A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profa. Luciana Tolstenko Nogueira. Programação em Saúde A programação é compreendida como uma tecnologia de organização do trabalho assistencial. Busca.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profa. Luciana Tolstenko Nogueira. Programação em Saúde A programação é compreendida como uma tecnologia de organização do trabalho assistencial. Busca."— Transcrição da apresentação:

1 Profa. Luciana Tolstenko Nogueira

2 Programação em Saúde A programação é compreendida como uma tecnologia de organização do trabalho assistencial. Busca realizar, no âmbito da atenção primária, a chamada integração médico-sanitária. Aplica um tratamento articulado e mutuamente enriquecedor das necessidades assistenciais objetivadas - no plano individual - no plano coletivo

3 Programação em Saúde – Dois Pressupostos Dialéticos Embasam a concepção de ação programática e que justificam a relevância da aplicação do conceito de risco. a) a demanda espontânea pela assistência a saúde, tal como realizada nos serviços, não recobre as necessidades de saúde experimentadas cotidianamente pelos indivíduos; b) ampliação dos serviços de saúde oferecidos não significa aumento da efetividade de ações.

4 Necessidade do atendimento Esfera de necessidade Necessidades socialmente delimitadas As necessidades devem ser transformadas em objetos do trabalho em saúde. Para que as necessidades possam ser trabalhadas deve-se investir na relação concretamente estabelecida entre profissionais e população-alvo, os sujeitos capazes de dar voz às mesmas, tanto no "lado" dos profissionais quanto no da população- alvo.

5 Necessidade do atendimento Deve-se encontrar elementos que "discriminem “, diferencie sujeitos particulares relacionados a processos específicos de interesse.

6 Programação e Epidemiologia Programação e epidemiologia confluem: - uma como trabalho - outra como ciência

7 Programação e Epidemiologia Discriminação entre epidemiologia e programação. A programação se apresenta como condição de efetividade técnica como condição concreta de construção da ordem social a que está articulada. Epidemiologia – ciência, informações, indicadores de saúde.

8 Conceito de Risco como Elemento Estratégico Discriminar e efetivar a presença real de sujeitos em processos concretos de trabalho em saúde. Relação entre risco e programação. Reais necessidades de saúde. Serviço de saúde e população - as práticas assistenciais.

9 Mapa de Saúde Atual Mapa de Saúde - Metas MAPA DE SAÚDE: DINÂMICA DE CONSTRUÇÃO

10 O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu o desafio de ter um Sistema universal, Público e Gratuito de saúde

11 Em 1980 Nos anos 80, a expectativa de vida do brasileiro era de 62 anos. Hoje, é de 73 anos. Em 2010 IBGE CENÁRIO ATUAL - Elevação da expectativa de vida do brasileiro

12 Taxa de fecundidade da mulher fica abaixo do nível de reposição ,2 6,35,84,42,92,42,22,12,01,95 Tabela: Evolução das taxas de fecundidade total no Brasil, Fonte: IBGE CENÁRIO ATUAL

13 Mortalidade infantil continua em queda

14 Mortalidade nas Capitais (%) : Doenças infecciosas diminuíram de 46% (1930) para 4,4% (2008) Doenças cardiovasculares aumentaram de 12% (1930) para 29,5% (2008) CENÁRIO ATUAL

15 145 milhões dependem exclusivamente do SUS Mais de 100 milhões cobertos pela Atenção Básica 3,2 bilhões de procedimentos ambulatoriais/ano 500 milhões de consultas médicas /ano 11,3 milhões de internação/ano DIMENSÃO DO SUS

16 Maior rede de banco de leite humano do mundo Maior número de transplantes de órgãos públicos do mundo 90% do mercado de vacinas é movimentado pelo SUS 50% do mercado de equipamentos hospitalares 80% investimentos em Câncer no Brasil Mais de 90% das hemodiálises DIMENSÃO DO SUS

17 Dengue: redução de 45% dos casos graves e de 44% nos óbitos Malária: redução de 31% dos casos Redução de 86% no número de casos e óbitos por influenza em 2011 Meta histórica de vacinação contra a polio 13,9 milhões de crianças vacinadas contra poliomielite - 98,2% do público alvo Ampliação do acesso 2011

18 Mais profissionais para o SUS Médicos podem quitarcrédito do Fies com trabalho em áreas de pobreza Programa de Valorização dos Profissionais na Atenção Básica - até 20% de pontuação adicional nas provas de residência por atuação em áreas prioritárias Ampliação do acesso 2011

19 Programa Saúde na Escola municípios 84% são municípios do Brasil sem Miséria Brasil Sorridente Inclusão de ortodontia e implante dentário; alta de 70% no financiamento das próteses 664 laboratórios credenciados, com estimativa de produção de 400 mil próteses/ano Saúde Mais Perto de Você: buscar atendimento rápido e humanizado Ampliação do acesso

20

21 Estratégias de programação visam Melhorar de maneira significativa os padrões de saúde de toda população. Reduzir e se possível eliminar desigualdades de acesso aos serviços de saúde. Favorecer melhor acesso aos grupos economicamente mais carentes e os residentes em áreas marginalizadas. Influenciar a forma de vida da população para que mantenha ou promova saúde.

22 Estratégias de programação visam Superar a dicotomia entre atividades preventivas e curativas e executá-las em conjunto com programas específicos. Melhorar a articulação entre serviços básicos e serviços especializados. Estímulo à produção de tecnologia apropriada e à realização de pesquisas operacionais para resolução de problemas na área de saúde. Definição de recursos financeiros específicos e suficientes para a execução de programas.

23

24 Programação para clientelas específicas Atenção a crianças de baixa idade Atenção a escolares e adolescentes Atenção para adultos Atenção a trabalhadores urbanos Atenção à população rural Atenção a idosos Atenção a mulheres Atenção aos indígenas

25 SAÚDE INTEGRAL DA MULHER SAÚDE INTEGRAL DA MULHER ATENÇÃO À SAÚDE – Saúde da Mulher Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva, incluindo o Planejamento Reprodutivo e as DST/HIV/Aids Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva, incluindo o Planejamento Reprodutivo e as DST/HIV/Aids Câncer de colo de útero e mama Câncer de colo de útero e mama Atenção às Mulheres e Adolescentes em Situação de Violência Doméstica e Sexual Atenção à Saúde de Populações Vulneráveis e Segmentos Específicos Atenção à Saúde de Populações Vulneráveis e Segmentos Específicos Atenção Clínico- Ginecológica Atenção Clínico- Ginecológica Atenção Obstétrica (Rede Cegonha) Atenção Obstétrica (Rede Cegonha)

26 ATENÇÃO À SAÚDE – Saúde de populações específicas Atenção à saúde de populações em situações de vulnerabilidade social, considerando gênero, raça/etnia, orientação sexual e geração Povos do Campo e da Floresta Povos Indígenas População Negra e Quilombolas População em Situação de Rua

27 ATENÇÃO À SAÚDE – Saúde de populações e grupos específicos Ciganos LGBT Pessoas com Deficiência Portadores de Patologias Idosos

28 Programas Unidades que prestam atendimento à população em geral, como ambulatórios, centros, postos de saúde, clínicas do setor privado com atuação em nível coletivo podem e devem incluir em suas atividades formas específicas para que possam atender a clientelas específicas


Carregar ppt "Profa. Luciana Tolstenko Nogueira. Programação em Saúde A programação é compreendida como uma tecnologia de organização do trabalho assistencial. Busca."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google