A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ambiente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ambiente."— Transcrição da apresentação:

1 Ambiente

2 Efeitos fisiológicos do calor:
Temperatura Efeitos fisiológicos do calor:

3 Termoregulação O homem é um animal homeotérmico
Temperatura constante de aproximadamente 37° C

4 Equilíbrio Térmico O organismo humano é uma espécie de maquina térmica
Açucares, gorduras e proteínas são o combustível

5 Metabolismo O corpo gasta aproximadamente de 60 a 80 kcal/h com o metabolismo basal.

6 Evaporação Mecanismo mais importante do equilíbrio térmico.
Ocorre nos pulmões e na superfície da pele.

7 Radiação É por este processo que o corpo humano troca calor continuamente com o ambiente. A pele comporta-se como um absorvedor e radiador.

8 Condução e Convecção Ocorre quando o organismo entra em contato direto com objetos de temperaturas diferentes. Convecção ocorre pelo movimento da camada de ar próxima à pela.

9 Energia gasta no Trabalho
A energia gasta no trabalho varia entre 1,6Kcal/min ate 16,2Kcal/min.

10 Conforto Térmico Equilíbrio térmico

11 Zona de Conforto Térmico
Temperatura 20 a 24°C Umidade relativa 40 a 80%

12 Ventilação Ajuda a remover, por convecção, o calor gerado pelo corpo;
Facilita a evaporação do suor; Resfriamento do corpo.

13 Influências Climáticas no Trabalho
O clima, temperatura e umidade ambiental, influi diretamente no trabalho humano.

14 Trabalho a Altas Temperaturas
Musculatura exige maior irrigação sanguínea; Para eliminar calor o sangue deve fluir para a superfície da pele.

15 Doença do Calor Desidratação Insuficiência de sais minerais

16 Trabalho a Baixas Temperaturas
Maior esforço muscular

17 Contato com Superfícies Quentes ou Frias
Desconforto Acidentes

18 Tarefas Mentais O frio dificulta a concentração mental
O calor prejudica a percepção dos sinais

19 Projeto de Edificações
Grau de penetração da energia solar Influência do calor radiante Tipo de isolamento Telhado

20 Ruídos O conceito mais usual é o que considera o ruído como um “som indesejável”. Este conceito é um tanto subjetivo pois um mesmo som pode ser agradável para uns, mas desagradável para outros. Fisicamente, o ruído é uma mistura complexa de diversas vibrações, medido em uma escala logarítmica, cuja unidade é decibel (dB).

21 Limites Toleráveis de Ruídos
Existem, basicamente, dois tipos de ruídos: Ruídos Contínuos; Ruídos de Impacto.

22 Limites Toleráveis a Ruídos em Diversos Tipos de Atividades
Nível do ruído dB Atividade 50 A maioria considera como um ambiente silencioso, mas cerca de 25% das pessoas terão dificuldade para dormir 55 Máximo aceitável para ambientes que exigem silêncio 60 Aceitável em ambientes de trabalho durante o dia 65 Limite máximo aceitável para ambientes ruidosos 70 Inadequado para trabalho em escritórios. Conversação difícil 75 É necessário aumentar a voz para conversação 80 Conversação muito difícil 85 Limite máximo tolerável para a jornada de trabalho

23 Tempo de Exposição O ruído contínuo de 85dB é considerado o máximo tolerável para uma exposição durante 8 horas de jornada diária de trabalho, pelas normas brasileiras (NR-15). Acima desse nível, o tempo de exposição deve ser reduzido, pois começam a surgir riscos para os trabalhadores expostos a ruídos contínuos.

24 Exposição máxima permissível por dia
Tempo Máximo de Exposição Permissível ao Ruído Contínuo ou Intermitente Nível de ruído dB Exposição máxima permissível por dia 85 8 horas 90 4 horas 100 1 hora 105 30 min 110 15 min 115 7 min

25 Surdez Provocada pelo Ruído
Surdez de condução: Resulta de uma redução da capacidade para transmitir as vibrações, a partir do ouvido externo para o interno. Surdez nervosa: Ocorre no ouvido interno e é devida à redução da sensibilidade das células nervosas da cóclea. Isso acontece após exposição prolongada a ruídos intensos.

26 Surdez Temporária ou Permanente
A surdez pode ter um caráter temporário, reversível, ou pode ser permanente. Uma exposição diária, durante a jornada de trabalho, a um nível elevado de ruído, sempre provoca algum tipo de surdez temporária, que pode desaparecer com o descanso diário. Contudo, dependendo de vários fatores como freqüência, intensidade e tempo de duração dessa exposição, pode ser que o descanso diário não seja suficiente para a recuperação, podendo neste caso a surdez temporária se transformar em permanente e de caráter irreversível.

27 Influência do Ruído no Desempenho
Os ruídos intensos tendem a prejudicar tarefas que exigem muita atenção, concentração mental, ou velocidade e precisão dos movimentos. Os resultados tendem a piorar após 2 horas de exposição ao ruído.

28

29 Ruídos de curta-duração: Os ruídos de curta duração (1 ou 2 minutos) provocam queda no rendimento, tanto no início como no final do período do ruído. Ruídos de longa duração: Os ruídos de longa duração (algumas horas), na faixa de 70 a 90dB, não provocam mudanças significativas, tanto em tarefas intelectuais como nas manuais.

30 Música Ambiental A música ambiental tem sido recomendada como um meio de quebrar a monotonia e reduzir a fadiga, principalmente em situações de trabalho altamente repetitivo. Contudo, alguns estudos demonstraram que a música tocada continuamente não produz efeitos desejáveis, perdendo o efeito estimulador. Ela deve ser tocada, então, durante uma parte da jornada de trabalho, preferivelmente nos horários em que a fadiga manifesta-se com maior intensidade.

31 Controle do Ruído Industrial
Atuar na fonte

32 Vibrações VIBRAÇÃO – É qualquer movimento que o corpo ou parte dele executa em torno de um ponto.

33 Definições das variáveis de vibração
Freqüência: Em ciclos por segundo ou HERTZ; Intensidade do deslocamento: Em mm ou cm e “g” (9,81 m/s²); Direção do movimento: Num eixo imaginário “xyz” no corpo humano.

34 Critérios de Severidade
Limite de conforto; Limite de fadiga; Limite máximo a exposição.

35 Freqüências de Ressonâncias de Partes do Corpo Submetidas a Vibrações no Sentido Vertical
Corpo Interno e a 5Hz e 10 a 14Hz = Desconforto Cérebro ,5 a 1Hz = Enjôo (onda do mar) Laringe a 20Hz = Mudança de voz Olhos a 70Hz = Dificuldade visual Rins a 18Hz = Urina solta (choque)

36 Enjôos Ocorrem quando há conflito de informações entre a visão e os receptores vestibulares do ouvido interno.

37 Vibrações em Meio de Transporte
Dicas para minimizar o problema: No carro: transformar movimentos passivos em ativos; No navio: mirar um ponto fixo no horizonte, olhar as ondas (prever os movimentos); No avião: sentar-se no local menos suscetível a vibrações.

38 Redução das Conseqüências das Vibrações
Eliminar a fonte; Isolar a fonte; Proteger o trabalhador; Conceder causas.

39 Agentes Químicos A indústria química usa atualmente compostos e cerca de novos compostos a cada ano. Regida pela NR – 15 – atividades e operações insalubres. COMO ATINGEM O ORGANISMO: Por ingestão; Por contato com a pele; Por inalação – é o mais freqüente e é chamado de aerodispersóides.

40 Classificação de Aerodispersóides
Poeiras; Fumos; Gases; Vapores; Neblinas.

41 Principais Agentes Químicos
Monóxido de carbono; Metais pesados; Solventes; Sílica; Fumaça, gases e vapores tóxicos; Agrotóxicos; Radiações ionizantes - energia nuclear.

42 Estudo de Caso - Fundição
Problemas encontrados na confecção e limpeza da peça: Remoção da areia que serve de molde; Remoção das rebarbas ou excesso de metal; Peso das peças; Ambiente sujo, escuro, ruidoso e quente; Gases e poeiras em suspensão – (silicose).

43 Fatores Negativos em uma Limpeza de Peças Fundidas (Nível 4 = Pior Situação)
Ruído Poluição do Ar Postura do Corpo Carga de Trabalho Monotonia Riscos de Acidentes Temperatura Iluminação Isolamento Social Falta de Espaço Falta de Cooperação

44 ---> Fim <---


Carregar ppt "Ambiente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google