A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Saturação das UHEs Potencial das PCHs. Setor Elétrico Brasileiro Empreendimentos em Operação TipoQTD Potência Outorgada (kW) Potência Fiscalizada (kW)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Saturação das UHEs Potencial das PCHs. Setor Elétrico Brasileiro Empreendimentos em Operação TipoQTD Potência Outorgada (kW) Potência Fiscalizada (kW)"— Transcrição da apresentação:

1 Saturação das UHEs Potencial das PCHs

2 Setor Elétrico Brasileiro Empreendimentos em Operação TipoQTD Potência Outorgada (kW) Potência Fiscalizada (kW) % CGH ,19 EOL ,26 PCH ,34 UFV ,00 UHE ,77 UTE ,74 UTN ,71 Total Renováveis de baixo impacto. TOTAL: 14,6 GW | PCH = 26,8% Fonte: BIG – ANEEL 26/04/ GW | Biomassa

3 Planos da EPE EÓLICA PCH BIOMASSA HIDRO(a) GÁS NATURAL CARVÃO3.205 URÂNIO ÓLEO COMBUSTÍVEL ÓLEO DIESEL GÁS DE PROCESSO686 TOTAL(b) Renováveis de baixo impacto. TOTAL: 27,1GW | PCH = 23,7% Ou seja, uma redução na participação de mais de 10% no portfólio das renováveis. Fonte: PDE 2020 – EPE 26/04/2012

4 O encaminhamento dado Esse crescimento projetado pela EPE ainda é bastante otimista tendo em vista o atual ritmo das PCHs. Esse tipo de empreendimento não está se viabilizando, visto o resultado dos leilões e as obras em andamento: –PCH = 3,3% da oferta total –As PCH em construção representam 2,5% da capacidade total em obra. –Contudo, as outorgas para PCH representam 8,6% da capacidade total outorgada. Outorga 8,6% Outorga 8,6% Obra 2,5% Obra 2,5% Fonte: BIG – ANEEL 26/04/2012

5 E as Eólicas de vento em popa... As usinas Eólicas são uma alternativa interessante, mas possuem garantia física proporcional bastante inferior as PCHs, além de menos confiabilidade na série histórica (2 anos EOL X 30 anos PCH). Para cada MW instalado em eólica a garantia física é de 340kW aproximadamente, contra 560kW de uma PCH | diferença de 65%

6 PCH e Eólica concorrem? De forma nenhuma! PCHs e Eólicas são empreendimentos COMPLEMENTARES, e devem ser PRIORIDADE no planejamento energético, pois são SUSTENTÁVEIS e de baixo impacto ambiental. Por isso, é preciso trata-las com isonomia, dando as PCHs os incentivos prestados as eólicas (34% do custo de uma PCH são impostos). Somadas as PCHs, EÓLICAS e BIOMASSA em energia firme poderiamos evitar 3,7 BELO MONTE. Estamos falando de 16,7 GW.

7 BELO MONTE (CANTEIRO)

8 Capacidade de armazenamento Para obter licenciamento ambiental os grandes projetos tem de abrir mão dos seus reservatórios. Belo Monte é uma Gigausina a fio d’agua. Isso significa que a nação não pode contar com Belo Monte nos períodos de seca... E aí, liga-se as térmicas......nucleares...

9 Grandes Usinas, grandes distâncias.. Usinas grandes geralmente são muito distantes dos seus pontos de alimentação: –ITAIPU 14 GW – São Paulo – 810km –TUCURUI 8,3 GW – Amazonas – 1.850km –MADEIRA 6,5 GW – São Paulo – 2.400km *Sobre a configuração inicial com 6,3 GW Fonte: EPE-DEE-RE-055/2008-r0

10 Vantagens das PCHs PCHs são feitas próximas (muito próximas) ao seu ponto de consumo. É que chamamos de geração distribuída, onde as perdas são menores. No meio de Blumenau, tem uma PCH!

11 Solução Prioridade para as fontes renováveis, redução das perdas, respeito ao planeta. Aneel aprovar projetos parados (958 em análise e média de 26 aprovações por ano | 35 anos para resolver isso?) Realização de leilões específicos para PCHs. Reduções tributárias em isonomia as outras fontes alternativas. Análise prioritária, com agilidade no licenciamento ambiental para PCHs.

12 O papel da Celesc A Celesc Geração foi criada em outubro de 2006, a partir da desverticalização das atividades de geração e distribuição exercidas pela Celesc - Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A., em atendimento ao marco regulatório do Setor Elétrico Nacional. Naquele ano, a Celesc passou a operar no formato de holding, com duas subsidiárias integrais: a Celesc Geração S.A e a Celesc Distribuição S.A. Focada na geração em área de forte potencial de fontes renováveis, a empresa prepara-se para novos investimentos, financiados com capital próprio e novas sociedades estratégicas, em parceria com o setor privado.

13 81,15 MW Próprios

14 0,52MW 0,42MW

15 A estratégia de ampliação prevê um crescimento de 154,52 MW em capacidade instalada > 190% de crescimento Repotenciações Potência Após Atual (MW) AMPLIAÇÕES PCH’S CEDROS 8,411,9 SALTO 6,2840 CAVEIRAS 3,8313,83 PERY 4,430 IVO SILVEIRA 2,612 CELSO RAMOS 5,412,6 Novas UsinasNovas Usinas Potência Part (%) SPEs RONDINHA 9,633% CAMPO BELO 1030% PAINEL 9,230% BOA VISTA 530% XAVANTINA 6,0740% PRATA 325% BANDEIRANTE 325% BELMONTE 3,625%

16 CASE: Usina Salto Weissbach Inaugurada em 1914 a Usina Salto Weissbach, Blumenau-SC, foi o motor propulsor do desenvolvimento econômico da região do Vale do Itajaí. Possui capacidade instalada de 6,28MW e Fator de Capacidade de 93%, gerando 5,86MW médios. Encaixe da comporta - década de 80

17 CASE: Usina Salto Weissbach Os estudos energéticos apontaram para um incremento de 33,72MW (para 40MW) de capacidade instalada, com FC de 0,55 mantendo a cota atual do barramento. Será construído novo canal de adução e nova casa de força, possibilitando uma ampliação de 1,13m na queda líquida. Investimento: Custo Índice de Instalação R$ 5.335,00kW instalado (ref. Ago/09)

18

19

20 Obrigado! Michel Becker Diretor de Geração e Transmissão


Carregar ppt "Saturação das UHEs Potencial das PCHs. Setor Elétrico Brasileiro Empreendimentos em Operação TipoQTD Potência Outorgada (kW) Potência Fiscalizada (kW)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google