A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Mediunidade; Mecanismos; Mediunidade na Adolescência. O Livro dos Médiuns; LE: Cap. IX; ESE: Cap. XXIV.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Mediunidade; Mecanismos; Mediunidade na Adolescência. O Livro dos Médiuns; LE: Cap. IX; ESE: Cap. XXIV."— Transcrição da apresentação:

1 A Mediunidade; Mecanismos; Mediunidade na Adolescência. O Livro dos Médiuns; LE: Cap. IX; ESE: Cap. XXIV

2 Todos os fenômenos espíritas têm por princípio a existência da alma, sua sobrevivência ao corpo e suas manifestações. Fundando-se numa lei da Natureza, esses fenômenos nada têm de maravilhosos, nem de sobrenaturais, no sentido vulgar dessas palavras. Muitos fatos são tidos por sobrenaturais, porque não se lhes conhece a causa; atribuindo-lhes uma causa, o Espiritismo os repõe no domínio dos fenômenos naturais. A explicação dos fatos que o Espiritismo admite, de suas causas e consequências morais, forma toda uma ciência e toda uma filosofia, que reclamam estudo sério, perseverante e aprofundado. Considerações

3 LE (457): Podem os Espíritos conhecer os nossos mais secretos pensamentos? Muitas vezes chegam a conhecer o que desejaríeis ocultar de vós mesmos. Nem atos, nem pensamentos se lhes podem dissimular. NÃO PASSA! =D Montem 2 grupitchos! \o/ 459: Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos? Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem. Pensamento

4 461: Como havemos de distinguir os pensamentos que nos são próprios dos que nos são sugeridos? Afinal, não vos é de grande interesse estabelecer essa distinção Quando um pensamento vos é sugerido, tendes a impressão de que alguém vos fala. Geralmente, os pensamentos próprios são os que acodem em primeiro lugar. Afinal, não vos é de grande interesse estabelecer essa distinção. Muitas vezes, é útil que não saibais fazê-la. Não a fazendo, obra o homem com mais liberdade. Se se decide pelo bem, é voluntariamente que o pratica; se toma o mau caminho, maior será a sua responsabilidade. Quando uma coisa se conserva imprecisa, é que convém assim aconteça.

5 464: Como distinguirmos se um pensamento sugerido procede de um bom Espírito ou de um Espírito mau? Estudai o caso. Os bons Espíritos só para o bem aconselham. Compete-vos discernir.

6 É a aptidão especial para que um encarnado (médium) possa servir de meio de comunicação entre os Espíritos e os homens encarnados. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos. Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns. (LM 159) No entanto, utilizamos as palavras médium e mediunidade apenas no sentido das comunicações ostensivas. Mediunidade

7 LM 226 1º: O desenvolvimento da mediunidade guarda relação com o desenvolvimento moral dos médiuns? Não; a faculdade propriamente dita se radica no organismo; independe do moral. O mesmo, porém, não se dá com o seu uso, que pode ser bom, ou mau, conforme as qualidades do médium. Mas, como se dá a comunicação entre o Plano Espiritual e o Plano Físico?

8

9 Classificação Quanto aos Efeitos: Físicos: São os fenômenos de ordem física, como movimento de objetos, materialização... Intelectuais: São os fenômenos de ordem inteligente, como a psicografia, psicofonia...

10 Efeitos Físicos

11 Podem ser: Inconsciente: Os que produzem espontaneamente os fenômenos, sem intervenção da própria vontade e, as mais das vezes, à sua revelia. Voluntária: Os que têm o poder de provocar os fenômenos por ato da própria vontade. Qualquer que seja essa vontade, eles nada podem, se os Espíritos se recusam, o que prova a intervenção de uma força estranha.

12 É a mediunidade das pancadas e sons variados. As primeiras comunicações inteligentes foram obtidas por meio de pancadas, ou da tiptologia. Muito limitados eram os recursos que oferecia esse meio primitivo, que se ressentia de estar na infância a arte, tudo se reduzindo, nas comunicações, a respostas monossilábicas, por sim, ou não, mediante convencionado número de pancadas. Mais tarde, foi aperfeiçoado Tiptologia

13 É de notar-se que, quando se emprega esse meio, o Espírito usa também de uma espécie de mímica, isto é, exprime a energia da afirmação ou da negação pela força das pancadas. Tiptologia interiror.

14 Chamamos materialização o fenômeno pelo qual um espírito se mostra com um corpo físico tendo todas as aparências da vida normal. As seções de materialização que mais vivamente impressionaram, tiveram lugar com o sábio William Crookes que estudou as materializações do espírito de Katie King durante um período de três anos com a médium Florence Cook (então com 16 anos), e outros cientistas. Materialização

15 Se tem uma diminuição do peso do médium durante as seções de materialização. Assim, Florence Marryat escreveu: Tendo visto a Srta. Florende Cook colocada sobre uma balança, construída por projeto do Sr. Crookes, constatei que a médium, que antes pesava 112 libras (50,8kg), logo que o Espírito materializado tomava forma, o peso do seu corpo não ultrapassava mais que a metade, 56 libras (25,4kg).

16 O tambor deixa de tocar, para despertar os soldados, logo que estes se acham todos de pé. Por que são incomuns hoje em dia?

17 Efeitos Intelectuais

18 Podem ser: Mecânicas (inconsciente): Nestes casos, o Espírito exprimi diretamente suas ideias. Nesta circunstância, o que caracteriza o fenômeno é que o médium não tem a menor consciência do que transmite. Intuitiva ou Inspirada (consciente): Nessa situação, o médium tem consciência do que transmite, embora não exprima o seu próprio pensamento. Semimecânicas (semiconsciente): No médium puramente mecânico, a comunicação independe da vontade; no médium intuitivo, o movimento é voluntário e facultativo. O médium semimecânico participa de ambos esses gêneros. No primeiro o pensamento vem depois da comunicação; no segundo, precede-a; no terceiro, acompanha-a. Estes últimos médiuns são os mais numerosos.

19 Psicografia é a faculdade onde os médiuns, sob a atuação de espíritos comunicantes, escrevem com a própria mão ou, conforme o desenvolvimento mediúnico, com ambas as mãos ao mesmo tempo. A escrita, sobretudo, tem a vantagem de assinalar, de modo mais material, a intervenção de uma força oculta e de deixar traços que se podem conservar, como fazemos com a nossa correspondência. Psicografia

20 A psicofonia é a mediunidade que permite a comunicação oral de um espírito através do médium. Esta forma de mediunidade é bastante proveitosa, principalmente pela possibilidade de estabelecer o diálogo com o espírito comunicante. Por permitir o diálogo direto, vivo e dinâmico com os espíritos, facilita o atendimento dos que precisam de ajuda ou esclarecimento, possibilitando ainda a doutrinação e consolação dos espíritos pouco esclarecidos sobre as verdades espirituais. Psicofonia

21 Segundo Allan Kardec, os médiuns videntes são dotados da faculdade de ver os Espíritos. Há os que gozam dessa faculdade em estado normal, perfeitamente acordados, guardando lembrança precisa do que viram. Outros só a possuem em estado sonambúlico ou aproximado ao sonambulismo. O médium vidente acredita ver pelos olhos, mas na realidade é a alma que vê, e por essa razão eles tanto vêem com os olhos abertos ou fechados. Vidência

22 Desdobramento


Carregar ppt "A Mediunidade; Mecanismos; Mediunidade na Adolescência. O Livro dos Médiuns; LE: Cap. IX; ESE: Cap. XXIV."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google