A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Coordenação de Atenção Básica Área Técnica de Saúde da Mulher Integralidade na Atenção Básica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Coordenação de Atenção Básica Área Técnica de Saúde da Mulher Integralidade na Atenção Básica."— Transcrição da apresentação:

1 Coordenação de Atenção Básica Área Técnica de Saúde da Mulher Integralidade na Atenção Básica

2 Atenção Básica atual UBS que contam com Médicos clínicos e Médicos Tocoginecologistas, - Estratégia de Saúde da Família, que conta com equipes compostas por Médico de família e Enfermeiro, além do Agente Comunitário de Saúde e 27 equipes ESF Pop. Rua Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), formadas por equipes multiprofissionais (médicos tocoginecologistas, pediatras e psiquiatras, homeopatas, etc, Psicólogos, Fisioterapeutas, Assistentes Sociais, Nutricionistas e Profissionais de Educação Física) e A.M.A. (Atendimento Médico Ambulatorial de urgência nível primário) e 15 A.M.A. Especialidades - 26 Ambulatórios de Especialidades

3 Ações desenvolvidas As ações desenvolvidas nas UBS são: Grupos educativos ( Educação em saúde): de Gestantes, em Planejamento Reprodutivo, de Hipertensão e Diabetes, de tabagismo, etc. Práticas Integrativas em saúde Pré-natal de baixo risco e consultas de puerpério e puericultura, Exames laboratoriais, Coleta do Papanicolaou para o rastreamento do câncer de colo uterino, Encaminhamento para exames de rastreamento (Mamografias) para a detecção precoce de câncer de mama, Ações de Planejamento Reprodutivo (Planejamento Familiar) com formação de grupos educativos e a oferta de métodos contraceptivos, Diagnóstico de doenças ginecológicas e o atendimento de mulheres na pré e pós menopausa. A UBS fornece medicamentos prescritos e constantes na Relação Municipal de Medicamentos (REMUME). Ações de Vigilância ( Busca ativa e notificação de doenças )

4 Objetivos e ações estratégicas 1 – Redução da Mortalidade Materna com a melhora na qualidade do atendimento à mulher no pré-natal, parto e puerpério através da Rede de Proteção à Mãe Paulistana 2 – Ampliar ações no controle do Câncer de mama, através da implementação das referências de diagnóstico em Mastologia e do rastreamento através da mamografia

5 3 – Ampliar ações no controle do Câncer de colo uterino, ampliando a coleta de Papanicolaou na Atenção Básica 4 – Ampliar ações na assistência integral à mulher no menacme, através da prevenção de doenças e promoção de saúde e na pré e pós-menopausa, através da introdução na REMUME de medicamentos hormonais para serem ofertados na Atenção Básica Objetivos e ações estratégicas

6 Eixos da Área Técnica de Saúde da Mulher Através destes eixos são desenvolvidas as ações, tanto na rede de atenção básica como na rede hospitalar. 1) Humanização da assistência ao pré-natal, parto e puerpério + Comitê Municipal de Mortalidade Materna 2) Saúde Sexual e Reprodutiva (Planejamento Familiar ou Planejamento Reprodutivo) incluindo discussões sobre Gênero e Sexualidade 3) Prevenção e detecção precoce do câncer em mulheres (em especial o câncer de colo uterino e de mama) 4) Violência sexual e doméstica e aborto permitido por lei – interface com a Área Técnica Cultura de Paz, Saúde e Cidadania 5) Assistência à mulher na pré e pós-menopausa

7 Ações desenvolvidas pela Área Técnica de Saúde da Mulher Capacitações: Educação Continuada, em conjunto com a Fundação Oncocentro (F.O.S.P.). São realizados de dois a três cursos por ano: “TREINAMENTO TEÓRICO PRÁTICO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE NAS AÇÕES DE PREVENÇÃO DOS CÂNCERES DE COLO UTERINO E MAMA”. Participam: enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e médicos

8 Ações desenvolvidas pela Área Técnica de Saúde da Mulher Capacitações: De Agentes Comunitários de Saúde Em parceria com Instituto se toque : participantes na Coordenadoria Regional de Saúde Norte : participantes na Coordenadoria Regional de Saúde Sul. Participaram: A.C.S. e enfermeiros da E.S.F.

9 Rede de Proteção à Mãe Paulistana Desde início do Programa ( março de 2.006): Central de Regulação de vagas ( gestantes e R.N.) até JUNHO 2011: gestantes cadastradas partos realizados consultas de pré-natal exames de pré-natal ultra-sons obstétricos R$ 42,1 milhões com enxovais de RN R$ 11,3 milhões com cartões de transporte (SP Trans) (Fonte: Rede de Proteção à Mãe Paulistana)

10 Avanços obtidos no pré-natal Implantação do Protocolo de rotina de Pré-Natal: - Coleta de VDRL e Anti HIV e vigilância laboratorial no 1º e 3º trimestres - Coleta de Urocultura nos 3 trimestres de gravidez - Coleta de Cultura para Estreptococo B entre 35 e 37 semanas Implantação do Protocolo de Diagnóstico e Conduta nas Síndromes Hipertensivas na gravidez: - Introdução da tira reagente para detecção de proteinúria nas UBS - Recomendação do uso de A.A.S. e cálcio na prevenção secundária da Pré- eclâmpsia

11 Avanços obtidos no pré-natal (Pacto pela Saúde) Inquérito de Saúde : 8,3 consultas de pré-natal ( ISA Capital) 2.008: 9,6 consultas de pré-natal (Fonte: SINASC – CEInfo)

12 Avanços obtidos no Planejamento Reprodutivo (Fonte: Coordenação de Suprimentos)

13 Avanços obtidos na detecção precoce do Ca de colo Coleta de Papanicolaou Em 2.000: foram coletados exames Em 2.006: “ “ exames Em 2010: “ “ exames (Fonte: TABWIN – CEInfo) Faixa etária de 25 a 59 anos ( diretriz M.S.): 2.006: exames 2.007: exames 2.009: exames (Fonte: SISCOLO – TabNet - Data SUS )

14 Avanços na Mamografia de rastreamento Em 2.002: exames sob gestão municipal Em 2.006: exames sob gestão municipal Em 2.010: mamografias (aumento de 6,8 vezes), revelando uma ampliação do acesso. (Fonte: TABWIN – CEInfo)

15 Diagnóstico precoce Ca de mama Município de SãoPaulo – SUS Casos internados - % Estadios 0, I e II Fonte: R.H.C. – F.O.S.P

16 UnidadeApelido H. M. Dr. Fernando Mauro Pires da RochaCampo Limpo (2) H. M. Dr. Cármino CaricchioTatuapé H. M. Dr. Mario de Moraes da SilvaCachoeirinha Amb. Esp. Maurice PatéPenha Amb. Esp. Flávio GianottiGianotti Amb. Esp. José Bonifácio IVBoni IV Amb. Esp. Tito Lopes da SilvaTito Lopes Amb. Esp. SapopembaSapopemba UBS União das Vilas de TaipasTaipas CRS Trabalhador André GraboisGrabois (Sé) CDI São Mateus UBS Geraldo S.FerreiraGeraldo ( Jabaquara) UBS Dr. Alberto AmbrosioV. das Belezas Amb. Esp. Dr. Armando Aguiar PupoTucuruvi UBS Burgo PaulistaBurgo Paulista (E. Matarazzo) Amb. Espec. Dr. Cesar Antunes da Rocha V. das Belezas H.M. Cidade Tiradentes (O.S.S. Municipal)Cidade Tiradentes U.B.S. Vila SôniaVila Sônia Em : 25 Mamógrafos próprios e conveniados Em : 5 mamógrafos próprios Detecção precoce do Câncer de Mama

17 HOSP BANDEIRANTES HOSP DA STA CASA DE STO AMARO HOSP DO CANCER A C CAMARGO HOSP WLADIMIR ARRUDA-FASA INST BRASILEIRO CONTROLE DO CANCER-IBCC INST DO CANCER ARNALDO VIEIRA DE CARVALHO Em : nenhum mamógrafo conveniado Em : 6 serviços conveniados em Oncologia mamária Detecção precoce do Câncer de Mama

18 Outras Parcerias: Projetos com Filantrópicos ( NUPES): Câncer de Mama: H.I. Albert Einstein H.A. Osvaldo Cruz H. Sírio –Libanês

19 Interface com A.T. Cultura de Paz, Saúde e Cidadania VIOLÊNCIA – Saúde Pública Rede de cuidado integral às pessoas em situação ou risco de violência, articulada com outras redes de apoio Todo profissional de saúde pode identificar e acolher a pessoa em situação ou risco de violência O atendimento é realizado pela equipe multiprofissional A unidade de saúde deve atuar de forma integrada à rede de serviços de saúde (básica, especializada e urgência/emergência) A região deve articular e fortalecer o trabalho em rede com outros setores

20 Rede de Apoio Suspeita de violência Avaliação do risco Acolhimento Prof Saúde Rede de Proteção  Promotoria de Justiça Regional da Infância e Juventude, Idoso  Conselho Tutelar  Del Mulher  Del Idoso  As Social  Educação  Outros Setores  Promotoria de Justiça Regional da Infância e Juventude, Idoso  Conselho Tutelar  Del Mulher  Del Idoso  As Social  Educação  Outros Setores Serviço Emergência Própria US Atenção Especializada Equipe Multiprofissional Anotação Prontuário

21 Violência ESTRATÉGIAS Produção da Informação Atender as legislações Importante Notificação como parte do processo do cuidado  Inserir em outras redes de proteção social Revelar a magnitude da violência Identificar o perfil das violências Contribuir na elaboração de políticas públicas e ações de saúde

22 FLUXO DA INFORMAÇÃO NA SAÚDE  Hospitais Públicos e Privados  Unidades Básicas / ESF, Especializadas do SUS  Hospitais Públicos e Privados  Unidades Básicas / ESF, Especializadas do SUS Criança e Adolescente  Promotoria de Justiça Regional da Infância e Juventude  Conselho Tutelar Criança e Adolescente  Promotoria de Justiça Regional da Infância e Juventude  Conselho Tutelar Relatório Notificação Formulário web - SIVVA Banco de Dados - SIVVA Sistema de Informação para Vigilância de Violências e Acidentes (SIVVA)

23 Mulher na pré e pós-menopausa Introdução na REMUME de Medicamentos hormonais p/ T.H.: Estrógenos conjugados 0,30 mg Ac.de Medroxiprogesterona v.o. Estriol creme vaginal

24 Coordenação de Atenção Básica Área Técnica de Saúde da Mulher Coordenador: Julio Mayer de Castro Filho Tel:


Carregar ppt "Coordenação de Atenção Básica Área Técnica de Saúde da Mulher Integralidade na Atenção Básica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google