A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Perfil de ingressantes em Curso de Fisioterapia: razões da escolha do Curso, continuidade e condições de estudos Moacir Wuo - Metodologia Científica -

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Perfil de ingressantes em Curso de Fisioterapia: razões da escolha do Curso, continuidade e condições de estudos Moacir Wuo - Metodologia Científica -"— Transcrição da apresentação:

1 Perfil de ingressantes em Curso de Fisioterapia: razões da escolha do Curso, continuidade e condições de estudos Moacir Wuo - Metodologia Científica - Conclusões O ingresso no curso se deu pela primeira indicação da maioria de todos os alunos e alunas. As condições de oferta do curso foram os primeiro fatores de escolha do mesmo quando se considera as categorias Qualidade do Curso, Estágios e Indicações. Categorias estas que compõem elementos indicadores de estrutura do curso de Fisioterapia. Todos os alunos indicaram intenções de prosseguir estudos e trabalho após o término do curso que constituem importantes fatores motivadores. Dentre as condições de estudo a disponibilidade de computador e acesso a Internet permitem ampliar as fontes de informações como bases de dados e bibliotecas virtuais, entre outros, necessárias à vida acadêmica. Os dados mostram, portanto, excelentes condições para o desenvolvimento do curso. Referências Ayres, M., Ayres Jr, M., Ayres, D. L. & Santos, A.S. dos (2000). BioEstat 2.0. ~Sociedade Civil Mamirauá. CNPq. Goergen, P. (1998). Ciência Sociedade e universidade. Educ. Soc. 19(63): Marin, A. J. (1998). Com o olhar nos professores: desafios para o enfrentamento das realidades escolares. Cad. CEDES, 19 (44):8-18. Siegel, S. (1975). Estatística não-paramétrica para as ciências do comportamento. Ed. McGraw-Hill Ltda., SP. Wuo, M. (2003). Perfil Escolar e Conhecimentos de Genética de Ingressantes em Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Anais Congresso Nacional de Genética - SBG. Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/96) considera o Ensino Médio a base para o acesso às atividades produtivas, para prosseguimento nos níveis mais elevados e complexos de educação, embora as discussões sobre o processo educacional no Brasil têm, prioritariamente, focalizado as distorções entre os períodos compreendidos entre as séries iniciais e finais do Ensino Fundamental (Marin, 1998). O processo seletivo classificatório dos vestibulares nem sempre permite avaliar e analisar os conhecimentos e as características de formação no Ensino Médio e/ou Técnico de alunos ingressantes em cursos universitários. Os conhecimentos do perfil de formação escolar dos alunos podem refletir possíveis distorções do ensino médio, tanto no ensino específico de determinadas áreas, disciplinas ou partes destas. São escassas ou inexistentes as referências e análises pontuais sobre os alunos egressos do Ensino Médio (Wuo, 2003). As análises do perfil do aluno ingressante constituem um valioso indicador para ajustes e reorientações nos processos e nas ações pedagógicas de disciplinas específicas. Essas análises também permitem orientar medidas necessárias para garantir uma crescente desempenho do aluno ao longo do curso superior assim como para dar atendimento às exigências atuais sobre a produção científica como elaboração de trabalhos ou monografias de conclusão de curso (Goergen, 1998). Objetivo Analisar as razões de escolha do curso e as condições de para estudos de alunos ingressantes de um Curso de Fisioterapia de uma Instituição Particular. Método Participantes: 67 alunos do 1o. Semestre do período diurno de um Curso de Fisioterapia de uma Instituição Particular da Região Leste da Grande São Paulo, sendo 15 (22,4%) do sexo masculino e 52 (77,6%) do sexo feminino, cujas diferenças são estatisticamente significativas ( 2 o = 30,47, 2 c = 3,84, para = 0,05, gl = 1). Instrumento de Coleta de Dados: Questionário contendo 10 questões fechadas e uma aberta versando sobre opção do curso, perspectivas futuras de trabalho e de continuidade de estudos, razões para escolha do curso, disponibilidade de horas diárias para estudo, acesso a computador Internet, situação atual com relação a trabalho e local de residência Procedimento O questionário foi construído e submetido a um pré-teste e, após as correções, foi aplicado em uma aula do início do ano letivo sem prévio aviso. Os participantes foram informados dos objetivos da pesquisa, a não obrigatoriedade da participação e a garantia do sigilo e privacidade das respostas dadas. Análise dos Dados Os dados foram tabulados e analisados no Programa BioEstat2.0 (Ayres, Ayres Jr, Ayres & Santos, 2001), utilizando o teste 2 de aderência para uma amostra, = 0,05 (Siegel975) Resultados De todos os alunos, e entre os sexos, a primeira opção no vestibular para ingresso no curso aparece com freqüência de 80,6%, seguida da segunda opção com 19,4%, cuja diferença é significativa ( 2 o = 37,45, 2 c = 3,84, para = 0,05, gl = 1). As diferenças entre as freqüências das indicações entre os sexos não é significativa ( 2 o = 2,18, 2 c = 3,84, para = 0,05, gl = 1) ( Figura 1). A Figura 2 apresenta as razões da escolha do curso de Fisioterapia. A categoria Qualidade do Curso aparece em primeiro lugar para os alunos e alunas com freqüências de 49,9% e 37,5%, respectivamente, de todas as indicações. Em segundo lugar aparece a categoria Razões Pessoais com 15,6% e 17,%, seguida da categoria Estágio com 15,6% e 16,1%, As comparações entre as diferenças das freqüências das indicações de alunos e alunas não são significativas ( 2 o = 3,79 2 c = 9,49 para = 0,05, gl = 4), embora as diferenças todas as categorias isoladamente para cada sexo tenha se mostrado significativas (( 2 o = 46,54 para os alunos e 2 o = 20,25 para as alunas 2 c = 9,49 para = 0,05, gl = 4). Atividades após a Conclusão do Curso Sexo Totais MasculinoFeminino n%n%n% Fazer Especialização1337, ,2 Trabalhar na área1131,43334,74433,8 Fazer Mestrado1028,62324,23325,4 Parar de estudar12,911,121,5 Totais As pretensões futuras após a conclusão do curso são apresentadas na Tabela 1. Em primeiro lugar aparece a categoria Fazer Especialização com 39,2% de todas as indicações seguida das categorias Trabalhar na Área com 33,8% e Fazer Mestrado com 25,4%, cujas diferenças não são significativas ( 2 o = 2,94 2 c = 5,99 para = 0,05, gl = 2). As comparações entre as diferenças das freqüências de ambos os sexos também não se mostraram significativas ( 2 o = 0,62, 2 c = 5,99 para = 0,05, gl = 2). As indicações para a categoria Parar de Estudar não foram computadas nos cálculos de significância devido ao fator de serem freqüências menos que 5%. A disponibilidade de computador foi indicada por 95,5% de todos os alunos, sendo 100% para os alunos e 94,2% das alunas. O acesso a Internet foi indicada 89,6% de todos os alunos, sendo 100% para os alunos e 86,5% das alunas.


Carregar ppt "Perfil de ingressantes em Curso de Fisioterapia: razões da escolha do Curso, continuidade e condições de estudos Moacir Wuo - Metodologia Científica -"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google