A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Diretoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais - DRII.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Diretoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais - DRII."— Transcrição da apresentação:

1 Diretoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais - DRII

2

3  Fazer um intercâmbio é muito mais do que ir para outro país para estudar. Quando você parte para o seu intercâmbio, você deve estar disposto a se transformar, a desafiar sua visão de mundo.  Independente de ser uma oportunidade de estudos ou de trabalho no exterior, o fato é que algumas coisas lhe farão crescer, tanto pessoalmente, quanto profissionalmente.  Estar numa outra cultura, conhecê-la e entendê-la, sem ter sua família ou seus amigos por perto, conhecer uma realidade que não é a que você está acostumado, se adaptar a novos padrões e costumes, fazer novos amigos que terá que deixar para trás, conhecer o preconceito de perto, etc.  Tudo isso com certeza vai acontecer e vai fazê-lo voltar ao Brasil bem diferente do que você era antes do intercâmbio.  Vai aprender a lidar com situações adversas e pessoas muito diferentes de você e vai ter que aprender a "se virar" sozinho muitas vezes.

4

5 Cada convênio tem suas especificidades, mas de uma forma geral permite ao estudante algumas garantias como: Não pagar taxas escolares na instituição estrangeira, inclusive privada (existem exceções); Receber visto de estudante no passaporte, que lhe permite a matrícula na instituição estrangeira e a permanência no exterior pelo período necessário; Aproveitar, após o seu retorno, os créditos obtidos na instituição estrangeira.

6 Europa e EUA 1º semestre: de setembro a janeiro; 2º semestre: de fevereiro a junho. América Latina 1º semestre: de março a julho; 2º semestre: de agosto a dezembro.

7 Experiência internacional: um diferencial Mobilidade internacional é muito valorizada no meio empresarial.

8

9 É necessário "filtrar" as informações recebidas por terceiros, pois apesar de ser importante conversar com pessoas que já estiveram no local, cada experiência é única e cada indivíduo reage de forma diferente diante de uma mesma situação; Não faça comparações entre a cultura do país de origem e as demais. A cultura do país estrangeiro é própria. Portanto, não se deve valorizar exageradamente, nem menosprezar as tradições, os hábitos e os costumes de um povo; Antes de viajar é necessário obter o máximo de informações sobre o Brasil, pois cada brasileiro no exterior é um embaixador do Brasil; O cotidiano dos nativos deve ser observado (comportamento, reações, atitudes...) para uma melhor compreensão do meio e para uma adaptação mais rápida; Não fale em língua portuguesa com brasileiros, principalmente na presença de estrangeiros. Essa atitude é ofensiva, pois exclui os demais participantes da conversa;

10 Cumprimente as pessoas com "Bom dia" e " Boa tarde" na língua do país. Em vários países, dirigir-se a uma pessoa diretamente com uma pergunta, sem antes cumprimentá-la, é considerado falta de educação. Use sempre o registro formal da língua em um primeiro contato com alguém. O registro informal só será usado se a pessoa com quem você estiver falando o autorizar; Agradeça na língua do país sempre que alguém lhe fizer um favor ou for gentil com você. A expressão "obrigado (a)" na língua do país é de valor precioso e ajuda a tornar o relacionamento bem mais agradável; Utilize sempre a língua oficial do país e faça o maior número de amizades possível em sua moradia e na universidade; Respeite, antes de tudo, a cultura do país onde está sendo recebido;

11 Seja pontual, nunca chegue atrasado às aulas; Não desista diante das primeiras dificuldades que por ventura encontrar. Elas são naturais e superáveis; Peça explicações sempre que não souber algo. Nunca saia de casa sem ter à mão o endereço e o telefone do lugar onde está morando e o mapa da cidade.

12

13

14 ANDIFES: Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior. Público: alunos regularmente matriculados em cursos de graduação de Instituições Federais de Ensino Superior brasileiras. Requisito: integralização de todas as disciplinas previstas para o primeiro ano ou 1 o e 2 o semestres letivos, na Instituição de origem, e possuam no máximo uma reprovação por período letivo (ano ou semestre).

15 Prazo: um ano letivo, em caráter excepcional, a critério da Instituição receptora, renovação sucessiva ou intercalada por até mais um semestre letivo. Período de afastamento é computado na contagem do tempo máximo disponível para a integralização do currículo pleno. Reconhecimento obrigatόrio das disciplinas equivalentes no Histórico Escolar, bem como as reprovações, premiações e punições recebidas no período.

16 O afastamento temporário somente se efetivará quando a Instituição de origem do estudante receber da Instituição receptora, comunicado formal de aceitação do pedido do aluno, acompanhado dos respectivos comprovantes de matrícula.

17 ○ Elaboração, pelo estudante, da documentação necessária e entrega à Coordenação de Curso; ○ Coordenação de Curso analisa a solicitação do estudante bem como a proposta do programa de disciplinas a serem cursados na outra IFES; ○ Se o estudante pretender cursar componentes curriculares além daquelas previamente programadas, deverá encaminhar a solicitação ao Coordenador do Programa ANDIFES de Mobilidade Estudantil, para que seja feito o estudo sobre a possibilidade de concessão de equivalência; ○ Efetivação da participação somente após a Coordenação do Programa na instituição de origem receber da IFES receptora a comunicação formal do aceite do estudante, acompanhada dos comprovantes de matrícula; ○ Despesas da participação por conta do estudante.

18 A participação no Programa somente se efetivará quando o Coordenador do Programa na UFU receber da IFES receptora a comunicação formal da aceitação da proposta formulada pelo estudante, acompanhada dos respectivos comprovantes de matrícula. As despesas decorrentes da participação no “Programa ANDIFES de Mobilidade Estudantil” serão de exclusiva responsabilidade dos estudantes envolvidos.

19 Rio Grande (FURG), Acre (UFAC), Alagoas (UFAL), Amazonas (UFAM), Bahia (UFBA), Ceará (UFC), Campina Grande (UFCG), Espírito Santo (UFES), Fluminense (UFF), Goiás (UFG), Juiz de Fora (UFJF), Lavras (UFLA), Maranhão (UFMA), Minas Gerais (UFMG), Mato Grosso do Sul (UFMS), Mato Grosso (UFMT), Ouro Preto (UFOP), Pará (UFPA), Paraíba (UFPB), Pernambuco (UFPE), Pelotas (UFPel), Piauí (UFPI), Paraná (UFPR), Rural da Amazônia (UFRA - Pará), Rio Grande do Sul (UFRGS), Rio de Janeiro (UFRJ), Rio Grande do Norte (UFRN), Rural de Pernambuco (UFRPE), Roraima (UFRR), Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Santa Catarina (UFSC), São Carlos (UFSCar), Sergipe (UFSE), São João del Rei (UFSJ), Santa Maria (UFSM), Uberlândia (UFU), Viçosa (UFV), Brasília (UnB), Amapá (UNIFAP), Itajubá (UNIFEI), São Paulo (UNIFESP), Rondônia (UNIR), Rio de Janeiro (UNI-RIO).

20

21 ○ Mesmas regras do Programa ANDIFES de Mobilidade Estudantil. Subsídio : Bolsa de R$ 2.500,00 reais, divido em três parcelas

22

23

24 Convênios vigentes em 2012

25

26

27

28

29

30

31 Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) Programa de Licenciatura Internacional (PLI) Programa BRAFITEC Programa FIPSE Preograma BRAFAGRI Programa de Mobilidade MERCOSUL (PMM) Programa MARCA Consórcios ERASMUS MUNDUS Bolsa de Excelência Eiffel

32

33 Apoio Financeiro: MEC através das suas Secretarias de Ensino Superior (SESu) e de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC): CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior); MCT (Ministério de Ciência e Tecnologia): CNPq; Fundações de Apoio do Estados (FAPEMIG) e Setores da Iniciativa Privada. Lançado em 26 de Julho de 2011

34 O QUE É CsF? METAS O programa Ciência sem Fronteiras é um projeto do governo, que prevê a oferta de bolsas de estudo no exterior até bolsas para alunos de graduação; para doutorado de um ano; para doutorado integral; para pós-doutorado; para bolsa Brasil Estágio Senior (6 meses); para Treinamento de Especialistas de Empresas no Exterior (até 12 meses); para bolsa Brasil Jovens cientistas de grande talento (3 anos); para Pesquisadores Visitantes Especiais no Brasil ( 3 anos). Promover a vinda de, no mínimo, jovens talentos e 300 lideranças científicas estrangeiras, por meio da repatriação de cientistas e pesquisadores brasileiros radicados no exterior. Investimento Federal: R$ 3,1 bilhões

35  Formação de recursos humanos altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisa estrangeiras;  Estimular pesquisas que gerem inovação e aumente a competitividade industrial;  Promover a internacionalização da ciência e tecnologia nacional junto as Instituições de Ensino Superior e aos Centros de Pesquisas Brasileiros;  Aumentar a mobilidade e o intercâmbio de estudantes de graduação, pós-graduação, pesquisadores e docentes brasileiros em instituições de excelência no exterior em áreas do conhecimento definidas como prioritárias;  Propiciar maior visibilidade da pesquisa acadêmica e científica que é realizada no País;  Aumentar o conhecimento inovador do pessoal das indústrias brasileiras;  Atrair jovens talentos e pesquisadores altamente qualificados para trabalhar no Brasil.

36 Engenharias e demais áreas tecnológicas; Ciências Exatas e da Terra: Física, Química, Geociências; Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde; Computação e tecnologias da informação; Tecnologia Aeroespacial; Fármacos; Produção Agrícola Sustentável; Petróleo, Gás e Carvão Mineral; Energias Renováveis; Tecnologia Mineral; Tecnologia Nuclear; Biotecnologia; Nanotecnologia e Novos materiais; Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais; Tecnologias de transição para a economia verde; Biodiversidade e Bioprospecção; Ciências do Mar; Indústria criativa; Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva; Formação de Tecnólogos.

37  Destinado aos Melhores Estudantes: Critério por MÉRITO;  Mobilidade de 1 ano: sendo 6 a 9 meses acadêmico, restante em Empresas ou Centros de P&D;  Universidades de destino: Melhores instituições do mundo (CAPES, CNPq e SESu estão fazendo acordos e convênios);  Recursos: Passagem aérea, bolsa mensal, seguro-saúde, auxílio instalação, taxas de uso de infra-estrutura;  Excepcionalmente pode incluir taxas escolares;  Universidades brasileiras devem reconhecer os créditos/cargas horária cursadas obrigatoriamente, isto é, os critérios para validação das atividades acadêmicas serão sempre aquelas da instituição estrangeira onde os estudos no período da bolsa foram realizados;  CAPES e CNPq estão buscando parcerias para cursos de língua estrangeira (inglês sem fronteiras).

38

39

40  Tenham completado no mínimo 20% e no máximo 90% dos créditos necessários para obtenção do diploma;  Pontuação no ENEM > 600, ENEM realizado a partir de 2009;  Melhores estudantes de Iniciação Científica e Tecnológica;  Estudantes premiados em olimpíadas científicas (Matemática, Ciências, etc...);  Em todos os casos, cada instituição deve pré-selecionar os bolsistas por chamadas públicas competitivas, abertas aos estudantes elegíveis.

41

42 Objetivos: O programa tem como objetivo elevar a qualidade da graduação, tendo como prioridade a melhoria do ensino dos cursos de licenciatura e a formação de professores, por meio da ampliação e dinamização as ações voltadas à formação inicial e implementação de novas diretrizes curriculares para a formação de professores, com ênfase no ensino fundamental e no ensino médio. Projetos: visam a melhoria do ensino e da qualidade na formação inicial de professores nas áreas de química, física, matemática, biologia, português, artes e educação física.

43 Duração dos Projetos e universidades participantes: Os estudantes de cursos de licenciaturas permanecem até 24 meses. Universidades de Portugal: Universidade Nova de Lisboa, Universidade da Beira Interior, Universidade do Algarve, Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, Universidade de Évora, Universidade de Lisboa, Universidade do Minho, Universidade do Porto, Universidade Técnica de Lisboa e Universidade Trás-os-Montes. Benefícios:  Bolsas e passagens aéreas internacionais para estudantes brasileiros nos termos vigentes na Capes;  Passagens aéreas internacionais e diárias para docentes brasileiros em missão em Portugal.

44 BenefíciosValorFundamentação Legal Bolsa no Exterior € 870,00 / mês referentes ao período autorizado na concessão, dos estudantes brasileiros em Portugal. Estabelecidos pela Portaria CAPES nº 141, de 14 de outubro de Auxílio instalação€ 110,00 / mês* Seguro saúde€ 70,00 / mês Auxílio deslocamento 02 (duas) cotas de US$ 1.706,00, uma no início da bolsa e outra no final. Estabelecido pela Portaria CAPES/DGES, nº 11 de 10 de março de 2011.

45 Os valores referentes a seguro-saúde, auxílio instalação e auxílio deslocamento serão pagos no Brasil, proporcionalmente ao período da bolsa e na sua totalidade, antes do embarque do estudante. O auxílio instalação, necessário as despesas de instalação inicial do bolsista no exterior, será pago proporcionalmente somente a 12 (doze) meses, não sendo necessária uma nova cota no segundo ano de bolsa. O auxílio deslocamento destina-se ao custeio de todas as despesas referentes à aquisição de passagens áreas e/ou terrestres no trecho Brasil/Portugal/Brasil.

46 Os diplomas tanto da instituição de origem (brasileira), quanto da universidade portuguesa, serão entregues no Brasil, após o cumprimento de todas as obrigações referentes aos dois ciclos de estudos do Programa de Licenciaturas Internacionais. A universidade portuguesa somente enviará os diplomas dos estudantes do PLI para a instituição de origem do estudante, por solicitação formal da instituição brasileira com a explícita indicação de que todas as exigências atinentes à conclusão dos estudos na área de formação de professores no Brasil foram cumpridas pelo estudante. Deverá ser anexada à solicitação, cópia do certificado de conclusão de curso, contendo a data da colação de grau já realizada pelo estudante.

47

48 CONVENÇÃO CAPES-CDEFI. CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. CDEFI – Conferência dos Diretores de Escolas e Formação de Engenheiros.

49 Parceria universitária entre o Brasil e a França para promover o intercâmbio de: - Grupos de estudantes de graduação em engenharia, no Brasil e na França, correspondente a 40% até 80% da formação concluida; - Professores implicados nesta formação.

50 É feito através de projetos conjuntos de Instituições de Ensino Superior ou Grupos de Instituições de Ensino Superior dos dois países a serem propostos às instituições executoras do programa para avaliação e seleção. Nossos projetos são propostos com: ♦ REDE INSA (INSTITUT NATIONAL DE SCIENCE APPLIQUÉES): Lyon, Rouen, Rennes, Toulouse e Strasbourg; ♦ ECOLE NATIONALE SUPERIEUR DE CHIMIE de Lille, Montpellier e Clermont Ferrand (ENSC); ♦ ECOLE NATIONALE SUPERIEUR DE MECANIQUE ET MICROTECHINIQUE de Besançon (ENSMM) e ECOLE NATIONALE SUPERIEUR D’INGENIEURS MECANIQUE de Le Mans (ENSIM); ♦ REDE POLYMECA (2): ENSI de Bourges, SUPMECA de Paris, ENSMM de Besançon, ENSIETA de Valenciennes, ENSTA de Brest.

51

52 Rouen

53 Strasbourg

54

55 * Ser estudante de engenharia; * Apresentar o Currículo Vitae documentado; * Histórico Escolar com CRA; * Ter cursado entre 40% a 80% do total da carga horária do curso sem nenhuma reprovação; * Vedada participação de aluno cursando o último ano.

56 IMPORTANTE O estudante selecionado deverá assinar termo de compromisso, se responsabilizando pala devolução integral das bolsas em caso de reprovação em alguma disciplina por frequência. PROGRAMA BRAFITEC

57 ○ Os valores referentes ao seguro-saúde, auxílio instalação e auxílio deslocamento são pagos no Brasil, proporcionalmente ao período da missão e na sua totalidade, antes do embarque do estudante. Duração: mínimo de 4 (quatro) e máximo 10 (dez) meses; Bolsa: parcelas de 870 euros/mês; Passagem ida e volta em classe econômica: US$ 1.706,00, para bolsas de estudos de até 6 meses; US$ 3.412,00 para bolsas acima de 6 meses; Auxílio instalação: 110 euros/mês; Seguro saúde: 70 euros/mês.

58

59 - Parcerias universitárias em todas as áreas do conhecimento para auxiliar a inserção dos cursos de graduação das instituições de ensino superior brasileiras no cenário internacional, mediante a modernização curricular, o reconhecimento mútuo de créditos, o intercâmbio de docentes/pesquisadores e a mobilidade acadêmica na modalidade de graduação-sanduíche. - Brasil: CAPES - Estados Unidos: Fund for the Improvement of Post Secondary Education (FIPSE), Departamento de Educação dos EUA. - Participação de no mínimo 2 (duas) Instituições de Ensino Superior de cada país. - Missão de estudos deverá ter duração mínima de 4 (quatro) e máxima de 6 (seis) meses, podendo ser prorrogada a critério da CAPES. - Firmar compromisso formal que evidencie a isenção obrigatória de quaisquer taxas acadêmicas para os estudantes participantes do Programa.

60 Brasil: Universidade Federal de Goiás (UFG); Universidade Federal de Uberlândia (UFU). EUA: Califórnia State University (CSUN) - Los Angeles; University of Massachussetts (UMASS) – Amherst.

61 Tabela de Valores – Missão de Estudos Tipo de AuxílioValor Concedido Mensalidade – Graduação-Sanduíche – para brasileiros nos EUA US$ 870,00 / mês Auxílio Deslocamento (passagem aérea) para brasileiros nos EUA US$ 1.604,00 (ida e volta) Auxílio Instalação - para brasileiros nos EUAUS$ 110,00 / mês Seguro Saúde - para brasileiros nos EUAUS$ 90,00 / mês

62

63 Projeto de parcerias universitárias nas áreas de ciências agronômicas, agro- alimentares e veterinária, disciplinas co-relatados, exclusivamente em nível de graduação. Objetivo: fomentar o intercâmbio em ambos os países e estimular a aproximação das estruturas curriculares, inclusive a equivalência e o reconhecimento mútuo de créditos obtidos nas instituições participantes. Brasil: CAPES (MEC) a entidade responsável pelo programa. França: Direction Générale de l'Enseignement et de la Recherche du Ministère de l'Agriculture et de la Pêche – DGER a entidade responsável pelo programa. Financiamentos: mesmos valores do Programa BRAFITEC.

64 PROGRAMA MOBILIDADE MERCOSUL (PMM ) -Programa em implementação pela Secretária de Educação do MEC; -Desenvolver o caráter regional; -Países MERCOSUL: Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela. -Associados: Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru.

65 Contribuir para a conformação de um espaço educativo comum com uma educação de qualidade para todos, estimulando a mobilidade, o intercâmbio e a formação de uma identidade e consciência de cidadania regional conjuntamente com um sentimento de regionalidade; Mobilidade financiada por um período de 6 meses a 1 ano; Estudantes de graduação que tenham no mínimo 40% do curso concluído, e que ao regressar do intercâmbio tenham condições de cursar na instituição de origem ao menos um semestre / um ano acadêmico.

66

67  Carreiras Acreditadas;  Mobilidade de 6 meses a 1 ano;  Financiamento para estudantes brasileiros: - bolsa pela instituição receptora; - passagens e seguro saúde: CAPES.

68

69 Bolsas da União Européia que oferece cursos a nível de ‘Masters’ para candidatos de todo o mundo interessados em desenvolver estudos naquelas comunidades; Consórcios que reúnem 82 universidades européias em 17 diferentes países (sendo 16 países membros da UE - Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Eslováquia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Portugal, Reino Unido e Suécia além da Noruega).

70 Reforçar a qualidade do ensino superior das instituições européias a partir da intensificação da cooperação com outros países de fora do bloco sócio-econômico, visando fomentar o desenvolvimento de pessoal e promover o diálogo e a compreensão entre os povos e culturas.

71 ♦ Bolsas de estudos destinadas a estudantes graduados e a acadêmicos de países de fora da União Européia que venham a participar do Programa; ♦ Os estudantes serão submetidos a um processo de seleção para participar dos cursos masters Erasmus Mundus; ♦ Acadêmicos em visita aos cursos para missões de docência ou pesquisa e estudos aprofundados nas instituições que participam do programa também podem ser beneficiados com recursos do Erasmus Mundus; ♦ Seleção de candidatos de países de fora da União Européia será promovida pelas próprias instituições e os consórcios que deram origem aos cursos masters selecionados.

72 ♦ Seleção dos candidatos ao Programa descentralizado, cada consórcio e suas instituições parceiras estabelece as regras de seleção com base nos critérios estabelecidos pela Comissão Européia; ♦ Detalhes como o período de inscrições e outras especificidades devem ser esclarecidos a partir de consultas diretas aos consórcios.

73 Engenharias; Direito; Economia; Ciências Sociais; Ciências Políticas; Ciências Ambientais; Administração; Sociologia; Educação; Relações Industriais; Matemática; Saúde; Novas Tecnologias, entre outros.

74

75  Iniciou-se em janeiro de 1999 pelo Ministério de Assuntos Estrangeiros e Europeus;  Destinado a dar suporte as ações de recrutamento internacional dos estabelecimentos franceses de ensino superior, para a seleção da elite de estudantes estrangeiros;  Em 2005 criou-se o Programa Eiffel de doutorado de alto nível.  Informações:

76 Formar, dentro dos estabelecimentos de Ensino Superior, os futuros responsavéis pelas decisões estrangeiras, privadas e públicas, nos três domínios de estudos: ciências, economia- gestão e ciências políticas; O programa não aceita inscrição a pessoas que trabalham com ensino e pesquisa; Motivar candidaturas de estudantes provenientes de Países emergentes, com prioridade da Ásia, América Latina, Leste Europeu, Oriente Médio e dos novos membros da União bem como, para o nível Doutoral dos Países industrializados.

77  As candidaturas são apresentadas exclusivamente pelos estabelecimentos franceses;  Os estabelecimentos que apresentam os candidatos são obrigados a inscrevê-los dentro da formação solicitada e contemplada para a bolsa;  Idade máxima para inscrição no MASTER: 30 anos e de 35 anos no máximo para o nível de Doutorado;  Sό pode se inscrever uma única vez no Programa e por uma única Instituição francesa;  Duração: 2 anos para Master com bolsa mensal de 1181/euros mensais, e de 6 meses para Doutorado com bolsa de 1400/euros mensais, passagem ida e volta e seguro saúde.

78 ○ Curriculum Vitae (CV), em francês ou em inglês, em 1 ou 2 páginas no máximo, apresentando os seguintes dados: ranking de classificação em função do número de estudantes da promoção, diplomas obtidos, além dos dados clássicos; ○ Projeto Profissional, redigido em francês ou em inglês. O candidato deve apresentar um projeto profissional detalhado com elementos para a apreciação e não se conter em redigir uma carta de motivação clássica; ○ Histórico Escolar com as notas dos três últimos anos.

79 Engenharias; Direito; Economia; Ciências Sociais; Ciências Políticas; Ciências Ambientais; Administração; Sociologia; Educação; Relações Industriais; Matemática; Saúde; Novas Tecnologias, entre outros.

80  Banco do Brasil;  Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo;  Santander/UK;  Santander Luso-Barsileiro;  Santander Nacional;  PEC-G;  PEC-PG;  Iniciação Científica Internacional;  Etc.

81 OBRIGADA! Raquel Santini Leandro Rade Diretora de Relações Internacionais e Interinstitucionais DRII – UFU site:


Carregar ppt "Diretoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais - DRII."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google