A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Indicações para"aprender a observar" indícios de violência ;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Indicações para"aprender a observar" indícios de violência ;"— Transcrição da apresentação:

1 Indicações para"aprender a observar" indícios de violência ;

2 A violência contra crianças e adolescentes – VDCCA, praticada por pais, responsáveis ou outros parentes, denominada Violência Doméstica é muito comum na maior parte do mundo, inclusive no Brasil e vem preocupando e mobilizando profissionais de diversas áreas e a sociedade em geral. O que caracteriza a Violência Doméstica é o abuso do poder do mais forte – o adulto, contra o mais fraco – a criança. Um fator importante desta violência é que as crianças vitimizadas, podem tornar-se adultos que vitimizarão seus filhos.

3 Permeia todas as classes sociais; Violência Interpessoal; Abuso do poder parental; Vítima subjugada e objetificada; Violação de direitos enquanto Direitos Humanos. Problema social relacionado a família

4 São vários indícios que as Crianças e Adolescentes vítimas de Violência Doméstica podem apresentar. Obviamente, cada pessoa reage de modo particular e não existe um comportamento isolado que possa confirmar a ocorrência de Violência Doméstica. Marcas Visíveis: Um sinal ou sintoma são motivos de alarme

5 VIOLÊNCIA FÍSICA

6 Toda ação que causa dor física; Ex: Bater, beliscar, espancar, puxar orelhas e cabelos, ou seja, tudo que vai desde um tapa até o espancamento, deixando ou não marcas evidentes, chegando ou não a fatalidade da morte. Indicadores físicos na vitima: Presença de lesões no corpo, tais como: queimaduras, feridas, cortes, mordidas, vergões, fraturas que não condizem com a causa atribuída. Ocultação de lesões antigas e não explicadas

7 Comportamento da vítima: Muito agressivo, apático, temeroso, hiperativo ou depressivo, tendências auto-destrutivas e ao isolamento, baixo auto estima, tristeza, medo excessivo dos pais, relato de causas pouco prováveis às lesões, fugas de casa, problemas de aprendizado, faltas frequentes na escola. Características da Família: Oculta e justifica as lesões da criança de modo não convincente ou contraditório; geralmente considera a Criança má e desobediente; pode existir abuso de álcool ou drogas; as expectativas sobre as crianças são excessivamente idealizadas; defende uma disciplina severa, normalmente tem antecedentes de Violência Doméstica na Família.

8 VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA

9 Depreciação por parte do adulto causando sofrimento mental; Ex: Ameaçar, amedrontar, gritar, acusar, xingar, zombar, criticar, humilhar, discriminar ou exigir demais de uma criança Indicadores físicos na vítima: Comportamentos imaturos; distúrbios do sono e dificuldades na fala, faz xixi na cama; problemas de saúde como obesidade, falta de apetite, alergias, bronquite, asma

10 Comportamento da vítima: Comportamentos tímidos, agressivos, destrutivos e auto-destrutivos; baixa auto-estima; isolamento; depressão; idéia e tentativa de suicídio; insegurança Características da Família: Demonstra expectativas irreais sobre a Criança; rejeita; aterroriza; despreza; deprecia; descreve a criança como maldosa ou diferente dos demais; exige demais.

11 NEGLIGÊNCIA

12 Omissão de prover as necessidades físicas e emocionais; Ex: Descuidar em relação à alimentação, à saúde, à vida escolar, vestuário, higiene, não provendo as necessidades básicas materiais e emocionais, deixar de supervisionar as atividades de maneira a prevenir riscos. Indicadores físicos na vitima: O desenvolvimento da Criança é abaixo do esperado, problemas físicos e necessidades não atendidas; doenças reincidentes ou não tratadas; desnutrição; desidratação e falta de higiene; fadiga; vestimenta inadequada ao clima.

13 Comportamento da vítima: Comportamento calmo demais ou agitado; faltas e atrasos constantes à escola e ao atendimento médico; comportamentos imaturos ou depressivos Características da Família: É apática e passiva, parecendo não se importar com a situação da criança; descuidada com a higiene, não demonstrando preocupação com as necessidades da criança.

14 Violência Sexual X Pedofilia

15 Pedofilia não é crime, e quem pratica pedofilia não é criminoso. A pedofilia é uma atração sexual. Entre se sentir atraído sexualmente por crianças e fazer sexo com crianças existe um grande abismo.

16 Quando uma pessoa é presa por crime de pedofilia, na verdade ela está sendo presa por dois crimes: Estupro, art. 213 do Código Penal, Atentado violento ao pudor, art. 214 do Código Penal, agravados pela presunção de violência prevista no art. 224, a, do Código Penal, ambos com pena de seis a dez anos de reclusão e considerados crimes hediondos.

17 Mundialmente, apenas um quarto dos abusos sexuais de crianças e adolescentes são praticados por pedófilos. E ainda, existem estudos ainda não-comprovados que na verdade apenas de 5% a 10% sejam realmente pedófilos, uma vez que diversos diagnósticos clínicos tenham desmentido pessoas que se declaravam pedófilas. Esses abusos sexuais são praticados por pessoas que simplesmente acharam mais fácil fazer sexo com crianças, seja enganado-as ou utilizando de intimidação ou força.

18 VIOLÊNCIA SEXUAL

19 Todo ato ou jogo sexual, relação heterossexual ou homossexual, entre um ou mais adultos e uma criança ou adolescente, tendo por finalidade estimular sexualmente a criança ou utilizá-la para obter uma estimulação sexual sobre sua pessoa ou de outra pessoa.

20 Ex: Falar obscenidade, expor a criança à materiais pornográficos (fotos, revistas e filmes), esfregar-se, tocar ou manipular partes intimas com o objetivo do prazer, forçar a criança a praticar atos pornográficos, usar o adolescente/criança para obter prazer sexual, manter relação sexual com ou sem penetração, com ou sem violência. Indicadores Físicos na vitima: Dor ou inchaço na área genital ou anal; secreções na vagina ou no pênis; infecções urinarias; doenças sexualmente transmissíveis; comprometimento no controle das fezes e urina; dificuldades e doenças emocionais.

21 Comportamento da vitima: Apresenta comportamento sexual inadequado à idade; fugas de casa; não confia em adultos; brincadeiras sexuais agressivas; vergonha excessiva; idéias ou tentativas de suicídio; auto-flagelação; depressão; sentimento de culpa; baixa auto-estima Características da Família: Evita contatos da Criança com a comunidade, principalmente da escola como espaço de socialização; é muito possessiva; acusa a Criança de promíscua, sedutora e de ter atividade sexual fora de casa; crê que o contato sexual é a forma de amor familiar; oculta o abuso sexual e alega outro agressor para proteger a família.

22 O profissionalismo o atendimento a casos de violência sexual contra crianças e adolescentes exige que os profissionais envolvidos: 1. Acreditem sempre na criança num primeiro momento e continuem a acreditar até que evidências muito fortes os desaconselhem;

23 2. Tenham como compromisso fundamental proteger a criança ou adolescente-vítima e todas as demais crianças e adolescentes envolvidos; 3. Não deixem que suas próprias cognições e emoções distorçam o processo de atendimento. 4. Saibam atuar cooperativamente evitando cair nas tentações do individualismo e da onipotência

24 È dever de todos, denunciar qualquer tipo de VDCCA, conforme determina a Constituição Federal no seu artigo 227 parágrafo 4º e o ECA no seu artigo 4º, prevendo punição não só para os que praticam a violência como também para os que se omitem em denunciá-la. Procure ajuda caso você reconheça que comete Violência contra a Criança e o Adolescente.

25

26 Deise Fernandes do Nascimento Assistente Social MUITO OBRIGADA!


Carregar ppt "Indicações para"aprender a observar" indícios de violência ;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google