A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Carla Morais e João Paiva. “Technology is invisible and intuitive; students don’t learn technology” Oblinger, D.G.; Oblinger, J. L. (2005). Educating.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Carla Morais e João Paiva. “Technology is invisible and intuitive; students don’t learn technology” Oblinger, D.G.; Oblinger, J. L. (2005). Educating."— Transcrição da apresentação:

1 Carla Morais e João Paiva

2 “Technology is invisible and intuitive; students don’t learn technology” Oblinger, D.G.; Oblinger, J. L. (2005). Educating the Net Generation, Educause, Nem dados, nem estatísticas, nem decretos-lei, nem tecnologias mudam verdadeiramente a educação. Tudo se muda sistemicamente e «por dentro»… com paciência

3 FONTE: Learning to Change: ICT in Schools. OECD - organisation for economic co-operation and development. Schooling for Tomorrow. Paris A escola continua a ser um elemento central para o aluno e o professor continua a ser o principal ponto de contacto. Contudo existe uma necessidade de mudanças organizacionais na escola e um papel diferente para o professor, para que a verdadeira integração das TIC aconteça.

4 O acesso aos computadores nas escolas tem aumentado rapidamente entre PISA 2000 e PISA FONTE: Are students ready for a technology-rich world? What PISA studies tell us,. OECD - organisation for economic co-operation and development. Paris Acesso aos computadores “Acesso” (macro indicadores) (por exemplo, o número de computadores, os alunos por computador, a taxa média de conexão à Internet). “Uso”/”Utilização” (micro indicador) (por exemplo, tipo de utilização das TIC, os resultados da aprendizagem, o lugar onde as TIC são utilizadas).

5 Mas em alguns países os alunos continuam a ter um acesso limitado aos computadores na escola... Mas, posta a previsível generalização dos meios, cada vez é mais consensual que a questão do equipamento tecnológico não é o mais central… 5 ou menos estudantes por computador Mais de 10 estudantes por computador Número de computadores por aluno (PISA 2003) FONTE: Are students ready for a technology-rich world? What PISA studies tell us,. OECD - organisation for economic co-operation and development. Paris

6 FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação. Melhoria na ordem dos 40%; porém, o rácio português é ainda aproximadamente o dobro do finlandês; Dados mais actuais mostram um descida do rácio português para cerca de 8 alunos por computador; FONTE: GEPE/ME. (2009). Modernização Tecnológica das Escolas 2007/08. Lisboa: Ministério da Educação. Portugal: número de alunos por computador

7 Pese embora o rácio alunos por computador com acesso à Internet ter melhorado cerca de 60%, é ainda 48% superior ao dos países da UE15 e mais do que duplica o finlandês. Alunos por computador com acesso Internet [# alunos] Em 2007/2008 o rácio alunos por computador com acesso à Internet melhorou cerca de 40% Tecnologia de acessos à Internet : ADSL. Em termos de acesso à Rede… FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação. FONTE: GEPE/ME. (2009). Modernização Tecnológica das Escolas 2007/08. Lisboa: Ministério da Educação.

8 Mais de metade dos agregados domésticos portugueses ainda não possuem computador, e apenas 1/3 tem ligação à Internet, pelo que é crucial aumentar a disponibilização de equipamentos para utilização livre nas escolas. Agregados domésticos com computador, acesso à Internet e Internet de banda larga (2006) FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação.

9 Percentagem de alunos que usam frequentemente o computador em casa, na escola e em outros locais “The PISA evidence [...] particularly strong association of performance with home access & usage“. FONTE: Are students ready for a technology-rich world? What PISA studies tell us,. OECD - organisation for economic co-operation and development. Paris

10 Principais utilizações do computador pelos alunos TOP “mais” : jogar, fazer pesquisas na Internet, processamento de texto, aprender os conteúdos escolares; TOP “menos” : Utilização de software educativo. ADAPTADO DE: Are students ready for a technology-rich world? What PISA studies tell us,. OECD - organisation for economic co-operation and development. Paris

11 O computador e os professores Professores que usa material pedagógico informático (2006) [%] Professores que usam computador e/ou Internet em aula (2006) [%] FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação.

12 Disponibilidade e utilização das TIC na sala de aula FONTE: Korte & Hüsing (2006) Benchmarking Access and Use of ICT in European Schools “Some of the initial enthusiasm for some of these activities is on the wane”. (Becta, 2006) FONTE: ICT and e-learning in further education: management, learning and improvement. A report on the further education sector’s engagement with technology Becta. “Yet the educational consequences of the full use of ICT are far from clear […] The impact of new technology in schools ultimately relies on how it is used”. (OCDE, 2004)

13 Modelo Acesso-Competências-Motivação Barreiras para o uso das TIC nas escolas FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação.

14 Barreiras para o uso das TIC nas escolas Para além de um leque de competências tecnológicas básicas, que permitam aos professores trabalhar de forma confiante com as ferramentas disponíveis num determinado momento, parece estar sobretudo em causa um conjunto de procedimentos metodológicos, de teor predominantemente pedagógico e didáctico, sem os quais não será bem sucedida a inserção das TIC no processo de ensino-aprendizagem. Uma construção por fazer… FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação.

15 Nos últimos 5 anos cerca de 25% a 30% do corpo docente frequentou, acções de formação em tecnologia. Não obstante, uma das principais barreiras à modernização tecnológica ainda se prende com insuficiência de qualificações do corpo docente. Formação em novas tecnologias a docentes em Portugal [# formandos] Em articulação com o Plano Tecnológico da Educação (PTE), foi publicado um estudo que destaca a urgência de se desenhar um programa que contemple a formação contínua e progressiva e a instituição de mecanismos de certificação de competências. Costa, F. (Coord.) (2008). Competências TIC. Estudo de Implementação (Vol. I). Lisboa: GEPE/ME FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação.

16 O investimento no ensino e em TIC no ensino em Portugal está em linha com a média europeia. Investimento em educação (% PIB) e investimento em TIC na educação Investimento em TIC na educação [% PIB] Investimento em educação [% PIB] FONTE: GEPE/ME. (2008). Modernização tecnológica do ensino em Portugal. Estudo de Diagnóstico. Lisboa: Ministério da Educação.

17 “Putting computers into schools has no measurable effect on children's learning [...] The political impetus behind ICT in schools is obvious. Politicians like a quick fix to every problem. Spending a few millions on computers is relatively easy, compared with tackling real problems in education. (02 May “Increasing levels of computers access does not bring about more learning experiences”. International Association for the Evaluation of Educational Achievement (2006). IEA SITES “There is no consistent relationship between the mere availability or use of ICT and student learning”. The World Bank (2005) Monitoring & Evaluation of ICT in Education Projects. “Connecting schools to the Internet, providing courseware and access to digital resources, and training teachers have not brought about the pedagogical innovations”. Rosado and Bélisle (2006). Analysing Digital Literacy Frameworks. A European Framework for Digital Literacy. “Use of ICT in education and training has been a priority in most European countries over the past decade, but progress has been patchy”. European Commission (2008). The Education and Training Contribution to the Lisbon Strategy.

18 Que questões ficam no ar? Que «imaginações» para TIC na escola em 2020?


Carregar ppt "Carla Morais e João Paiva. “Technology is invisible and intuitive; students don’t learn technology” Oblinger, D.G.; Oblinger, J. L. (2005). Educating."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google