A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MÓDULO – FORMAÇÃO, TRABALHO E ENFERMAGEM Professora Coordenadora Ana Albuquerque Queiroz

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MÓDULO – FORMAÇÃO, TRABALHO E ENFERMAGEM Professora Coordenadora Ana Albuquerque Queiroz"— Transcrição da apresentação:

1 MÓDULO – FORMAÇÃO, TRABALHO E ENFERMAGEM Professora Coordenadora Ana Albuquerque Queiroz

2 Novas Pedagogias/Novas Possibilidades Pedagogias Narrativas critica, feminista, fenomenológica e pós-moderna TRANSFORMADORA

3 Para começo de conversa… Tudo que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo. Tudo muda o tempo todo no mundo. Não adianta fugir, nem mentir pra si mesmo... Como uma onda, Lulu Santos

4 actualmente estamos num período de crise. todo aquele que está verdadeiramente vivo, está verdadeiramente inquieto consigo próprio. todo aquele que puder produzir novas paixões, novas ideias, resistirá. os outros, os que se fixam nas velhas ideias, acabarão por sucumbir com a nova vida que eles próprios não permitiram que nascesse. actualmente estamos num período de crise. todo aquele que está verdadeiramente vivo, está verdadeiramente inquieto consigo próprio. todo aquele que puder produzir novas paixões, novas ideias, resistirá. os outros, os que se fixam nas velhas ideias, acabarão por sucumbir com a nova vida que eles próprios não permitiram que nascesse. as pessoas deverão sempre falar umas com as outras. as pessoas deverão sempre falar umas com as outras. d. h. lawrence, women in love d. h. lawrence, women in love

5 Aprendizagem É o processo que transforma experiência em conhecimento, competências, atitudes, valores, sentimentos. Modifica o quadro de referências, afectando assim a forma como se passam a confrontar novas experiências.... que transforma experiência em conhecimento, competências, atitudes, valores, sentimentos. Modifica o quadro de referências, afectando assim a forma como se passam a confrontar novas experiências. (Jarvis, 1995)... de atribuição de sentido às experiências resultantes do conhecimento prévio. Uma reinterpretação da experiência à luz de novas perspectivas.... de atribuição de sentido às experiências resultantes do conhecimento prévio. Uma reinterpretação da experiência à luz de novas perspectivas. (Mezirow, 1990)

6 O que proponho é um trabalho pedagógico em que a partir do conhecimento que o aluno traz, que é a expressão da classe social à qual os educandos pertencem, haja uma superação dos mesmos, não no sentido de anular ou de sobrepor um conhecimento ao outro. O que se propõe é que o conhecimento seja relativamente significativo para a formação do educando. Isso não deve e não pode ser feito através do depositar informações para os alunos (Paulo Freire, 1991) O que proponho é um trabalho pedagógico em que a partir do conhecimento que o aluno traz, que é a expressão da classe social à qual os educandos pertencem, haja uma superação dos mesmos, não no sentido de anular ou de sobrepor um conhecimento ao outro. O que se propõe é que o conhecimento seja relativamente significativo para a formação do educando. Isso não deve e não pode ser feito através do depositar informações para os alunos (Paulo Freire, 1991)

7 O Arco da Aprendizagem ( Maguerez, 1989) REALIDADE OBSERVAÇÃO REFLEXÃO TEORIZAÇÃO HIPÓTESE DE SOLUÇÃO APLICAÇÃO

8 Pedagogia da Problematização Método do ARCO (MAGUEREZ, 1989) TEORIZAÇÃO PONTOS CHAVES PROBLEMA (observação da Realidadee) PRÁTICA (aplicada à realidade) HIPÓTESES DE SOLUÇÃO REALIDADE - Passeio de exploração - Contato c/ Unid. Saúde - Diagnóstico local - Discussão e negociação com a comunidade e Serviço de Saúde - Escolha do problema Atividades planejadas -Avaliação - Planejar a intervenção com o Serviço de Saúde e a Comunidade - Investigação teórica acerca dos determinantes do problema escolhido - Contato Interpares - Realidade sanitária local - Unidade de Saúde

9 DIFERENTES ÂNGULOS DO PROBLEMA SÃO ANALISADOS A PARTIR DAS INFORMAÇÕES COLHIDAS EM DIVERSAS FONTES. Momento de comparar crenças iniciais com as informações actuais; Pode-se reforçar posições anteriores, reformular posições iniciais; Aprendizagem efectiva vem da relação da teoria com a percepção dos fenómenos concretos, reais.

10 Associação entre o conceito de praxis e conceito de metodologia da problematização PRAXIS É DIFERENTE DE PRÁTICA PRAXIS: é actividade transformadora, consciente e intencionalmente realizada.

11 COMO SE CHEGA À CONSCIÊNCIA DA PRAXIS Superar ponto de vista limitado da consciência idealista; Superar ponto de vista limitado da consciência idealista; Ir além da consciência comum; Ir além da consciência comum; Superar consciência mistificada Superar consciência mistificada

12 COMO SE CHEGA À CONSCIÊNCIA DA PRAXIS Ascender a um ponto de vista mais objectivo, científico Ascender a um ponto de vista mais objectivo, científico Unir conscientemente pensamento e acção Unir conscientemente pensamento e acção Partir da realidade quotidiana para a concepção filosófica; Partir da realidade quotidiana para a concepção filosófica; Ver-se como sujeito histórico; Ver-se como sujeito histórico;

13 HÁ UMA GRANDE LACUNA ENTRE O PENSAR E O AGIR PROFISSIONAL… ESCOLA QUE PAPEL SOCIAL VAI DESEMPENHAR? -Conservação-reprodução-transformação

14 Concepção de praxis humana É à luz da categoria da praxis, que devem ser abordados, segundo a concepção histórico crítica de sociedade, os problemas do conhecimento, da história, da sociedade e do próprio ser. É à luz da categoria da praxis, que devem ser abordados, segundo a concepção histórico crítica de sociedade, os problemas do conhecimento, da história, da sociedade e do próprio ser.

15 As dimensões da aprendizagem (in J. Novak e D. Gowin, 1999, p.24)

16 O Papel do educador Acho que o papel de um educador conscientemente progressista é testemunhar a seus alunos, constantemente, sua competência, amorosidade, sua clareza política, a coerência entre o que diz e faz, sua tolerância, isto é, sua capacidade de conviver com os diferentes para lutar contra os antagônicos. É estimular a dúvida, a crítica, a curiosidade, a pergunta, o gosto do risco e a aventura de criar. Paulo Freire, 1999 Paulo Freire, 1999

17 Teoria-metodologia da problematização Não transformar todos os homens em filósofos, mas que a maior parte deles tenha uma consciência mais elevada de si mesmo e do mundo em que vive. Não transformar todos os homens em filósofos, mas que a maior parte deles tenha uma consciência mais elevada de si mesmo e do mundo em que vive.

18 Pela continuidade das experiências com a Metodologia da Problematização A escola pode participar da formação de cidadãos mais conscientes, críticos e criativos, para actuar numa sociedade ainda tão desumanizada, para transformá-la.

19 Benner, P.A., Tanner, C.A., & Chesla, C.A. (1996). Expertise in nursing practice: Caring, clinical judgment, and ethics. New York, NY: Springer Publishing Co. Benner, P.A., Tanner, C.A., & Chesla, C.A. (1996). Expertise in nursing practice: Caring, clinical judgment, and ethics. New York, NY: Springer Publishing Co. Brookfield, S.D. (1987). Techniques for developing alternative ways of thinking. Developing critical thinkers: Challenging adults to explore alternative ways of thinking and acting (pp ). San Francisco, CA: Jossey- Bass Publishers. Brookfield, S.D. (1987). Techniques for developing alternative ways of thinking. Developing critical thinkers: Challenging adults to explore alternative ways of thinking and acting (pp ). San Francisco, CA: Jossey- Bass Publishers. DIAZ BORDENAVE, J., PEREIRA, A. M. Estratégia de ensino-aprendizagem. 12 ed. Petrópolis: Vozes, DIAZ BORDENAVE, J., PEREIRA, A. M. Estratégia de ensino-aprendizagem. 12 ed. Petrópolis: Vozes, Diekelmann, N.L. (2001). Narrative pedagogy: Heideggerian hermeneutical analyses of lived experiences of students, teachers, and clinicians. Advances in Nursing Science, 23(3), Diekelmann, N.L. (2001). Narrative pedagogy: Heideggerian hermeneutical analyses of lived experiences of students, teachers, and clinicians. Advances in Nursing Science, 23(3), Diekelmann, N., & Ironside, P. (2002). Developing a science of nursing education: Innovation with research. Journal of Nursing Education, 41, Diekelmann, N., & Ironside, P. (2002). Developing a science of nursing education: Innovation with research. Journal of Nursing Education, 41, Diekelmann, N.L., Ironside, P.M. & Harlow, M. (2003). Educating the caregivers: Interpretive pedagogies for the health professions. In N. Diekelmann (Ed), Teaching practitioners of care: New pedagogies for the health professions. Volume 2 Interpretive studies in healthcare and the human sciences (pp. 3-21). Madison, WI: University of Wisconsin Press. Diekelmann, N.L., Ironside, P.M. & Harlow, M. (2003). Educating the caregivers: Interpretive pedagogies for the health professions. In N. Diekelmann (Ed), Teaching practitioners of care: New pedagogies for the health professions. Volume 2 Interpretive studies in healthcare and the human sciences (pp. 3-21). Madison, WI: University of Wisconsin Press. FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 29 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004 FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 29 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004 NOVAK, J. D. E GOWIN D. B. (1996). APRENDER A APRENDER. LISBOA: PLÁTANO EDIÇÕES TÉCNICAS, COLECÇÃO PLÁTANO UNIVERSITÁRIA.NOVAK, J. D. E GOWIN D. B. (1996). APRENDER A APRENDER. LISBOA: PLÁTANO EDIÇÕES TÉCNICAS, COLECÇÃO PLÁTANO UNIVERSITÁRIA.


Carregar ppt "MÓDULO – FORMAÇÃO, TRABALHO E ENFERMAGEM Professora Coordenadora Ana Albuquerque Queiroz"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google