A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TV DIGITAL e CEP Digital Laboratório de Sistemas Integráveis Escola Politécnica da USP Exemplo de Interatividade Local Mensagens destinadas a regiões através.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TV DIGITAL e CEP Digital Laboratório de Sistemas Integráveis Escola Politécnica da USP Exemplo de Interatividade Local Mensagens destinadas a regiões através."— Transcrição da apresentação:

1 TV DIGITAL e CEP Digital Laboratório de Sistemas Integráveis Escola Politécnica da USP Exemplo de Interatividade Local Mensagens destinadas a regiões através do CEP

2 Televisão Analógica no Brasil Principal meio de entretenimento e comunicação brasileiro Universalizado – Mais de 90% dos lares brasileiros possuem televisores – 2,3 televisores por residência – 100 milhões de televisores – 7 horas por dia ligados

3 Cenário Digital Atual Transmissão Digital Transmissão Digital Produção Digital Produção Digital Emissora de TV Digital Distribuição Digital Distribuição Digital Cidadão Recepção Digital Recepção Digital

4 O Decreto JUN/2006 Art. 6 o O SBTVD-T possibilitará: – MULTIFORMATO Transmissão digital em alta definição (HDTV) e em definição padrão (SDTV); Transmissão digital simultânea para recepção fixa, móvel e portátil – MULTIPROGRAMAÇÃO – INTERATIVIDADE Adota como base o ISDB-T Institui o Fórum SBTVD – Incorporação de inovações tecnológicas, – Especificações, – Desenvolvimento e implantação do SBTVD-T

5 Fórum do Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Assembléia Geral Conselho Deliberativo Diretoria Executiva Comitê de Desenvolvimento Ministério das comunicações Módulo de Mercado Módulo Técnico Módulo de Propriedade Intelectual Módulo de Promoção

6 Fórum do Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Assembléia Geral Conselho Deliberativo Diretoria Executiva Comitê de Desenvolvimento Ministério das comunicações Módulo de Mercado Módulo Técnico Módulo de Propriedade Intelectual Módulo de Promoção Principal participação do LSI

7 Fórum do Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Módulo Técnico Módulo Técnico GTN01 - Transmissão GTN05 - Segurança GT N07- canal de retorno GTN02 - Codificação GTN03 - Multiplexação GTN04 - Receptores GTN06 - Dados Comissão Ginga J Suíte de testes Ginga NCL Transmissão de dados Coordenação LSI Com participação ativa do LSI Com participação do LSI

8 Multiformato 1080 linhas HDTV 16:9 720linhas EDTV 16:9 480 linhas SDTV 4:3 240 linhas LDTV 4:3

9 Multiprogramação Vários programas no mesmo canal – São 20Mbps por canal – Até 8 serviços simultâneos – Pode-se transmitir: Imagens Sons Dados Programas

10 Interatividade A partir de 2009 os telespectadores vão poder INTERAGIR COM A TV através do controle remoto – Interatividade local: sem conectividade Emissora envia dados que podem ser navegados – Interatividade plena com conectividade intermitente Usuário envia à emissora pequenas mensagens via celular ou telefonia fixa – Interatividade plena com conectividade permanente Usuário esta conectado permanentemente à emissora via internet de banda larga

11 Interatividade A Interatividade da TV Digital vai propiciar dois novos paradigmas de programa – TV Expandida – Serviço Interativo (NDS Março 2006)

12 Terminal de Acesso de Referência Channel tunned Program tunned 14.2 Channel and program selector Smart-Card Reader On/Off USB HDMI Video out Smart-card

13 Mensagem Destinada para Regiões Considerando a inserção da TV nos lares brasileiros e sua familiaridade de uso pela população em geral, a TV digital pode ser utilizada como ferramenta de comunicação de utilidades públicas.

14 MENSAGEM DIRECIONADA PARA REGIÕES Mensagens de utilidades públicas – Transporte Obras em ruas Greves de ônibus – Saúde Campanha de vacinação Mutirões – Etc

15 SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO Requisito – Endereçamento de todo o território nacional – Possibilidade de atingir grupos maiores ou menores por área geográfica CEP – Racionaliza os métodos de separação da correspondência no território nacional – Permite o tratamento mecanizado com a utilização de equipamentos eletrônicos de triagem

16 SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO DO CEP Formado por 8 dígitos: 0-9 (ABCDE-FGH) Estrutura – Região; – Sub-região; – Setor; – Sub setor; – Divisor de sub setor; – Identificador de distribuição;

17 Brasil d ividido em 10 regiões – Região 0: Grande SP; – Região 1: Interior de SP; – Região 2: RJ e ES – Região 3: MG; – Região 4: BA e SE; – Região 5: PE, AL, PB, RN; – Região 6: CE, PI, MA, PA, AM, AC, AP, RR; – Região 7: DF, GO, TO, MT, MS, RO; – Região 8: PR, SC; – Região 9: RS; SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO DO CEP: Região

18 Região 1: (Interior de SP) – Dividida em 10 sub regiões; Sub região 10-11: Santos Sub região 12: Taubaté Sub região 13: Campinas Sub região 14: Ribeirão preto Sub região 15: Araçatuba Sub região 16: São Jose do Rio Preto Sub região 17: Bauru Sub região 18: Sorocaba Sub região 19: Presidente Prudente SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO DO CEP: Sub-região

19 Sub- região 13: (Campinas) – Dividida em 10 setores Setor de campinas 130 e 131: Cidade de Campinas Setor de campinas 132: Jundiaí Setor de campinas 133: Itú Setor de campinas 134: Piracicaba Setor de campinas 135: Rio Claro Setor de campinas 136: Araias Setor de campinas 137: Casa Branca Setor de campinas 138: Mogi Mirim Setor de campinas 139: Amparo SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO DO CEP: Setores

20 Setor 131 (Cidade de Campinas) – Divido em 10 sub setores Sub Setor 1310 e 1311: Setor de campinas e Adjacentes Sub Setor 1314: Paulínia Sub Setor 1315: Cosmópolis Sub Setor 1316: Arthur Nogueira e Engenheiro Coelho Sub Setor 1317: Sumaré Sub Setor 1318: Hortolândia Sub Setor 1319: Monte Mor SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO DO CEP: Sub-setores

21 Sub setor 1316 (Arthur Nogueira e Engenheiro Coelho) – Dividido em 10 divisores Divisor 13165: Cidade de Engenheiro Coelho – Área: 109,798 km² – População: hab. est. IBGE/2008 [1]... SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO DO CEP: Divisores

22 Os três algarismos após o hífen são denominados de SUFIXO e destinam-se à identificação individual de: – Localidades; – Logradouros Qualquer espaço público reconhecido pela administração de um município, como avenidas, ruas, praças, jardins, parques etc. – Códigos Especiais; – Unidades do Correio; SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO DO CEP: Divisores

23 MENSAGEM POR CEP: Operacionalização Transmissão de mensagens: Geração de mensagens destinadas a CEP Inserção de comandos (cor, etc) Multiplexação com a programação de TV Transmissão de mensagens: Geração de mensagens destinadas a CEP Inserção de comandos (cor, etc) Multiplexação com a programação de TV Recepção de mensagens: Sistema similar à recepção de legendas Mecanismo do Tele-texto com sobreposição sobre o vídeo Recepção de mensagens: Sistema similar à recepção de legendas Mecanismo do Tele-texto com sobreposição sobre o vídeo

24 FUNCIONAMENTO DE MENSAGEM POR CEP Mensagem 1 CEP: 047XXXXXX CEP: CEP: CEP: Mensagem 2 CEP: Mensagem 3 CEP: 047XXXXXX CEP: Mens. 1 Mens. 2 Mens. 3

25 PROVA DE CONCEITO: Recepção

26

27 Restrições: – Exibição de mensagens recebidas em tempo real Não é possível repetir a mensagem por requisição do usuário Pode haver repetição de mensagens já lidas pelo usuário final Temporização definida pelo transmissor PROVA DE CONCEITO: Recepção

28 Armazenamento local de mensagens com filtro de mensagens repetidas e remoção automática Caixa de mensagens para leitura e remoção por requisição PRÓXIMOS PASSOS: Recepção

29 Desenvolvimento de interface gráfica Desenvolvimento de configurações de ciclos de repetição para transmissão, prioridade, etc. Inserção de identificadores de mensagens Transmissão de mensagens por aplicação Ginga J PRÓXIMOS PASSOS: Transmissão

30 Obrigado Marcelo Knörich Zuffo Laboratório de Sistemas Integráveis Escola Politécnica da USP


Carregar ppt "TV DIGITAL e CEP Digital Laboratório de Sistemas Integráveis Escola Politécnica da USP Exemplo de Interatividade Local Mensagens destinadas a regiões através."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google