A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Carlos Castanha de A. Neto LCG – UPE Maio/2011. São orgãos do sist. Linfático que aparecem no 3º mês de vida fetal; Linfócitos; Período de infecções agudas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Carlos Castanha de A. Neto LCG – UPE Maio/2011. São orgãos do sist. Linfático que aparecem no 3º mês de vida fetal; Linfócitos; Período de infecções agudas."— Transcrição da apresentação:

1 Carlos Castanha de A. Neto LCG – UPE Maio/2011

2 São orgãos do sist. Linfático que aparecem no 3º mês de vida fetal; Linfócitos; Período de infecções agudas dos sist. digestório e respiratório; Região de maior contato com meio externo (vias aerodigestivas superiores); Tecido linfóide; São circunscritos por uma cápsula de tec. conjuntivo com fibrilas elásticas (perfurada); Defesa do organismo; Superficiais; Profundos;

3 Envolvimento 2º Carcinoma; II 1º LINFOMA; Ovóides, de difícil palpação e, quando palpados, são móveis, elásticos, de superf. lisa, diâmetro (1cm-1,5m) e indolores; Cabeça e pescoço (grupo): occipitais, auriculares (anteriores e posteriores ), amigdalianos, submandibulares, submentonianos, cervicais* (anteriores superficiais, anteriores profundos, e posteriores) e supraclaviculares. * Os linfonodos cervicais são, normalmente, coletores e têm grande importância clínica, pois tumores crâniocervicais podem se fixar neles. Em caso de colonização tumoral, os LCP podem ser cirurgicamente removidos ( dissecção de pescoço ). Aumento do linfonodo

4

5 A cadeias de linfonodos profundos são divididas em 6 regiões de acordo com a Academia Americana de Otolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço : I – Lnn. submentuais e submandibulares II a IV – Grupo dos lnn. Laterais profundos ao longo da v. jugular interna (Lnn. Jugulares laterais) V – Lnn. Posteriores do trígono cervical* VI – Lnn. Cervicais anteriores ( lnn. Cervicais pré-traqueais ou viscerais) 2 grandes cruzamentos: Ângulo venoso jugular Ângulo venoso jugulossubclávio

6

7

8 Linfadenomegalia Progressiva e contínuo; Intercalada por períodos de regressão; Associada,ou não, a sinais flogísticos Abcesso Dor espontânea ou provocada; Alteração de forma, consistência, aspecto palpatório da superfície, mobilidade e coalescência; Em neoplasias: Primária ou secundária??? Primária: Cadeia ou grupo de cadeias de linfonodos da região afetada. Secundária(Metástases): Atinge, inicialmente, a cadeia que drena preferencialmente o órgão sede do tumor primário. E, evolui progressivamente atingindo, sucessivamente, cadeias seguintes até alcançar qualquer outro órgão através da via sanguínea*.

9 Linfonodos inflamatóriosLinfonodos neoplásicos Evolução rápida + Sinais flogísticos Doloroso Hiperemia local Hipertermia local Geralmente, são múltiplos desde o início Superfície regular e lisa Presença de sinais e sintomas que sugerem infecção Fixação a tecidos vizinhos desde o início do processo < 2 cm Evolução progressiva, inicialmente silenciosa Pele sem alterações de cor Normotermia local Geralmente, são únicos no início Superfície irregular Ausência de sinais e sintomas sugestivos de infecção Fixação a tecidos vizinhos em fase mais tardia do processo > 2 cm Diferenciação entre linfonodos inflamatórios e linfonodos neoplásicos López et al

10 São grupos de neoplasia do sist. linforreticular com padrões de crescimento e sobrevida variados, caracterizando-se por uma produção anormal e descontrolada dos linfócitos, produzidos nos linfonodos; Os gânglios crescem, como nas infecções, mas são indolores, não há sinais flogísticos e não desaparecem com o tempo; São o 2º grupo de neoplasias que mais acomete cabeça e pescoço depois de carcinoma de células escamosas; Podem ser classificados em: Baixo grau Lentos ou indolentes, os gânglios dobram (de tamanho) em 6 meses – 1ano e são mais comuns em idosos. Alto grau Rápidos, os gânglios dobram em 2 – 3 dias (ex: Linfoma de Burkit). Grau intermediário Gânglios dobram em 1 mês

11 De 3% a 5% dos tumores de cabeça e pescoço são linfomas, podendo ser LH ou LNH; Os linfonodos cervicais* podem ser acometidos por qualquer tipo de linfoma;

12 Neoplasias de células linfoides B Neoplasias de células B precursoras – Linfoma/leucemia linfoblástica de precursor B Neoplasias de células B maduras – Leucemia linfocítica crônica/linfoma linfocítico – Leucemia prolinfocítica B – Linfoma linfoplasmocítico – Linfoma da zona marginal esplênica – Tricoleucemia – Mieloma múltiplo – Plasmocitoma ósseo – Plasmocitoma extraósseo – Linfoma da zona marginal extralinfonodal do tecido linfoide associado à mucosa (linfoma MALT) – Linfoma da zona marginal linfonodal – Linfoma folicular – Linfoma de células do manto – Linfoma difuso de grandes células B – Linfoma de grandes células B mediastinal (tímico) – Linfoma de grandes células B intravascular – Linfoma primário de efusões – Linfoma/leucemia de Burkitt Proliferações de células B de potencial maligno incerto – Granulomatose linfomatoide – Doença linfoproliferativa pós-transplante Classificação da OMS para neoplasia do tecido linfóide (A classificação do linfoma se baseia na célula de origem)

13 Linfoma de Hodgkin Linfoma de Hodgkin, predominância linfocítica nodular Linfoma de Hodgkin clássico – Linfoma de Hodgkin clássico, esclerose nodular – Linfoma de Hodgkin clássico, rico em linfócitos – Linfoma de Hodgkin clássico, celularidade mista – Linfoma de Hodgkin clássico, depleção linfocítica *Achados clínicos e radiológicos não permitem diferenciar LH e LNH. Assim, usa-se a biologia molecular e exames histoquímicos. Neoplasias de células linfoides T e NK Neoplasias de células T precursoras – Linfoma/leucemia linfoblástica de precursor T – Linfoma de células NK blásticas Neoplasias de células T e NK maduras – Leucemia prolinfocítica T – Leucemia linfocítica de grandes células T granulares – Leucemia agressiva de células NK – Leucemia/linfoma de células T do adulto (HTLV1 +) – Linfoma de células NK/T extranodal, do tipo nasal – Linfoma de células T do tipo enteropatia – Linfoma de células T hepatoesplênico – Linfoma cutâneo de células T, do tipo paniculite subcutânea – Micose fungoide – Síndrome de Sézary – Linfoma cutâneo primário de grandes células anaplásicas – Linfoma de células T periféricas não especificado – Linfoma de células T angioimunoblástico – Linfoma de grandes células anaplásicas Proliferações de células T de potencial maligno incerto – Papulose linfomatoide

14 10-15 casos por habitantes; 1 pico; Acomete, principalmente, o sexo masculino (74% a 90%) entre 30 e 50 anos; Aumento linfonodal em 2/3 dos casos ; Comprometimento extranodal é comum; Não segue padrão, apresentando-se mais como uma doença generalizada (progressão caótica); É mais comumente diagnosticado em estágios avançados; Tec. necrótico Biópsias mais profundas + estudos imunológicos; ICAM-1;

15 Variáveis geográficas Linfoma de burkit, HTLV-1, ATLL VEB (imortalidade) imunossupressão (proliferação); AIDS; Envolvimento local (20%-30%); Linfonodos periféricos (60%-70%); Exame físico; RM; Biópsia de medula óssea; PCR; Reagentes imunológicos; Biópsia;

16 · I* apenas uma cadeira ganglionar comprometida, geralmente no pescoço · II* duas cadeias ganglionares comprometidas do mesmo lado do diafragma, isto é, na região torácica. · III** acometimento também da região infradiafragmática, com gânglios peritônio. · IV** acometimento do fígado e da medula óssea Esses 4 estadios devem ser acrescidos das letras A e B A paciente sem febre, emagrecimento ou sudorese noturna B paciente com febre, emagrecimento e suores noturnos *Geralmente em pessoas <60 anos, envolvimento extranodal em 2 locais, no máx., e LDH normal. **Geralmente em pessoas >60 anos, envolvimento extranodal em mais de 2 locais e LDH elevado. Estadiamento de Ann Harbor

17 Neoplasia incomum com incidência entre 1 e 4/ habitantes; Países asiáticos; Mais comum em homens; É responsável por 14% dos tumores, sendo menos comum que o LNH; 2 picos; Classicamente, inicia-se com um único linfonodo disseminando-se para linfonodos contíguos Surgem no pescoço e, depois, seguem para mediastino, axila e abdômen (atinge fígado e medula em estágios terminais); Raramente (1% a 4%) apresenta comprometimento extranodal; Também se usa o estádio de Ann Harbor, no qual 2 inclui 1, 3 inclui 2 e 1, e assim sucessivamente; Comprometimento do sistema imune;

18 Radioterapia + Quimioterapia Bem sucedido, mas toxicidade Infertilidade e indução de leucemias agudas; Avaliação por imagem (TC e RM) para detecção de recidiva; Biópsia confirmação TC, RX, US, exame físico para estabelecer estadiamento; Imunohistoquímica (CD 20+), Mabthera; Células de Reed Sternberg Gigantes neoplásicas que induzem acúmulo de macrófagos, granulócitos e linfócitos; Eosinofilia; Sintomas: febre, astenia, sudorese noturna, perda de peso e prurido. *Não é possível, admitir com certeza, que a enfermidade é linfoma porque há infecções que também se acompanham de alguns desses sintomas.

19 Linfoma de Hodgkin Linfoma Não-Hodgkin Mais frequentemente localizado em único de linfonodos; É mais frequente, e acometimento de múltiplos linfonodos periféricos; Disseminado de forma ordenada por contiguidade; Disseminação não contígua; Anel de Waldeyer raramente acometido; Acometimento extranodal incomum. Anel de Waldeyer comumente envolvido; Acometimento extranodal comum. Diferenças clínicas entre linfomas de Hodgkin e Não Hodgkin X Robins et al

20 Obrigado!!!!!


Carregar ppt "Carlos Castanha de A. Neto LCG – UPE Maio/2011. São orgãos do sist. Linfático que aparecem no 3º mês de vida fetal; Linfócitos; Período de infecções agudas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google