A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profa. Dra. Silvia Maria Guerra Molina Estagiária PAE (2013): Patrícia Canholi Monitor PEEG (2013): Ian Mikael Paiva Anteriores: Paulo R. A. Berni, Carolina.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profa. Dra. Silvia Maria Guerra Molina Estagiária PAE (2013): Patrícia Canholi Monitor PEEG (2013): Ian Mikael Paiva Anteriores: Paulo R. A. Berni, Carolina."— Transcrição da apresentação:

1 Profa. Dra. Silvia Maria Guerra Molina Estagiária PAE (2013): Patrícia Canholi Monitor PEEG (2013): Ian Mikael Paiva Anteriores: Paulo R. A. Berni, Carolina F. Carcaioli, Felipe C. B. Cavalcanti Piracicaba AULA 12 -

2 Questões Socioambientais, Biotecnologias e seus Produtos 1. Biotécnicas, biotecnologias e revolução tecnocientífica Bibliografia: Síntese e adaptação do capítulo 6 do livro: Oliveira, Fátima. Engenharia Genética: o sétimo dia da criação. 2a ed., São Paulo, Ed. Moderna, 2004, 224p

3 Engenharia Genética Ramo importante da Biotecnologia: Técnicas e processos que viabilizam a manipulação do código genético, da molécula de DNA Nem toda biotecnologia é engenharia genética! Manipulação genética: Desde o início da agricultura e domesticação de animais! Transformação de uvas em vinho; leite em queijo Provavelmente decisiva para a sobrevivência da espécie humana

4 Biologia: as diferentes técnicas e tecnologias constituíram elementos importantes em sua evolução: Biologia Antiga: observação a olho nu Biologia Moderna: introdução de lentes - microscopia óptica – grandes avanços Biologia Contemporânea: potencialização da visibilidade do micromundo celular – microscopia eletrônica, progressos da química, física e suas aplicaçoes tecnológicas Aplicação integrada nas ciências biológicas: nascimento da Biologia Molecular

5 Biotécnicas modernas: clonagem, engenharia genética, genômica, proteômica, metabolômica OGM: Organismo Geneticamente Modificado OGMs transgênicos são obtidos pela adição de um gene exógeno (animal ou vegetal ou de micro- organismos) a um outro genoma (animal ou vegetal ou de micro-organismos)

6 Transgene: gene adicionado ao genoma do organismo hospedeiro o novo caráter condicionado por ele é transmitido à descendência A transgenia rompe barreiras entre espécies pois é germinativa – possibilita que qualquer ser vivo adquira características de vegetais, animais, micro-organismos e mesmo, humanos

7 Engenharia genética: Envolve ainda problemas científicos e éticos Paradigma sobre o qual foi construída - o determinismo genético e a estabilidade dos genes e dos genomas está ruindo o genoma estável é uma abstração É norma geral da natureza viva que o ambiente e os genes são absolutamente interdependentes

8 Dentro dos processos produtivos industriais: - As ciências da natureza participam de forma cada vez mais direta -Fusão entre ciência, tecnologia e produção -Rapidez de aplicação de conhecimentos científicos à produção. Há ainda uma certa primazia do conhecimento científico sobre a tecnologia e desta sobre a produção. Há ainda alguma autonomia para as pesquisas básicas, mesmo com o cerco dos interesses industriais e comerciais.

9 Exemplos: Estrutura e funcionamento do DNA Propriedades da Energia Nuclear Propriedades químicas das moléculas Manipulação gênica e Engenharia genética Ressonância Magnética e bomba atômica Medicamentos e drogas Porquês e as Causas-Consequências dos fenômenos. Aplicações, Destinos dados pelos seres Humanos ao conhecimento

10 No centro das escolhas sobre as aplicações dos conhecimentos estão vocês! Futuros profissionais! Inevitavelmente incorrem em questões éticas. O conhecimento adquirido por vocês está à serviço de quem? Ou do quê? E ciência deve estar a serviço de quem? E a tecnologia?

11 Ciências da natureza a serviço de interesses comerciais e industriais: profundas transformações na vida social, econômica e política. Cria monopólios de ciência e tecnologia Intensifica diferenças entre países pobres e ricos Agrava problemas gerais de populações oprimidas Objetivo humanitário central das ciências: aumento do bem-estar das pessoas?????

12 Empresas de Engenharia Genética: 1971 – capacidade de criar micro-organismos capazes de aumentar a produção de antibióticos; resultados positivos com interferon estimularam novas indústrias 1973 – moléculas de DNA recombinantes – DNA de dois organismos diferentes 1979 – Hormônios: ex: do crescimento humano, fabricado pela Escherichia coli (comercializado a partir de 1985)

13 1°. Produto de Engenharia Genética a chegar ao mercado: -insulina humana recombinante (IH-r), insulina humana transgênica ou GM (1984 ou 1987) -Implantação em E. coli, de um gene que produz protoinsulina Sob pressão da demanda nenhuma empresa que a produz realizou estudos clínicos adequados antes da aprovação pela Food and Drugs Administration (FDA), nem após as queixas de efeitos adversos. Assumem que se uma proteína X natural não faz mal, a proteína X artificial também é segura

14 Surgem associações entre a indústria farmacêutica e a de DNA Década de nos EUA – corrida para associação com empresas de DNA -Diversificação de empresas biotecnológicas e bioindústrias (medicina, agricultura, pecuária) -ofensivas de protecionismo seja nas pesquisas, transferência de tecnologia, industrialização e comercialização dos produtos – manutenção do monopólio do conhecimento

15 Impactos na Economia: Associações entre indústrias químico-farmacêuticas e grupos privados de biotecnologia – sucesso na captação de recursos para pesquisas Grandes grupos farmacêuticos vêm investindo no setor – abandonando suas fábricas químicas e priorizando fábricas biológicas animais e vegetais, com apoio do mundo acadêmico

16 Parte substancial da biodiversidade, incluindo produtos cultiváveis estão no terceiro mundo (incluindo Ásia Menor, América do Sul e China) Maior banco de germoplasma do mundo - América do Sul No Brasil, a Amazônia possui o banco genético mais rico em variabilidade genética do mundo – o que atrai o interesse dos países de primeiro mundo

17 OBS: banco de germoplasma Coleção de células, sementes, mudas ou plantas Um banco de germoplasma pode ser : natural (in situ – ex: reserva ecológica) ou artificial (ex situ – ex: campos plantados em estações experimentais; culturas de tecidos em laboratórios)

18 Eco-92 – Rio 92 - II Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente – sustentabilidade (Convenção sobre mudanças climáticas, Agenda 21, Declaração do Rio de Janeiro, documento sobre Florestas) Convenção sobre biodiversidade: conjunto de normas para proteger e preservar o meio ambiente – países signatários ficam obrigados a guardar a biodiversidade nativa e aqueles que a utilizam devem pagar por isso

19 Convenção sobre biodiversidade: -Proíbe experimentos inseguros -Determina que a fabricação de drogas e o uso de tecnologias relacionadas à saúde reprodutiva levem em conta as considerações éticas Assinado por 175 países, não pelos EUA que não possuem mais germoplasmas nativos Em 1993 assinaram com reservas - que protegem suas empresas de biotecnologia 30 países assinaram: Lei internacional em 29 de dezembro de 1993

20 Indústria Têxtil – máquina a vapor 1a Revolução Industrial ( ) incorporação da ciência e tecnologia, eletricidade, petróleo, motor a combustão interna 2a Revolução Industrial (1870) Biotecnologia – seu polo mais dinâmico e decisivo: as bioindústrias 3a Revolução Industrial – em curso

21 Urge encontrar caminhos que possibilitem ao conjunto do povo, em todas as sociedades, uma alfabetização tecnocientífica mínima para que possam participar, com conhecimento de causa e segurança, sobre o que fazer e qual o destino que querem para biotécnicas modernas, como clonagem e nanotecnologia

22 Clonagem: Grego: Klon, Klónos = rebento, broto, pequeno ramo Obtenção de cópias de genes ou células Clonagem clássica (1) e de última geração (2) -Comum na natureza -todas as nossas células somáticas são clones entre si -geneticamente iguais e descendem do mesmo zigoto

23 Clonagem: (1) Clássica: 1952.Necessita de gametas feminino e masculino.Imita o processo de fissão gemelar.(gêmeos univitelinos) (2) De Última Geração: (>1962) -Tipo Dolly não usa gameta masculino -Transfere o núcleo de uma célula diferenciada adulta

24 A Clonagem tipo Dolly : Conceitualmente não é um clone – o DNAmt (DNA mitocondrial) pertence a outra ovelha É possível retornar células diferenciadas ao estágio indiferenciado (reprogramação genética) Uma célula somática, em determinadas condições, pode reativar todos os seus genes e gerar um novo ser É possível criar humanos via procedimentos utilizados para obter Dolly

25 Reprogramação genética: processo central na clonagem de última geração Estudos até 2003: Vacas clonadas que morreram precocemente apresentavam vários genes no cromossomo X desligados irregularmente – tal problema ocorre em 95% dos casos Processo ainda bastante desconhecido

26 Clonagem em 2008: (PNAS )/Folha de São Paulo ( ) DNA retirado de animal (rato) congelado há até 16 anos sob até -20°C Transferência do núcleo de células do animal morto para óvulos novos, criando um linhagem de células tronco embrionárias. Quando estáveis o núcleo dessa foi transferido para outros óvulos que geraram os clones

27 Clonagem em 2008: (PNAS )/Folha de São Paulo ( )

28 Recuperação de espécies extintas???

29

30 Nanociências: Não existem fronteiras entre física, química, biologia molecular e engenharia de materiais – área altamente interdisciplinar, requer diferentes grupos de pesquisa em projetos em colaboração Aplicações: farmacêuticas, eletrônicas, biotecnológicas – mudar propriedades de plásticos, óleos e tecidos (resistência, flexibilidade etc.)

31 Nanotecnologias: Língua eletrônica que detecta sabores em baixas concentrações Mapas eletrônicos e telas de TV dobráveis Uniformes de soldados que mimetizam o ambiente e enrijecem se perfurados Nano= bilionésimo nm bilionésimo do metro 1 átomo= 2 décimos de um nm Diâmetro de um fio de cabelo humano = nm

32 Nanobiotecnologia: Analisar, manipular e imitar sistemas biológicos ex: células pancreáticas que produzem insulina células reparadoras de neurônios nanorobôs que desobstroem vasos sanguíneos, levam um remédio direto ao alvo, buscam e destroem vírus e células cancerosas, reparam danos causados por radiação etc. nanotecnologia + biomedicina + genômica + robótica

33 Nanopartículas podem levar remédios ou venenos Nanodoenças? Toneladas de materiais (chips, sensores, novas formas de carbono) usados como catalisadores, em cosméticos, tintas, revestimentos e tecidos embora o uso comercial do carbono nanométrico não esteja regulamentado!

34 Pertencendo a uma escala nanométrica, as partículas podem atravessar poros e se acumular em determinadas células. Não se tem ideia dos efeitos de uma longa permanência de partículas magnéticas dentro do organismo. Por outro lado, penetrando em bactérias, as partículas poderiam vir a fazer parte de cadeias alimentares (Lacava e Morais)

35 Pontos a serem repensados: Dificuldade de interromper uma ação farmacológica via nanoesferas e o alto custo dos polímeros biodegradáveis Risco de nanopatologias: presença de nanopartículas inorgânicas em tecidos humanos; não são metabolizadas nem excretadas facilmente – sintomas: febre, hepatomegalia e acidose metabólica Questões éticas: nanossistemas que podem não ser controláveis – armas biológicas mais destrutivas - bioterrorismo

36 2. Transgênicos Bibliografia: Síntese e adaptação dos capítulos 9, 10, 11 e 12 do livro: Oliveira, Fátima. Engenharia Genética: o sétimo dia da criação. 2a ed., São Paulo, Ed. Moderna, 2004, 224p

37 Transgênico: organismo que teve adicionado ao seu patrimônio genético um gene exógeno. A ética da responsabilidade aponta para uma regulamentação sobre os transgênicos, alinhada à preservação da biodiversidade e visando à proteção da saúde humana e animal.

38 Os cientistas ainda não dominam totalmente os processos biotecnológicos de inserção do transgene no organismo receptor – ainda não sabem colocá-lo no local que precisam para resultar no que desejam – e podem ocorrer eventos não previstos: não se sabe sobre a possibilidade de repará-los.

39 Entender um pouco de genética é condição indispensável para o exercício da cidadania na atualidade. Debate sobre transgênicos ocorre desde 1995 Principal legado da engenharia genética quebra da barreira entre espécies

40 Principais realizações com vegetais: Plantas resistentes a herbicidas Alteração da qualidade nutricional ou do sabor Obtenção de plantas inseticidas Aumento da produção de substâncias úteis Produção de plantas ornamentais exóticas e de plantas biorreatoras Busca de um caminho que elimine a necessidade de adubo

41 Principais realizações com genes humanos: Há porcos, camundongos, salmão, carpas e dourados transgênicos de humanos com o gene do hormônio do crescimento humano Principais realizações na pecuária: Acelerar o crescimento e ganho de peso Fabricação de substâncias úteis (> remédios) humanização de animais usados para transplantes em seres humanos

42 Maxmen, A. Nature, 2012

43 Exemplos: Hormônio do crescimento humano Ovelhas e camundongos que receberam genes humanos e fabricam o TPA (ativador do plasminogênio tissular), um remédio para infarto e o fator IX da coagulação do sangue (produzidos em ovelhas que receberam genes humanos nas glândulas mamárias) Insulina humana, interleucinas, os interferons, fatores de crescimento de glóbulos brancos e a eritropoetina recombinantes (substituta de transfusões sanguíneas)

44 Ambas as transgenias, em animais e em vegetais, no campo farmacêutico e na área alimentar não têm sido monitoradas a contento nem precedidas de pesquisas que garantam biossegurança e inocuidade. Solicitações de pesquisas sobre efeitos colaterais têm sido recebidas com tentativas de desqualificação científica, moral e política de quem apresenta as queixas. A indústria farmacêutica adota a prática de exigir reparação financeira por alegados danos morais para qualquer queixa relativa a seus produtos – o que é um freio ao debate ético

45 Exemplos: - Hormônio do crescimento humano - Ovelhas e camundongos que receberam genes humanos e fabricam o TPA (ativador do plasminogênio tissular), um remédio para infarto e o fator IX da coagulação do sangue (produzidos em ovelhas que receberam genes humanos nas glândulas mamárias) Insulina humana, interleucinas, os interferons, fatores de crescimento de glóbulos brancos e a eritropoetina recombinantes (substituta de transfusões sanguíneas)

46 Ex: Insulina GM i não há pesquisa sobre os efeitos da insulina humana clonada – mas há indícios de que sua meia-vida é mais curta e tem maior probabilidade de causar inconsciência da hipoglicemia que a insulina animal – mais frequente e mais severa com a insulina GM (morte na cama – jovens aparentemente saudáveis são encontrados mortos na cama); também: artrite, mialgia, aumento de peso etc.

47 Ex.: Insulina GM ii Ação de classe promovida por consumidores do Novo México contra a Eli Lilly e a Novo Nordisk, fabricantes da insulina humana GM. O principal argumento – fato de tais empresas terem retirado do mercado toda a insulina animal mesmo sabendo que a insulina humana que fabricam pode causar danos, inclusive colocando em risco a vida de dependentes de insulina. É a primeira ação de responsabilização contra uma indústria farmacêutica por não avaliação adequada de remédios GM.

48 Animais Transgênicos: Genes humanos têm sido adicionados ao patrimônio genético de animais visando imitar o funcionamento do organismo humano. Experimentos de muita utilidade na pesquisa básica mas que criaram animais com potencial de causar muitos problemas.

49 Ex: Polly (1997) a ovelha humana Era uma bomba biológica. As células que a originaram foram infectadas com o mal da vaca louca (encefalopatia espongiforme bovina – BSE) Descobriu-se em seres humanos infectados pela variante humana, o príon, proteína auto-replicante, que não gera anti-corpos; sua detecção, somente é possível por exame de urina. Os príons podem ficar anos sem se manifestar, resistem a altas temperaturas, esterilização, luz ultra-violeta e radiações ionizantes.

50 Ex: Alba – coelha transgênica gene da proteína GFP (proteína verde fluorescente) presente naturalmente em medusas e emite luz quando ativada por íons de cálcio. Ex: macaco Reshus ANDi (DNA inserido) Gene da proteína GFP da água-viva Outubro de 2000 – a tecnologia ANDi pode ser usada para reproduzir doenças humanas em primatas, como diabetes, câncer de mama e Aids visando encontrar uma maneira de bloqueá-las geneticamente.

51 Vegetais transgênicos : impactos ambientais e na saúde humana Vários cientistas afirmam que não há problemas e que transgênicos não podem fazer mal à saúde – mas em ciência, se um fato não for provado, não significa que não exista No Brasil – debate público começou com a soja da Monsanto – possui um gene para resistência ao herbicida Roundup Ready (RR), produzido apenas pela empresa Monsanto

52 Essa soja foi aprovada para comercialização e consequentemente para consumo humano pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) dispensando Estudo de Impacto Ambiental (EIA) Em 18 de junho de 1999 o plantio da RR para comercialização foi suspenso em todo o país por determinação de juiz federal até que o governo concluísse a definição das regras de biossegurança e rotulagem dos OGMs e a Monsanto realizasse Estudo de Impacto Ambiental cujos resultados demonstrassem ausência de danos ambientais e para a saúde.

53 Até 2003 esse embargo foi válido. No atual governo federal os OGMs, em especial os transgênicos, têm sido alvo de outras regulamentações que praticamente liberaram o plantio e a comercialização dos transgênicos no Brasil, a partir de uma perspectiva bioliberal que praticamente descarta a ética da responsabilidade. Os impactos que os trangênicos podem provocar no ambiente e na saúde humana ainda são não estão totalmente esclarecidos!

54 No meio ambiente podem ocorrer consequências já comprovadas: Transferências horizontais de material genético Erosão e poluição biológica Em humanos: Alergias, toxicidades, diminuição de resistência a infecções, aumento de resistência a antibióticos

55 Ex: o herbicida Roundup Ready (glifosato) é a terceira causa de doenças entre agricultores norte-americanos, provoca vários tipos de alergias, pneumonias e até edema agudo de pulmão. Pesquisa realizada em 1998 constatou aumento de 50% no diagnóstico de alergia à soja – hipótese para esse aumento - uso da soja transgênica

56 Ex: 2% dos adultos e 8% da crianças apresentam alergias alimentares Como poderão se prevenir se os alimentos transgênicos não possuírem rótulos que discriminem sua origem e composição? É ético expor as pessoas a alimentos que poderão causar danos à sua saúde?

57 Ex: resistência a antibióticos Evidenciada em alguns produtos transgênicos (variedades de milho Bt, entre elas a Event 176 da Novartis) É certo que a ingestão de tais alimentos provocará aumento na resistência a antibióticos – o que hoje é um grave problema na medicina O que dizer de um alimento que aumenta esse problema?

58 Segurança alimentar e rotulagem dos transgênicos: Dada a irresponsabilidade dos setores da comunidade científica, comerciantes, industriais e governos, a rotulagem dos transgênicos é necessária, embora não garanta e nem substitua as questões pertinentes à segurança alimentar, pois o rótulo não constitui prova de que os alimentos transgênicos não fazem mal à saúde.

59 Segurança alimentar e rotulagem dos transgênicos (2): A rotulagem dos alimentos e o certificado de origem, que é uma parte a rotulagem, são grandes conquistas democráticas, pois asseguram o direito de saber e a liberdade de escolher – pontos essenciais para a bioética.

60 Em 3/7/2003 a União Européia (EU) aprovou uma lei obrigando a rotulagem de todos os alimentos OGMs ou que contenham derivados deles. A nova lei revogou a que estava em vigor que obrigava a rotulagem apenas dos alimentos com mais de 1% de OGMs.

61

62 Não bastassem os efeitos nocivos à saúde, cabe ressaltar o direito do consumidor: trata-se do (sagrado) direito à informação atendido somente mediante um sistema de identificação dos produtos contendo OGMs Conselho de Informações sobre Biotecnologia (2009): estima- se que 70% de todos os alimentos processados no Brasil contenham pelo menos um ingrediente derivado da soja ou do milho Grande da produção de soja e milho é OGM Qualquer brasileiro, nos dias atuais, é um consumidor desavisado de alimentos produzidos a partir de OGMs.

63 A Lei de Biossegurança estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização sobre a construção, o cultivo, a produção, a manipulação, o transporte, a transferência, a importação, a exportação, o armazenamento, a pesquisa, a comercialização, o consumo, a liberação no meio ambiente e o descarte de organismos geneticamente modificados - OGM e seus derivados, tendo como diretrizes o estímulo ao avanço científico na área de biossegurança e biotecnologia, a proteção à vida e à saúde humana, animal e vegetal, e a observância do princípio da precaução para a proteção do meio ambiente. (LEI 11105/05, Art. 1°)

64 Princípio da precaução : Havendo o perigo de dano grave ou irreparável, a falta da certeza científica não deverá ser utilizada como razão para se adiar a adoção de medidas eficazes para impedir a degradação do meio ambiente. ( SILVA, S. T., 2004)

65 Novos produtos da biotecnologia do início do século XXI -1: Opositores - comida frankfood? Canola transgênica contamina carregamento de mostarda poluição biológica (ou genética?) Novembro e dezembro de 2002 – traços de material transgênico (canola) foram encontrados em um carregamento canadense de mostarda não- transgênica exportada para a Europa

66 Novos produtos da biotecnologia do início do século XXI -2: Vacina comestível – dezembro de 2002, Nebrasca, EUA milho plantado junto com a soja era transgênico, alterado para produzir uma vacina comestível para proteger leitões de diarréia – misturado com a soja seria processado e em breve estaria na composição de inúmeros alimentos – indústria de alimentos e ativistas exigiram regulamentação federal que imponha limites rígidos aos locais e condições de cultivo de plantas experimentais.

67 Novos produtos da biotecnologia do início do século XXI (3): Poluição genética: canola ou colza Transferência de gene de plantas modificadas para outros seres vivos. Pesquisa com abelhas em uma plantação de colza transgênica: Transferência de genes de uma planta para um animal, decorrente de cultivo geneticamente modificado. Saxônia (Alemanha) foram encontradas bactérias com DNA alterado no intestino das abelhas. Áustria: pólen geneticamente modificado em mel produzido em locais próximos a campos experimentais de transgênicos

68 Novos produtos da biotecnologia do início do século XXI -4: Falsos alimentos da sociedade de consumo: efeitos na saúde OMS: 70% das enfermidades modernas devem-se aos padrões alimentares da sociedade atual Recomenda a educação alimentar e o estímulo à prática da agricultura orgânica Benefícios dos alimentos transgênicos estão no campo das hipóteses!! O maior sucesso no terreno da engenharia genética continuam sendo as promessas

69 Novos produtos da biotecnologia do início do século XXI -5: Universidade de Purdue – Indiana –EUA Pretendiam fabricar um tomate transgênico que demorasse mais para amadurecer e usaram um gene de levedura. O resultado: um tomate que produz duas a três vezes mais licopeno. O licopeno talvez diminua no sangue as taxas de colesterol ruim, e assim diminui os riscos de doenças cardiovasculares (derrames) e que talvez evite a degradação celular e assim evitaria câncer e assim foi divulgado que Tomate transgênico evitaria câncer

70 Novos produtos da biotecnologia do início do século XXI -6: Porcos transgênicos entram na cadeia alimentar nos EUA Entre abril de 2001 e janeiro de 2003: 386 porcos transgênicos usados em um pesquisa para produção de proteínas de glândulas mamárias foram vendidos a um açougueiro – foram abatidos e revendidos para consumo humano

71 Inocuidade (?) dos seres e produtos transgênicos: Hormônio do crescimento bovino recombinante (rBST) – aprovado em 1993 pela FDA para aumentar a produção de leite. Os EUA dispensaram a rotulagem do leite de vacas que receberam rBTS – atualmente não há mais dúvida de que foi um procedimento irresponsável – porque não há mais como realizar uma avaliação acurada dos riscos do leite rBST. O mundo inteiro o rejeita porque não há mais dúvidas de que ele aumenta a concentração de FCI-1 (fator de crescimento de insulina) que eleva o risco de câncer de mama e de próstata e provocou mastite nos animais que o receberam.

72 Inocuidade (?) dos seres e produtos transgênicos -2: Universidade de Cornell, NY: após ingerirem o pólen de milho transgênico Bt da Novartis, as lagartas da borboleta monarca passaram a comer menos, cresceram mais lentamente e morreram antes das lagartas que não ingeriram aquele pólen

73 Inocuidade (?) dos seres e produtos transgênicos -3: Empresa japonesa Showa Denko: manipulou uma bactéria para a produção de triptofano L (usado como complemento alimentar e no tratamento de TPM, depressão, insônia e ansiedade). A bactéria manipulada produziu também uma substância tóxica, que passou despercebida nos testes laboratoriais realizados pela empresa. Em 1989 nos EUA, cerca de 5 mil pessoas tiveram o diagnóstico de toxinfecção após o uso do triptofano, destas 37 morreram e 1500 ficaram inválidas.

74 Islândia vende o DNA da população: i O governo da Islândia vendeu as informações genéticas de toda a população do país (então, 270 mil pessoas) em fevereiro de A negociação rendeu US$16 milhões e a promessa de que os islandeses receberão gratuitamente qualquer remédio obtido a partir dos dados dos registros médicos, árvores genealógicas e informações de testes genéticos de cada um dos 270 mil islandeses. Houve resistência popular e as discussões no parlamento duraram um ano. A intimidade genética humana tornou-se uma mercadoria de propriedade governamental! Houve expropriação pelo governo, do patrimônio genético pessoal! Empresa comparadora: DeCode norte-americana (600 funcionários na Islândia)

75 Islândia vende o DNA da população: ii Islândia - local ideal para estudar doenças multigenéticas: DNA pouco mestiço, pouca migração nos últimos 1000 anos desde a chegada dos vikings Há cuidadosa manutenção de registro genealógico que permite remontar à origem dos genes de doença há mais de dez gerações Há registros de cerca de 50% dos islandeses que já morreram, 85% dos nascidos no século XIX e quase todos no século XX. Após intensos debates a DeCode recebeu autorização para prosseguir mas com rigorosas salvaguardas para preservar a privacidade das pessoas pesquisadas.

76 Islândia vende o DNA da população: iii Pesquisa de um gene que predispõe à asma: Coleta de nomes de pacientes asmáticos que alimenta um Banco de Dados de Árvores Genealógicas – relacionando pacientes que não têm idéia dessa relação Descobriu-se que 103 pacientes de asma descendiam de um único ancestral comum nascido há 11 gerações, em 1710.

77 Ex. DNA de macaco elucida genoma humano 28/2/2003: chegou a vez dos macacos no genoma Parentes próximos dos humanos – seu DNA pode ser a chave para elucidar quais são e como funcionam os genes do Homo sapiens Artigo na Science: comunica a identificação de áreas muito pequenas, responsáveis por regular a ativação e a desativação dos genes que se localizam no que os cientistas denominavam DNA-lixo

78 Gene pode explicar a diferença entre humanos e macacos (Proceedings of the National Academy of Sciences – PNAS) Gene Tre2 – surgido entre 21 milhões e 33 milhões de anos atrás, quando primatas começaram a apresentar características mais próximas aos humanos modernos. Envolve proteínas associadas à reprodução e pode ser o responsável pela evolução de macacos a humanos – pode auxiliar na compreensão das diferenças entre os humanos e os demais primatas.

79 Debate sobre a discriminação: 4/3/2003 – Conferência na Royal Society (Academia de Ciências do Reino Unido) – para garantir que as opiniões da sociedade sejam ouvidas nas decisões sobre testes genéticos Mapa do genoma pessoal – US$710 mil Pode se tornar comum em 20 anos medicina personalizada? tratamentos genéticos preventivos? Discriminação de pessoas portadoras de doenças ou defeitos genéticos por parte de seguradoras e empregadores? (filme: GATACA) (propaganda de genoma de cães em revista de avião)

80 Esse assunto é importante demais para ser deixado apenas nas mãos de cientistas e dos estrategistas políticos. Nos próximos anos, o público terá mais e mais oportunidades de fazer testes genéticos e especular sobre seu destino genético, mas a legislação tem que acompanhar a tecnologia e ajudar a criar uma sociedade justa e equitativa. Precisamos discutir o que a genética pode e não pode realizar e que tipo de sociedade queremos ter como resultado disso. Paul Nurse, Prêmio Nobel de Medicina de 2001

81 Situação dos povos indígenas:i Detêm conhecimento profundo sobre a fauna e a flora do meio em que vivem. Aplicações medicinais de seus conhecimentos são amplas – já conheciam as propriedades do quinino (tratamento da malária) e do curare (anestésico) e a civilização aprendeu com eles. De 7 mil remédios extraídos originariamente de plantas (e hoje fabricados em indústrias farmacêuticas) 5 mil foram obtidos por meio de informações dos índios

82 Situação dos povos indígenas : ii Segredos da natureza na era da biotecnologia exercem enorme fascínio sobre os capitães da biondústria. Por isso alguns países que já dizimaram seus nativos hoje se apresentam como os preservadores dos índios de outros países... Têm objetivo de serem os únicos a ganhar a confiança desses povos e obter seus segredos – o conhecimento científico de que são portadores e os genomas dos quais são guardiões - descaracterizando o crime de saque – biopirataria - que estão cometendo, fazendo pressão para demarcação das terras indígenas – ousando até propor enclaves estrangeiros em terras brasileiras...

83 Bioética:i Espaço laico, multi e transdisciplinar que é um movimento social e uma disciplina. Decisão de Seattle – critérios para seleção de pacientes para hemodiálise (9/11/1962) Hoje: Saúde e direitos reprodutivos (concepção, contracepção, esterilização, aborto, infertilidade e novas tecnologias reprodutivas conceptivas) Saúde e Direitos Sexuais Saúde Pública Transplantes Doentes terminais Eutanásia Biociências em geral Manipulações Genéticas

84 Bioética:ii É uma demarcação histórica do reencontro da biologia com a filosofia – agora no contexto da era da informática e das manipulações genéticas. O desenvolvimento atingido pelas ciências biológicas e áreas correlatas na segunda metade do século XX é tão grande que rompe a maioria das normas vigentes. A ordem social vigente é insuficiente para responder à maioria das questões que estão se apresentando.

85 Bioética :iii É necessário rever o comportamento dos cientistas e realizar uma discussão mais profunda sobre os rumos que as ciências devem adotar para cumprir com prioridade uma função mais social. A ética: envolve os deveres com relação ao homem, nos diferentes grupos sociais e códigos de moral.

86 Bioética:iv Ética é construída para estabelecer as normas de convivência com o conjunto da sociedade em um dado momento. A ética representa o consenso possível no interior de uma cultura plural, com valores diversos e divergentes, deve refletir os traços de unidade entre os diferentes valores morais

87 Bioética: v O destino do mundo depende da integração, preservação e extensão do conhecimento que um reduzido número de indivíduos possui, os quais somente agora começam a se dar conta do poder desproporcional que possuem e quão enorme é a tarefa a realizar

88 Lembrando que a falta de ética e irresponsabilidade para com os consumidores não se restringe ao campo das biotecnologias: Drogas conhecidas como carcinógenas e demonstradas como mutagênicas em testes mediados por hospedeiro ou sistemas de homogenato de fígado: Corantes de cabelo: 2-amino 5-nitrofenol* 2,4-diaminoanisol* 2,5-diaminoanisol* 2,4-diaminotolueno* P-fenilenodiamina* * A mutagenicidade de corantes de cabelo é aumentada pelo tratamento com peróxido de hidrogênio (água oxigenada)

89 - Nasci- mento de Dolly 6/ Repetição do experimento com vacas - Clonagem humana, o embrião foi destruído Rato Fibro- macho clonado a partir de células de animal macho - Novo embrião humano - Embrião de panda - Vaca tipo Dolly morreu de anemia com 7 semanas – o baço e nódulos linfáticos não se desenvolveram normalmente Embriões humanos tipo Dolly e partenogênese por estimulação química de óvulo (filhinhas da mamãe) 2001 Cronologia

90 isolamento de células- tronco de um embrião humano em estágio inicial – uso de células tronco para fabricação de órgãos 1998 transforma ção de células- tronco em 10 tipos de células comuns 2000 clonagem de macacos, vacas, ovelhas, cabras, porcos, coelhos, ratos etc... e humanos(?) >1999 clonagem a partir de doador morto congelado há 16 anos (rato) 2008 Cronologia

91 Pesquisa desacreditada: Food and Chemical Toxicology - Estudo publicado no dia 19 de setembro de 2012*: Transgênicos causam até três vezes mais câncer em ratos, diz pesquisa "Observamos uma mortalidade duas ou três vezes maior entre as fêmeas tratadas com organismos geneticamente modificados (OGM). Nos dois sexos, há entre duas e três vezes mais tumores. Gilles-Eric Seralini Professor da Universidade de Caen, França Coordenador da pesquisa Disponível em: poisons.html. Acessado em: 19/09/2012 )

92 PESQUISA : 200 camundongos alimentados por até dois anos com: Tratamentos (+ controle) (1) milho OGM NK603; (2) milho OGM NK603 com Roundup; (3) milho não transgênico com Roundup. RESULTADOS PUBLICADOS: (1) Mortalidade muito mais rápida durante o consumo do milho OGM NK603 com Roundup; (2) 1º camundongo macho alimentado com OGM NK603 morreu um ano antes do indicador; (3) 1ª fêmea morreu oito meses antes; (4) 17º mês: 5 vezes mais machos mortos alimentados com 11% de milho OGM NK603; (5) Tumores apareceram na pele e nos rins de machos alimentados com OGM NK603 até 600 dias antes que nos indicadores. (6) No caso das fêmeas, que tiveram tumores nas glândulas mamárias, a doença apareceu em média 94 dias antes naquelas que receberam OGM.

93 Pela primeira vez no mundo, um OGM e um PESTICIDA foram estudados por seu impacto na saúde à longo prazo. Gilles-Eric Seralini Professor da Universidade de Caen, França Coordenador da pesquisa OBS: Apesar da questionável constitucionalidade a Medida Provisória 113, de 26 de março de 2003 autorizou a comercialização da soja GMBIOSSEGURANÇA?ÉTICO?

94 DIREITO DO CONSUMIDOR ROTULAGEM: O direito do consumidor na escolha do que deve ou não comer. O Ministério Público Federal - Ação Civil Pública PUBLICIDADE ENGANOSA: Empresa induzia consumidores a supor que os produtos OGMs eram destituídos de potencial lesivo à saúde, dada a persistência de incerteza de caráter científico sobre seus reais efeitos.

95 DECISÃO: As qualidades apresentadas pelo produto, na peça publicitária, não eram fieis à realidade; ofensa ao Código de Defesa do Consumidor; Condenação em dano moral; Obrigada à patrocinar peças de contrapropaganda para informar adequadamente o público. * TRF-4. Apelação Cível nº /RS. Relator Des. Jorge Antonio Maurique. Julgado aos

96 Nas sociedades modernas, desprovidas de cultura bioética e de biossegurança, por que os deuses da ciência pediriam licença para clonar humanos? É hora de impor, sem fundamentalismos, limites à ciência em respeito às gerações futuras

97 Considero extremamente injusto, antipatriótico e politicamente antiético abordar a genética e apresentá-la à nossa juventude apenas como mais um tema da biologia, de maneira fria, distante da realidade, sem fornecer subsídios que favoreçam a reflexão sobre os mecanismos de biopoder que essa área do saber vem gerando e poderá gerar. (...) as recombinações genéticas (...) dizem respeito ao futuro dos povos, à luta pela liberdade e pelo direito à dignidade e à felicidade. Fátima Oliveira

98 Bibliografia Complementar Leite, M. Promessas do Genoma. São Paulo: Ed. UNESP, p. Moser, A. Biotecnologia e Bioética – para onde vamos? Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, p. Silva, I.O. Biodireito, Bioética e Patrimônio Genético Brasileiro. São Paulo: Ed. Pilares, p. Zatz, M. GenÉtica – escolhas que nossos avós não faziam. São Paulo: Ed. Globo, p.


Carregar ppt "Profa. Dra. Silvia Maria Guerra Molina Estagiária PAE (2013): Patrícia Canholi Monitor PEEG (2013): Ian Mikael Paiva Anteriores: Paulo R. A. Berni, Carolina."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google