A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL C.E.I. MAX R. STEFFEN.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL C.E.I. MAX R. STEFFEN."— Transcrição da apresentação:

1 TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL C.E.I. MAX R. STEFFEN

2 EDUCAÇÃO INFANTIL Segundo a Proposta Curricular de Brusque: (pg. 09) “A Educação Infantil vem gradativamente conquistando seu espaço e suas ações. Sabemos que, historicamente, ela surgiu pela necessidade de atender a um contexto social (economia capitalista): a emancipação da mulher, e sua conseqüente inserção no mercado de trabalho, exigiu um espaço no qual suas crianças pudessem ficar. A Educação Infantil é entendida numa concepção ampla: envolve o cuidar e o educar, nas diversas dimensões humanas, sociais, cognitivas, afetivas e físicas, como fatores do desenvolvimento e de formação para o exercício pleno da cidadania.

3 Educação Infantil na Rede Municipal de Brusque Segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), Lei nº 9.394/96, a Educação Infantil consolidou-se cada vez mais, tendo a partir de então respaldo legal, ocupando o lugar de destaque, pois é consenso que a educação começa nos primeiros anos de vida, estabelecendo as bases da personalidade humana, da inteligência, da vida emocional, do processo de socialização. Muito antes disso em 1979, iniciou-se a Educação Infantil na Rede Municipal de Brusque. Os professores (as) daquela época se preocupavam em estudar, trocar idéias e discutir problemas que ocorriam em sala de aula. Assim iniciou o primeiro curso oferecido em 1988 baseado na teoria de Jean Piaget. A partir de então, novas propostas de trabalho começaram a nascer. Até os dias de hoje, busca-se estudar, pesquisar, inovar na Educação Infantil, traçando caminhos que resultem na qualidade do ensino. Fonte: Proposta Curricular de Brusque (pg. 16).

4 ESPIN NA EDUCAÇÃO INFANTIL Como surgiu? Desde o inicio do Projeto ESPIN, em 2001 nas escolas de ensino fundamental da rede pública municipal de Brusque, as crianças da Educação Infantil, especificamente as crianças do Pré-Escolar participam de projetos apoiados nas Novas Tecnologias de Informação e Comunicação, ou de alguma forma utilizam as tecnologias no seu cotidiano escolar. Durante algum período podemos constatar a procura daquelas unidades escolares que não possuem na sua escola o Espaço Pedagógico Informatizado, por um ambiente disponível, onde as crianças pudessem ter contato com as diferentes tecnologias. Assim, o ESPIN-Interescolar, a Escola de Ensino Fundamental Lions Clube Companheiros Oscar Maluche entre outras, foram parceiras, cedendo seus espaços para que mais alunos usufruíssem desses artefatos tecnológicos, tão fascinantes e cada vez mais presentes na sociedade atual. Com este ato, crianças e adolescentes, desde a Educação Infantil até o ensino médio foram beneficiadas. Fonte: Projeto Espin & Educação Infantil (2004)

5 No final de 2003 o C.E.I.Max Rodolfo Steffen em parceria com a A.P.P. e com a Secretaria Municipal da Educação, orientados pela coordenação do Projeto ESPIN, montaram seu próprio espaço. No inicio de 2004, começou-se a pensar numa proposta de utilização das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação, para as crianças da Educação Infantil, que compreende a faixa etária de 0 a 6 anos. No inicio do ano, na fase inicial de implantação do projeto ESPIN no C.E.I. Max Rodolfo Steffen, que atende crianças de 2 a 6 anos, muitas dúvidas surgiram: O que fazer com as crianças no ESPIN? Como fazer? Qual o horário de permanência no ESPIN? Por que levá-las ao ESPIN? Qual a faixa etária adequada? ESPIN NA EDUCAÇÃO INFANTIL Como surgiu?

6 O que trabalhar no ESPIN com a Educação Infantil ? QUAIS SOFTWARES? COMO ESCOLHER O JOGO ADEQUADO PARA CADA FAIXA ETÁRIA? QUAL O TEMPO DE PERMANÊNCIA DA CRIANÇA NO ESPIN? Não existe uma receita pronta... Existem tentativas de acerto....

7 CARACTERÍSTICAS DAS FAIXAS ETÁRIAS Para melhor compreendermos o que se passa com cada criança é necessário conhecermos cada faixa etária e suas características: Maternal I e II Jardim I Jardim II e Pré.

8 MATERNAL I (1 a 2 anos) Curiosidade acentuada; Observa como as coisas acontecem; Explora o ambiente ativamente; Comunica-se através de gestos e poucas palavras; Gosta de ouvir músicas curtas; Ainda não entende bem as regras, mas sorri quando é elogiado e chora ao receber uma advertência;

9 Curiosidade acentuada; Faz encaixe e desencaixe de peças simples; Domina e coordena melhor as mãos. Rabisca com lápis ou giz no papel ou em qualquer superfície pelo simples prazer do movimento. Comunica-se cada vez melhor através de gestos e palavras. Adora dançar, acompanha o ritmo da música batendo palmas. Ouve com atenção pequenas histórias e começa ampliar o seu vocabulário MATERNAL II ( 2 a 3 anos)

10 JARDIM I (3 a 4 anos) Maior precisão na coordenação de mãos e pernas; Reconhece e diferencia diversas características dos objetos. Rabisca linhas contínuas e percebe a relação entre seus movimentos e os rabiscos. Já possui um vocabulário razoável. Entende perguntas simples e responde. Enumera pessoas e coisas que vê em gravuras. Dramatiza nos jogos e brincadeiras. Tem maior capacidade de observação e atenção. Compreende os conceitos de igual e diferente, é capaz de separar os brinquedos por tamanho e cor. Lembra e conta histórias; Começa a questionar tudo: é a popular fase dos “porquês”. A imaginação é predominante nesta fase;

11 JARDIM II E PRE (4 a 6 anos) Gosta de inventar e contar as próprias histórias com começo, meio e fim. Começa a fazer a distinção entre a realidade e a fantasia. Consegue concentrar-se por um período maior, o tempo para cada brincadeira é, no máximo 30 minutos; Identifica letras do alfabeto e números. Gosta de montar quebra-cabeças. Consegue escrever seu nome; Faz uso perfeito da linguagem; Textos mais longos, mas as imagens ainda devem predominar sobre o texto. Seu pensamento está se tornando estável e lógico, mas ainda não é capaz de compreender idéias totalmente abstratas; Começa o início do processo da alfabetização;

12 IMPORTÂNCIA DO CONCRETO Na Educação Infantil devemos estar cientes e atentos, pois nada pode substituir o contato com o concreto, a exploração e observação do ambiente físico e social, do corpo, da linguagem oral, do jogo, da vivência de experiências reais. Aluno do C.E. I. Max R. Stefen Primeiro Contato com o novo amigo...

13 TRABALHO POR PROJETOS Na Ed. Infantil a maioria das atividades é parte integrante de algum Projeto (ex. Projeto Corpo), então são trabalhadas no Espin e em sala de aula diversas atividades relacionadas ao corpo por um determinado tempo estabelecido pelas professoras. Todos os projetos são elaborados levando em consideração os aspectos sociais, cognitivos, afetivos e motores.

14 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS: COELHO SABIDO - MATERNAL

15 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS: COELHO SABIDO - JARDIM

16 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS: MEUS PRIMEIROS PASSOS (cd)

17 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS – Projeto Corpo Humano CD: APRENDENDO COM O COMPUTADOR

18 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS TRABALHANDO O CORPO HUMANO: FONTE - INTERNET:

19 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS - ALIVE! ZIGSAW PRODUCER TRABALHANDO IDENTIDADE: Extraído de:

20 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS TRABALHANDO IDENTIDADE: CD: ANIMAIS FOFOS

21 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS TRABALHANDO A ALIMENTAÇÃO: CD: APRENDENDO COM O COMPUTADOR

22 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS TRABALHANDO RECICLAGEM: CD: ECOLOGIA

23 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS – DESENHO LIVRE TUX PAINT SIMPLE PAINT Extraído de:

24 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS – ALFACEL Extraído de:

25 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS – JOGOS DA MEMÓRIA CD: PLANETA ANIMAL CD: ECOLOGIA CD: O MUNDO DOS BICHOS

26 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS – FOLCLORE SACI – JOGO DO SESC JOGOS SESC SÃO PAULO

27 SUGESTÕES DE RECUROS DIGITAIS – JOGO DAS LETRAS

28 SUGESTÕES DE ALGUNS SITES DE JOGOS - INTERNET www1.uol.com.br/ecokids/


Carregar ppt "TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL C.E.I. MAX R. STEFFEN."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google