A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Estratégia para Criação de um Cluster / Rede Local Tecnologia “Modelo em Três Etapas“

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Estratégia para Criação de um Cluster / Rede Local Tecnologia “Modelo em Três Etapas“"— Transcrição da apresentação:

1 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Estratégia para Criação de um Cluster / Rede Local Tecnologia “Modelo em Três Etapas“ Helmut Kergel, VDI/ VDE-IT, Berlim/Alemanha / vdivde-it.de MINAPIM 2008, Manaus 11 Set 2008

2 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Roteiro  Inovação: Chave para o desenvolvimento econômico  Cluster/Rede: Definição e características  Etapas do desenvolvimento de uma rede: -Análise, Iniciação, Implementação -Visão geral das fases de crescimento, performance e transformação  Ações a serem tomadas na etapa de análise  Ações a serem tomadas na etapa de iniciação  Ações a serem tomadas na etapa de implementação  Conclusões

3 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 VDI/VDE Innovation + Technik GmbH Associação de Engenheiros da Alemanha ( membros) 50 % Associação Alemã para Tecnologias da Informação, Eletrônica e Elétrica (1.250 membros) 50 % Fundação: 1978 Status: cia. responsabilidade limitada Staff: ~ 150 pessoas Receita Anual: ~ 16 milhões Euros Berlim (Munique, Dresden) Desenvolvimento, Implementação e Avaliação de Políticas de Inovação Tecnológica Escritório “Initiative Kompetenznetze Deutschland“ (Rede de Competências Alemãs) Agência de Fomento “Mikrosystemtechnik“ (Micro-sistemas) Agência de Fomento “Innovative Netzwerke“ (Rede de Inovacao) Agência de Fomento “Mikrosystemtechnik“ e “luK Technologie“ na Bavária Gerenciamento da Rede „Erneuerbare Energie Sachsen“ Centro de Inovação do Norte da Alemanha Instituto para Inovação e Tecnologia...

4 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Departamento Internacional de Cooperação Tecnologia e Clusters  Atividades relacionadas a inovação, desenvolvimento regional e construção de competências -Staff interdisciplinar de cerca de 15 experts -Competências técnicas e socioeconômicas -Idiomas de trabalho: alemão, inglês, francês, espanhol e russo  Projetos Internacionais Recentes -Pesquisa de Mercado “Tecnologias Ambientais” Alemanha-Brasil -Fóruns Bilaterais de Inovação (Índia- Alemanha e México- Alemanha) -Desenvolvimento de Negócios para o “Centro de Inovação em Negócios da Namíbia” -Desenvolvimento de Treinamentos Vocacionais, Avaliação de Clusters Industriais e Desenvolvimento de Incubadoras de negócios na Líbia -Avaliação dos resultados e potencial impacto socioeconômico de 1500 projetos do Programa GROWTH da União Européia -Treinamento de gerentes de inovação na Tunísia, Marrocos e Líbia -...  Projetos Nacionais Recentes -Iniciativa de Redes de Competências na Alemanha: -Avaliação do gerenciamento de clusters marítimos no estado alemão de Schleswig-Holstein -Avaliação do potencial para a pesquisa na área “ICT/Microelectronics“ (na região de Dresden -...

5 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Quatro futuros econômicos ao mesmo tempo! Questões-chave: Selecionar o conhecimento Utilizar o conhecimento Adaptar o conhecimento Combinar conhecimento Explorar o conhecimento Fazer o Link entre a indústria e o conhecimento ! Figura: Cortesia do Dr. A P Botha e Sr J Manchu (www.InnovationLab.co.za)‏ Inovação: A Chave para Vencer Futuros Desafios Tecnológicos/Econômicos

6 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Definição de Rede/Cluster (de acordo com M. Porter)  Cluster = cluster industrial, cluster de negócios, cluster competitivo ou cluster de Porter, conforme Michael Porter: “The Competitive Advantage of Nations (1990)“  Numero crítico de empresas nas proximidades de outras, com atividades complementares ao longo da cadeia de valor  Sob tais circunstâncias, pode ser desenvolvido um pólo de crescimento, onde fornecedores e prestadores de serviços específicos são atraídos e onde vantagens competitivas para todos as empresas envolvidas podem ser criadas  Uma rede regional pode ser considerada um cluster, caso receba incentivos adicionais ao serem incluídas atividades dedicadas e esforços complementares de cooperação mútua (cluster ++)

7 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Questões relativas a clusters/redes  Interesse em pessoal local disponível e na educação e no treinamento destas pessoas  Concentração dos membros em suas competências fundamentais e envolvimento de empresas especializadas, fornecedores e parceiros para fornecimento de produtos e serviços auxiliares  Exploração dedicada e distribuição de conhecimento competitivo entre os membros envolvidos  Intercâmbio de conhecimento através de contatos informais e/ou mudança de empregador  Contato próximo com organizações regionais de P & D

8 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Características de uma Rede de Tecnologia Regional Bem Desenvolvida  Atores distribuídos ao longo de toda a cadeia de valor, construindo uma massa crítica  Concentração regional dos atores envolvidos  Ações e visibilidade inter-regional, nacional ou mesmo internacional  Foco temático ou em um setor industrial/aplicado  Comprometimento claro dos membros do cluster  Estrutura organizacional clara com um gerenciamento correto do cluster (i.e. um escritório gerenciando as atividades de rede)  Cooperação e comunicação intensiva entre os membros do cluster  Metas e objetivos comuns e aprovados por todos  Inserida em um ambiente voltado para a inovação

9 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Composição Ideal de uma Rede de Tecnologia Regional Instituições Científicas, universidades (Pesquisa Básica)‏ Pesquisa & Desenvolvimento (orientados a aplicações)‏ Instituições Educacionais (educação e treinamento)‏ Grandes empresas Empresas PMEs (fornecedores, fabricantes, vendas)‏ Transferência de tecnologia mais rápida, implementação dos resultados de P&D em Produtos/resultados inovadores Cooperação entre pesquisa básica e a orientada a aplicações Programas de educação e treinamento orientados pela demanda e específicos de cada rede i.e. disponibilidade de Venture Capital, desenvolvimento regional e marketing Estudo de desafios mercadológicos do ponto de vista industrial e de transferência para instituições de P&D Prestadores de serviço (i.e. financeiros, logística, fundos, desenvolvimento regional,...)‏

10 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Vantagens dos Clusters e Redes Regionais Clusters e redes regionais possuem o potencial para afetar positivamente a competição de três maneiras: 1.Aumentando a produtividade das empresas do cluster 2.Conduzindo a inovação neste campo 3.Estimulando novos negócios neste campo

11 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Etapas do Desenvolvimento de Redes Qualidade da Rede Tempo IniciaçãoCrescimentoPerformanceTransformação Etapa de Análise Etapa Inicial Etapa de Implementação Processos de mudança e estratégias de adaptação A estratégia comum torna-se visível e gera benefícios Processos implementados Novas tecnologias e capacidades Número crescente de membros Mudança na estrutura dos membros da rede Novas metas E objetivos adaptados Novos serviços, processos e produtos adaptados Desenvolvimento de novos mercados

12 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Cada grupo pode atuar como iniciador da rede Ações da Etapa de Análise Tempo Questões a serem consideradas na preparação para a fundação de uma rede regional Estudo do ambiente e das condições de contorno (Qual o grau de preparação da região?) Estudo e classificação dos atores na região Análise de Cooperação (Quem já está cooperando com quem?) Identificação de Parceiros (Quem é necessário para futuros desenvolvimentos?)‏ Organização, recursos financeiros e processos dentro da rede Estrutura Legal Definição de metas e estratégias (declarações de visão e missão) Grupo de trabalho estratégico Parceiros na cooperação já atuando ativamente Experts dos setores industrial e tecnologia Autoridades públicas Fundação de um grupo de trabalho estratégico liderando a etapa de análise e as atividades voltadas para o início da rede Sobreposição entre as etapas de análise e iniciação

13 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Ações durante as Etapas de Iniciação e Implementação Etapa de Implementação Etapa de iniciação Tempo Primeiros projetos dos (novos) Parceiros da rede Elaboração de um conceito de marketing Implementação de um escritório da rede e início das atividades Início das atividades dos grupos de trabalho temáticos Desenvolvimento e implementação de serviços de rede específicos

14 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Etapa de Implementação – Serviços em Rede Serviços em rede são os vários tipos de serviços sendo desenvolvidos e oferecidos pela gestão da rede para suportar seus membros, pela  Abordagem dos problemas diários dos membros e sugestões de abordagens para suas soluções  Redução dos esforços individuais necessários de seus membros individuais, pela abordagem de metas comuns  Melhoria da eficiência e competitividade de cada membro e da rede como um todo  GERANDO VALOR AGREGADO para os membros da rede

15 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Setores para as Redes de Serviços  Serviços para Recursos Humanos Recrutamento, estudos, negociação de ações  Educação e Treinamento Desenvolvimento de atividades e serviços orientados às demandas dos membros da rede, relacionadas à tecnologia ou à inovação  Internacionalização Desenvolvimento de estratégias de internacionalização da rede e dos parceiros isolados (análise de mercado, instrumentos financeiros, busca de parceiros para cooperação,...)  Comunicação e Troca de Experiências Implementação de plataformas e infra-estrutura de comunicação específicas da rede (exclusivamente para seus membros) para o intercâmbio de conhecimento ou formação de consórcios de projetos  Relações Públicas (e Marketing) Disseminação do portfolio de produtos, espectro de serviços e competências da rede e seus membros de modo atraente (internet, feiras de negócios, conferências, publicações...), uso das relações Públicas pelos membros da rede, que por seu porte não têm os recursos para realizar estas atividades individualmente  Apoio para Infra-estrutura Disponibilização de salas, laboratórios e outras instalações de teste Utilização conjunta de frotas de veículos

16 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Exemplo de uma Rede de Serviços Strategische Partnerschaft Sensorik e. V. (www.sensorik-bayern.de)‏ Características:  A indústria de sensores requer uma força de trabalho muito especializada e flexível, onde não há um “padrão de educação e treinamento” específico, e onde há uma elevada demanda para treinamento adicional “on-the-job”  Existem muitas micro e pequenas empresas atuando na indústria de sensores – problema específico para estas companhias que não são conhecidas do público em geral  Estratégias inter-empresariais são necessárias!

17 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 “Associação de Profissionais Especializados em Sensores“ Plataforma na webpage da rede para pessoal buscando emprego, empresas buscando funcionários e anúncios de vagas  Ofertas para especialistas buscando novas colocações Consultoria voltada para estes experts na definição de seus perfis, busca de vagas adequadas, apoio para entrevistas,...  Ofertas para empresas buscando especialistas Seleção e distribuição de propostas de emprego, iniciação de contatos,... Modelo Financeiro:  Os membros da rede têm acesso livre ou com desconto ao conteúdo da mesma  Para empresas / organizações de pesquisa externas, a rede atua como empresa de consultoria em recursos humanos, quando a seleção de vagas internamente à mesma não é possível

18 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Situação em Manaus – Uma Visão de Fora  MINAPIM 2006: Apresentação “Prospects for regional development in Manaus with Micro- and Nanotechnology - A view from outside” (“Perspectivas para o Desenvolvimento Regional em Manaus com Micro e Nanotecnologia – Uma Visão de Fora”)  Projeto de Consultoria VDI/VDE-IT–FUCAPI/SUFRAMA/CTPIM: “Iniciação e Implementação de um Programa de Educação para Microtecnologia/Tecnologia em Microsistemas (Nível Técnico) em Manaus/Amazonas” (Maio 2005)‏ → Análise SWOT → Medidas para atuar nos pontos fracos

19 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Manaus SWOT – Pontos Fortes (2006) Pontos Fortes Gerais:  Elevado comprometimento político para a iniciação e implementação de novas tecnologias na região  Existência de uma grande comunidade industrial com altas taxas de crescimento  Recursos financeiros disponíveis a partir de fontes públicas para o desenvolvimento tecnológico e econômico da região  Competitividade regional (ao menos no nível estadual)  Existência de uma grande quantidade de jovens buscando por oportunidades educacionais  Vários pontos de partida para a cooperação internacional já implementados Pontos Fortes relacionados à tecnologia:  P&D em biotecnologia (no contexto das atividades do Centro de Biotecnologia da Amazônia, CBA)  Pesquisa em ciência básica (no contexto das atividades do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA)  Forte know-how em software baseado nas atividades de pesquisa e industriais  Laboratórios de calibração e aferição acreditados na FUCAPI Pontos Fortes relacionados à educação em microtecnologia:  Existência de atividades acadêmicas  Existência da FUCAPI como uma instituição privada dedicada ao P&D aplicado e à educação tecnológica, ambos na mesma organização  Infra-estrutura existente na FUCAPI para tópicos referentes à capacitação em Tecnologia da Informação

20 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Manaus SWOT – Pontos Fracos (2006) Pontos Fracos Gerais:  É muito difícil (ou impossível?) atrair investidores privados (venture capital, bancos, business angels) para processos de inovação em Manaus Pontos Fracos relacionados à tecnologia:  Tecnologia de Micro-sistemas ainda não está implementada em nenhuma instituição ou empresa, pública ou privada  Fraco conhecimento (consciência?) sobre a tecnologia de micro- sistemas (em termos da tecnologia em si e quanto ao número de pessoas envolvidas)  Atividades de P&D industrial muito incipiente Pontos Fracos relacionados à capacitação em microtecnologia:  Docentes ainda não estão preparados para ensinar (em termos de ausência de conhecimento e experiências práticas próprias)  Indústria em Manaus não preparada (ou interessada?) em oferecer vagas para “educação prática” a estudantes e trainees na área de pesquisa e produção em microeletrônica

21 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Manaus SWOT – Oportunidades (2006) Oportunidades para o desenvolvimento comercial regional  A tecnologia de Micro-sistemas está se tornando mais e mais relevante para a indústria existente  A indústria local orientada à manufatura pode vislumbrar vantagens em adquirir seus componentes (e equipamentos para a produção / serviços?) localmente, ao invés de globalmente  Novas oportunidades de negócio através da combinação de educação e serviços em laboratórios tecnológicos recentemente implantados Oportunidades para o desenvolvimento regional relacionado à tecnologia  A indústria de bens de Tecnologia da Informação deve investir parte de seus ganhos em atividades locais de P&D (Lei de Informática)  Fontes de financiamento da indústria para o desenvolvimento tecnológico podem ser atraídas quando os mais relevantes pontos de partida estiverem estabelecidos Oportunidades para o desenvolvimento regional social  Estímulo ao P&D industrial R&D gera empregos de alta qualificação e atrai pessoal qualificado do exterior

22 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Manaus SWOT – Ameaças (2006)  Falta de pessoal qualificado (em todos os níveis)  Dificuldades existentes (clima, etc.) para atração de pessoal especializado do exterior e sua fixação em Manaus  Restrições de infra-estrutura (energia elétrica, trânsito, etc.)  Falta de envolvimento encorajador da indústria local existente e futura em relação ao desenvolvimento tecnológico da região, e às questões da educação tecnológica especificamente  Falta de empreendedorismo em áreas relevantes para a tecnologia de micro-sistemas

23 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Medidas para Atacar os Pontos Fracos (2006)  Envolver a indústria local e nacional: -Participar em treinamentos (práticos) -Identificar os gargalos de qualificação -Assegurar carreiras profissionais interessantes para os graduados -Contribuir com equipamentos, materiais, “projetos de treinamento“,...  Aumentar o número de “especialistas locais” em micro e nanotecnologia em cooperação com fontes externas  Foco nas forças existentes: -Eletrônica de Consumo, Biotecnologia/Cosméticos/Química, Ciência da Computação,... -Tecnologia de Semicondutores??? -Potencial trabalho em rede inteligente entre as instituições existentes para educação e treinamento  Reforçar o P&D (aplicado) na indústria local

24 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Conclusões  A iniciação de atividades em uma rede regional seria benéfica para Manaus, bem como estão sendo/foram para diversas regiões no mundo, como exemplos na micro e nanotecnologia: -IVAM (North-Rhine Westfalia / Alemanha) -Silicon Saxony (Saxônia / Alemanha)  A indústria está bem representada em Manaus, mas: -Quais setores? -A cadeia de valor completa está bem representada? -Existem também atividades de P&D adequadas? -... ?  Micro e nanotecnologia (em combinação com a Eletrônica de Consumo ou biotecnologia) parecem ser tecnologias / setores de aplicação adequados  É necessária uma análise extensiva e realista do status-quo !

25 I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Muito obrigado ! Perguntas ? (inglês por favor...) Helmut Kergel +49 (0) vdivde-it.de Skype: helmut.kergel


Carregar ppt "I n n o v a t i o n + T e c h n i k © VDI/VDE-IT Berlin 20/08/08 Estratégia para Criação de um Cluster / Rede Local Tecnologia “Modelo em Três Etapas“"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google