A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE-TOLEDO DIRETRIZES CURRICULARES ESTADUAIS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE-TOLEDO DIRETRIZES CURRICULARES ESTADUAIS."— Transcrição da apresentação:

1 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE-TOLEDO DIRETRIZES CURRICULARES ESTADUAIS

2 POLÍTICA E CURRÍCULO Nova Orientação político-econômica Nova Orientação político-econômica Novo projeto de sociedade Novo projeto de sociedade Re-orientação curricular Re-orientação curricular

3 DÉCADA DE 1970 Lei nº /71-...com o fim das humanidades acabou também, em grande parte, o pensamento crítico, o que significou o fim de toda uma prática de reflexão questionadora que, bem ou mal, tinha-se iniciado nos anos 60 ( ROUANET 1987, p.307). ( ROUANET 1987, p.307).

4 Década de 1980 Na década de 1980, com a consolidação da abertura política e o desenvolvimento da Pedagogia Histórico-Crítica, ganham força as discussões sobre o currículo escolar e o papel da educação na transformação social, política e econômica da sociedade brasileira. Na década de 1980, com a consolidação da abertura política e o desenvolvimento da Pedagogia Histórico-Crítica, ganham força as discussões sobre o currículo escolar e o papel da educação na transformação social, política e econômica da sociedade brasileira.

5 Currículo Básico No Estado do Paraná, o resultado desse processo está materializado no documento denominado Currículo Básico, construído por professores da escola pública. No Estado do Paraná, o resultado desse processo está materializado no documento denominado Currículo Básico, construído por professores da escola pública. Objetivo: Objetivo: Instrumentalizar os trabalhadores com – Trabalho – Ciência – Cultura. Instrumentalizar os trabalhadores com – Trabalho – Ciência – Cultura.

6 LDB 9.394/96 No Estado do Paraná, após o lançamento dos PCN, em 1998, a Secretaria de Estado da Educação adota uma política de esvaziamento do conteúdo das disciplinas com a No Estado do Paraná, após o lançamento dos PCN, em 1998, a Secretaria de Estado da Educação adota uma política de esvaziamento do conteúdo das disciplinas com a

7 ausência de reflexão sistematizada sobre a prática educativa que ali ocorria, com um processo de formação continuada, cujo foco fugia da especificidade do trabalho educativo, e estava situado em programas motivacionais e de sensibilização (...). Pouco se propôs em relação às discussões de conteúdos curriculares e, quando havia algo neste sentido, este era marcado pela divulgação dos Parâmetros Curriculares Nacionais. A formulação e execução de projetos eram individualizados, por professores ou por escola (Arco-Verde, 2006, p.4).

8 POLÍTICAS NEOLIBERAIS: O EIXO DO CURRÍCULO PERSPECTIVA DE SUPERAÇÃO DE BASE MECANICISTA POSITIVISTA SUPERAR O TRADICIONAL CARTESIANO FORMAÇÃO SISTÊMICA CURRÍCULO EM REDE AMBIENTALISTA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL HOLISMO EQUILÍBRIO/HARMONIA AUTO-ESTIMA POLÍTICA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CURRÍCULO LINEAR

9 SUPERAÇÃO DA DISCIPLINARIDADE MULTIDISCIPLINARIDADE TRANSDISCIPLINARIDADE PLURIDISCIPLINARIDADE INTERDISCIPLINARIDADE POLIDISCIPLINARIDADE RECONFIGURAÇÃO DO CAPITAL, DO TRABALHO E DO SETOR PRODUTIVO. TRABALHADOR POLIVALENTE OUTRA FORMAÇÃO: PROFESSOR FACILITADOR E ALUNO COMPETENTE ENSINO SUBMETIDO AOS INTERESSES DO MERCADO DE TRABALHO

10 IMPACTO NO CURRÍCULO A ESCOLA APROPRIA-SE DO DISCURSO E DAS PRÁTICAS DA PARTICIPAÇÃO, ADAPTAÇÃO, FORMAÇÃO DE VALORES MORAIS, NOVAS TECNOLOGIAS, SOLIDARIEDADE, E AÇÕES AFIRMATIVAS. 4 PILARES DA EDUCAÇÃO PEDAGOGIA DE PROJETOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS QUALIDADE TOTAL NA EDUCAÇÃO DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE TEMAS TRANSVERSAIS

11 DIRETRIZES CURRICULARES 2003 – DIAGNÓSTICO – DIAGNÓSTICO – 2005 – EVENTOS E ENCONTROS DESCENTRALIZADOS PARA DISCUSSÃO COLETIVA E SISTEMATIZAÇÃO DO TEXTO – 2005 – EVENTOS E ENCONTROS DESCENTRALIZADOS PARA DISCUSSÃO COLETIVA E SISTEMATIZAÇÃO DO TEXTO – DISCUSSÃO COLETIVO SEED REESTRUTURAÇÃO DO TEXTO E EDITORAÇÃO – DISCUSSÃO COLETIVO SEED REESTRUTURAÇÃO DO TEXTO E EDITORAÇÃO.

12 DIRETRIZES CURRICULARES 2007 – PRIMEIRO SEMESTRE 2007 – PRIMEIRO SEMESTRE –REVISÃO e EDITORAÇÃO DOS TEXTOS DE DIRETRIZES DOS NÍVEIS E MODALIDADES. –LEITURA CRÍTICA DAS DIRETRIZES CURRICULARES DAS DISCIPLINAS – REVISÃO.

13 DIRETRIZES CURRICULARES 2007 – SEGUNDO SEMESTRE 2007 – SEGUNDO SEMESTRE –Encontros presenciais: equipes disciplinares, leitores críticos e secretário de Estado da Educação. –Editoração da versão definitiva das Diretrizes Curriculares – Divulgação fevereiro de 2008.

14 DCE - FORMATO HISTÓRICO HISTÓRICO FUNDAMENTOS TEÓRICO- METODOLÓGICOS FUNDAMENTOS TEÓRICO- METODOLÓGICOS CONTEÚDOS ESTRUTURANTES CONTEÚDOS ESTRUTURANTES ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO

15 HISTÓRICO Revisão da História da Disciplina e da ciência de referência; Revisão da História da Disciplina e da ciência de referência; Identificar os campos de estudo que identificam essa disciplina escolar; Identificar os campos de estudo que identificam essa disciplina escolar; Selecionar entre esses campos de estudo os considerados relevantes para compreender o mundo no atual período histórico; Selecionar entre esses campos de estudo os considerados relevantes para compreender o mundo no atual período histórico; Seleção – é uma escolha político pedagógica Seleção – é uma escolha político pedagógica

16 FUNDAMENTOS TEÓRICO- METODOLÓGICOS Apresentam a linha teórica à qual as Diretrizes estão vinculadas; Apresentam a linha teórica à qual as Diretrizes estão vinculadas; Indicam o por quê essa opção teórica é considerada mais adequada para a formação de um aluno crítico; Indicam o por quê essa opção teórica é considerada mais adequada para a formação de um aluno crítico; Vinculam essa teoria a metodologias de ensino afins. Vinculam essa teoria a metodologias de ensino afins.

17 CONTEÚDOS ESTRUTURANTES São datados e interessados; São datados e interessados; Têm características diferentes nas diversas disciplinas escolares; Têm características diferentes nas diversas disciplinas escolares; Podem ser conceitos, práticas ou campos de estudo; Podem ser conceitos, práticas ou campos de estudo;

18 CONTEÚDOS ESTRUTURANTES São os conteúdos fundamentais que identificam a disciplina como campo do conhecimento historicamente constituído e socialmente validado; São os conteúdos fundamentais que identificam a disciplina como campo do conhecimento historicamente constituído e socialmente validado;

19 CONTEÚDOS ESTRUTURANTES Estão vinculados à abordagem teórico-metodológica explicitada nas Diretrizes da disciplina; Estão vinculados à abordagem teórico-metodológica explicitada nas Diretrizes da disciplina; Em geral não devem ser seriados. Estabelecem inter relações constantes; Em geral não devem ser seriados. Estabelecem inter relações constantes; A partir da concepção de Conteúdos Estruturantes, estabelecem-se os conteúdos específicos. A partir da concepção de Conteúdos Estruturantes, estabelecem-se os conteúdos específicos.

20 ARTE ELEMENTOS FORMAIS ELEMENTOS FORMAIS COMPOSIÇÃO COMPOSIÇÃO MOVIMENTOS E PERÍODOS MOVIMENTOS E PERÍODOS TEMPO E ESPAÇO TEMPO E ESPAÇO

21 BIOLOGIA ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS MECANISMOS BIOLÓGICOS MECANISMOS BIOLÓGICOS BIODIVERSIDADE BIODIVERSIDADE IMPLICAÇÕES DOS AVANÇOS BIOLÓGICOS NO FENÔMENO VIDA IMPLICAÇÕES DOS AVANÇOS BIOLÓGICOS NO FENÔMENO VIDA

22 EDUCAÇÃO FÍSICA ESPORTE ESPORTE GINÁSTICA GINÁSTICA DANÇA DANÇA JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS LUTAS LUTAS

23 ENSINO RELIGIOSO PAISAGENS SAGRADAS PAISAGENS SAGRADAS TEXTOS SAGRADOS TEXTOS SAGRADOS SÍMBOLOS SAGRADOS SÍMBOLOS SAGRADOS

24 FILOSOFIA MITO E FILOSOFIA MITO E FILOSOFIA TEORIA DO CONHECIMENTO TEORIA DO CONHECIMENTO ÉTICA ÉTICA FILOSOFIA POLÍTICA FILOSOFIA POLÍTICA FILOSOFIA DA CIÊNCIA FILOSOFIA DA CIÊNCIA ESTÉTICA ESTÉTICA

25 FÍSICA MOVIMENTO MOVIMENTO TERMODINÂMICA TERMODINÂMICA ELETROMAGNESTISMO ELETROMAGNESTISMO

26 GEOGRAFIA GEOPOLÍTICA GEOPOLÍTICA DIMENSÃO ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DO/NO ESPAÇO DIMENSÃO ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DO/NO ESPAÇO DIMENSÃO CULTURAL E DEMOGRÁFICA DIMENSÃO CULTURAL E DEMOGRÁFICA DIMENSÃO SOCIOAMBIENTAL DIMENSÃO SOCIOAMBIENTAL

27 HISTÓRIA ENSINO FUNDAMENTAL DIMENSÃO CULTURAL DIMENSÃO CULTURAL DIMENSÃO POLÍTICA DIMENSÃO POLÍTICA DIMENSÃO ECONÔMICO-SOCIAL DIMENSÃO ECONÔMICO-SOCIAL ENSINO MÉDIO RELAÇÕES CULTURAIS RELAÇÕES CULTURAIS RELAÇÕES DE PODER RELAÇÕES DE PODER RELAÇÕES DE TRABALHO RELAÇÕES DE TRABALHO

28 LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA DISCURSO DISCURSO

29 LÍNGUA PORTUGUESA/LITERATURA DISCURSO COMO PRÁTICA SOCIAL DISCURSO COMO PRÁTICA SOCIAL

30 MATEMÁTICA MÚMEROS E ALGEBRA MÚMEROS E ALGEBRA GEOMETRIAS GEOMETRIAS FUNÇÕES FUNÇÕES TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO

31 QUÍMICA MATÉRIA E SUA NATUREZA MATÉRIA E SUA NATUREZA BIOGEOQUÍMICA BIOGEOQUÍMICA QUÍMICA SINTÉTICA QUÍMICA SINTÉTICA

32 SOCIOLOGIA PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO E AS INSTITUIÇÕES SOCIAIS PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO E AS INSTITUIÇÕES SOCIAIS TRABALHO, PRODUÇÃO E CLASSES SOCIAIS TRABALHO, PRODUÇÃO E CLASSES SOCIAIS MOVIMENTOS SOCIAIS, DIREITOS E CIDADANIA MOVIMENTOS SOCIAIS, DIREITOS E CIDADANIA PODER, POLÍTICA E IDEOLOGIA PODER, POLÍTICA E IDEOLOGIA CULTURA E INDÚSTRIA CULTURAL CULTURA E INDÚSTRIA CULTURAL

33 ENCAMINHAMENTO METODOLÓGICO Sugestões de metodologias de ensino; Sugestões de metodologias de ensino; Discussão sobre os vínculos que tais metodologias estabelecem com os fundamentos teóricos das disciplinas; Discussão sobre os vínculos que tais metodologias estabelecem com os fundamentos teóricos das disciplinas; Sugestões de seqüência de conteúdos específicos – Ensino Fundamental e Médio. Sugestões de seqüência de conteúdos específicos – Ensino Fundamental e Médio.

34 AVALIAÇÃO Breve discussão sobre concepção de avaliação; Breve discussão sobre concepção de avaliação; Especificidades sobre concepção, critérios e instrumentos de avaliação na disciplina; Especificidades sobre concepção, critérios e instrumentos de avaliação na disciplina;

35 DCE – IMPLEMENTAÇÃO 2007: 2007: –SEMANA PEDAGÓGICA – PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR E PLANO DE TRABALHO DOCENTE –REUNIÃO TÉCNICA NRE – MARÇO: DISCUSSÃO INICIAL SEED/NRE SOBRE CONTEÚDOS ESPECÍFICOS –DEB ITINERANTE: IMPLEMENTAÇÃO DAS DCE – VIA DISCUSSÃO DOS CONTEÚDOS ESPECÍFICOS

36 EQUIPE PEDAGÓGICA PAPEL FUNDAMENTAL - APOIO AOS PROFESSORES: PAPEL FUNDAMENTAL - APOIO AOS PROFESSORES: –ORGANIZAÇÃO DAS PROPOSTAS PEDAGÓGICAS CURRICULARES CONSIDERANDO OS CONTEÚDOS ESTRUTURANTES DAS DISCIPLINAS. –ORGANIZAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DOCENTE – RELAÇÃO DOS CONTEÚDOS ESTRUTURANTES COM OS CONTEÚDOS ESPECÍFICOS.

37 DIREÇÃO PAPEL FUNDAMENTAL – APOIO À EQUIPE PEDAGÓGICA E AOS PROFESSORES: PAPEL FUNDAMENTAL – APOIO À EQUIPE PEDAGÓGICA E AOS PROFESSORES: –INCENTIVO E COBRANÇA DE COERÊNCIA PEDAGÓGICA ENTRE AS DCE E A PRÁTICA DOCENTE; –INCENTIVO PARA USO E DISPONIBILIZAÇÃO DOS ESPAÇOS ESCOLARES PARA PESQUISA E ESTUDO.

38 PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO PLANEJAMENTOPLANEJAMENTO Marco (ato) operacional Marco (ato) ConceitualMarco (ato) Situacional Identifica, explicita e analisa os problemas, necessidades e avanços presentes na realidade social, política, econômica, cultural, educacional e suas influências nas práticas educativas da escola Expressa a opção e os fundamentos teórico- metodológicos da escola DIRETRIZES CURRICULARES Apresenta as propostas e linhas de ação, enfrentamentos e organização da escola PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR O QUÊ? Conteúdos COMO? Metodologia e avaliação POR QUÊ? Fundamentos teóricos PARA QUÊ? Objetivos PARA QUEM? Educandos da escola pública PLANO DE TRABALHO DOCENTE - Partindo da Proposta Pedagógica Curricular - Organiza o ensino e aprendizagem em sala de aula PLANO DE AÇÃO DA ESCOLA Considerando o plano como um documento discutido coletivamente, ele organiza e articula ações necessárias para a efetivação do PPP, também construído de forma coletiva

39 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DIRETRIZES CURRICULARES PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CONSIDERANDO NÍVEL E MODALIDADE O QUÊ? Conteúdos COMO? Metodologia e avaliação POR QUÊ? Fundamentos teóricos PARA QUÊ? Justificativa PARA QUEM? Educandos da escola pública PLANO DE TRABALHO DOCENTE Organiza os conteúdos específicos por bimestre ou semestre – de acordo com o sistema de avaliação da escola. Apresenta os encaminhamentos metodológicos a serem empregados. Estabelece tempo para trabalhar os conteúdos. Apresenta os recursos didáticos, pedagógicos e tecnológicos a serem empregados no processo. Estabelece critérios e estratégias para avaliar o processo desenvolvido.


Carregar ppt "DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE-TOLEDO DIRETRIZES CURRICULARES ESTADUAIS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google