas escolas, ou mesmo fora delas. Estes programas devem ser destinados a crianças, adolescentes, jovens e adultos. Mobilização da comunidade: cada pai ou líder comunitário deve empenhar-se para a execução dos debates e palestras sobre o assunto.

38 Levantamentos estatísticos: levantar a extensão do problema
Levantamentos estatísticos: levantar a extensão do problema. A aplicação de questionários após palestras, conferências cursos e aulas sobre drogas. Mobilização da opinião pública: mobilizar a opinião pública através de encontros, jornadas, seminários, concursos de slogans, cartazes, temas, frases, mensagens principalmente junto dos jovens. O objectivo de tais empreendimentos é destacar a gravidade do problema e retratar suas repercussões no meio social.

39 FIM


Carregar ppt "DROGAS Trabalho realizado por: Joana Guedes nº12 Joana Santos nº13"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google