A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

R E D A Ç Ã O. Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: Frutificai, disse ele, e multi-

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "R E D A Ç Ã O. Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: Frutificai, disse ele, e multi-"— Transcrição da apresentação:

1 R E D A Ç Ã O

2 Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: Frutificai, disse ele, e multi- plicai-vos, enchei a terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra. (Bíblia Sagrada, Editora Ave-Maria.) Unifesp2009 Texto 1

3 Unifesp2009 Folha de S.Paulo, 2002 Texto 2

4 Unifesp2009 (http://veja.abril.com.br/080807/imagens/millor2.) Chega, irmãos! Não procurem a origem da violência, do cinismo, da fal- ta de ética, da corrupção, das guerras, locais e internacionais, em razões, sempre irracionais. Olhem em volta. Todo o mal do mundo está na super- população. Seis bilhões e trezentos milhões de pessoas! Vocês já são tre- zentos milhões de pessoas a mais! Repito: olhem em volta! Texto 3

5 Inflação humana Aconteceu tudo em tempo recorde. Num abrir e fechar de olhos, a contar no relógio da História da espécie, ou numa fração infinitesimal disso, no calendário da História do pla- neta, o homem disse adeus a um modo de vida que inven- tara há uns 10 mil anos, quando pela primeira vez plantou uma semente, e escolheu crescer e multiplicar-se em aglo- merações de pedra e cal – as cidades, um mundo de mara- vilhas, mas também um mundo literalmente à parte da natu- reza desta Terra. (…) Unifesp2009 Texto 4

6 Unifesp2009 Na vertente ecológica, o aumento acelerado da população mundial – que simplesmente dobrou (...) em menos de qua- renta anos – é apontado como principal responsável pelos de- sastres acumulados que ameaçam a vida na Terra, desde o e- feito estufa até a extinção em escala sem precedentes de es- pécies animais e vegetais, do buraco na camada de ozônio ao esgotamento dos solos e de recursos minerais. Um desses serviços, ameaçados não só pelo aumento físi- co das populações como também pelas condições em que se dá a expansão da presença humana na Terra, é o que deter- mina a qualidade da mistura de gases na atmosfera. (…)

7 Unifesp2009 A água potável, outro recurso natural não renovável, tampou- co fica imune à superpopulação. Mais gente, logicamente, usa mais água – e a velocidade do crescimento do consumo já é maior que o tempo necessário à recuperação dos mananciais. (…) De todas as doenças que acometem a metrópole, nenhum sintoma parece tão desconfortável como o sufoco no trânsito que asfixia o cotidiano de ricos e pobres e para o qual não há medicamento eficaz à vista em parte alguma – a menos que se adotassem cirurgias sociais tão severas que atropelariam o sagrado direito de ir e vir.

8 Unifesp2009 Onde foi que homem errou, ao ocupar tanto e de forma tão desigual a superfície do planeta? Eis uma questão su- jeita a chuvas e trovoadas, para a qual os especialistas o- ferecem as mais disparatadas explicações, muitas vezes em função das idéias políticas de cada um. Os conserva- dores, por exemplo, dirão que a culpa é dos pobres, sem- pre tão férteis e tão imprevidentes. Os progressistas acu- sarão as injustiças na distribuição da renda, tanto dentro de cada país como entre os países. Para além dessas simplificações, no entanto, pode-se dizer com alguma mar- gem de confiança que tudo começou com os avanços da Medicina. (http://super.abril.com.br/superarquivo/1989/. Adaptado.)

9 Unifesp2009 Superpopulação: problema ou solução? As famílias de antigamente costumavam ser bem numerosas, e isso gerava o famoso comentário de que se essas famílias não se preocupassem com o controle de natalidade, os índi- ces de miséria aumentariam consideravelmente. Não contesto a teoria, afinal são muitas bocas para serem alimentadas, muitos cadernos e livros a serem comprados, e no futuro muitas pessoas para serem empregadas... Então, seria o controle da natalidade, a solução para os problemas sociais do terceiro mundo? Texto 5

10 Unifesp2009 Mas existe um aspecto contraditório, porém verdadeiro. Os países europeus, que tiveram um boom econômico com o fim da 2ª Guerra Mundial, experimentaram uma preocupante que- da da natalidade após essa melhoria de vida. São o que cha- mamos de países de idosos... Por outro lado, países com superpopulação tendem a domi- nar a economia no futuro. Certamente você já ouviu falar na si- gla BRIC... Mas aqui eu fecho a idéia do post. Brasil, Rússia, Índia e China serão no conjunto a maior potência econômica mundial em 40 anos. A China já dá sinais bem claros de que pode atingir esse posto bem antes, mas aqui no Brasil se dis- cute a possibilidade de crescer 3,5%... Mas pensando com oti- mismo, se o PIB desses 4 países for mesmo o maior do mundo no futuro, nem assim dá para concluir que essa característica de ser superpovoado indique maior renda por habitante. É a maldita má distribuição!!! (http://legendaurbana.blogspot.com/2006/. Adaptado.)

11 Texto 1 Deus: multiplicar a humanidade e controlar a Terra, ou seja, agir racionalmente em todos os lugares do planeta Unifesp2009 Texto 2 O crescimento desordenado gera desconforto ao próprio homem (incômodo constante pela crise dos espaços urbanos) Texto 3 Todos os problemas sociais advém da superpopulação, sobretudo porque os homens são sempre diferentes, em culturas diferentes, regidas por valores diferentes. E somos todos iguais (irmãos). Texto 4 A civilidade não é natural, ao contrário, e seduz na mesma medida em que corrompe. Isso graças à velocidade das transformações socio- culturais, cada vez mais acelerada. Os problemas ambientais são fruto da civilidade, ela que promove o consumo de bens naturais não renováveis, ela que agora exige medidas cirúrgicas extremas que comprometerão os direitos do homem. E a principal aliada disso foi a Medicina. Texto 5 O controle da natalidade pode ser a solução para as mazelas humanas? No caso dos países em desenvolvimento, o grande problema é a péssima distribuição de renda.

12 Pede-seCom base nas informações, elabore um texto dissertativo, na norma padrão da Língua Portuguesa, argumentando sobre: Unifesp2009 Tema De que forma a humanidade deve tratar a realidade da superpopulação. ?

13 Tese a superpopulação é vista como um dos problemas mais graves do presente, causa de muitos outros, mas revela a hipocrisia humana, principal característica da moderni- dade; desde o início da civilidade o homem só se preocupa com os problemas quando atingido por eles; hoje é um predador cruel e hipócrita, que sofre com as consequências de suas pró- prias ações, buscando sobreviver a qualquer custo em meio a superpopulação social. Unifesp2009

14 Argumentação Albert Camus: o homem só não é hipócrita em seus prazeres; mas desenvolveu-se e o mundo em torno de prazeres imediatistas; sempre houve sofrimento com a miséria e a escassez de recursos naturais. Então por que hoje a discussão? Esta é a hipocrisia: o homem reclama hoje porque o problemas afeta a todos, não só aos pobres; todos falam em igualdade, mas quando o assunto é sobreviver, o homem esquece do homem; o homem é capaz de permitir horrores para sobreviver; só o PIB não importa, mas a distribuição de renda. PROBLEMAPROBLEMA: é nunca prever o futuro e viver o presente como se o que importasse fossem os índices econômicos, concentrando para si tudo o que pode, mesmo que falte aos outros, numa sociedade que cresce entre poucos ricos e muitos pobres. Unifesp2009

15 Conclusão O homem precisa agir com inteligência e promover o crescimento demográfico de forma coerente com o que o planeta pode oferecer à vida. Do contrário a hipocrisia vencerá novamente e a vida perderá. Unifesp2009

16 1)O que o tema diz? (T = IT + PP) O homem é um predador cruel e hipócrita. Sempre agiu em nome de seus prazeres. Com o crescimento populacional os problemas urbanos sobressaem, e obrigam as pessoas a sobreviverem a qualquer custo Projeto de texto = T + A + C Unifesp2009

17 2) O que sei sobre ele? (A = AT + A/P) O homem só não é hipócrita com os seus prazeres Albert Camus A hipocrisia, característica da Modernidade, fez o ho- mem pagar caro para viver. Isso tem gerado superpovoamento urbano, causando transtorno/crises nos espaços da cidade. AT A1 Unifesp2009 O homem tem consumido a natureza desordenada- mente; as cidades entupidas são palco dos horrores contemporâneos. A2

18 Projeto de texto = T + A + C Países como o Brasil, Rússia, Índia e China apresen- tam crescimento do PIB, o que pode ser resultado dos índices populacionais. A3 Unifesp2009 A/P As cidades são palco dos horrores porque há equivocadas distribuição de renda, entre os homens, como há errada distribuição dos recursos naturais entre os países. Do contrário não haveria crescimento demográfico tão problemático como hoje.

19 3) O que fazer? (C = T + S + t) Projeto de texto = T + A + C É preciso ao homem agir com inteligência e planejar o crescimento no futuro. Só assim viver será um prazer, e a hipocrisia será esquecida em nome da vida. C TítuloA vida tem que vencer Título: A vida tem que vencer Unifesp2009

20 A vida tem que vencer O homem tornou-se um predador cruel e hipócrita. Desde o início da civilidade sempre agiu pela satisfação de seus prazeres, mesmo deixando outros humanos miseráveis. Agora toda a população sente próxima de si a escassez dos recursos naturais, consequência da ação predatória contínua de uma sociedade repleta de pessoas, ansiosas por, como é comum ouvir, sobreviver a qualquer custo. Unifesp2009

21 Tal expressão nunca foi tão tal real. Hoje o homem paga caro pelo crescimento demográfico, cujo desdobra- mento maior é a ocupação maluca dos espaços urbanos a partir da Modernidade. E somemos ainda o subdesen- volvimento nos locais mais pobres, que agrava o quadro, ainda mais quando os discursos pelo planeta são de paz, igualdade, em prol da natureza. Todavia, na prática, não é bem assim que as coisas acontecem, salvo em situações reservadas. Quem sabe até Albert Camus acertou ao dizer que o homem só não é hipócrita em seus prazeres. E para tê-los é capaz de horrores, fatos cujo palco é a cidade. Unifesp2009

22 Por esse motivo estão entupidas, o consumo de tudo é exagerado, a natureza tem reclamado aos gritos com os furacões, tornados, inundações, com a extinção da fauna e da flora e a ampliação da miséria social. Enquanto isso, o que a mídia divulga é o crescimento do PIB dos países de maior população, como o Brasil, a Rússia, Índia e China, o que de pouco será útil se não houver melhor distribuição de renda nesses locais. O mesmo vale aos governos: os países precisam distribuir entre si os recursos naturais, ações que ajudarão no controle demográfico, além de inculcar valores mais solidários, mais humanos e em todo o mundo. Unifesp2009

23 O homem não pode ser um predador cruel e hipócrita. Precisa ser inteligente para crescer e multiplicar- se de forma racional pelo planeta, provando a si e aos outros irmãos que todos valem mais do que índices econômicos. Assim o viver será realmente um prazer, e não entendido como custo. O resultado disso será o crescimento proporcional, equivalente ao que o planeta precisa para garantir a vida humana. Do contrário, a hipocrisia sairá vencedora, e não a vida. Unifesp2009

24


Carregar ppt "R E D A Ç Ã O. Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: Frutificai, disse ele, e multi-"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google