A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

História do Brasil Colônia Professor Mestre Fernando C. de A. Araújo PUC-GO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "História do Brasil Colônia Professor Mestre Fernando C. de A. Araújo PUC-GO."— Transcrição da apresentação:

1 História do Brasil Colônia Professor Mestre Fernando C. de A. Araújo PUC-GO

2

3

4 Rota Comerciais na Baixa Idade Média

5 Portugal A conquista de Ceuta foi o marco inicial de sua grande empreitada Já sabia da existência do Brasil (fragilidade da teoria da casualidade) Já sabia da existência do Brasil (fragilidade da teoria da casualidade) O Brasil acabou sendo um excelente entreposto no caminho para as índias O Brasil acabou sendo um excelente entreposto no caminho para as índias Foi muito útil a herança cultural deixada pelos árabes (bússola, astrolábio... ) Foi muito útil a herança cultural deixada pelos árabes (bússola, astrolábio... ) A posição geográfica favorável também ajudou muito... A posição geográfica favorável também ajudou muito... Também é preciso considerar a Escola de Sagres... Também é preciso considerar a Escola de Sagres... E a Revolução de Avis... E a Revolução de Avis...

6 Lembrete: Toda essa história começou por que os europeus almejavam chegar às índias... As cidades italianas de Gênova e Veneza monopolizavam o mediterrâneo. Navegar era preciso... As cidades italianas de Gênova e Veneza monopolizavam o mediterrâneo. Navegar era preciso...

7 A conquista do Novo Mundo Portugal: Périplo Africano Espanha: testou a teoria da esfericidade da Terra Espanha: testou a teoria da esfericidade da Terra

8 A 1ª controvérsia diplomática 1494 – a Espanha tenta emplacar a Bula Inter Coetera 1498 – Espanha e Portugal firmam o Tratado de Tordesilhas 1498 – Espanha e Portugal firmam o Tratado de Tordesilhas As demais nações apelam para o Ut Possidetis As demais nações apelam para o Ut Possidetis

9

10 Modelos de colonização da América Modelo Português Modelo Espanhol Colônia de Exploração Colônia de Exploração Plantation (latifúndio agro-exportador) Plantation (latifúndio agro-exportador) Mão de obra escrava (mais índio do que negro) Mão de obra escrava (mais índio do que negro) Mão de obra escrava (mais negro do que índio) Mão de obra escrava (mais negro do que índio) Sociedade menos hierarquizada (livres e cativos) Sociedade menos hierarquizada (livres e cativos) Sociedade mais hierarquizada (chapetones, criollos, mestiços, negros e índios) Sociedade mais hierarquizada (chapetones, criollos, mestiços, negros e índios) Administração mais simples e centralizada Administração mais simples e centralizada Administração mais complexa e descentralizada Administração mais complexa e descentralizada

11 Viagens Exploração Colonização Até 1530 Até 1530 Após 1530 Após 1530 Pedro Álvares Cabral Pedro Álvares Cabral Martim Afonso de Souza Martim Afonso de Souza Feitorias Feitorias 1º núcleo urbano: São Vicente 1º núcleo urbano: São Vicente Pau brasil, litoral, escambo Pau brasil, litoral, escambo Cai o comércio com as índias e estrangeiros rondam o litoral Cai o comércio com as índias e estrangeiros rondam o litoral

12 BRASIL PRÉ-COLONIAL (1500 – 1530)

13 Desinteresse de Portugal pelo Brasil Comércio oriental mais lucrativo; Baixa densidade demográfica de Portugal; A falta de especiarias e artigos de luxo no Brasil.

14 Os Franceses Ameaçam Tomar o Brasil Desrespeito ao Tratado de Tordesilhas; Defesa do princípio do uti possidetis;

15 As Expedições Exploradoras 1501: Gaspar de Lemos; 1503: Gonçalo Coelho; – Realizações: Exploração e busca de riquezas; Contato com os índios; Nomes à acidentes geográficos; Descoberta do Pau-Brasil.

16 Exploração do Pau-Brasil Estanco: monopólio real; Escambo: troca direta; Feitorias: núcleo de exploração; Obs.: os degredados (náufragos ou bandidos).

17 Expedições Guarda-Costas Franceses fazem contrabando do pau- brasil; Cristóvão Jacques chefia as duas expedições Guarda- Costas; – 1516 e 1526.

18 O Início da Colonização Portugal resolve colonizar o Brasil: – Comércio oriental em decadência; – Franceses ameaçam tomar o Brasil; – Portugal precisava pagar suas dívidas.

19 A Expedição Colonizadora (1530 – 1531) Chefe Martim Afonso de Souza: – Exploração e busca de riquezas; – Contato com índios; – Expulsão de franceses; – Fundação da 1ª vila (São Vicente – 1532); – Fundação do 1º engenho (São Jorge dos Erasmos – 1532).

20 Pacto Colonial A vinda dos portugueses para o Brasil atendeu a necessidades históricas de expansão da economia capitalista de mercado em sua etapa de formação (século XVI). O Estado garantia os lucros da burguesia metropolitana, simultaneamente se fortalecendo, através da tributação. O Estado garantia os lucros da burguesia metropolitana, simultaneamente se fortalecendo, através da tributação. A Igreja assumia o papel de justificadora da empreitada. A Igreja assumia o papel de justificadora da empreitada. Tripé escravismo, monocultura e latifúndio. Tripé escravismo, monocultura e latifúndio. Exclusivos comercial e de transporte, e a proibição de manufaturas. Exclusivos comercial e de transporte, e a proibição de manufaturas.

21 Capitanias Hereditárias Sistema adequado à política colonizadora portuguesa: máximo de lucro e mínimo de investimento 2 instrumentos jurídicos: foral e carta de doação 2 instrumentos jurídicos: foral e carta de doação Donatários podiam legislar e controlar quase tudo (podiam fundar vilas, conceder sesmarias, receber a redízima ou seja, 1/10 das rendas da Coroa e a vintena, 5% do arrecadado com a pesca e o pau Brasil, cobrar tributos sobre salinas, moendas e engenhos) em suas terras Donatários podiam legislar e controlar quase tudo (podiam fundar vilas, conceder sesmarias, receber a redízima ou seja, 1/10 das rendas da Coroa e a vintena, 5% do arrecadado com a pesca e o pau Brasil, cobrar tributos sobre salinas, moendas e engenhos) em suas terras Deveriam arcar com os custos... Deveriam arcar com os custos... Índios hostis, natureza furiosa... Índios hostis, natureza furiosa... Bom pra Portugal, ruim pros donatários... Bom pra Portugal, ruim pros donatários...

22 Administração Início: Na maioria das regiões do Brasil quem detinha de fato o poder político eram os jesuítas, os latifundiários (homens bons) e os apresadores de índios (controlavam as Câmaras Municipais); O Governo Geral foi uma tentativa do rei de Portugal de manter o controle da situação, mas não deu certo; O Governo Geral foi uma tentativa do rei de Portugal de manter o controle da situação, mas não deu certo; 1642: quando foi criado o Conselho Ultramarino, adotando uma política centralizadora mais rígida; 1642: quando foi criado o Conselho Ultramarino, adotando uma política centralizadora mais rígida;

23 1º Governo Geral ( ): Tomé de Souza Fundação da 1ª cidade brasileira: Salvador 1º bispado e 1º colégio (jesuíta) 1º bispado e 1º colégio (jesuíta) Destaque para a ação do padre Manuel da Nóbrega Destaque para a ação do padre Manuel da Nóbrega

24 2º Governo Geral ( ): Duarte da Costa Trouxe para o Brasil o padre José de Anchieta, que fundou o Colégio de São Paulo, que deu origem à cidade Os franceses estabeleceram-se no Rio de Janeiro (França Antártica). Os franceses estabeleceram-se no Rio de Janeiro (França Antártica). Conseguiram apoio dos índios Tamoios, contra os portugueses (Confederação dos Tamoios). Conseguiram apoio dos índios Tamoios, contra os portugueses (Confederação dos Tamoios).

25 3º Governo Geral ( ): Men de Sá Com apoio de Nóbrega e Anchieta, venceu a Confederação dos Tamoios. Contou também com o apoio de seu sobrinho, Estácio de Sá. Contou também com o apoio de seu sobrinho, Estácio de Sá. Expulsos, os franceses foram para o Maranhão (França Equinocial). Expulsos, os franceses foram para o Maranhão (França Equinocial). 2ª cidade: São Sebastião do Rio de Janeiro 2ª cidade: São Sebastião do Rio de Janeiro

26 4º Governo Geral ( ): Brasil dividido... Uma sede em Salvador e outra no Rio de Janeiro... Em 1621 houve nova divisão do Brasil, desta vez em dois estados : estado do Maranhão (sede em Salvador) e estado do Brasil (sede no RJ)... Em 1621 houve nova divisão do Brasil, desta vez em dois estados : estado do Maranhão (sede em Salvador) e estado do Brasil (sede no RJ)...

27

28 Exploração do pau brasil no período pré- colonial Servia como corante Estanco: monopólio da extração do pau brasil Estanco: monopólio da extração do pau brasil Esgotamento da madeira no litoral Esgotamento da madeira no litoral

29 Lavoura açucareira Portugal já possuía uma experiência na África... Brasil: clima e solo (massapê) favoráveis Brasil: clima e solo (massapê) favoráveis Produto de extremo valor no mercado europeu Produto de extremo valor no mercado europeu Portugal não tinha o capital necessário Portugal não tinha o capital necessário Parceria luso-flamenga (holandeses, batavos, banqueiros de Flandres...) Parceria luso-flamenga (holandeses, batavos, banqueiros de Flandres...)

30 Trabalho compulsório Os índios foram escravizados durante a montagem dos engenhos coloniais e outras vezes depois. Em 1550 chegaram sudaneses, bantos e malês...negros que tornar- se-iam pés e mãos dos engenhos... Em 1550 chegaram sudaneses, bantos e malês...negros que tornar- se-iam pés e mãos dos engenhos... A escravidão conviveu com o trabalho assalariado (quando era o caso de funções que exigissem mais conhecimentos técnicos). A escravidão conviveu com o trabalho assalariado (quando era o caso de funções que exigissem mais conhecimentos técnicos).

31 Escravidão O negro resistiu, fugindo, atacando seus feitores, queimando senzalas, dispersando o gado, suicidando-se, abortando, disfarçando sua cultura (sincretismo) etc. Os quilombos reuniam negros fugidos, índios e até foras-da-lei... Os quilombos reuniam negros fugidos, índios e até foras-da-lei... Quase sempre foram mercadoria barata (mesmo portugueses pobres e até escravos alforriados podiam possuir uma peça). Quase sempre foram mercadoria barata (mesmo portugueses pobres e até escravos alforriados podiam possuir uma peça). O número de mulheres trazidas da África era cinco vezes menor que o de homens. O número de mulheres trazidas da África era cinco vezes menor que o de homens. O racismo servia para preservar a ordem social. O racismo servia para preservar a ordem social.

32

33 Sociedade Grande influência do catolicismo (outros cultos não podiam ser feitos em público...). Família patriarcal. Família patriarcal. Forte influência dos padrões da aristocracia européia. Forte influência dos padrões da aristocracia européia. Presença dos cristãos-novos (marranos; judeus convertidos). Presença dos cristãos-novos (marranos; judeus convertidos). Possibilidade de alforria (quartações etc). Possibilidade de alforria (quartações etc). Rigidez no tempo do açúcar e flexibilidade na mineração e na pecuária. Rigidez no tempo do açúcar e flexibilidade na mineração e na pecuária.

34 Invasões Holandesas União Ibérica ( ) : período em que Portugal foi administrado pelo rei da Espanha... Por determinação do novo rei, rompe-se a parceria luso-flamenga. Por determinação do novo rei, rompe-se a parceria luso-flamenga. Os holandeses invadem a Bahia (1 ano) e, depois, Pernambuco (8 anos) = Nova Holanda Os holandeses invadem a Bahia (1 ano) e, depois, Pernambuco (8 anos) = Nova Holanda Administrador: Maurício de Nassau Administrador: Maurício de Nassau Tolerância religiosa, empréstimos aos latifundiários, estudiosos e artistas de renome na Europa vieram ao Brasil, investimentos em infra-estrutura (urbanização de Recife, pontes, jardins, palácios etc) Tolerância religiosa, empréstimos aos latifundiários, estudiosos e artistas de renome na Europa vieram ao Brasil, investimentos em infra-estrutura (urbanização de Recife, pontes, jardins, palácios etc) A expulsão dos holandeses (Insurreição Pernambucana) teve a concorrência antilhana como consequência... A expulsão dos holandeses (Insurreição Pernambucana) teve a concorrência antilhana como consequência...

35 Bandeiras De apresamento: captura de índios De prospecção: busca de metais preciosos De prospecção: busca de metais preciosos Sertanismo de contrato: captura de fugitivos Sertanismo de contrato: captura de fugitivos Ex: Borba Gato, Raposo Tavares, Fernão Dias, Domingos Jorge Velho etc Ex: Borba Gato, Raposo Tavares, Fernão Dias, Domingos Jorge Velho etc

36 REGIÃO MINERADORA Conseqüências da descoberta do ouro: -Fluxo migratório em direção a região mineradora -Aumento do dominação portuguesa -Disputas entre portugueses e os primeiros exploradores -Formação de uma classe média

37 TRABALHO E FISCALIZAÇÃO -Na sociedade mineradora o trabalho de exploração do ouro era realizado pelos escravos africanos. -Ao redor das minas foi concentrando um contingente populacional que deu origem a uma classe intermediária, ou seja, não eram donos de minas e nem escravos, mas sim pessoas que realizavam diversos serviços como: alfaiates, comerciantes, advogados, tropeiros, carpinteiros. -Como o fluxo de pessoas era intenso e grande, a Coroa Portuguesa resolveu criar estratégias para fiscalizar a exploração de ouro e diamantes. -Exemplo: Intendência (órgão que deveria ser comunicado toda vez que fosse encontrado uma nova mina)

38 Matriz de Nossa Senhora do Pilar de São João del-Rei Matriz de Santo Antônio Matriz de Sto Antônio

39 Senhores de Engenho Trabalhadores Livres Escravos Classe Média Elite Mineradora Sociedade Açucareira Sociedade Mineradora

40 Mineração Lavras Faisqueiras Fixas (nas datas) Fixas (nas datas) Itinerantes (nos rios) Itinerantes (nos rios) Escravo Escravo Livre Livre Técnicas sofisticadas Técnicas sofisticadas Téc. Rudimentares (batéia) Téc. Rudimentares (batéia) Ouro de mina Ouro de mina Ouro de aluvião Ouro de aluvião

41 Consequências da mineração Corrida para a região das minas (rush) Crise de desabastecimento Crise de desabastecimento Inflação (na Europa, Revolução dos Preços) Inflação (na Europa, Revolução dos Preços) Urbanização e fixação do homem no interior Urbanização e fixação do homem no interior Deslocamento do eixo econômico (do nordeste pro sudeste) Deslocamento do eixo econômico (do nordeste pro sudeste) Barroco Barroco Aumentou o fiscalismo português Aumentou o fiscalismo português Maior mobilidade social Maior mobilidade social

42 Guerra dos Emboabas ( ) Clima de tensão em MG: fome e inflação Rivalidades entre paulistas e forasteiros (emboabas) Rivalidades entre paulistas e forasteiros (emboabas) 8 dias de luta depois que um paulista matou um emboaba 8 dias de luta depois que um paulista matou um emboaba Os forasteiros aclamam o comerciante Manuel Nunes Viana Os forasteiros aclamam o comerciante Manuel Nunes Viana Capão da traição (paulistas massacrados) Capão da traição (paulistas massacrados)

43 Rebeliões nativistas Contestavam aspectos específicos do Pacto Colonial, não propriamente falando em independência, possuindo caráter regionalista.

44 Aclamação de Amador Bueno (1641) jesuítas proibiam a captura dos índios botada dos padres para fora botada dos padres para fora Pobreza e tensão (jesuítas x bandeirantes) Pobreza e tensão (jesuítas x bandeirantes) Aclamaram um espanhol como rei Aclamaram um espanhol como rei Ele fugiu, tudo esfriou... Ele fugiu, tudo esfriou...

45 Revolta dos Beckman (1684) latifundiários do Maranhão revoltaram- se porque faltava escravos a Cia de Comércio do Maranhão era ineficiente e corrupta a Cia de Comércio do Maranhão era ineficiente e corrupta líderes, os irmãos Manuel e Thomas Beckman foram mortos líderes, os irmãos Manuel e Thomas Beckman foram mortos

46 Guerra dos Mascates ( ) Senhores de engenho de Olinda pediam dinheiro emprestado aos comerciantes de Recife... Era fácil não pagar, pois controlavam a Câmara Municipal... Era fácil não pagar, pois controlavam a Câmara Municipal... Mas quando Recife ganhou o direito de emancipar-se os latifundiários não aceitaram, invadindo a cidade e destruindo o pelourinho (sede administrativa) Mas quando Recife ganhou o direito de emancipar-se os latifundiários não aceitaram, invadindo a cidade e destruindo o pelourinho (sede administrativa)

47 Revolta de Felipe dos Santos ou Sedição de Vila Rica (1720) decisão do Conde de Assumar (governador da província) de abrir as tais casas de fundição em Vila Rica Felipe dos Santos, minerador, é contra Felipe dos Santos, minerador, é contra Massacre dos rebeldes (pra servir de exemplo!) Massacre dos rebeldes (pra servir de exemplo!)

48 Era pombalina derrama (decreto que estabelecia que, se a capitação não fosse paga, os bens dos mineradores poderiam ser confiscados) garantiu o controle da Amazônia ; criou o Banco Real e organizou a arrecadação de impostos garantiu o controle da Amazônia ; criou o Banco Real e organizou a arrecadação de impostos reconstruiu Lisboa após o terremoto de 1755 ; criou diversas companhias de comércio reconstruiu Lisboa após o terremoto de 1755 ; criou diversas companhias de comércio organizou alfândegas, tribunais e outras instituições do Estado ; procurou reaquecer a lavoura açucareira do nordeste organizou alfândegas, tribunais e outras instituições do Estado ; procurou reaquecer a lavoura açucareira do nordeste tentou diminuir a dependência econômica de Portugal com a Inglaterra bens ; expulsou os jesuítas de Portugal e suas colônias, confiscando seus bens tentou diminuir a dependência econômica de Portugal com a Inglaterra bens ; expulsou os jesuítas de Portugal e suas colônias, confiscando seus bens subsídio literário; Diretório dos Índios; Distrito Diamantino subsídio literário; Diretório dos Índios; Distrito Diamantino mudou a capital pro RJ; incentivou manufaturas na colônia (tecelagens, metalurgia, refinarias de açúcar...) mudou a capital pro RJ; incentivou manufaturas na colônia (tecelagens, metalurgia, refinarias de açúcar...) Após a morte do rei, perdeu poder (viradeira) Após a morte do rei, perdeu poder (viradeira)

49 Inconfidência Mineira Movimento emancipacionista Filhos da elite de Vila Rica, estudando na Europa, tomaram contato com as idéias iluministas Filhos da elite de Vila Rica, estudando na Europa, tomaram contato com as idéias iluministas Independência dos EUA: influência Independência dos EUA: influência Minas: sinais de esgotamento Minas: sinais de esgotamento Sátira ao governador: Cartas Chilenas(Tomás Antônio Gonzaga) Sátira ao governador: Cartas Chilenas(Tomás Antônio Gonzaga) Visconde de Barbacena: derrama Visconde de Barbacena: derrama Cláudio Manuel da Costa e outros homens ricos: idéias pouco definidas Cláudio Manuel da Costa e outros homens ricos: idéias pouco definidas Traição de Joaquim Silvério dos Reis Traição de Joaquim Silvério dos Reis

50 Revoltas na Região Mineradora No início do século XVIII aconteceram algumas revoltas em várias regiões brasileiras. Essas revoltas, que ficaram conhecidas como Nativistas lutavam por melhorias para a população carente e pelo descaso da Coroa Portuguesa com os problemas econômicos. Elas não desejavam a independência do Brasil, mas brotou a semente da insatisfação referente a dominação portuguesa.

51 INCONFIDÊNCIA MINEIRA E CONJURAÇÃO BAIANA Local e DataMG – 1789BAHIA Grupos participantes Elite, intelectuais, grandes proprietários e mineradores Artesãos, comerciantes e escravos ReivindicaçõesFim da exploração portuguesa e independência Fim da miséria, independência e abolição da escravatura ConseqüênciasCondenação dos líderes e morte de Tiradentes Condenação e morte

52 DIFERENÇAS ENTRE AS REVOLTAS -Não fazia parte dos objetivos da Inconfidência Mineira a abolição dos escravos, até porque os líderes eram donos de escravos. -Na Conjuração Baiana houve uma intensa participação da massa popular, inclusive escravos. -As duas revoltas foram influenciadas pelas idéias iluministas e provocaram o sentimento de emancipação brasileira.

53 TIRADENTES - Qual a intenção em criar imagens de Tiradentes relacionadas a Jesus? -Por que se tornou herói da Independência? -Por que o herói da Independência não foi um líder da Conjuração dos Alfaiates?

54 Propostas dos Inconfidentes MG se tornaria uma república independente com capital em São João Del Rey Parte do grupo era mais favorável a uma monarquia com poderes limitados... O exército seria substituído por milícias populares O exército seria substituído por milícias populares O Distrito Diamantino seria aberto e a industrialização liberada O Distrito Diamantino seria aberto e a industrialização liberada A exploração do ferro deixaria de ser proibida A exploração do ferro deixaria de ser proibida Criariam hospitais, escolas e TALVEZ acabassem com a escravidão... Criariam hospitais, escolas e TALVEZ acabassem com a escravidão...

55 Conjuração Baiana Movimento emancipacionista Salvador: corrupção, miséria, inflação... Salvador: corrupção, miséria, inflação... Saque ao carregamento de carne do general-comandante Saque ao carregamento de carne do general-comandante Cartazes: incitando o jacobinismo Cartazes: incitando o jacobinismo Revolução Francesa: influência Revolução Francesa: influência França acena com interesse em ajudar França acena com interesse em ajudar Como no Haiti: saques, fogo no pelourinho etc Como no Haiti: saques, fogo no pelourinho etc Conjuração dos Alfaiates Conjuração dos Alfaiates Cipriano Barata (médico) e Agostinho Gomes (latifundiário) Cipriano Barata (médico) e Agostinho Gomes (latifundiário)

56 Propostas dos Alfaiates Fim da escravidão Livre comércio Terra e voto para todos (sociedade igualitária) Terra e voto para todos (sociedade igualitária) República República

57 A vinda da Família Real para o Brasil Dilema em relação ao Bloqueio Continental Opção por fugir das tropas de Napoleão (Tratado de Fontainebleau) Opção por fugir das tropas de Napoleão (Tratado de Fontainebleau) Transferência da Corte para o Brasil Transferência da Corte para o Brasil Fenômeno da inversão americana Fenômeno da inversão americana

58 Medidas tomadas por D.João VI 1808: abertura dos portos 1810: Tratado de Comércio Navegação e Amizade 1810: Tratado de Comércio Navegação e Amizade Revogação do Alvará que proibia manufaturas na colônia Revogação do Alvará que proibia manufaturas na colônia Infra-estrutura: Tribunais, imprensa, Banco do Brasil, Escolas Superiores etc Infra-estrutura: Tribunais, imprensa, Banco do Brasil, Escolas Superiores etc Brasil elevado a Reino Unido Brasil elevado a Reino Unido Protecionismo para os comerciantes portugueses Protecionismo para os comerciantes portugueses Novos impostos Novos impostos Resumo: início do processo de independência do Brasil! Resumo: início do processo de independência do Brasil!

59 Política Externa de D.João VI Invadiu a Guiana Francesa (os nordestinos ficaram apavorados com a convocação para o serviço militar e isso desencadeou a Revolução Pernambucana...) Invadiu a Cisplatina (com apoio da Inglaterra, aproveitando a situação complicada vivida pela Espanha...) Invadiu a Cisplatina (com apoio da Inglaterra, aproveitando a situação complicada vivida pela Espanha...)

60 Panorama interno no período joanino O sul prosperava e o nordeste sofria com a seca... A elite acumulava prejuízos (Haiti e EUA retomavam exportações) Todos sofriam com a alta carga tributária Todos sofriam com a alta carga tributária Tensão Tensão

61 Revolução Pernambucana Elite: anti-colonial, liberal, mas não anti-escravista... Revolta contra a Corte Revolta contra a Corte Conspiração nos quartéis, no seminário de Olinda e em sociedades secretas Conspiração nos quartéis, no seminário de Olinda e em sociedades secretas Depuseram o governador (ficaram no poder 74 dias) Depuseram o governador (ficaram no poder 74 dias) Promessa de alforria aos escravos que lutassem Promessa de alforria aos escravos que lutassem Extinguiram títulos de nobreza, aumentaram soldos etc Extinguiram títulos de nobreza, aumentaram soldos etc Frei Caneca (anistiado) e outros fuzilados... Frei Caneca (anistiado) e outros fuzilados...

62 Revolução Liberal do Porto e Independência do Brasil Revolução Liberal do Porto: obrigou D.João VI a voltar pra Portugal As Cortes portuguesas passam a querer recolonizar o Brasil As Cortes portuguesas passam a querer recolonizar o Brasil Aumentaram os impostos dos produtos ingleses e começaram a desmontar a infra- estrutura deixada por D.João VI Aumentaram os impostos dos produtos ingleses e começaram a desmontar a infra- estrutura deixada por D.João VI D.Pedro, príncipe regente, começa a opor- se às cortes portuguesas: cumpra-se, dia do fico etc D.Pedro, príncipe regente, começa a opor- se às cortes portuguesas: cumpra-se, dia do fico etc Tensão cresce até o desligamento oficial: 7 de setembro de 1822 Tensão cresce até o desligamento oficial: 7 de setembro de 1822

63 grupos políticos do período partido português (comerciantes portugueses, vários militares e funcionários públicos interessados na manutenção da presença de D.João VI no Brasil) partido brasileiro (os homens mais ricos da colônia, combatendo as tentativas de recolonização, sem contudo falar em democracia...eram maçons, influenciados pelo liberalismo)partido brasileiro (os homens mais ricos da colônia, combatendo as tentativas de recolonização, sem contudo falar em democracia...eram maçons, influenciados pelo liberalismo) radicais (setores médios urbanos, querendo algo inspirado na independência dos EUA e na Revolução Francesa)radicais (setores médios urbanos, querendo algo inspirado na independência dos EUA e na Revolução Francesa)

64 Independência? A independência do Brasil não acarretou transformações profundas na estrutura social do país e nem foi sinônimo de independência financeira. Teve mais a ver com continuidade do que com ruptura. Atendeu aos interesses ingleses (que emprestou ao Brasil 2 milhões de libras para pagar uma indenização a Portugal). Fez-se a opção conservadora pela monarquia, em vez da república... O 1º a reconhecê-la foram os EUA Não teve participação popular


Carregar ppt "História do Brasil Colônia Professor Mestre Fernando C. de A. Araújo PUC-GO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google