A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Agência de Inovação S.A..

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Agência de Inovação S.A.."— Transcrição da apresentação:

1 Agência de Inovação S.A.

2 A Agência de Inovação, SA ( AdI ) foi criada em 1993 com o objectivo de fomentar e promover a inovação, especialmente a de base tecnológica, e a valorização dos resultados da investigação levada a cabo no nosso país.

3 A AdI pretende ser um parceiro privilegiado
das Empresas e das instituições do Sistema Científico e Tecnológico Nacional

4 Para isso disponibiliza um conjunto de “ferramentas” – Programas de apoio – e de serviços que se inserem nas áreas chave do fomento e promoção da inovação seguindo o modelo de capacitação de novas iniciativas empresariais de base tecnológica.

5

6 Programas de Apoio geridos pela AdI:
IDEIA – Apoio à Investigação em Consórcio SIFIDE – Incentivos Fiscais às Empresas IMD-ME – Apoio à Inserção de Mestres e Doutores nas Empresas NEST – Apoio à Criação de Empresas de Base Tecnológica DEMTEC – Apoio a Projectos Demonstradores NITEC – Apoio a Criação de Núcleos de Investigação nas Empresas

7 A AdI promove activamente a participação nacional no 6º Programa Quadro de IDT da UE:
2 Delegados Nacionais para as PME’s Ponto de Contacto Nacional para o Innovation Ponto de Contacto Nacional para as PME’s

8 IBEROEKA 21 países Ibero-americanos
Redes Internacionais EUREKA 33 países Europeus IBEROEKA 21 países Ibero-americanos INNOVATION RELAY CENTRES 68 IRC’s em 31 países Europeus

9 EUREKA Membros Austria Belgium Croatia
Cyprus Czech Republic Denmark Estonia European Union Finland France Germany Greece Hungary Iceland Ireland Israel Italy Latvia Lithuania Luxembourg The Netherlands Norway Poland Portugal Romania Russia Slovakia Slovenia Spain Sweden Switzerland Turkey United Kingdom FR Yugoslavia Pontos de Informação Albania Bulgaria Ukraine EUREKA members EUREKA NIP countries

10 EUREKA Uma rede de cooperação Científica e Tecnológica Europeia que pretende: Reforçar a competitividade Europeia através de projectos de I&D de elevada qualidade e próximos do mercado envolvendo a indústria e entidades de I&D em cooperação internacional produzindo novos produtos, processos e serviços

11 IBEROEKA ARGENTINA. Ministerio de Educación, Ciencia y Tecnología
BOLIVIA. Consejo Nacional de Ciencia y Tecnología BRASIL. FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos CHILE. FONDEF. Comisión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica COLOMBIA. Instituto Colombiano para el Desarrollo de la Ciencia y Tecnología COSTA RICA. Ministerio de Ciencia y Tecnología CUBA. Ministerio para la Inversión Extranjera y la Colaboración Económica ECUADOR. Secretaría Nacional de Ciencia y Tecnología EL SALVADOR. Consejo Nacional de Ciencia y Tecnología ESPAÑA. Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial GUATEMALA. Consejo Nacional de Ciencia y Tecnología HONDURAS. Consejo Hondureño de Ciencia y Tecnología MÉXICO. Consejo Nacional de Ciencia y Tecnología NICARAGUA. Consejo Nicaragüense de Ciencia y Tecnología PANAMÁ. Secretaría Nacional de Ciencia, Tecnología e Innovación PARAGUAY. Instituto Nacional de Tecnología y Normalización PERÚ. Consejo Nacional de Ciencia y Tecnología PORTUGAL. Agência de Inovação REPUBLICA DOMINICANA. Instituto Dominicano de Tecnología Industrial URUGUAY. Centro de Gestión Tecnológica. Cámara de Industrias del Uruguay VENEZUELA. Ministerio de Ciencia y Tecnología

12 IBEROEKA POTENCIALIDADES DOS PROJECTOS IBEROEKA  Geração “Bottom-up”.
 Facilidade de Elaboração: dois ou mais sócios, aberto em permanência, escassa burocracia.  Complementariedade de Tecnologias entre Parceiros (PMES, Grupos de Invest.).  Abertura de Novos Mercados.  Amplitude Temática.  Grande Capacidade de Apoio da Rede de OGI’S.

13 Direcção de Redes Internacionais Carlos Lajas clajas@adi.pt
Contactos: Direcção de Redes Internacionais Carlos Lajas

14 Serviços para as Empresas
Identificação de soluções tecnológicas adaptadas às necessidades das empresas Portuguesas Promoção de novas tecnologias/produtos Portugueses no mercado europeu Organização de missões de exploração a empresas/centros tecnológicos europeus Organização de eventos de transferência de tecnologia em Portugal e na Europa Assistência na negociação de contratos de transferência de tecnologia

15 A REDE EUROPEIA DE INOVAÇÃO
Rede Innovation 68 regiões 200 organizações 800 especialistas em inovação e transferência de tecnologia PORTUGAL AdI + INESC-Porto + TecMinho

16 Serviços de Apoio à Exploração de Resultados de I&D
Identificação de resultados de I&D ou de projectos com potencial de mercado Definição do plano de exploração Identificação de mercados adequados Promoção junto da Rede de IRC’s e dos seus clientes Apoio na promoção da tecnologia em bolsas de contactos internacionais Apoio nas negociações

17 Centro Português de Inovação António Teixeira ateixeira@adi.pt
Contactos: Centro Português de Inovação António Teixeira

18 Investigação e Desenvolvimento
PROGRAMA IDEIA Investigação e Desenvolvimento Empresarial Aplicado UNIÃO EUROPEIA Fundos Estruturais MINISTÉRIO DA ECONOMIA

19 TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA
FASES MISSÃO EXEMPLOS Política de I&DT Criação do Contexto Agenda do País Criação de Avançar o Conhecimento Programas de Conhecimento Científico Investigação Básica Transferência de Disponibilizar rapidamente Publicações Conhecimento conhecimento crítico Seminários Transferência de Proporcionar os pilares Programas de Inv. Tecnologia de vantagem competitiva Aplicada; Patentes Desenvolvimento Criação de Novos P/P/S Co-desenvolvimento Tecnologia com parceiros industriais Contratos Criação de Desenvolvimento de Incubação, New Negócios E. S. T. Ventures, Spin-outs CADEIA DE VALOR DE TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA IDEIA

20 Programa IDEIA Objectivos
Apoiar o desenvolvimento e endogeneização de tecnologias que permitam conceber novos produtos, processos ou serviços Viabilizar a participação de consórcios nacionais em projectos de I&D internacionais Promover a valorização de resultados e transferência de tecnologias das entidades do SCTN para o sector produtivo Incentivar a inovação tecnológica nas empresas

21 Destinatários e Acções Elegíveis
Programa IDEIA Destinatários e Acções Elegíveis Empresa Entidade do Sistema Cientifico Tecnológico Nacional consórcio Investigação Industrial Novas tecnologias e novas competências Validação dos resultados Investigação pré-concorrencial Desenvolvimento de protótipos e pré-séries Acções piloto para validação empresarial de tecnologias demonstradas em ambiente laboratorial Acções de promoção – valorização económica dos resultados

22 Elegibilidade das Empresas
Programa IDEIA Elegibilidade das Empresas Excepções: as empresas NEST não necessitam cumprir os 2 últimos requisitos - Apresentarem uma situação económico-financeira equilibrada (Autonomia Financeira > 25%) - Estarem legalmente constituídas há pelo menos 2 anos Estarem licenciadas para o exercício das actividades

23 Elegibilidade dos Projectos
Programa IDEIA Elegibilidade dos Projectos - Não ter sido iniciado antes da data da candidatura - Financiamento por capitais próprios de um mínimo de 30% do investimento elegível - Ter asseguradas formas de financiamento adequadas - Duração máxima de 3 anos

24 Programa IDEIA Despesas Elegíveis Despesas com pessoal técnico
Despesas correntes Aquisição de serviços a terceiros Aquisição de instrumentação e equipamento científico Deslocações Construção de instalações piloto Direitos de propriedade intelectual e industrial Overheads (até 20% das despesas elegíveis)

25 Critérios de Avaliação
Programa IDEIA Critérios de Avaliação Coerência e razoabilidade do projecto nos aspectos: - Económico-financeiro - Mercado - Científico - Tecnológico - Organizacional Impacto nas empresas participantes: - Competitividade - Penetração nos mercados externos - Criação de laços de cooperação duradouros com SCTN - Reforço interno das capacidades de inovação

26 Critérios de Avaliação
Programa IDEIA Critérios de Avaliação Impacto Induzido no sistema sócio-económico: - Tecnologia do produto - Potencial difusor do consórcio - Dinamismo demonstrado na valorização de resultados - Valia nacional dos resultados - Valia internacional dos resultados Carácter inovador do Projecto Consórcio e Equipa de Investigação com perfil adequado à execução do projecto

27 Programa IDEIA Financiamento Taxas de Financiamento Empresas:
Investigação industrial: 50%-75% Investigação pré-concorrencial: 25%-50% PME 10% Majorações Fora de Lisboa Parceiro de outro país Membro da UE Programa-quadro comunitário de I&D 15% ESCTN: A taxa de Financiamento é calculada em função da média ponderada das taxas máximas aplicadas a cada uma das empresas

28 Tipos de Financiamento
Programa IDEIA Tipos de Financiamento A fundo perdido: Apoio público <= € Despesas relativas a: Novas contratações de RH e bolseiros Participação e subcontratação de entidades do SCTN Internacionalização Patentes Empréstimo reembolsável: Apoio público > € Outras despesas Condições do empréstimo: Sem juros Período Carência máx: Duração projecto+1 ano Duração Empréstimo máx: 8 anos

29 Processo de Candidatura
Programa IDEIA Processo de Candidatura As candidaturas podem ser apresentadas à Agência de Inovação a qualquer momento, em formulário próprio, devendo anteceder o início da execução dos projectos A AdI promove processos de avaliação regulares, cujas datas são publicitadas pelos meios adequados

30 SIFIDE

31 SIFIDE Base Legal DL nº 292/1997, de 22 de Outubro
O futuro pertence àqueles que apostam no desenvolvimento tecnológico. Por isso, foi introduzida uma medida que garante às empresas incentivos fiscais ao investir em I&D. Ao certificar esses investimentos, beneficia imediatamente de consideráveis reduções no IRC Base Legal DL nº 292/1997, de 22 de Outubro DL nº 197/2001 de 29 Junho Comissão Certificadora AdI, FCT, OCES

32 SIFIDE Em que consiste? Dedução à colecta de IRC,
do valor calculado com base nas despesas elegíveis com I&D, na sua parte não coberta por comparticipações financeiras do Estado a fundo perdido, possível dedução até ao sexto exercício imediato.

33 SIFIDE Despesas Elegíveis: Pessoal envolvido em actividades de I&D
Overheads (até 55 % das despesas com pessoal) Aquisições de imobilizado Participação no capital de instituições de I&D Registo, manutenção ou aquisição de patentes Auditorias à I&D Participação de quadros na gestão de instituições de I&D Contratação de actividades de I&D Outras devidamente justificadas Despesas Elegíveis:

34 SIFIDE Cálculo do Incentivo Fiscal (IF)
IF = 20 %.Xf + 50 %. (Xf-((Xf-1) + (Xf-2)) / 2) Xf = Despesas (certificadas) com I&D no exercício Taxa Base de 20% e Taxa Incremental de 50% sobre a média dos 2 exercícios anteriores (limitada a Euros).

35 FORMAÇÃO E MOBILIDADE DE RECURSOS HUMANOS
Formação e Treino em Organizações Científicas Internacionais Inserção de Mestres e Doutorados nas Empresas UNIÃO EUROPEIA Fundos Estruturais

36 Formação e Treino em Organizações Científicas Internacionais
Objectivos: Formação avançada de jovens licenciados portugueses* em grandes organizações internacionais – CERN, ESA e ESO em domínios tecnológicos onde a competência dessas organizações é internacionalmente reconhecida. e que sejam estratégicos para o aumento da competitividade das empresas portuguesas. *Pelo período mínimo de 1 ano e máximo de 2 anos

37 Formação e Treino em Organizações Científicas Internacionais
Tipo de Apoio Seguros: Acidentes Pessoais Saúde Bolsa (1) 1.530 Euros/mês – Licenc. 1.710 Euros/mês - Mestre Subsídio Viagem 750 Euros – Europa 1.000 Euros – Fora Europa Subsídio Instalação 1.000 Euros Candidaturas Envio de formulário próprio de candidatura para a AdI Curriculum Vitae (em inglês) Cópia do Certificado de Habilitações Selecção de Oportunidade(s) de Formação (www.adi.pt) - FORMAR (1) O CERN concede ainda um complemento de 500 CHF/mês – 1º ano e 800 CHF/mês – 2º ano

38 Apoio à Inserção de Mestres e Doutorados nas Empresas
Objectivos: Apoiar a inserção de RH altamente qualificados nas empresas para funções que exigem autonomia e capacidade de I&D, com o objectivo de promover a inovação e aumentar a competitividade das empresas Destinatários: Empresas Centros Tecnológicos

39 Apoio à Inserção de Mestres e Doutorados nas Empresas
Condições de Elegibilidade: Apresentação de uma proposta de aquisição de capacidade científica e tecnológica geradora de inovação (Novos produtos, processos ou serviços); Existência de um Plano de Trabalhos; Identificação de um responsável pela execução técnica e administrativa do Plano de Trabalhos; Apresentação de um contrato de trabalho (a termo certo ou sem termo) com um Doutorado ou um Mestre.

40 Apoio à Inserção de Mestres e Doutorados nas Empresas
Financiamento: Contrato a termo certo (1) 1º ano 75 % Limites Mensais: Mestres: € Doutorados: € 2º ano 50% 3º ano 25% (1) Os contratos sem termo beneficiarão de uma majoração de 20%

41 www.adi.pt PROGRAMA IDEIA Glória Branco apoioideia@adi.pt SIFIDE
Contactos: PROGRAMA IDEIA Glória Branco SIFIDE Miguel Fernandes FORMAÇÃO E TREINO CERN, ESA, ESO Filipa Coelho MESTRES E DOUTORES NAS EMPRESAS Rosalina Soares

42 Novas Empresas Suporte Tecnológico Programa NEST UNIÃO EUROPEIA
Fundos Estruturais

43 de “novas” empresas que
Programa NEST Apoio à criação, arranque e sustentação de “novas” empresas que suportam a sua actividade em tecnologias avançadas e de desenvolvimento recente, das quais são “proprietárias”

44 Beneficiários: Pessoas singulares ou colectivas
Programa NEST Beneficiários: Pessoas singulares ou colectivas Empresas de base tecnológica recentemente constituídas e sem actividade significativa

45 Critérios de Elegibilidade:
Programa NEST Critérios de Elegibilidade: Projectos que se enquadrem na criação, arranque e/ou sustentação de novas “empresas de suporte tecnológico” Demonstração da capacidade de gestão por parte dos promotores Promotores deverão contribuir com pelo menos 5% do capital social da empresa

46 Vantagens: Incentivos Financeiros
Programa NEST Vantagens: Incentivos Financeiros Acesso automático da empresa “NEST” a programas de apoio complementares ...Diferenciação

47 ...Incentivos Financeiros
Programa NEST ...Incentivos Financeiros Apoio à participação de entidades especializadas de capital de risco (SCR) através do financiamento, até 80%, da sua participação no capital social (CS) da empresa Participação do Fundo de Sindicação, num montante igual ao dos promotores, até 15% do CS com limite máximo de €

48 ...Acesso a Outros Programas
Programa NEST ...Acesso a Outros Programas Programas IDEIA e Inserção de Mestres e Doutorados nas empresas QUADROS; Sistemas de Incentivos a Pequenas Iniciativas Empresariais (SIPIE); Sistema de Incentivos à Utilização da Propriedade Industrial (SIUPI)

49 ...Diferenciação NEST “certifica” Perfil Tecnológico
Programa NEST ...Diferenciação NEST “certifica” Perfil Tecnológico Modelo Negócio – Interesse, Oportunidade, Equipa

50 Critérios de Avaliação:
Programa NEST Critérios de Avaliação: Tecnologia: Propriedade; Licenciamento Exclusivo; Desenvolvimentos para além da adaptação Inovação, Qualidade Tecnológica, Relacionamento com SCTN Impacto do Investimento na “nova” Empresa Promotores

51 Dossier Completo de Candidatura:
Programa NEST Dossier Completo de Candidatura: Ficha de inscrição (www.adi.pt) Plano de Negócios detalhado Garantia de Entrada de Capital carta de intenção de investimento de uma ou mais sociedades de capital de risco, quando prevista a sua participação

52 Processo de Candidatura
Programa NEST Processo de Candidatura Concurso aberto em contínuo Após dossier de candidatura completo, prazo máximo de proposta de decisão 30 dias Proposta de decisão apresentada à Comissão NEST Homologação

53 Indicadores de Actividade (a esta data)
Programa NEST Indicadores de Actividade (a esta data) 34 candidaturas, nos Sectores de Aplicação

54 ...Indicadores de Actividade (a esta data)
Programa NEST ...Indicadores de Actividade (a esta data) 12 dossiers validados pela Comissão NEST, Taxa de aprovação 58% Dos 7 aprovados, 4 homologações com Investimento Global [0;1M] € 22 candidaturas em “avaliação” 3 para reunião Comissão NEST, 8 p. decisão SCR, 8 p. clarificação junto dos Promotores, 3 em avaliação interna

55 www.adi.pt Contactos apoionest@adi.pt programanest@adi.pt
Maria João Santos

56 DEMTEC Sistema de Incentivos à Realização de Projectos Piloto Relativos a Produtos, Processos e Sistemas Tecnologicamente Inovadores UNIÃO EUROPEIA Fundos Estruturais

57 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
Um Projecto de Demonstração configura a primeira aplicação de uma nova tecnologia no desenvolvimento de uma actividade económica, em território nacional, com perspectivas de viabilidade técnico-económica e condições de repetitividade, com obrigatoriedade de demonstração perante um público especializado e em situação real as vantagens económicas da nova tecnologia. Projecto Piloto?

58 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
Promoção da inovação através do apoio a iniciativas de realização de projectos de demonstração inicial ou projectos piloto relativos a soluções tecnologicamente inovadoras; Atingir a validação industrial do conhecimento associado a novas tecnologias susceptíveis de serem aplicadas a nível nacional em produtos, processos e ou sistemas; Demonstrar, perante um público especializado e em situação real, as vantagens económicas e divulgar a nova tecnologia que se pretende difundir. Objectivos?

59 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
Apoia a realização de projectos de demonstração inicial ou projectos piloto; Apoia no co-financiamento dos investimentos efectuados por parceiros nacionais no âmbito desses projectos realizados ao abrigo de programas comunitários. âmbito?

60 Empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica
DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores Empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica e Entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos pertencentes ao Sistema Científico e Tecnológico. Entidades Beneficiárias

61 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
Sectores de Actividade abrangidos pelo Dec. Lei nº 70-B/2000 indústria; energia; construção; turismo; comércio e serviços. Sectores de Actividade

62 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
Despesas Elegíveis Construção e redimensionamento de Edifícios... Equipamentos e Software... Pessoal Técnico e assistência técnica e científica... Processos de transferência ou aquisição de tecnologia... Componentes e matérias primas... Divulgação e promoção dos resultados... (...)

63 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
Despesas Não Elegíveis Aquisição de bens em estado de uso; Juros relativos a empréstimos; Aquisição de veículos automóveis e outro material de transporte; Trabalhos da empresa para ela própria.

64 DEMTEC do promotor ( 3 subcritérios )
Apoia Projectos Piloto Demonstradores Critério A - Mérito Demonstrador ( 6 subcritérios ) Critério B - Impacte do Projecto na competitividade do promotor ( 3 subcritérios ) Critérios de Selecção

65 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
Incentivo não reembolsável; Taxa máxima de 50% se investimento for efectuado por empresas; Taxa máxima de 75% se investimento for efectuado por entidades SCTN. Taxa de 100% para despesas directamente relacionadas com a realização de acções de demonstração segundo tipologia legislada. Tipo de Apoio

66 DEMTEC Apoia Projectos Piloto Demonstradores
A apresentação de candidaturas efectua-se mediante o lançamento de concurso, previsto para os meses de Fevereiro, Junho e Outubro. Durante o mês de Dezembro de cada ano será publicado, um anúncio indicando os conteúdos, orçamentos e períodos de abertura de concursos para o ano seguinte. Ano de º Concurso de carácter geral aberto para o período de 28 de Maio a 19 de Setembro. Candidaturas feitas através de formulário disponibilizado em Candidaturas

67 NITEC Sistema de Incentivos à criação de núcleos de investigação e desenvolvimento tecnológico no sector empresarial UNIÃO EUROPEIA Fundos Estruturais

68 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
Núcleo de I&DT é uma equipa permanente, constituída no máximo por três pessoas, que se dedica unicamente a actividades de endogeneização e desenvolvimento de competências tecnológicas no interior da empresa. Núcleo de I&D?

69 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
Apoiar a criação de competências internas de I&DT nas empresas; Estimular a apetência para prosseguir essas novas competências; • Premiar o esforço empresarial desenvolvido quer ao nível da concepção e execução, quer da endogeneização de conhecimentos de inovação tecnológica; • Levar a uma afirmação efectiva das empresas nacionais através da disponibilização de soluções e oferta de produtos tecnologicamente inovadores. Objectivos?

70 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
Apoiar a realização de projectos de investimento para criação e consolidação de núcleos de I&D que visem o reforço da competitividade e inserção no mercado global das empresas. âmbito?

71 Empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica
NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas Empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica Entidades Beneficiárias

72 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
Sectores de Actividade abrangidos pelo Dec. Lei nº 70-B/2000 indústria; energia; construção; turismo; comércio e serviços. Sectores de Actividade

73 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
Pessoal técnico do promotor a admitir e que se destine ao exercício de actividades permanentes de investigação e desenvolvimento; Software e equipamento informático para apoio técnico e administrativo; Bibliografia e acesso a bases de dados técnicas; Contratos de transferência ou aquisição de tecnologia que se traduzam na sua efectiva endogeneização por parte do núcleo; Intervenção de revisores oficiais de contas ou técnicos oficiais de contas; Despesas com garantias bancárias exigidas ao promotor. Despesas Elegíveis

74 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
Aquisição de bens em estado de uso; Juros relativos a empréstimos; Aquisição de veículos automóveis e outro material de transporte; Trabalhos da empresa para ela própria. Despesas Não Elegíveis

75 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
A - impacte positivo dos resultados das actividades do núcleo de I&DT sobre a produtividade e competitividade da empresa; B - capacidade técnica e de gestão do promotor adequadas à posterior exploração com benefícios económicos dos conhecimentos, produtos,processos e ou sistemas resultantes da actividade desenvolvida. Os projectos serão seleccionados através de uma valia V V = 0,7A + 0,3B Critérios de Selecção

76 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
Incentivo não reembolsável; Taxa máxima de 50% Tipo de Apoio

77 NITEC Apoia Criação de Núcleos de I&D nas empresas
A apresentação de candidaturas efectua-se em regime de concurso aberto através de formulário disponibilizado em Candidaturas

78 www.adi.pt apoiodemtec@adi.pt apoionitec@adi.pt António Teixeira
Contactos DEMTEC e NITEC: António Teixeira


Carregar ppt "Agência de Inovação S.A.."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google