A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOIS ESTUDOS DE CASO Arquitetura e Conforto Térmico

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOIS ESTUDOS DE CASO Arquitetura e Conforto Térmico"— Transcrição da apresentação:

1 DOIS ESTUDOS DE CASO Arquitetura e Conforto Térmico
António Manuel C P Fernandes - PUC.Goiás Arquitetura e Conforto Térmico Estudo da insolação e projeto das proteções solares

2 Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, anos 80
Arquitetura e Conforto Térmico PRIMEIRO CASO Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, anos 80 As proteções solares incorporam-se ao projeto como grandes painéis na composição da fachada principal sem esconderem a estrutura, pilares e vigas, que continuam marcando a arquitetura. Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

3 Arquitetura e Conforto Térmico
A formalização da entrada se faz com a não colocação do painel. O hall de entrada tem pé direito duplo, embora haja uma viga marcando o limite entre o térreo e o segunda andar. Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

4 Arquitetura e Conforto Térmico
A máscara de proteção, a precisão construtiva e a qualidade estética: o painel, auto portante (um quadrado de 49 quadrados), está “solto” da estrutura e distante do envidraçado; precisava da “pérgula” para completar a proteção! Corte Planta Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

5 Arquitetura e Conforto Térmico
Ortogonal por fora, para o regular e preciso assentamento, ligeiro abaulado nos cantos e com a abertura de fundo um pouco menor que a de frente (conicidade) facilitou muito a desforma das peças premoldadas. Mais que isso, criou possibilidades formais do desenho das sombras que mudam a cada momento com o caminhar do sol, ao longo do dia e do ano! Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

6 Arquitetura e Conforto Térmico
Na fachada posterior, com a inflexão do bloco (22°) – elemento essencial na contextualização do projeto, a orientação é Az. 142° e sua insolação torna-se comprometedora, o sol penetra quase frontalmente no solstício de verão. As soluções paliativas, por parte do usuário, vão se sucedendo, aplicando películas especiais (insulfilmes) e/ou forrando as janelas internamente com cortinas ou persianas verticais, como se vê na foto! Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

7 Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS, anos 70
Arquitetura e Conforto Térmico SEGUNDO CASO Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS, anos 70 Uma arquitetura simples e sutil. A proteção solar com pequenas placas horizontais é extraordinariamente delicada. Talvez pudéssemos chamá-la de uma persiana exterior! Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes Reparando bem, será que está batendo sol na fachada?

8 Está sim mas a proteção é muitíssimo eficiente!
Arquitetura e Conforto Térmico Está sim mas a proteção é muitíssimo eficiente! rua 83, esq. c/ 82 A imagem do “Google maps” nos permite identificar a orientação da fachada (Az. 29º) e, na carta solar sobrepor a ‘máscara’ decorrente da proteção definida... E correta! No solstício de inverno um pouco mais condescendente com o sol e no restante do ano, bastante rigorosa! Uma proteção horizontal com cerca de 45° de ângulo de sombra Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

9 Arquitetura e Conforto Térmico
... e muito bem resolvido em termos construtivos e estéticos! perspectiva esquema corte esquema Percebe-se a qualidade do projeto quando a solução resolve diversas dimensões arquitetônicas: a sombra necessária, o arremate entre as partes da construção, enfim, o equilíbrio e a delicadeza do conjunto, a composição! Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

10 Arquitetura e Conforto Térmico
E na fachada oposta (az. = 209°) a proteção está corretamente colocada na vertical e determinando um ângulo de sombra (50º) capaz de barrar o sol da tarde na maior parte do ano, especialmente no solstício de verão! Repare que a foto foi tirada na época do solstício de inverno (como as anteriores) e, portanto, o que se vê é apenas uma insolação rasante ao final da tarde. Sua eficiência só será verificada no solstício de verão, obviamente! Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes

11 Arquitetura e Conforto Térmico
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA > FERNANDES, A. M. C. P. Arquitetura e sombreamento: parâmetros para a região climática de Goiânia. Goiânia: dissertação de mestrado, 2007. Prof. Ms. António Manuel Corado Pombo Fernandes


Carregar ppt "DOIS ESTUDOS DE CASO Arquitetura e Conforto Térmico"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google