A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Página n.° MenuAnteriorIniciar 1 NORMA REGULAMENTADORA NR 10.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Página n.° MenuAnteriorIniciar 1 NORMA REGULAMENTADORA NR 10."— Transcrição da apresentação:

1 Página n.° MenuAnteriorIniciar 1 NORMA REGULAMENTADORA NR 10

2 Página n.° MenuAnteriorIniciar 2 NORMA REGULAMENTADORA NR 10

3 Página n.° MenuAnteriorIniciar 3 Esta Norma Regulamentadora - NR 10, foi criada para estabelecer os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade.

4 Página n.° MenuAnteriorIniciar 4 Esta norma aplica-se às fases de geração, transmissão, distribuição e consumo, incluindo as etapas de projeto, construção, montagem, operação, manutenção das instalações elétricas e quaisquer trabalhos realizados nas suas proximidades, observando-se as normas técnicas oficiais estabelecidas pelos órgãos competentes ou, as normas internacionais cabíveis.

5 Página n.° MenuAnteriorIniciar 5 MEDIDAS DE CONTROLE Em todos os serviços em instalações elétricas devem: Ser adotadas medidas preventivas de controle do risco elétrico e de outros riscos adicionais, mediante técnicas de análise de risco, de forma a garantir a segurança e a saúde no trabalho. As medidas de controle devem garantir na empresa,a preservação da segurança, da saúde e do meio ambiente do trabalho. As empresas estão obrigadas a manter esquemas das instalações elétricas dos seus estabelecimentos, especificando sistemas de aterramento, equipamentos e dispositivos de proteção.

6 Página n.° MenuAnteriorIniciar 6 Para empresas com carga acima de 75 Kw: Prontuário de Instalações Elétricas; Conjunto de procedimentos e instruções técnicas e administrativas de segurança e saúde, Documentação das inspeções e medições do sistema de proteção contra descargas atmosféricas e aterramentos elétricos; Especificação dos equipamentos de proteção coletiva e individual e o ferramental; Documentação comprobatória da qualificação, habilitação, capacitação, autorização dos trabalhadores e dos treinamentos realizados; Certificações dos equipamentos e materiais elétricos em áreas classificadas; Relatório técnico das inspeções atualizadas com recomendações, cronogramas de adequações.

7 Página n.° MenuAnteriorIniciar 7 MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA As medidas de proteção coletiva visam a segurança e saúde de trabalhadores e de pessoas envolvidas em atividades próximas as atividades em execução. Como prioridade na segurança, está: Dezenergização dos circuitos; Seccionamento; Isolação das partes vivas. Sistema de bloqueio automático de alimentação; Obstáculos e barreiras.

8 Página n.° MenuAnteriorIniciar 8 Principais EPIs: Sinalização; Coletes reflexivos; Fitas de marcação e reflexivas; Cones de sinalização; Conjuntos de aterramento temporário.

9 Página n.° MenuAnteriorIniciar 9 MEDIDAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Medidas de proteção individual são utilizadas quando passa a ser insuficiente as de uso coletivo. Consideradas individuais, as vestimentas de trabalho devem ser adequadas as atividades, de modo a evitar condutibilidade, inflamabilidade e influências eletromagnéticas. Compreendida na NR 06, todo EPI deve possuir certificado de aprovação.

10 Página n.° MenuAnteriorIniciar 10 Como prioridade na segurança em EPIs individuais estão: Cinto de segurança para eletricista; Capacetes Classe B, aba total; Botas com proteção contra choques elétricos; Óculos de proteção contra impactos de partículas e objetos; Braçadeiras ou mangas de segurança para proteção do braço e antebraço; Luvas de borrachas com classe de isolamento; Bolsas para içamento de ferramentas.

11 Página n.° MenuAnteriorIniciar 11 Desenergização A desenergização é um conjunto de ações coordenadas, seqüenciadas e controladas. Somente serão consideradas desenergizadas as instalações elétricas liberadas para trabalho, mediante os procedimentos apropriados e obedecida a seqüência a seguir: Seccionamento É o ato de promover a descontinuidade elétrica total, obtida mediante o acionamento de dispositivo apropriado.

12 Página n.° MenuAnteriorIniciar 12 Desenergização Impedimento de reenergização É o estabelecimento de condições que impedem,a reenergização do circuito ou equipamento desenergizado, assegurando ao trabalhador o controle do seccionamento. Constatação da ausência de tensão É a verificação da efetiva ausência de tensão nos condutores do circuito elétrico. Instalação de aterramento temporário com equipotencialização dos condutores dos circuitos Constatada a inexistência de tensão, os condutores deverão ser ligados à haste terra do conjunto de aterramento temporário e realizado a equipotencialização das fases.

13 Página n.° MenuAnteriorIniciar 13 Desenergização Proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada Define-se zona controlada como, área em torno da parte condutora energizada, segregada, acessível, de dimensões estabelecidas de acordo com nível de tensão, cuja aproximação só é permitida a profissionais autorizados, como disposto no anexo II da Norma Regulamentadora Nº10. Podendo ser feito com anteparos, dupla isolação invólucros, etc. Instalação da sinalização de impedimento de reenergização Destinada à advertência e à identificação da razão de desenergização e informações do responsável.

14 Página n.° MenuAnteriorIniciar 14 Dispositivos a corrente de fuga Dispositivo de proteção operado por corrente Tem por finalidade desligar da rede de fornecimento de energia elétrica, o equipamento ou instalação que ele protege, na ocorrência de uma corrente de fuga que exceda determinado valor, sua atuação deve ser rápida, menor do que 0,2 segundos (Ex.: DDR).

15 Página n.° MenuAnteriorIniciar 15 Bloqueios e impedimentos Dispositivos de bloqueio são aqueles que impedem o acionamento ou religamento de dispositivos de manobra (chaves, interruptores). Bloqueio é a ação destinada a manter, por meios mecânicos um dispositivo de manobra fixo numa determinada posição, de forma a impedir uma ação não autorizada, em geral utilizam cadeados.

16 Página n.° MenuAnteriorIniciar 16 Obstáculos e anteparos Os obstáculos são destinados a impedir o contato involuntário com partes vivas, mas não o contato que pode resultar de uma ação deliberada e voluntária de ignorar ou contornar o obstáculo.

17 Página n.° MenuAnteriorIniciar 17 Isolamento das partes vivas São elementos construídos com materiais dielétricos (não condutores de eletricidade) que têm por objetivo isolar condutores ou outras partes da estrutura que estão energizadas, para que os serviços possam ser executados com efetivo controle dos riscos pelo trabalhador.

18 Página n.° MenuAnteriorIniciar 18 Riscos ocupacionaisRiscos ocupacionais Consideram-se riscos ocupacionais, os agentes existentes nos ambientes de trabalho, capazes de causar danos à saúde do empregado.

19 Página n.° MenuAnteriorIniciar 19

20 Página n.° MenuAnteriorIniciar 20 Riscos adicionais –De altura; –De ambientes confinados; –De áreas classificadas; –De umidade; –Condições atmosféricas.

21 Página n.° MenuAnteriorIniciar 21 SEGURANÇA EM PROJETOS - É obrigatório especificar dispositivos de desligamento de circuitos para impedimento de reenergização de instalações elétricas; - Sinalizar condição operativa; - O projeto deve prever a instalação de dispositivo de seccionamento de ação simultânea para impedimento de reenergização do circuito. - O projeto deve considerar espaço seguro para dimensionamento, influências externas, etc; - Definir a configuração do esquema de aterramento (Neutro);

22 Página n.° MenuAnteriorIniciar 22 - Identificação, sinalização e instalação separadamente dos circuitos com finalidades diferentes; - Projeto das instalações deve ser atualizado sempre que houver mudanças; - Condições para adoção de aterramento; - Devem tender as exigências das NRs de Saúde e Segurança no Trabalho, as regulamentações técnicas, e ser assinado por profissional legalmente habilitado. - Itens de segurança: Especificação das características de proteção contra choques elétricos; Indicação dos dispositivos de circuitos elétricos (verde e vermelho);

23 Página n.° MenuAnteriorIniciar 23 Recomendações de restrições e advertências quanto ao acesso de pessoas aos componentes das instalações; Precauções a influências externas; Principio funcional dos dispositivos de proteção; Os projetos devem assegurar que as instalações proporcionem aos trabalhadores iluminação adequada e uma posição de trabalho segura, de acordo com a NR 17.

24 Página n.° MenuAnteriorIniciar 24 SEGURANÇA NA MONTAGEM, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO As instalações elétricas devem ser construídas, operadas, reformadas, ampliadas, reparadas e inspecionadas de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores e dos usuários; Adotar medidas preventivas ao controle dos riscos adicionais, especialmente quanto a altura, confinamento, campos elétricos e magnéticos, etc; Utilizar equipamentos, dispositivos e ferramentas elétricas compatíveis;

25 Página n.° MenuAnteriorIniciar 25 Equipamentos, dispositivos e ferramentas que possuam isolamento elétrico devem estar adequados às tensões envolvidas; As instalações elétricas devem ser mantidas em condições seguras de funcionamento; Seus sistemas de proteção devem ser inspecionados, testados e controlados periodicamente.

26 Página n.° MenuAnteriorIniciar 26 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DESENERGIZADAS Somente será considerada seguras e desenergizadas instalações mediante os procedimentos de: Seccionamento; Impedimento de reenergização; Constatação da ausência de tensão; Aterramento temporário com equipotencialização dos condutores dos circuitos; Instalação da sinalização de impedimento de reenergização.

27 Página n.° MenuAnteriorIniciar 27 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ENERGIZADAS Para intervenções em redes de 50 Volts em corrente alternada ou superior a 120 Volts só pode ser realizada por pessoas habilitadas, qualificadas, capacitadas e trabalhadores autorizados pela empresa. Suspensão imediata dos serviços em casos de ocorrências que possam colocar trabalhadores em perigo. O responsável deve suspender as atividades quando verificar situação ou condição de risco não prevista, cuja eliminação ou neutralização imediata não seja possível.

28 Página n.° MenuAnteriorIniciar 28 TRABALHOS ENVOLVENDO ALTA TENSÃO (AT) Os trabalhadores devem receber treinamento de segurança, específico em segurança no Sistema Elétrico de Potência (SEP) e em suas proximidades, Os serviços em instalações elétricas energizadas em AT e em SEP, não podem ser realizados individualmente. Trabalhos em AT e SEP somente pode ser realizado mediante ordem de serviço específica para data e local, assinada. Dispositivos desativados devem ser sinalizados com identificação da condição de desativação equipamentos de comunicação com os demais membros da equipe ou com o centro de operação durante a realização do serviço.

29 Página n.° MenuAnteriorIniciar 29 REENERGIZAÇÃO Para que seja reenergizado as instalações deve-se: Retirar ferramentas, equipamentos e utensílios; Retirar da zona controlada todas as pessoas não envolvidas na atividade; Remoção de aterramento temporário; Remoção da sinalização de impedimento de sinalização; Destravamento se houver, e religação dos dispositivos de seccionamento.

30 Página n.° MenuAnteriorIniciar 30 ZONA DE RISCO E ZONA CONTROLADA

31 Página n.° MenuAnteriorIniciar 31


Carregar ppt "Página n.° MenuAnteriorIniciar 1 NORMA REGULAMENTADORA NR 10."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google