A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

João Vitor………………………..03 Pedro Lucas……………………..06 Colégio Maria Imaculada Região Centro-Oeste.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "João Vitor………………………..03 Pedro Lucas……………………..06 Colégio Maria Imaculada Região Centro-Oeste."— Transcrição da apresentação:

1

2 João Vitor………………………..03 Pedro Lucas……………………..06 Colégio Maria Imaculada Região Centro-Oeste

3 Índice  APRESENTAÇÃO……………………………………………………..03  CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DA REGIÃO………………………..04 Clima …………………………………………………………………… Relevo ……………………………………………………………………...06 Hidrografia…………………………………………………………………………….10 Vegetação……………………………………………………………………………..14 Impactos Ambientais…………………………………………………………………16 História da ocupação…………………………………………………………………..18 Curiosidades…………………………………………………………………………………..21 Economia…………………………………………………………………………………………..27

4 Apresentação Apresentaremos um trabalho sobre a região Centro-Oeste. Falaremos um pouco sobre suas características físicas, como o relevo; hidrografia; clima; vegetação; setor primário, secundário e terciário, incluindo a história da região e alguns problemas como a destruição do Pantanal e do Cerrado. Esperamos que gostem!

5 Características físicas - clima O clima da região Centro-Oeste do Brasil é tropical, quente e chuvoso, sempre presente nos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. A característica mais marcante deste clima quente é a presença de um verão chuvoso, entre os meses de outubro a março, e um inverno seco, entre os meses de abril a setembro.O noroeste da região, ocupado pela Amazônia, é abrangido pelo clima equatorial, e o restante pelo clima tropical. As temperaturas são mais altas do que no sul. O inverno apresenta temperaturas acima de 18°C; durante o verão, a temperatura pode alcançar temperaturas superiores a 25°C.tropical

6 As chuvas, além de concentradas em apenas uma estação do ano, se distribuem irregularmente na região, atingindo-se mais de mm a noroeste de Mato Grosso e reduzindo-se a pouco mais de mm grande parte do território. Os meses de verão são úmidos, porque nessa época, a Planície do Pantanal é uma das áreas mais quentes da América do Sul, e por esse motivo, forma um núcleo de baixa pressão que atrai os ventos úmidos conhecidos como alísios de nordeste. A chegada desses ventos corresponde às chuvas fortes que caem na região. Climas do Brasil: equatorial, tropical, semi- árido, entre outros.

7 Relevo Como em quase todo o território brasileiro, o relevo da região é suave, raramente ultrapassando mil metros de altitude. O relevo do Centro-Oeste é composto por três unidades: Planalto Central Planalto Meridional Planície do Pantanal Planalto Central O Planalto Central é um grande bloco rochoso, formado por rochas cristalinas, sobre as quais se apoiam camadas de rochas. Existem trechos em que as rochas cristalinas aparecem livres dessa cobertura, surgindo aí um relevo ondulado. Nas áreas em que as rochas cristalinas estão cobertas pelas camadas sedimentares, são comuns as chapadas, com topos planos e encostas que caem e recebem o nome de ‘’serras’’. Nestas regiões, as chapadas possuem a denominação de chapadões.

8 As chapadas estão presentes na maior parte da região, e em Mato Grosso podem ser citados a Chapada dos Parecis, a oeste, e a Chapada dos Veadeiros, a nordeste; em Goiás, pode ser citado a Chapada dos Veadeiros, ao norte; na divisa com o Nordeste destaca-se o Espigão Mestre, que funciona como divisor de águas da bacia do Tocantins e da bacia do São Francisco. Relevo Centro-Oeste:Planícies, Planaltos e Montanhas

9 Planalto Meridional O Planalto Meridional se estende da Região Sul até os Estados de Mato Grosso do Sul e Goiás. Nele são encontrados os solos mais férteis de todo o Centro-Oeste – a terra roxa que aparece em forma de manchas no sul de Goiás e em Mato Grosso do Sul. Período de cheia no Pantanal

10 Planície do Pantanal Período de cheia no Pantanal. O Pantanal é uma planície inundável de formação recente, cuja altitude média é de aproximadamente 110 metros. É, portanto, uma depressão relativa situada entre os planaltos Central, Meridional e relevo pré-andino. Periodicamente, a Planície do Pantanal é inundada pelo Rio Paraguai e seus afluentes. O relevo da planície tem duas feições principais: Cordilheiras: Pequenas elevações que não sofrem inundações; Baías ou lagos: Partes mais baixas, de formatos circulares, inundadas durante a estação chuvosa, formando lagoas.

11 Hidrografia  A Região Centro-Oeste é drenada por muitos rios, agrupados em três grandes bacias hidrográficas:  Bacia Amazônica:, em Mato Grosso, para onde se deslocam rios colossais, como o Xingu, ou rios que formam principais afluentes do rio Amazonas, como o Juruena e o Teles Pires que formam o rio Tapajós;  Bacia do Tocantins-Araguaia, ocupando o norte e o ponto mais a oeste de Goiás e o extremo leste de Mato Grosso;  Bacia Platina, subdividida em suas bacias hidrográficas: a bacia do rio Paraná e a bacia do rio Paraguai, no restante da região.

12  Bacia do rio Paraná Na divisa com os estados de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, o Centro-Oeste é banhado pelo rio Paraná e por um de seus formadores, o Rio Paranaíba, no extremo sul de Goiás. A porção sudeste da região é drenada por afluentes menos extensos da margem direita do rio Paraná, como os rios Verde, Pardo, Ivinhema, Amambaí e Iguatemi.

13  Bacia do rio Paraguai A maior bacia hidrográfica em extensão da região Centro-Oeste é a bacia do rio Paraguai, que nasce na Chapada dos Parecis, no Estado de Mato Grosso. Seus principais afluentes são os rios Cuiabá, Taquari e Miranda. A bacia do rio Paraguai ocupa uma imensa baixada que forma a Planície Paraguaia, na qual a parte alagada é composta pelo Pantanal Mato-grossense. Como o clima da região intercala estações secas e estaçõeschuvosas, essa planície fica coberta por um lençol de água durante aproximadamente seis meses. Nos meses secos, as águas represam- se em pequenas lagoas semicirculares, chamadas de baías. Quando as cheias são mais violentas, as baías ampliam-se e ligam-se umas com as outras através de canais chamados de corichos.

14

15 Vegetação  No Centro-Oeste existem formações vegetais bastante diferentes umas das outras. Ao norte e oeste aparece a Floresta Amazônica, praticamente impenetrável, composta por uma vegetação densa e exuberante. A maior parte da região, entretanto, é ocupada pelo cerrado, tipo de savana com gramíneas altas, árvores e arbustos esparsos, de troncos retorcidos, folhas duras e raízes longas, adaptadas à procura de água no subsolo. O cerrado não é uniforme: onde há mais árvores que arbustos, ele é conhecido como cerradão, e no cerrado propriamente dito há menos arbustos e árvores, entre os quais se espalha uma formação contínua de gramíneas.

16  A região do Pantanal, sempre alagável quando nas cheias de verão, possui uma vegetação típica e muito variada, denominada Complexo do Pantanal. Aí aparecem concentradas quase todas as variedades vegetais do Brasil: florestas, campos e até mesmo a caatinga.

17 Impactos ambientais – Cerrado e Pantanal  Cerrado - A expansão agropecuária, os garimpos, a construção de rodovias e cidades como Brasília e Goiânia, são os principais aspectos provocados pela ação humana, que reduziram esse ecossistema a pequenas manchas distribuídas por alguns estados brasileiros.

18  Pantanal - Atualmente, os impactos ambientais e sócio- econômicos no Pantanal são bastante evidentes, decorrentes da inexistência de um planejamento ambiental que garanta a sustentabilidade dos recursos naturais desse importante bioma. A expansão desordenada e rápida da agropecuária, com a utilização de pesadas cargas de agroquímicos, a exploração de diamantes e de ouro, nos planaltos, com utilização intensiva de mercúrio, são responsáveis por profundas transformações regionais, algumas das quais vem sendo avaliadas pela Embrapa Pantanal, como a contaminação de peixes e jacaré por mercúrio e diagnostico dos principais pesticidas.

19 A região Centro Oeste, como todo o resto do Brasil, era ocupada primeiramente pelos indígenas. A o passar do tempo chegaram os bandeirantes atrás de ouro, que levaram mais população e construíram as primeiras vilas da região. Essa região começou a ser mais ocupada com a transferência da capital para Brasília em  História da ocupação Processo de ocupação do Centro Oeste

20 Construção e origem de Brasília  As obras começaram 11/1956, e terminaram 04/1960  Foi a nova capital do Brasil  Sai do Rio de Janeiro e vai para o interior do país  Objetivo: Povoar aquela região  Pessoas de todo o país, especialmente do nordeste (chamadas de candangos), foram contratadas para a construção da cidade  Inaugurada no dia 21 de abril de 1960 por Juscelino Kubitschek. Construção de Brasília

21 Formato de Brasília  O formato de Brasília foi projetado por Lucio Costa, vencedor do concurso, em 1957, para projeto urbanístico da nova capital.  Essa área foi popularmente comparada a um avião, mas Lucio Costa defendeu a tese que a área pudesse ser compara a uma borboleta, rejeitando a comparação anterior. Plano piloto de Brasília

22 Curiosidade: Marechal José Pessoa  História sobre o Marechal que originalmente concebeu a construção de Brasília https://www.youtube.com/watch?v=T6nDIX0eaeY Marechal José Pessoa, verdadeiro projetista de Brasília

23 Culinária do Centro Oeste  A culinária do Centro Oeste varia muito seus pratos de cada região, por causa da influência dos indígenas que aqui viviam e também dos bandeirantes que vieram procurar ouro na região.  Por exemplo: em Goiás, alguns pratos típicos são o empadão goiano, angu de milho verde, bolinho de mandioquinha.  Em Mato Grosso são o arroz com pequi, galinha com arroz, paçoca de carne seca  No Mato Grosso do Sul, já predominam os pratos com peixe, como: peixe ao molho, pacu assado ou recheado, entre outros.

24 Culinária do Centro Oeste Imagens Pacu assado, prato do Mato grosso do Sul Paçoca com carne seca, prato do Mato Grosso Empadão goiano, prato de Goiás

25 Folclore da região Centro Oeste  O folclore dessa região é muito rico, em consequência da junção da cultura de vários povos que por ali passaram, como os africanos, os bandeirantes e as pessoas que já moravam nessa região.  Algumas lendas dessa região são: a Mãe do Ouro, Onça da Mão Torta, Saci-pererê, Negro d’água, Romãozinho, A Criação do Mundo, Como Nasceram as Estrelas, Lendas da Mandioca e Lendas do Milho, lenda da Dama de Branco, Arranca-Língua, Mula- sem-Cabeça. Folclore da região Centro Oeste e algumas lendas como Mão-de-ouro, onça maneta, etc

26 Danças típicas Cururu  O cururu é uma dança realizada por homens, que dançam para homenagear os santos e citam passagens bíblicas. Além disso eles citam acontecimentos políticos e cumprimentam as pessoas enquanto dançam. Polca de Carão  Nessa dança é inserida uma brincadeira no contexto. Cada dançarino deve levar um carão, ou seja, ser esnobado pelo seu par. A dança continua até todos eles terem passado por essa situação. Dança do cururu Dança da polca de carão

27 Religiosidade em diferentes expressões Cavalhada  A cavalhada é uma representação da batalha entre mouros e cristãos durante a invasão da península ibérica. A festa relembra o domínio do cristianismo na região onde hoje é formada a Espanha e Portugal. Procissão do fogaréu A festa da cavalhada  É uma manifestação de tradição religiosa que relembra a prisão de Jesus por soldados romanos mascarados. O fogaréu vem sendo realizado desde 1745, ano que foi trazido da Europa pelo padre português Perestello Espíndola. Procissão do fogaréu

28 Economia da região: setor primário  O setor primário da região centro oeste vem cada vez mais se desenvolvendo com a utilização de máquinas nos trabalhos, e a região está começando a plantar produtos que se eram cultivados em outras regiões do Brasil, como a soja, milho e cana-de-açúcar.

29 Agricultura  Na região Centro Oeste, a agricultura de subsistência era muito utilizada para completar a pecuária e o extrativismo.  Porém, com o crescimento populacional, a melhoria nas vias de comunicação e o apoio do governo, a agricultura comercial está se desenvolvendo nessa região. Agricultura no Centro Oeste

30 Pecuária  A pecuária é a atividade mais importante do Centro Oeste.  Os bovinos representam 80% dos rebanhos da região; porém ainda se destaca os rebanhos suínos principalmente em Goiás.  A em média 4 gados para cada habitante da região. Criação de gado no Centro Oeste

31 Extrativismo animal  O extrativismo animal é caracterizado pela caça e não é uma importante atividade econômica para a região.  Porém no Centro Oeste ocorre bastante caça ilegal.  Os principais animais dizimados são as garças, as lontras, as ariranhas e os jacarés. Extrativismo animal

32 Extrativismo mineral  As riquezas minerais na região Centro Oeste ainda são pouco conhecidas, mas ainda sim a região é vista como uma grande fonte de minérios.  O ouro, o ferro e o diamante são os principais produtos econômicos encontrados nessa região. Garimpeiros coletando minérios no Centro Oeste

33 Extrativismo vegetal  O Extrativismo Vegetal é importante principalmente nas áreas longes dos grandes centros urbanos  No Pantanal, o maior aproveitamento é do quebracho, do qual é extraído o tanino, utilizado no curtimento do couro.  No sul do Mato Grosso do Sul existe principalmente a criação de plantações de erva- mate, usada muito para o preparo de chá Retirada do látex da árvore

34 Setor secundário  O setor secundário é uma atividade pouco significativa para o Centro Oeste.  As indústrias mais importantes são as mais recentes, e se destacam a de produtos alimentícios, de minerais não metálicos e a madeireira.  A área mais industrializada do Centro Oeste se estende de Goiás a Brasília, englobando a cidade de Anápolis. Indústrias, que fazem parte do setor secundário

35 Setor terciário  Boa parte dos serviços são feitas por empresas que prestam serviços ao governo.  O Centro Oeste tem seu comercio impulsionado principalmente pelos produtos provenientes do agronegócio.  Transportes: Possui estradas pouco desenvolvidas, com exceção daquelas que ligam capitais e a malha rodoviária de Goiás que é a segunda melhor do país e possui aeroportos com grande movimento. O comércio é a principal etapa do setor terciário

36 Referências Bibliográficas  Disponível em Acessado em 18 de março de 2014.www.wikipedia.com.br  Projeto Jornadas – Geografia – Saraiva – Angela Rama e Marcelo Moraes Paula.


Carregar ppt "João Vitor………………………..03 Pedro Lucas……………………..06 Colégio Maria Imaculada Região Centro-Oeste."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google