A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso: Teoria política libertária Prof. Wallace Moraes DCP-IFCS-UFRJ.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso: Teoria política libertária Prof. Wallace Moraes DCP-IFCS-UFRJ."— Transcrição da apresentação:

1 Curso: Teoria política libertária Prof. Wallace Moraes DCP-IFCS-UFRJ

2 O governo no futuro Noam Chomsky [1970] (2007)

3 Tese do autor: Defende o socialismo libertário como modelo ideal para uma sociedade industrial. O socialismo libertário é apresentado pelo autor como última elaboração do liberalismo clássico.

4 Introdução: Chomsky divide as interpretações sobre o papel do Estado em uma sociedade industrial em quatro possibilidades: Liberalismo clássico Socialismo libertário Socialismo de estado Capitalismo de estado.

5 Liberalismo clássico O autor sustenta suas ideias sobre o liberalismo clássico a partir principalmente das teses de Wilhelm von Humboldt (1792). Baseado em Humboldt, Chomsky assevera que o liberalismo clássico afirma ter como ideia-chave a oposição a todas as mínimas formas de intervenção do Estado na vida social e pessoal. (p.6)

6 Liberalismo clássico Amparado nas ideias de Humboldt Chomsky defende: uma vez que os homens são por essência seres livres que se aperfeiçoam, que buscam, o que se conclui é que o Estado é uma instituição profundamente anti-humana. P.7

7 Críticas de Chomsky a Humboldt Chomsky afirma que Humboldt erra quando apenas defende limitar o poder estatal e não se preocupa abertamente com os riscos do poder privado. Humboldt não previu que, numa economia capitalista predatória, a intervenção do Estado seria uma necessidade absoluta para preservar a existência humana e evitar a destruição do ambiente físico. Mercado X Estado? Ele cita K. Polanyi para defender a intervenção do estado contra o mercado.

8 Críticas de Chomsky a Humboldt Humboldt também não entendeu em 1790 que as relações econômicas capitalistas perpetuaram uma forma de servidão que, já em 1767, Simon Linguet declarou ser ainda pior do que a escravidão Bela citação na pag. 14: sobre a necessidade dos homens constituir-se como fonte da escravidão capitalista.

9 Críticas de Chomsky a Humboldt Não interessou a Humboldt perceber as desigualdades sociais, tampouco suas causas, mas, mesmo assim, Chomsky insiste em valorizar suas reflexões. Ver p. 15

10 Chomsky aproxima o pensamento de Humboldt do anarquismo Ele de fato ansiava po uma comunidade de livre associação sem coerção pelo Estado ou outras instituições autoritárias, em que homens livres podem criar, informar-se e atingir o mais elevado desenvolvimento de seu potencial. De fato, bem à frente de seu tempo, ele apresenta uma visão anarquista que talvez seja adequada à fase seguinte da sociedade industrial.

11 Problemas de interpretação Ao mobilizar Humboldt como referência do liberalismo, Chomsky tenta atribuir um papel muito positivo para a ideologia liberal. O principal problema dessa metodologia é que Humboldt não foi o mais importante, nem o primeiro, autor do liberalismo. No máximo ele foi apenas uma vertente do liberalismo muito marginalizada.

12 Erro de Chomsky Ele ignorou o pensamento de John Locke como pai do liberalismo, sobretudo, por escrever no século XVII e se colocar como referencia teórica da revolução gloriosa de 1689.

13 Visão idílica do liberalismo clássico a visão liberal clássica é desenvolvida a partir de um certo conceito de natureza humana, um conceito que enfatiza a importância da diversidade e da criação livre, e portanto se opõe fundamentalmente ao capitalismo industrial (!) com sua escravidão assalariada, sua alienação do trabalho e seus princípios hierárquicos e autoritários de organização social e econômica. Pelo menos a sua forma ideal, o pensamento liberal clássico se opõe aos conceitos de individualismo possessivo, intrínsecos à ideologia capitalista p

14 Grande erro: o anarquismo como extensão do liberalismo clássico. P 18

15 Socialismo libertário: Ao descrever as teses do socialismo libertário Chomsky busca uma associação como o marxismo conselhista, chamado por Lenin de ultra-esquerdismo infantil. Todo anarquista é por essencia socialista, mas nem todo socialista é anarquista. Todo anarquista deve se opor à propriedade privada dos meios de produção. Esta propriedade é na verdade como afirmou Proudhon, um roubo.

16 Socialismo de Estado Significa: o comando de funcionários de Estado sobre a produção e o comando de administradores, cientistas, funcionários de fábrica na fábrica o objetivo da classe trabalhadora é libertar-se da exploração. Este objetivo não é atingido e não pode ser alcançado por uma nova classe dirigente e governante em substituição à burguesia. Só pode ser realizado pelos próprios trabalhadores como senhores da produção citando Pannekoek. P. 19

17 Carta de Engels de 1883 apud Chomsky, p. 25 Os anarquistas viram as coisas de perna para o ar. Eles declararam que a revolução do proletariado deve começar pela extinção da organização política do Estado(...)Mas destruí-lo num momento desses seria destruir o único organismo por meio do qual o proletariado vitorioso pode afirmar seu poder recém- conquistado, controlar seus adversários capitalistas e realizar essa revolução economica da socieadade sem a qual toda vitória deve terminar numa nova derrota e numa carnificina em massa dos trabalhadores semelhante à que se seguiu na Comuna de Paris.


Carregar ppt "Curso: Teoria política libertária Prof. Wallace Moraes DCP-IFCS-UFRJ."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google