A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PESPECTIVAS DOS MERCADOS TRADICIONAIS DOS PRODUTOS DA CANA-DE-AÇÚCAR Laura Tetti Novembro de 2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PESPECTIVAS DOS MERCADOS TRADICIONAIS DOS PRODUTOS DA CANA-DE-AÇÚCAR Laura Tetti Novembro de 2005."— Transcrição da apresentação:

1 PESPECTIVAS DOS MERCADOS TRADICIONAIS DOS PRODUTOS DA CANA-DE-AÇÚCAR Laura Tetti Novembro de 2005

2 Energia e Sustentabilidade: o Etanol de cana-de-açúcar, commodity do século 21

3 A matriz energética global necessita reverter uma tendência nítida durante 150 anos, período de expansão constante e vigorosa do petróleo.

4 A mais recente estimativa da Agência Internacional de Energia, divulgada no final de 2004, informa que no ano anterior a demanda global por todas as formas de energia tinha alcançado milhões de toneladas equivalentes de petróleo (Mtep), com o crescimento de 70% em relação ao momento imediatamente anterior ao primeiro choque de preços (1973).

5 Chega o momento da energia renovável: a humanidade descobre que tem a obrigação de conhecer as propriedades dos combustíveis recuperados de massa vegetal recém colhida.

6 Esta orientação está nítida nos termos do Protocolo de Kyoto, já em vigor. Ali se dispõem, no mesmo plano, as questões das mudanças climáticas da geração de renda nos países em desenvolvimento, da eficiência no emprego das fontes energéticas não- renováveis e, ainda, no incremento na oferta da energia pelas fontes renováveis.

7 Nesse quadro, o Brasil ingressa na era pós-petróleo disposto a provar que o etanol de cana-de-açúcar é, no presente, o melhor combustível que o dinheiro pode comprar neste século 21.

8 A energia renovável contida no etanol é 8,3 vezes maior do que a energia fóssil utilizada para obtê-la. A conseqüência é um corte de 13% nas emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) de todo o setor de energia no Brasil (base 1994).

9 O Brasil é o maior produtor mundial de etanol (16,7 milhões de metros cúbicos na safra em curso), mas é também o maior consumidor (14,3 milhões de metros cúbicos, dentre os quais 13,7 para fins carburantes) e ainda o maior exportador (2,4 milhões de metros cúbicos em 2004).

10 NTERESSE LEARNING CURVE Source: UNICA DEFLATED BY IGP-DI - prices of December producers prices excluding taxes (*) - oversupply Ganho de Produtividade 4% ano 20,0 40,0 60,0 80,0 100,0 120, *

11 PRODUTIVIDADE - BRASIL 40,00 45,00 50,00 55,00 60,00 65,00 70,00 75,00 80,00 85,00 75/ /980004/05 tc e lts/hectare 2,50 3,00 3,50 4,00 4,50 5,00 5,50 6,00 6,50 7,00 7,50 m3/hectare lts de álcool/tctc/hectarem3 /hectare Uma análise retrospectiva Investimentos em tecnologias e pesquisa da ordem de US$40 miLhões/ano Ganhos de produtividade 3,00 % a.a 5,66% a.a1,83 % a.a2,33 % a.a 1,90 % a.a

12 Evolução do preço do álcool Preços aos produtores sem impostos Redução média de preço: 3,51%

13 Perfil do Setor Sucroalcooleiro - Brasil Brasil é o maior produtor mundial de cana, açúcar e álcool (% da produção mundial – 2004/05): –Cana: 33,9% –Açúcar: 18,5% –Álcool: 36,4% É também o maior exportador mundial de açúcar e álcool (% do mercado livre mundial – 2004/05): –Açúcar: 37,4% –Álcool: 50,4% Fonte: Nastari / Datagro

14 Projeção das Vendas de Veículos Crescimento do PIB Elasticidade Renda: 1,67 Crescimento das vendas de veículos novos

15 Veículos Flex Fuel PREMISSA - 75% de PARTICIPAÇÃO DOS VEÍCULOS FLEX nas vendas de veículos novos a) crescente aceitação pelo consumidor e adoção pela indústria automobilística ( gráfico I ) em maio e julho de 2005 as vendas já superaram 50% do total b) 90% das vendas ao mercado interno são de modelos potencialmente candidatos a flex ( tab 2 ) 2004: 93% das vendas ao mercado interno c) consumo de combustíveis (veículos leves) em estados com paridade álcool / gasolina atrativa 90% do consumo nacional

16

17

18 Mercado Externo de Álcool Preços internacionais de petróleo e derivados e competitividade do álcool Protocolo de Kyoto A Commodity Álcool: adequação de legislação em países interessados Construção de mecanismos de precificação e de hedge ( contratos ) Desenvolvimento e adequação de logística para exportação Potencial de mercados –Investimentos em unidades produtoras no CBI –Demais mercados

19 Ethanol – Supply Perspective To add 5% of ethanol in all gasoline in the world, it would be necessary 58 billion litres/year Nowadays Brazil uses 2.7 million hectares to produce 16 billion litres/year It would be necessary ~ 10 million (additional) hectares to supply the world demand (E-5)

20 Produção Mundial de Álcool Fonte: FO Licht Inclui todos os tipos de álcool: potáveis, sintéticos, derivados de biomassa, dos mais diversos valores, qualidades e finalidades; 42,2 bilhões de litros (2004) Brasil 36% EUA 33% EU 6% Índia 5% Outros 11% China 9%

21 Fonte: FO Licht Inclui todos os tipos de álcool: potáveis, sintéticos, derivados de biomassa, dos mais diversos valores, qualidades e finalidades; Mercado Mundial de Álcool (Principais exportadores) 2004 : 2,4 bi. 3,8 bilhões de litros (2003) Brasil 20% Arábia Saudita 9% China 7% África do Sul 5% França 9% Outros 41% EUA 9%

22 Fonte: Diversas: EIA/DOE; Comissão Européia, FO Licht; Copersucar Mercado Potencial de Álcool Carburante DemandaMistura PaísesPotenciade álcoolObservações bi. litros% JAPÃO1,73% Potencial de consumo se a mistura voluntária de 3% de álcool na gasolina for adotada por toda a gasolina consumida no país. E.U.A.16,8 Volume previsto para com base na Lei Renewable Fuels, ainda não aprovada. O máximo de mistura permitida é de 5,7% (1) CHINA4,510% Potencial de consumo se a mistura de 10% na gasolina, vigente em algumas provincias, for implantada em toda a gasolina consumida na China. U.E.7,45% Potencial de álcool em adição de 5% em toda gasolina em 2011, limite permitido pela Diretiva Européia dentre os 5,75% de biocombustíveis. ÍNDIA?5% Autorizado 5% de mistura de álcool em algumas regiões. TAILÂNDIA0,75% Potencial de consumo considerando legislação que determina mistura de 5% em toda a gasolina consumida. TOTAL31,1 (1) Nos Estados Unidos, a mistura de 5,7% em toda a gasolina significa consumo de 30 bilhões de litros de álcool/ano.

23 Estimativa do Consumo de Álcool Total mil m3 Previsão de Demanda de Álcool Álcool Combustível Álcool Industrial Mercado Interno (*) ExportaçãoTotal (*) Não inclui estimativas para biodiesel, álcool no diesel e incremento da alcoolquimica.

24 Mercado de Açúcar Crescimento do consumo doméstico Tendências para o mercado externo –crescimento do consumo por região do mundo –crescimento do comércio (OMC) –impacto dos adoçantes alternativos –capacidade de oferta nos demais países exportadores

25 Projeção - Demanda de Açúcar Premissas: –Consumo Doméstico: 1,8% aa –Consumo Mundial : 1,8% aa –Comércio Mundial: 3,0% aa –Brasil conquista 50% do crescimento do comércio mundial passando a deter 39% em 2010/11

26 Produção Mundial de Açúcar paísesprodutoresnomundo Fonte: DATAGRO/ ISO EUA 5% Tail. 4% Austr. 4% Mexico 3% Brasil 18.5% Demais 34.3% China 7.2% U.E. 11.8% India 12.8%

27 Estimativa da Comercialização Brasileira de Açúcar milhões de ton. Mercado Interno (*) Mercado externo Total ,1312,7221, ,5516,0025, ,6317,1026, ,8118,3028, ,9819,5029, ,1620,3030, ,3421,1031, ,5321,9032,43 (*) Considerando 1,8% a.a. de crescimento

28 205 51% % % % % % % % % % % % milhões de ton. 2005/062006/072007/082008/092009/102010/11 Para Álcool Para Açúcar De 27 p/ 30 milhões t/year Expansão da Cana de Açúcar Brasil

29 Países e Regiões Produtores de Cana de Açúcar no mundo

30 OBRIGADO Laura Tetti UNICA – União da Agroindústria Canavieira de São Paulo


Carregar ppt "PESPECTIVAS DOS MERCADOS TRADICIONAIS DOS PRODUTOS DA CANA-DE-AÇÚCAR Laura Tetti Novembro de 2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google