A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA A abordagem típica da Escola da Administração Científica é a ênfase.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA A abordagem típica da Escola da Administração Científica é a ênfase."— Transcrição da apresentação:

1 1 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA A abordagem típica da Escola da Administração Científica é a ênfase nas tarefas; Objetivava a eliminação dos desperdícios e elevar os níveis de produtividade Frederick W. Taylor ( ): Primeiro período de Taylor: Livro Shop Management (1903): Técnicas de racionalização do trabalho através do estudo de tempos e movimentos (motion-time study); O objetivo da administração é pagar altos salários e reduzir custos de produção; Para tal objetivo, a Administração deve aplicar métodos científicos para estabelecer processos padronizados que permitam o controle das operações; Os empregados devem ser selecionados e colocados em seus postos com condições de trabalho adequadas para que as normas possam ser cumpridas; Os empregados devem ser treinados para aperfeiçoar suas aptidões e executaras tarefas, a fim de cumprir uma produção normal; Deve haver uma atmosfera de cooperação entre Administração e trabalhadores, para garantir um ambiente psicológico adequado. Qual a melhor forma de fazer um determinado trabalho?

2 2 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Segundo período de Taylor: Livro The Principles of Scientific Management (1911): O principal objetivo da Administração Científica é assegurar o máximo de prosperidade para o patrão (lucros maiores) e para o empregado (salários maiores); A estruturação geral da empresa como requisito para a aplicação dos princípios; Os males de uma empresa: Vadiagem sistemática dos operários; Desconhecimento das rotinas de trabalho por parte da gerência; Falta de uniformidade das técnicas e métodos de trabalho. Os Princípios da Administração Científica de Taylor: Planejamento: Substituir a improvisação pela ciência, por meio do planejamento; Preparo: Seleção científica e treinamento dos operários, preparo também das máquinas tendo em vista seu uso racional; Controle: Controlar o trabalho para ver se está sendo executado conforme o planejado Execução: Distribuir a execução das tarefas aos operários.

3 3 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Princípio da exceção: O Administrador não deve se preocupar com os padrões normais e sim nos desvios que afastem do padrão; Os diretores devem receber somente relatórios condensados, mas antes estes relatórios devem ser cuidadosamente analisados por assistentes, que apontarão todas as exceções notórias; As decisões dentro dos padrões (rotineiras) devem ser delegadas aos subordinados, deixando os problemas mais sérios e importantes para os superiores. Região da Normalidade Exceções Q1Q1 Q3Q3 Q2Q2 Ocorrências Freqüência

4 4 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Harrington Emerson ( ): Precursor da Administração por objetivo; A visão organizacional para a Administração Científica; A predeterminação dos resultados é a principal característica do novo método; A aceitação do acaso é a principal característica do velho método; Os doze princípios da eficiência de Emerson (1912): Ideais: Objetivos claramente definidos por toda organização; Bom senso: Administrar é, antes de tudo, uma questão de bom senso; Competência: O sucesso da organização está veiculada à capacidade de organizar a busca de conselhos competentes; Disciplina: A noção de responsabilidade de cada empregado; Justiça social no trabalho: Salários e condições de trabalho justos; Registros confiáveis, imediatos e permanentes: Definia um sistema de informações que pudesse fornecer informações à nível gerencial de forma eficaz (sem erros, rápidos e disponíveis a qualquer momento); Despacho: A empresa toda era suscetível de uma programação e controle;

5 5 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Padrões e prazos: A padronização levada à outras áreas (medicina, administração, física, etc); Padronização de condições de trabalho, de operações e de instruções: Padronização das peças resultantes de uma máquina e a padronização dos desenhos técnicos (princípios 9, 10 e 11); Incentivo para a eficiência: Pagamento na base de hora com tabela progressiva. Henry Laurence Gantt ( ): Ênfase no ser humano; Democracia Industrial: Igualdade de oportunidade entre os empregados; Identidade de interesses entre empregadores e empregados; Gráfico de Grantt para simbolizar a produção ao longo do tempo:

6 6 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Administração como ciência: A ciência no lugar do empirismo; A improvisação deve ceder o lugar ao planejamento; Identidade de interesses entre empregadores e empregados; Frank Bunker Gilbret ( ): Ênfase na redução de custos de mão-de-obra; Publicação do livro Estudo de Movimentos (1911): Objetivava o aumento da eficiência do trabalhador através da análise do trabalho; Adoção de fotos e filmagens nas observações; Discordâncias de Taylor: O uso da cronoanálise; Importância dos sindicatos; Elemento humano.

7 7 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Organização racional do trabalho: Cada operário tinha sua maneira de executar uma atividade; A busca da melhor forma de executar uma atividade; O operário não tem capacidade, nem formação, nem meios para analisar cientificamente o seu trabalho e estabelecer o método mais eficiente; Repartição de responsabilidades: Gerência – Planejamento; Supervisão – Assistência contínua ao trabalhador; Operário – Execução da operação. A Organização racional do trabalho se baseia em: Análise do trabalho e estudo de tempos e movimentos; Estudo da fadiga humana; Divisão do trabalho e especialização do operário; Desenho de cargos e tarefas; Incentivos salariais e prêmios de produção; Conceito do Homo economicus; Condições ambientais de trabalho (iluminação, conforto, etc);

8 8 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Padronização de métodos e de máquinas; Supervisão funcional. Análise do trabalho e o estudo de tempos e movimentos: Objetivos do estudo de tempos e movimentos: Eliminar todos os desperdícios de esforço humano; Adaptar os operários às tarefas; Treinar os operários para executar as tarefas de forma eficiente; Tornar o operário especialista na sua operação; Estabelecer normas de execução do trabalho; Aumentar a eficiência do processo produtivo. A eficiência do trabalho estava relacionada à divisão de todas as tarefas ao longo do processo de forma ordenada; Os movimentos inúteis eram eliminados e os úteis eram simplificados, racionalizados ou fundidos com outros movimentos; Adoção da cronoanálise como ferramenta de medição dos tempos; Determinação do tempo médio ou padrão de execução da operação: Tempo padrão = Tempos elementares + Tempos mortos

9 9 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Divisão do trabalho e especialização do operário: Cada operário se responsabilizava por uma etapa do processo, ao qual se especializava para proporcionar maior eficiência; Processos contínuos e repetitivos; O operário perdeu a liberdade e a iniciativa de estabelecer seu método de trabalho; Um operário desempenha a tarefa total Vários operários desempenham em paralelo partes da tarefa Vários operários desempenham em uma série partes da tarefa total Estudo da fadiga humana: A fadiga é o cansaço resultante de trabalho excessivo; A fadiga pressupõe o trabalhador a: Diminuição da produtividade e da qualidade do trabalho; Perda de tempo; Aumento da rotatividade de pessoal; Doenças e acidentes. Princípios da economia de movimentos: Adequação do uso do corpo humano, o arranjo físico e as ferramentas de trabalho.

10 10 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA 100%110% Prêmio de Produção Desenho de cargos e tarefas: Tarefa é toda e qualquer atividade executada por uma pessoa no seu trabalho dentro da organização, é a menor unidade possível; Cargo é o conjunto de tarefas executadas de maneira cíclica ou repetitiva; Desenhar um cargo é especificar seu conteúdo (tarefas), os métodos de executar as tarefas e as relações com os demais existentes; O objetivo era simplificar os cargos para obter o máximo de especialização; Incentivos salariais e prêmios de produção: Objetivava conciliar os interesses dos operários com os da organização; Remuneração baseada no tempo para a remuneração baseada na produção O tempo padrão como 100% de eficiência; Produção até o nível de 100% - remuneração por unidade produzida; Produção acima do nível de 100% - remuneração por unidade produzida + prêmio de produção.

11 11 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Conceito de Homo Economicus: O homem é motivado somente pelos ganhos financeiros; O homem procura o trabalho como meio de ganhar a vida e não por gostar dele; O homem é motivado a trabalhar pelo medo da fome e pela necessidade de dinheiro. Condições de trabalho: O melhoramento das condições de trabalho como base para atingir a eficiência; As principais condições de trabalho são: Adequação dos instrumentos e ferramentas de trabalho para minimizar o esforço; Arranjo físico das máquinas para racionalizar o fluxo da produção; Melhoria do ambiente físico de trabalho (iluminação, ventilação, etc); Equipamentos especiais (transportadores, seguidores, etc). Padronização: A padronização é a aplicação de normas e procedimentos em uma organização tendo em vista a eliminação do desperdício e aumento da eficiência.

12 12 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Supervisão funcional: A especialização do supervisor para acompanhar o operário especializado; Um operário não pode subordinar-se à dois chefes. Apreciação crítica da Administração científica: Mecanismo da Administração científica: Ênfase nas tarefas; A organização como um conjunto de peças, uma máquina; Visão mecanicista (o homem deveria produzir como uma máquina); Ausência de participação dos operários nas decisões; Geração de insatisfações por parte dos operários; Execução dissociada do planejamento. Estudos dos tempos e movimentos Maiores lucros e maiores salários Seleção científica do trabalhador Determinação do método de trabalho. Lei da fadiga Padrão de Produção Plano de incentivo salarial Supervisão Funcional Condições de trabalho Máxima eficiência

13 13 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Superespecialização do operário: A especialização do operário nem sempre redunda em um aumento de eficiência. Visão microscópica do homem: Visão individualista do homem, desconsiderando o lado social; O homem como ser preguiçoso e ineficiente; O homem trabalhando como um apêndice da máquina. Ausência da comprovação científica: Método empírico baseado na evidência; Abordagem incompleta da organização: Restrição aos aspectos formais da organização; Limitação do campo de aplicação: Ênfase somente no chão de fábrica, omitindo-se das demais áreas. Abordagem prescritiva e normativa: Prescrever situações para padronizá-las. Abordagem de sistema fechado: A organização como instituição isolada do ambiente.

14 14 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 04 – TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO A busca da eficiência através da ênfase na estrutura; Eficiência Tarefas Estrutura Henri Fayol ( ): Funções básicas de uma empresa: Técnicas: Produção de bens e serviços da empresa; Comerciais: Compra, venda e permutação dos produtos e serviços; Financeiras: Procura e gerência de capitais; Segurança: Proteção e preservação dos bens e das pessoas; Contábeis: Inventários, registros, balanços, custos, etc; Administrativas: Integração da cúpula com as outras cinco funções (coordenação). Funções Administrativas Funções Técnicas Funções Comerciais Funções Financeiras Funções Segurança Funções Contábeis

15 15 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 04 – TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Conceito de Administração: Prever: Visualizar o futuro e traçar o programa de ação; Organizar: Constituir a estrutura, material e humana; Comandar: Dirigir e orientar o pessoal; Coordenar: Ligar, unir, harmonizar todos os atos e esforços coletivos; Controlar: Verificar que tudo ocorra de acordo com as regras estabelecidas e as ordens expressas. Proporcionalidade das funções administrativas A função administrativa se reparte por todos os níveis hierárquico da organização e não é privativo somente para a alta cúpula; Funções Administrativas Prever Organizar Comandar Coordenar Controlar Outras funções não administrativas Mais altos Mais baixos Níveis Hierárquicos

16 16 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 04 – TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Diferenças entre Administração e Organização: Administração: Consiste no todo, ao qual a organização faz parte; Organização: Consiste somente no estabelecimento da forma e da estrutura. Princípios gerais de Administração: Divisão do trabalho: Especialização do empregado para aumentar a eficiência; Autoridade e responsabilidade: Autoridade: Dar ordens e esperar obediência; Responsabilidade: Dever de prestar contas. Disciplina:é o comportamento perante os acordos estabelecidos; Unidade de comando: Cada empregado deve receber ordens somente de um superior; Unidade de direção: Uma cabeça e um plano para cada conjunto de atividades que tenham um mesmo objetivo; Subordinação dos interesses individuais aos gerais: Os interesses gerais da organização devem sobrepor aos do indivíduos; Remuneração do pessoal: Satisfação mútua (empregados e empregador); Centralização: Concentração de autoridade no topo da hierarquia;

17 17 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 04 – TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Cadeia escalar: é a linha de autoridade no decorrer da estrutura; Ordem: Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar; Equidade: Amabilidade e justiça para alcançar a lealdade do pessoal; Estabilidade do pessoal: A rotatividade é prejudicial para a eficiência; Iniciativa: A capacidade de visualizar um plano e assegurar pessoalmente seu sucesso; Espírito de equipe: A união e harmonia entre as pessoas. Quanto ao comando, preceitou algumas responsabilidades do chefe: Conhecer seu pessoal; Excluir os incapazes; Conhecer as relações de trabalho (contratos); Dar bons exemplos; Fazer inspeções periódicas no corpo social; Reunir seus principais colaboradores para obter unidade de direção e convergência de esforços; Não se deixar absorver pelos detalhes; Incentivar o pessoal a atividade, iniciativa e devotamento.

18 18 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 04 – TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Oliver Sheldon ( ): Considerou a importância sobre a responsabilidade social; Princípios de Administração: A indústria serve para oferecer bens e serviços para a sociedade; A administração industrial precisa ser governada por princípios baseados no conceito de serviço à comunidade; Divisão da Administração: Administração: Fixa políticas; Gerência: Executa-as, desenvolvendo a eficiência; Organização: Processo de combinação do trabalho individual do grupal. A eficiência é dependente da estrutura da organização;


Carregar ppt "1 PARTE III – ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 03 - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA A abordagem típica da Escola da Administração Científica é a ênfase."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google