A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estudos temáticos para a preparação do próximo ciclo de intervenções estruturais QREN 2007-1013 ENSINO SUPERIOR Coordenação: Manuel José Santos Silva Domingos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estudos temáticos para a preparação do próximo ciclo de intervenções estruturais QREN 2007-1013 ENSINO SUPERIOR Coordenação: Manuel José Santos Silva Domingos."— Transcrição da apresentação:

1 Estudos temáticos para a preparação do próximo ciclo de intervenções estruturais QREN ENSINO SUPERIOR Coordenação: Manuel José Santos Silva Domingos Vaz Manuel J.Loureiro Maria Eugénia Ferrão Maria Luísa Branco Susana Garrido Peritos externos: Júlio Pedrosa, Elsa Justino Lisboa, 30 de Março de 2006

2 II: Construir o Espaço Europeu de Ensino Superior ENSINO SUPERIOR I: Qualificar a população portuguesa III: Melhorar a ligação Ensino-Investigação-Sociedade

3 Qualificar a população portuguesa Diagnóstico

4 Gráfico 1.2 – Distribuição da população com nível instrução Ens. Secundário, por tipo de frequência, segundo a idade Qualificar a população portuguesa Diagnóstico

5 IndicadorPortugalComparação Internacional População com diploma de Ensino Superior8,6%23,0% Média da OCDE População com diploma de Ensino Superior12,9%24,3% EU-25 População não matriculada66,0%55,7% Turquia 70,3%México População saída precoce44,9%28,3% Espanha 26,4% Itália População com pelo menos Ens. Secundário21,5%63,6% EU-15 Professores do ensino básico e secundário na força de trabalho 3,4%2,6% OCDE 3,7% Noruega 3,6% Hungria 1,5% Japão 1,4% Coreia Participação ALV4,8%9,4% EU-25 Qualificar a população portuguesa Diagnóstico

6 Distribuição dos professores/formadores por nível/tipo de ensino (2001/2) Dados: GIASE/ME Qualificar a população portuguesa Diagnóstico

7 I:Qualificar a população portuguesa Elevar o nível geral de educação e formação dos portugueses Promover a empregabilidade e a mobilidade profissional II:Construir o Espaço Europeu de Ensino Superior III:Melhorar a ligação Ensino-Investigação-Sociedade ENSINO SUPERIOR

8 Construir o espaço europeu de ensino superior Diagnóstico Matriculados e taxa bruta de escolarização superior população Fonte: DGES/DSAS, 2004 Fonte: DGES/CIES, 2005 Níveis de escolaridade do grupo doméstico de origem dos estudantes do ensino superior e comparação com a sociedade portuguesa (%) Estimativa de alunos deslocados por NUT em percentagem Fonte: DGES/DSAS, 2004

9 Construir o espaço europeu de ensino superior Diagnóstico Evolução do número de doutoramentos Fonte: OCES, 2005.

10 Tabela 2.2. Grau académico dos docentes das Universidades públicas e população discente Construir o espaço europeu de ensino superior Diagnóstico

11 Tabela 2.3. Grau académico dos docentes dos Institutos Politécnicos públicos e população discente Construir o espaço europeu de ensino superior Diagnóstico

12 I:Qualificar a população portuguesa Elevar o nível geral de educação e formação dos portugueses Promover a empregabilidade e a mobilidade profissional II:Construir o Espaço Europeu de Ensino Superior Promover as condições de natureza organizacional, estrutural e metodológica Promover o sucesso escolar no ensino superior Favorecer a cooperação inter-institucional III:Melhorar a ligação Ensino-Investigação-Sociedade ENSINO SUPERIOR

13 IndicadorPortugalComparação Internacional Mobilidade de estudantes0,97%2% EU-15 Diploma C&T16,8%25,7% EU-15 Permilagem de graduados em C&T na pop ,4 ‰9,4‰ EU-25 Despesas das empresas em I&D- I&D das empresas/PIB0,17%1,28% EU-15 2,68% Finlândia; 1,80% Alemanha 0,52% Espanha; 0,36% França Actividade total de empreendedorismo (TEA)7%11% Hungria; 10% Itália 10% Finlândia; 9% Noruega 7,3% Espanha; 7,2% França Melhorar a ligação Ensino-Investigação-Sociedade Diagnóstico

14 I:Qualificar a população portuguesa Elevar o nível geral de educação e formação dos portugueses Promover a empregabilidade e a mobilidade profissional II:Construir o Espaço Europeu de Ensino Superior Promover as condições de natureza organizacional, estrutural e metodológica Promover o sucesso escolar no ensino superior Favorecer a cooperação inter-institucional III:Melhorar a ligação Ensino-Investigação-Sociedade Estimular a investigação no ensino superior Contribuir para a sustentabilidade local e regional ENSINO SUPERIOR

15 Qualificar a população portuguesa OGOE Beneficiários Finais Realizações Necessárias Elevar o nível geral de educação e formação dos portugueses Fomentar a aquisição de competências avançadas na população activa População anos Cursos de 1ºciclo ou unidades curriculares (em concordância com o DL nº 42/2005) mediante contextualização; Pré-selecção de IES no ano de 2006; Incentivar o ensino pós – secundário de curta duração População anos Alterar quadro legal para aumentar a oferta ISCED4; Promover novos cursos junto dos beneficiários finais; Financiamento dos cursos com enquadramento no plano de desenvolvimento das IES; Aumentar a participação em aprendizagem ao longo da vida Professores e formadores Empresários, executivos e quadros de empresas Formação contínua; Prioridade a acções de mestrado/doutoramento (2º e 3º ciclos) com forte componente de investigação educacional ; Financiamento condicionado à relevância no contexto de desenvolvimento profissional do indivíduo e do centro escolar/formação Financiamento de acções sobre temáticas transversais Prioridade às regiões com piores indicadores de desempenho escolar Inovação de métodos de ensino-aprendizagem com utilização de TIC/e-learning Certificação de ensino à distância Inquérito nacional para a formação Promover a empregabilidade e a mobilidade profissional Ampliação dos perfis profissionais IES Apoiar a inscrição nos cursos de formação de 2º ciclo ou em unidades curriculares; Promover estudos de planeamento e caracterização das necessidades de formação; Implementar Gabinetes de Apoio ao Aluno, com uma adequada consolidação da valência de Orientação Vocacional Melhorar a inserção no mercado de trabalho – estágios profissionais IESApoiar a realização de estágios profissionais e estágios curriculares;

16 Construir o Espaço Europeu de Ensino Superior OGOE BENEFICIÁRIOS FINAIS REALIZAÇÕES NECESSÁRIAS Promover as condições de natureza organizacional, estrutural e metodológica Formação pedagógica / Inovação no ensino- aprendizagm Docentes do ensino superior com doutoramento Financiamento de programas de desenvolvimento e inovação no ensino aprendizagem, que inclua acções de formação pedagógica/didáctica/metodológica para 100% dos seus docentes, incluindo acções que tenham por referência a superação de situações típicas de insucesso. Valorização de dimensões pedagógica e didáctica para o efeito da progressão na carreira docente; Sistema de acompanhamento dos resultados no âmbito de auto-avaliação de IES Criação de gabinetes de formação para a docência Estimular a formação avançada Docentes do ensino superior sem doutoramento e que nunca tiveram apoio de fundos estruturais Continuidade do processo de formação avançada de forma integrada no plano de formação da IES Melhorar o ambiente de aprendizagem IES públicasConcretização das adaptações ou alargamentos Promover o sucesso escolar no ensino superior Melhorar a interface entre ensino secundário e ensino superior IES Apoio a medidas destinadas a suportar a implementação do ano zero; Apoio a medidas para promover estudos e acções destinadas a melhorar a integração curricular entre áreas disciplinares; Promover a adaptação dos alunos IES Públicas Criação de bolsas de apoio a acções integradas em meio Institucional: Atribuição de subsídios de instalação aos alunos economicamente carenciados Apoio a estudantes desfavorecidos com aproveitamento escolar excepcional Construção, reabilitação ou adaptação de espaços para residências de estudantes, refeitórios, salas de estudo e espaços lúdicos destinados à cultura e ao desporto Favorecer a cooperação inter- institucional Desenvolvimento de cursos de mestrado e de doutoramento em rede IESFinanciamento de cursos conducentes à titularização conjunta Promover a mobilidade de estudantes e professores IES Adopção generalizada do cartão “Europass” entre as IES pertencentes à EU. Obtenção de competências linguísticas. Quotas nas residências para estudantes em mobilidade transnacional Cursos de Verão e intercâmbio bilateral ou multilateral. Financiamento para substituição temporária de docentes envolvidos em programas de mobilidade Desenvolver programas de investigação comuns IES Criar programas de estímulo preconizando a criação de redes nacionais e internacionais. Criar redes de IES a nível regional (e transfronteiriço)

17 Melhorar a ligação Ensino-Investigação-Sociedade [1] [1] Indirectamente diplomados desempregados, outras pessoas para quem as medidas postas em prática representem uma melhoria estratégica para a sua posição face ao mercado de emprego e uma melhoria para o seu estatuto salarial. Também os futuros diplomados para quem os estágios curriculares constituem um vertente profissionalizante da sua formação. [1] [1] Indirectamente diplomados desempregados, outras pessoas para quem as medidas postas em prática representem uma melhoria estratégica para a sua posição face ao mercado de emprego e uma melhoria para o seu estatuto salarial. Também os futuros diplomados para quem os estágios curriculares constituem um vertente profissionalizante da sua formação. OGOE Beneficiários Finais Realizações Necessárias Estimular a investigação no ensino superior Tornar atractiva a profissão e a carreira de investigador IES e suas unidades de investigação Sensibilizar os jovens para o estudo das matérias científicas e técnicas; Implementação dos Clubes das Ciências num esquema de parceria IES/ensino básico e secundário; Encorajar os estudantes com capacidades de investigação a prosseguir estudos ao nível do 2º e 3º ciclos;Financiar projectos que envolvam a participação de jovens investigadores ; Apoiar a mobilidade no espaço europeu de ensino como incentivo à carreira de investigação; Criar dimensão europeia nas carreiras de investigação; Valorizar a componente de investigação educacional IES e suas unidades de investigação Criar medidas de financiamento para projectos de investigação educacional que optimizem a qualidade de ensino nas diversas áreas científicas Diversificar e aumentar a articulação entre os cursos de pós – graduação e a investigação IES e suas unidades de investigação Financiamento de bolsas de formação para a realização de cursos de pós-graduação com ligação a linhas de investigação das IES Contribuir para a sustentabilidade local e regional Estimular uma cultura de inovação IES Participação regular de alunos e investigadores em estágios de curta duração nas empresas Estratégias por parte das IES que encorajem os alunos para a criação de empresas de alta tecnologia Financiar a investigação estratégica, pois tem potencial impacte na criação de produtos e indústrias inovadoras Gabinete de Transferência Tecnológica para patentear as inovações e fazer a sua comercialização Promover o espírito empreendedor IES Disciplina de empreendedorismo nas áreas das ciências naturais, engenharias, economia e gestão e como formação transversal em outars áreas do conhecimento; Acções de formação aos docentes em empresas com potencial inovador; Fomentar a investigação de base regional IES Financiamento de investigação científica de base regional Patrocinar Observatórios das Dinâmicas Regionais Prestação de serviços e valorização social e cultural IES Realizar cursos, seminários e workshops temáticos diversos; Levar a cabo diagnósticos e projectos de intervenção de apoio à comunidade; Formar opinião pública qualificada para o exercício da cidadania; Publicar monografias e outra documentação diversa;

18 QUALIFICAR académica e profissionalmente POSICIONAR as IES no espaço europeu ENSINO SUPERIOR


Carregar ppt "Estudos temáticos para a preparação do próximo ciclo de intervenções estruturais QREN 2007-1013 ENSINO SUPERIOR Coordenação: Manuel José Santos Silva Domingos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google