A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL DIRETORIA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Iniciativas públicas para.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL DIRETORIA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Iniciativas públicas para."— Transcrição da apresentação:

1 SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL DIRETORIA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Iniciativas públicas para uma matriz energética limpa

2 Apontar iniciativas públicas necessárias para o desenvolvimento de uma matriz energética limpa OBJETIVO

3 Energia Fontes renováveis Energia hidráulica Biomassa e biogás Eólica Solar Geotérmica Mar Fontes não-renováveis Gás natural Derivados do petróleo Energia nuclear Carvão Mineral Segundo ANEEL

4 Fontes para a produção de energia elétrica no Brasil

5 Capacidade de geração por estado Fonte: Aneel

6 Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

7

8 O Estado do(e) SANTA CATARINA possui no total 165 empreendimentos em operação, gerando kW de potência. Está prevista para os próximos anos uma adição de kW na capacidade de geração do Estado, proveniente dos 15 empreendimentos atualmente em construção e mais 54 com sua Outorga assinada. Capacidade de Geração em Santa Catarina

9 Empreendimentos em Operação em SC 15 das UTE são biomassa (bagaço de cana-de-açúcar, resíduos de madeira e licor negro) e 22 são e fóssil ( carvão mineral, óleo díesel) Empreendimentos em Operação TipoQuantidadePotência (kW)% CGH ,76 EOL ,24 PCH ,80 UHE ,39 UTE ,80 Total

10 TipoQuantidadePotência (kW) % PCH ,10 UHE ,90 Total Empreendimentos em Construção em SC

11 Oferta interna de Energia Fonte: EPE – Empresa de Pesquisa Energética Relatório 2009 Ano-Base 2008

12 ENERGIA HIDRÁULICA É a mais utilizada no Brasil em função da grande quantidade de rios em nosso país. A água possui um potencial energético que quando represada aumenta. Numa usina hidrelétrica existem turbinas que, na queda d`água, fazem funcionar um gerador elétrico, produzindo energia. Embora a implantação de uma usina provoque impactos ambientais, na fase de construção da represa, esta é uma fonte considerada limpa.

13 Perfil esquemático de usina hidrelétrica Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

14 Usina hidrelétrica de Itaipu Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

15 ENERGIA DE BIOMASSA É a energia gerada a partir da decomposição, em curto prazo, de materiais orgânicos (esterco, restos de alimentos, resíduos agrícolas). O gás metano produzido é usado para gerar energia.decomposiçãogás metano

16 Esquema de produção de energia elétrica através do biogás Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

17 Aterro sanitário Bandeirantes em São Paulo Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

18 ENERGIA EÓLICA Gerada a partir do vento. Grandes hélices são instaladas em áreas abertas, sendo que, os movimentos delas geram energia elétrica. É uma fonte limpa e inesgotável, porém, ainda pouco utilizada.

19 Potencial eólico brasileiro Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

20 ENERGIA SOLAR Ainda pouco explorada no mundo, em função do custo elevado de implantação, é uma fonte limpa, ou seja, não gera poluição nem impactos ambientais. A radiação solar é captada e transformada para gerar calor ou eletricidade.eletricidade

21 Variação da energia solar no Brasil Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

22 ENERGIA GEOTÉRMICA Nas camadas profundas da crosta terrestre existe um alto nível de calor. Em algumas regiões, a temperatura pode superar 5.000°C. As usinas podem utilizar este calor para acionar turbinas elétricas e gerar energia. Ainda é pouco utilizada.

23 Gerada a partir do movimento das águas oceânicas nas marés. Possui um custo elevado de implantação e, por isso, é pouco utilizada. Especialistas em energia afirmam que, no futuro, esta, será uma das principais fontes de energia do planeta. ENERGIA GRAVITACIONAL

24 Mar Aproveitamento das máres, correntes marítimas, ondas, energia térmica e gradientes de salinidade A energia maremotriz, obtida através do movimento das águas é a única forma de aproveitamento utilizada atualmente. Geração da energia maremotriz Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

25 ENERGIA FÓSSIL Formada a milhões de anos a partir do acúmulo de materiais orgânicos no subsolo. A geração de energia a partir destas fontes costuma provocar poluição, e esta, contribui com o aumento do efeito estufa e aquecimento global. Isto ocorre principalmente nos casos dos derivados de petróleo (diesel e gasolina) e do carvão mineral. Já no caso do gás natural, o nível de poluentes é bem menor.gasolina

26 Produção de Energia: Fósseis %08/07 Produção de Petróleo (10³m³) SUL ,60% SC000 Produção de Gás Natural (10 6 m³) SUL ,40% SC000 Produção de Carvão Mineral (10³ton) SUL ,50% SC ,50% Fonte: EPE – Empresa de Pesquisa Energética Relatório 2009 Ano-Base 2008

27 Esquema da produção de energia elétrica através do petróleo Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

28 Derivados do petróleo depois do refino Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL Fonte: BP, 2008

29 Esquema da produção de energia elétrica a partir do carvão mineral Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

30 Extração de carvão mineral na superfície Atlas de Energia Elétrica do Brasil - ANEEL

31 ENERGIA NUCLEAR O urânio é um elemento químico que possui muita energia. Quando o núcleo é desintegrado, uma enorme quantidade de energia é liberada. As usinas nucleares aproveitam esta energia para gerar eletricidade. Embora não produza poluentes, a quantidade de lixo nuclear é um ponto negativo. Os acidentes em usinas nucleares, embora raros, representam um grande perigo.usinas nucleares

32 Iniciativas Públicas Para orientar a tomada de decisões em assuntos de energias renováveis é preciso haver uma transversalidade entre os setores; 1) Aparato Político-Institucional: Comitê Gestor de Políticas de Energias Renováveis (Desenvolvimento Econômico, Infra-Estrutura, Ciência, Tecnologia, Agricultura, Universidades, etc) 2) Apoio a atividades que envolvam Ciência, Tecnologia e Inovação; 3) Fomento a projetos de energias renováveis; 4) Identificação de barreiras comerciais, ambientais e regulatórias (custo do empreendimento, licenciamento, microgeração, incentivos fiscais);

33 Programas Lei da Política Estadual de Mudanças Climáticas Programa Catarinense de Incentivo à Produção e Utilização de Biocombustíveis; Programa Catarinense de Estímulo ao Desenvolvimento de Energias Alternativas; Programa de Incentivo a Redução do Consumo de Energia, como ênfase no desenvolvimento de tecnologias para as energias;

34 Programas Programa Catarinense de Incentivo à Produção e Utilização de Biocombustíveis (art. 10); I - o estímulo à produção de biocombustíveis, o incremento da eficiência energética e o aproveitamento sustentável dos recursos naturais do Estado; II - o incentivo ao aproveitamento de óleos residuais para a produção de biodiesel; III - o incentivo e desenvolvimento de projetos que tenham por objetivo a produção integrada de biodiesel com alimentos e ao aproveitamento eficiente dos subprodutos originados, privilegiando a inclusão social e o desenvolvimento sustentável da sociedade catarinense; IV - o estímulo à administração pública estadual e à sociedade catarinense a utilizarem biocombustíveis em seus veículos; e V - a propagação do conhecimento sobre os biocombustíveis, de forma a envolver a sociedade e integrá-la na compreensão do tema.

35 Programas Programa Catarinense de Estímulo ao Desenvolvimento de Energias Alternativas; Estruturação do território estadual em Macro-Regiões Energéticas de SC de acordo com a vocação produtiva e características físico-geográficas; Formação de bosques energéticos Implantação de tecnologias de aproveitamento eficiente da biomassa florestal; Tecnologias de alcance social e inserção de comunidades de baixa renda na cadeia produtiva de florestas energéticas;

36 Programas Programa Catarinense de Incentivo a Redução do Consumo de Energia PROGRAMA Consumo Inteligente ACIJ: Oferece às empresas de Joinville e região, a oportunidade de realizar projetos de eficiência energética, reduzindo custos e modernizando seu parque industrial. As empresas que necessitarem adquirir equipamentos podem contar com linhas de crédito diferenciadas do BRDE para o Programa. Apoio a Projetos de Eficiência Energética – PROESCO - BNDES

37 Conclusões Santa Catarina possui uma matriz energética diversificada; Grande potencial de geração de energia através de matriz limpa; Alto potencial de geração de energia hidráulica; Alto potencial de geração de energia de biomassa; Programas instituídos pela Lei /2009 que necessitam de regulamentação; Redução das barreiras de implantação de projetos de energias renováveis;


Carregar ppt "SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL DIRETORIA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Iniciativas públicas para."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google