A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil – base 2000 Coordenação de Contas Nacionais CONFEST - Agosto de 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil – base 2000 Coordenação de Contas Nacionais CONFEST - Agosto de 2006."— Transcrição da apresentação:

1 Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil – base 2000 Coordenação de Contas Nacionais CONFEST - Agosto de 2006

2 Objetivo do seminário Apresentar o projeto de atualização do Sistema de Contas Nacionais do Brasil.

3 Mudança de base: as diferentes visões

4 A percepção mais difundida: » Mudança da estrutura de ponderação para o cálculo dos valores / números índices a preços constantes de um ano de referência fixo. A mudança de base inclui ainda: Novas fontes de dados Questões metodológicas: – Conceitos – Algoritmos Novas estruturas de referência H

5 SCN A apresentação de um SCN é feita a preços correntes e constantes do ano anterior. V_CORR p 0 xq 0 V_CTE p 0 xq 1 V_CORR p 1 xq 1 Índice de volume ou variação em volume Índice de preço ou variação de preço

6 60Serviços 30Indústria 50Agropecuária 140 PIB V_CORR V_CTE V_CORR Exemplo: pela ótica da produção Ano T Ano T+1

7 65,511,0363,601,0660Serviços 33,081,0531,501,0530Indústria 55,081,0254,001,0850Agropecuária 140 PIB V_CORR V_CTE V_CORR Ano T Ano T+1

8 65,511,0363,601,0660Serviços 33,081,0531,501,0530Indústria 55,081,0254,001,0850Agropecuária 153,661,03149,101,07140PIB V_CORR V_CTE V_CORR Ano T Ano T+1

9 V_CORR V_CTE V_CORR PIB1401,07149,101,03153,66 Consumo701,0875,601,0579,38 Governo201,0220,401,0421,22 FBKF151,1517,251,0217,60 Exportação1001,2120,001,08129,60 V_Estoques51,055,251,055,51 Importação701,2889,401,1199,64 Considerando a ótica do consumo

10 65,511,0363,601,0660Serviços 33,081,0531,501,0530Indústria 55,081,0254,001,0850Agropecuária 153,661,03149,101,07140PIB V_CORR V_CTE V_CORR V_CTE V_CORR PIB1451,06154,251,03158,97 Agropecuária401,0843,201,0244,06 Indústria251,0526,251,0527,56 Serviços801,0684,801,0387,34 volta

11 Sistemas de Contas Nacionais no Brasil

12 SCN consolidado FGV quatro contas consolidadas preços correntes ou fixos em um ano Marco estrutural a cada cinco anos pelos Censos Econômicos e Agropecuário Extrapolado por índices de volume e preço Valores correntes para algumas atividades

13 SCNA baseado no SNA (1993) TRU – CEI Com preços correntes e preços do ano anterior TRU – Detalhando 80 produtos e 43 atividades CEI – por Setores Institucionais Extrapolado por índices de volume e preços Valores correntes para algumas atividades

14 Sem novos marcos estruturais

15 Nova base 2000

16 Estrutura Não há mudanças na estrutura conceitual do sistema. Permanece baseado nas TRUs e nas CEIs com valores a preços correntes e constantes do ano anterior. Classificação Integrada com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE. Com três níveis de trabalho: N produtos e 149 atividades N produtos e 149 atividades N produtos e 56 atividades

17 O SCN brasileiro passa a dispor de um sistema de estatísticas contínuas de referência. Com isso é restabelecido um marco estrutural anual para balizar o SCN. Base de dados

18 Pesquisas Anuais do IBGE Indústria Comércio Serviços Indústria da Construção Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Pesquisa Estatísticas Econômicas da Administração Pública Outras pesquisas do IBGE Censo Agropecuário de 1995/96 Pesquisa de Orçamentos Familiares Pesquisa Economia Informal Urbana Censo Demográfico 2000

19 Fontes Externas Dados da Declaração de Renda Pessoa Jurídica Balanço das Empresas Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional - COSIF Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL Agência Nacional do Petróleo - ANP Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Secretaria de Previdência Complementar - SPC

20 Novo software: ERETES para a nova base Redefinição dos sistemas Semi-definitivo e Trimestral

21 Fronteira da Produção 1.20.A atividade de produção é fundamental. No Sistema, a produção é entendida como um processo físico, realizado sob a responsabilidade, controle e gestão de uma unidade institucional, na qual o trabalho e o capital são utilizados para transformar bens e serviços intermediários, para produzir outros bens e serviços. Todos os bens e serviços produzidos devem ser suscetíveis de venda nos mercados ou, no mínimo, capazes de serem fornecidos por uma unidade a outra, com ou sem custo. O Sistema inclui dentro dos limites da produção toda a produção realmente destinada ao mercado, quer se destine à venda ou à permuta. Também inclui todos os bens e serviços fornecidos gratuitamente às famílias ou coletivamente à comunidade pelos serviços da Administração Central ou pelas Instituições sem Fins Lucrativos ao serviço das Famílias (ISFLSFs).

22 Economia: observada não observada subterrânea => subdeclarada não registrada não atualizada não resposta informal=> não registrada subdeclarada ilegal=> não registrada

23 Modos de produção Os modos de produção são utilizados nas contas de produção e de geração da renda por atividade econômica com um triplo objetivo: » Diferenciar as funções de produção dentro de cada atividade econômica. » Isolar as atividades informais e/ou subterrâneas. » Facilitar a passagem das contas de atividades econômicas para a conta dos setores institucionais.

24 Desenvolvimento do projeto 1 Definição do ano base. Definição do sistema de informática adotado para o ano base. Definições de mudanças conceituais e metodológicas. Tratamento da base de dados para se adequar aos conceitos de contas nacionais. Treinamento da equipe.

25 Desenvolvimento do projeto 2 Estimação do ano base Definição da metodologia das séries correntes. Estimação da série com pesquisa Estimação da série sem pesquisa Definição da metodologia da série trimestral. Estimação de trimestral de 2006.

26 Alterações metodológicas específicas (exemplos)

27 Consumo de capital fixo do Governo Adota-se o método de inventário permanente para calcular o consumo de capital fixo das Administrações Públicas. Com isso o valor bruto da produção passa a ser calculado pela soma do consumo intermediário, mais remunerações e mais consumo de capital fixo. E o Excedente Operacional Bruto passa a ser igual ao consumo de capital fixo.

28 Valor da Produção da Administração Pública (atual) => EM VALORES CORRENTES Remunerações Consumo Intermediário Valor Líquido da Produção + =

29 Valor da produção da Administração Pública Remunerações Consumo Intermediário Consumo de Capital Fixo (depreciação) Valor Bruto da Produção + + =

30 Tratamento do Banco Central do Brasil Produção mercantil, medida pelos custos, tendo como destino o consumo intermediário das APUs.

31 Nova metodologia para a pecuária Consumo estimado com base na Pesquisa de Orçamentos Familiares de Reclassificação de impostos particularmente, no tratamento da Cofins. Tratamento da Construção Civil. Tratamento da FBCF. Postos de trabalho no lugar de PO.

32

33

34

35

36

37

38 Séries correntes a preços correntes e constantes do ano anterior

39 Índice de volume da produção do Governo Atualmente: crescimento demográfico Nova metodologia: Obtido implicitamente pela razão entre o valor constante no ano t e o valor corrente no ano t-1. O cálculo do valor bruto da produção a preços constantes será realizado pela soma do consumo intermediário (deflacionado) mais as remunerações (extrapoladas pelo pessoal ocupado) mais o consumo de capital fixo (deflacionado pelo índice de preços de bens de capital do SCN).

40

41 Índice de volume dos Serviços de Intermediação Financeira Indiretamente Medidos - SIFIM Atualmente: crescimento médio do VA. Nova metodologia: Obtido implicitamente pela razão entre a soma dos ativos e passivos a preços constantes do ano t e a preços correntes do ano t-1. A soma dos ativos e passivos a preços constantes é obtida através da deflação do valor corrente no ano t pelo deflator implícito do PIB.

42 Ano T Valor Cte Ano T+1 Ativos + Passivos Índice de volume implícito Ativos + Passivos DETALHE

43 ATIVOS PASSIVOS Volta

44 Índice de volume dos Serviços Financeiros Atualmente: crescimento médio do VA. Nova metodologia: Obtido implicitamente pela razão entre o valor constante no ano t e o valor corrente no ano t-1. O valor a preços constantes é obtido através da deflação do valor corrente no ano t, usando como deflator a variação das tarifas dos serviços financeiros.

45 Séries correntes (retropolação)

46 Hipótese: aceitar as taxas de variação de volume e preço Incorporação de alguns ajustes conceituais. Para os anos anteriores a 2000 não há a mesma disponibilidade de dados

47 Rotina de revisões e divulgação

48 §Divulgações trimestrais §Versão anual por soma dos trimestres §Versão anual sem incorporação das pesquisas anuais §Versão anual final com a incorporação das pesquisas


Carregar ppt "Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil – base 2000 Coordenação de Contas Nacionais CONFEST - Agosto de 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google