A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE LER/DORT E ASSÉDIO MORAL 30 a 31 de maio de 2006 Natal, RN.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE LER/DORT E ASSÉDIO MORAL 30 a 31 de maio de 2006 Natal, RN."— Transcrição da apresentação:

1 I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE LER/DORT E ASSÉDIO MORAL 30 a 31 de maio de 2006 Natal, RN

2 Aspectos Conceituais e Estratégias para Atenção Diferenciada às LER/DORT: Atenção Diferenciada às LER/DORT: Prevenção, Diagnóstico e Tratamento. O Papel do CEREST Maria Goretti de Morais Coordenadora do CEREST/RN

3 CEREST Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador Natal/RN2006

4 Histórico Século XVII => 1º registros – LER B. Ramazzini B. Ramazzini 1982 – 1º registro no Brasil – BB P. Alegre - RS 1987 – Tendossinovite reconhecida como D. Tb => MPAS 1990 – aumento explosivo LER ª Norma sobre LER – MTPS 1998 – novo texto da N. Téc. da LER, rebatizada de DORT- MPAS

5 O QUE É LER-DORT? LER: Lesão por Esforço Repetitivo DORT: Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho. Relacionados ao Trabalho.

6 DEFINIÇÃO As LER/DORT por definição são um fenômeno relacionado ao trabalho, caracterizado pela ocorrência de vários sintomas concomitantes ou não, tais como dor, parestesia, sensação de peso, fadiga, de aparecimento insidioso, geralmente nos membros superiores.

7 LER-DORT Entidades neuro-ortopédicas: como tenossinovites, sinovites, compressões de nervos periféricos podem ser identificadas ou não. Freqüentemente são causa de incapacidade laboral temporária ou permanente. São resultado da superutilização das estruturas anatômicas do sistema osteomuscular e da falta de tempo de recuperação.

8 QUAIS SÃO OS FATORES DE RISCO? Trabalho automatizado. Trabalho automatizado. Ritmo de Tb acelerado para garantir a produção.Ritmo de Tb acelerado para garantir a produção. Trabalho onde cada um exerce uma única tarefa de forma repetitiva.Trabalho onde cada um exerce uma única tarefa de forma repetitiva. Tb sob pressão permanente das chefias.Tb sob pressão permanente das chefias. Quadro reduzido de funcionários, jornada prolongada e realização de horas extras.Quadro reduzido de funcionários, jornada prolongada e realização de horas extras.

9 continuação Falta de pausas na jornada de trabalho. Falta de pausas na jornada de trabalho. Tb realizado em ambientes frios, ruidosos e mal ventilados. Tb realizado em ambientes frios, ruidosos e mal ventilados. Postos de Tb e máquinas inadequadas, que obrigam a adoção de posturas incorretas Postos de Tb e máquinas inadequadas, que obrigam a adoção de posturas incorretas Equipamentos com defeito. Equipamentos com defeito. Tempo excessivo na mesma posição em pé. Tempo excessivo na mesma posição em pé.

10 Partes mais afetadas no Corpo Humano pela LER/DORT Parte afetada % antebraço15.1 mão12.3 cervical11.8 ombro8.9 braço7.7 quirodáctilo4.9 cotovelo3.5 dorsal/lomb3.1 Outros1,6 Distribuição 2º local das queixas Mão 12.3 Braço 7.7 cervical11.8 Antebraço 15.1

11 TENOSSINOVITE: inflamação do tecido que reveste os tendões. TENOSSINOVITE: inflamação do tecido que reveste os tendões. TENDINITE = inflamação tendões. TENDINITE = inflamação tendões. EPICONDILITE: inflamação cotovelo EPICONDILITE: inflamação cotovelo BURSITE: inflamação de bolsas entre os ossos e tendões das articulações do ombro BURSITE: inflamação de bolsas entre os ossos e tendões das articulações do ombro MIOSITE: inflamação do músculo. MIOSITE: inflamação do músculo. TIPOS de LER/DORT + frequentes:

12 continuação SÍNDROME TÚNEL DO CARPO: compressão nervo mediano altura punho. SÍND. CERVICOBRAQUIAL: compressão nervos em coluna cervical SÍND. DO DESFILADEIRO TORÁCICO: compressão do plexo = nervos e vasos SÍND. DO OMBRO DOLOROSO: compressão de nervos e vasos em região do ombro.

13 Algumas funções mais atingidas Digitadores Digitadores Operadores de caixa Operadores de caixa Açougueiro Açougueiro Padeiros Padeiros Recepcionistas/Telefonistas Recepcionistas/Telefonistas Copeiras Copeiras Remarcadores de mercadorias Remarcadores de mercadorias Ascensoristas, etc Ascensoristas, etc

14 CEREST Criado através da Portaria n° 135 de 23 de Abril de 2004, o CEREST – RN pertence à SESAP, estando vinculado à Coordenadoria de Promoção à Saúde. primeiro Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador no Estado é o órgão do SUS/RN responsável pela coordenação da Política Estadual de Saúde do Trabalhador atua em áreas de formação e capacitação de recursos humanos, normalização técnica, vigilância e assistência.

15 O CEREST Nesses 2 primeiros anos de existência, o CEREST estadual vem investindo na sua estruturação com vista a implantação das ações de promoção e proteção da saúde do trabalhador, mediante a descentralização para 2 municípios das ações de assistência e vigilância em saúde em 2006.

16 Estratégias para atenção diferenciada – LER/DORT Fortalecer a Atenção Básica no cuidado com a LER/DORT Fortalecer a Atenção Básica no cuidado com a LER/DORT Incluir na PPI atendimento MAC Incluir na PPI atendimento MAC Ampliar o acesso a rede de serviços aos Tb na rede do SUS para diagnóstico da LER/DORT Ampliar o acesso a rede de serviços aos Tb na rede do SUS para diagnóstico da LER/DORT Assegurar a referência e contra-referência Assegurar a referência e contra-referência Garantir oferta de serviços de fisioterapia, acupuntura,etc Garantir oferta de serviços de fisioterapia, acupuntura,etc Vigilância em Saúde do Trabalhador Vigilância em Saúde do Trabalhador Ampliar o acesso dos Tb ao Sistemas de Informação em Saúde do Trabalhador Ampliar o acesso dos Tb ao Sistemas de Informação em Saúde do Trabalhador Descentralização das ações de saúde do trabalhador Descentralização das ações de saúde do trabalhador Construir parcerias intrasetorial e intersetorial Construir parcerias intrasetorial e intersetorial Qualificar a assistência para atendimento ao trabalhador adoecido por LER Qualificar a assistência para atendimento ao trabalhador adoecido por LER

17 Sistemas de Informação em Saúde Acompanhamento e análise de informações sobre acidentes e doenças do trabalha nos seguintes sistemas de informação do SUS: Sistema de Informações de Mortalidade – SIM Sistema de Informações de Mortalidade – SIM Sistema de Informações Hospitalares – SIH Sistema de Informações Hospitalares – SIH Sistema de Informações de Agravos de Notificação – SINAN Sistema de Informações de Agravos de Notificação – SINAN Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT

18 Sistemas de Informação em Saúde do Trabalhador Estudo da demanda do Ambulatório do CEREST em relação a LER/DORT; Estudo da demanda do Ambulatório do CEREST em relação a LER/DORT; Acompanhamento das notícias sobre LER/DORT veiculadas nos principais jornais do Estado. Acompanhamento das notícias sobre LER/DORT veiculadas nos principais jornais do Estado. Utilização de informações de estudos e pesquisas. Utilização de informações de estudos e pesquisas.

19 Dados Epidemiológicos Dados Epidemiológicos % Distribuição 2º ramo de atividade Bancário 35.5% Bancário 35.5% Metalúrgico 33.7% Metalúrgico 33.7% Serv.Púb/privados 13.7% Serv.Púb/privados 13.7% Comércio 3.1% Comércio 3.1% Confecção/vestuário 2.1% Confecção/vestuário 2.1% Gráfico 1.5% Gráfico 1.5% Comunicações 1.0% Comunicações 1.0% Outros 9.5% Outros 9.5%

20 Incidência A incidência de LER/DORT em mmss aumentou dramaticamente ao longo das últimas décadas em todo o mundo. Estudos realizados nos EUA apontam que cerca de 65% de todas as patologias registradas como ocupacionais são de LER/DORT, nas empresas com mais de 11 empregados do setor privado daquele país, a incidência estimada da LER é de 10 por homens. A relação horas trabalhadas/ano pode determinar incidência mais alta em alguns setores: atividades que exigem uso de força e de repetição comum em linhas de produção de frigoríficos, em bancos, caixas de supermercado, empacotamento, etc.

21 Descentralização 1.Cooperação técnica e treinamento das equipes dos municípios que participam dos projetos: Rede de Cuidados Integrais em LER/Dort 2.Treinamento destas equipes em: Vigilância à saúde Vigilância à saúde identificação de riscos ergonômicos identificação de riscos ergonômicos Sistemas de informação Sistemas de informação Diagnóstico Diagnóstico Tratamento Tratamento Reabilitação Reabilitação

22 Atenção à Saúde do Trabalhador CEREST Regionais estão sendo implantados com propósito de prestarem atenção à saúde do trabalhador através de ambulatórios dotados de atendimento básico e especializado e referência para policlínicas e hospitais. Realizar tratamento específico para LER: – –Fisioterapia, – –Médica, – –Psicologia – –Serviço Social e – –Terapia ocupacional. – –Outros profissionais

23 Atenção à Saúde do Trabalhador Desenvolver atividades coletivas de orientação e acolhimento nos espaços da sala de espera e de triagem coletiva. Realizar atividades coletivas de educação em saúde de Grupos de Terapia Ocupacional de Qualidade de Vida

24 Cont. Vigilância à saúde dos trabalhadores - exames médicos: aspectos clínicos e osteoarticulares; Acordos que privilegiem a prevenção de doenças do Tb ou profissionais, tratamento e reabilitação dos trabalhadores; Postura ética dos médicos da empresa e peritos do INSS no atendimento aos trabalhadores vítimas de D.P ou AT.

25 Educação e Comunicação em Saúde do Trabalhador Desenvolve programas de capacitação de recursos humanos nas formas de: Estágios curriculares Estágios curriculares Treinamentos em serviço Treinamentos em serviço Estágios profissionais Estágios profissionais Residência Médica Residência Médica Curso de especialização Curso de especialização

26 Educação e Comunicação em Saúde do Trabalhador Produzir material informativo: Vídeos, Vídeos, Jornal, Jornal, Cartilhas, Cartilhas, Folhetos e Folhetos e Cartazes. Cartazes.

27 Educação e Comunicação em Saúde do Trabalhador Realizar eventos que visem a disseminação de informações LER/DORT e outros assuntos pertinentes à saúde do trabalhador. Realizar eventos que visem a disseminação de informações LER/DORT e outros assuntos pertinentes à saúde do trabalhador. Desenvolver campanhas educativas nas empresas, sindicatos, CIPAS, SESMT sobre LER/DORT. Desenvolver campanhas educativas nas empresas, sindicatos, CIPAS, SESMT sobre LER/DORT.

28 COMO PREVINIR AS DOENÇAS DO TRABALHO: COMO PREVINIR AS DOENÇAS DO TRABALHO: Controle do ritmo de trabalho Definir jornada de Trabalho, eliminação horas extras. Pausas durante a jornada de trabalho; Adequação dos postos de trabalho, evitar adoção de posturas corporais incorretas. Ambiente de trabalho com temp, ruído e iluminação adequados ao bem-estar;

29 Parcerias e atuação intersetorial O CEREST vem trabalhando em conjunto com diversos órgãos, estabelecendo formas de debate e negociação no campo da saúde do trabalhador. Os principais parceiros têm sido:

30 Secretarias Municipais de Saúde Vigilâncias: VE, VS, VA Laboratório Central - LACEN Delegacia Regional do Trabalho Instituto Nacional de Seguro Social Ministério Público do Estado Ministério Público do Trabalho Secretaria do Trabalho e Ação Social Secretaria da Agricultura Sindicatos, Empresas ONGs Universidades

31 Acesso ao CEREST Estadual - RN Endereço: Av. Deodoro da Fonseca, 730, 13° andar Natal – RN Telefone: (84) Fax: (84)


Carregar ppt "I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE LER/DORT E ASSÉDIO MORAL 30 a 31 de maio de 2006 Natal, RN."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google