A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SEMINÁRIO Saúde do Idoso na Região Metropolitana de São Paulo 19/08/2011 Sérgio Márcio Pacheco Paschoal Área Técnica de Saúde da Pessoa Idosa Atenção Básica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SEMINÁRIO Saúde do Idoso na Região Metropolitana de São Paulo 19/08/2011 Sérgio Márcio Pacheco Paschoal Área Técnica de Saúde da Pessoa Idosa Atenção Básica."— Transcrição da apresentação:

1 SEMINÁRIO Saúde do Idoso na Região Metropolitana de São Paulo 19/08/2011 Sérgio Márcio Pacheco Paschoal Área Técnica de Saúde da Pessoa Idosa Atenção Básica – SMS – PMSP

2 Importância do município na efetivação do SUS Levantamento das demandas Levantamento das demandas Operacionalização das políticas Operacionalização das políticas Implantação da Rede de Atenção (níveis) Implantação da Rede de Atenção (níveis) Implantação do Modelo de Atenção Implantação do Modelo de Atenção Desenho do fluxo da atenção Desenho do fluxo da atenção Vigilância do território Vigilância do território Sistema de Regulação Sistema de Regulação Gestão de pessoal Gestão de pessoal Cumprimento de metas Cumprimento de metas Prestação de contas Prestação de contas Experimentação de práticas inovadoras Experimentação de práticas inovadoras

3 Foto: sesc População: (IBGE, 2010)

4 EQUIPAMENTOS PÚBLICOS 412 UBS 226 UBS com ESF EQUIPES / ACS 115 AMAS 5 AMAS ESPECIALIDADES 26 AMB. DE ESPECIALIDADES 70 EQUIP. SAÚDE MENTAL 20 SERVIÇOS DE S. BUCAL 22 UNIDADES DST / AIDS 5 CRST 8 URSI / 2 CRI / 19 PAI 4 LABORATÓRIOS 17 HOSPITAIS MUNICIPAIS 726 Equipamentos de Saúde RH ( At. Básica) 412 UBS 226 UBS com ESF EQUIPES / ACS 115 AMAS 5 AMAS ESPECIALIDADES 26 AMB. DE ESPECIALIDADES 70 EQUIP. SAÚDE MENTAL 20 SERVIÇOS DE S. BUCAL 22 UNIDADES DST / AIDS 5 CRST 8 URSI / 2 CRI / 19 PAI 4 LABORATÓRIOS 17 HOSPITAIS MUNICIPAIS 726 Equipamentos de Saúde RH ( At. Básica)

5 MUNICÍPIO DE SÃO PAULO População total: População idosa: (11,9%) Fonte: IBGE/Censo 2010

6 MUNICÍPIO DE SÃO PAULO FX ETÁRIAHOMENS%MULHERES%TOTAL + de 100 anos 24724%78076% anos % % anos % % anos % % anos % % anos % % anos % % anos % % anos % % TOTAL % % Fonte: – Censo 2010www.ibge.gov.br 75 anos ou mais – (28,1%) 80 anos ou mais – (15,3%) 90 anos ou mais – (2,1%)

7 Proporção de Idosos por Coordenadoria de Saúde - Município de São Paulo Centro-Oeste16,48% Centro-Oeste16,48% Sudeste15,23% Sudeste15,23% Norte12,05% Norte12,05% Leste 8,68% Leste 8,68% Sul 8,62% Sul 8,62% Fonte: Estimativas SEADE, 2011 Cálculos: SMS / CEInfo / GIA URSI CIDADE ADEMAR

8 n População: n 11,8% n SUS-Dependente: 788 mil (SABE, 2003) n Homens: 40,5% n Mulheres: 59,5% n Jardim Paulista, Mooca, Lapa: 24% n Anhanguera: 4% n Grupos etários: anos: 33% anos: 23% anos: 23% anos: 19% anos: 19% 75 anos ou mais: 25% 75 anos ou mais: 25% OS IDOSOS NA CIDADE DE SP Fundação SEADE / Estimativa 2010 Fundação SEADE / Estimativa 2010

9 Perfil de pessoas com dependência (AVD s) Á rea PSF – Munic í pio S. Paulo totalmente dependentes / hab 17 totalmente dependentes / hab 30 a 50 pessoas acamadas / área abrangência 30 a 50 pessoas acamadas / área abrangência UBS padrão UBS padrão (Obs. Inquérito de SMS)

10 Total de pacientes idosos (60 anos ou mais) acamados, em atendimento – Unidades de Assistência Domiciliar Município de São Paulo - junho/2011 Coordenadoria Regional de Sa ú de Total de pacientes Total de pacientes idosos Percentual de idosos Norte ,3 Sul ,7 Leste ,4 Sudeste ,8 Centro-Oeste ,0 Total ,3 Fonte: Coordenação da Atenção Básica - SMS

11

12 Número de internações, valor gasto e valor médio de AIH para internações SUS, em pacientes de 60 anos ou mais - município de São Paulo, segundo ano de competência, 2008/2009 AnoNúmero de Internações Valor Total AIH (R$) Valor Médio AIH (R$) , , , ,77 Fonte: Ministério da Saúde / SIH Elaboração: SMS/CEInfo/GIA

13 Ano N º examinad os Número de exames bucais, realizados durante a Campanha de Vacinação contra gripe, em idosos, segundo ano de realização. Cidade de São Paulo - SMS. Projeto de Preven ç ão e Diagn ó stico Precoce de Câncer Bucal Fonte: Área Técnica de Saúde Bucal – Coord. Atenção Básica - SMS

14 Área Técnica de Saúde da Pessoa Idosa Diretrizes Fundamentais Promoção do envelhecimento ativo Promoção do envelhecimento ativo Autonomia e Independência Autonomia e Independência Prevenção de doenças Prevenção de doenças Recuperação da saúde dos que adoecem Recuperação da saúde dos que adoecem Reabilitação da capacidade funcional restrita Reabilitação da capacidade funcional restrita Manutenção e melhoria da capacidade funcional Manutenção e melhoria da capacidade funcional Garantia de permanência em seu próprio meio Garantia de permanência em seu próprio meio

15 SITUAÇÃO ATUAL Profissionais despreparados Profissionais despreparados. Ausência de formação específica. Ausência de formação específica. Preconceitos contra a velhice. Preconceitos contra a velhice. Medo de envelhecer. Medo de envelhecer

16 Organizando os Serviços

17 NÍVEL PRIMÁRIO

18 Rede Básica Nível prioritário da atenção UBS – Local privilegiado da atenção. Proximidade da casa dos idosos. Territorialidade Maioria dos problemas de saúde Ações de menor complexidade Necessidade de ser resolutiva Ações de promoção e proteção de saúde Ações de prevenção Ações de vigilância de condições crônicas

19 Rede Básica Nível prioritário da atenção

20 UNIDADE DE REFERÊNCIA À SAÚDE DO IDOSO Núcleo de Atenção Integral à Saúde do Idoso NÍVEL SECUNDÁRIO

21 Atendimento Geriátrico Diretrizes Geriatria – Especialidade Idoso – 60 anos ou mais (Política Nacional do Idoso) Nível secundário da atenção Necessidade de encaminhamento da Rede Básica Referência e contra-referência Rede Básica – 5 condições mais prevalentes Geriatra / URSIs. condições mais complexas. problemas específicos do envelhecimento Número de consultas por período de 4 horas: 8 consultas

22 Atendimento Geriátrico Diretrizes Condições que demandam atendimento geriátrico:. 3 ou mais condições crônicas com complicações. Transtornos neuropsíquicos (Demência, Parkinson, AVC etc.). Instabilidade, quedas, alterações da marcha e equilíbrio. Perdas sensoriais importantes. Síndrome consumptiva (perda de mais de 5% do peso em 3 meses). Os mais velhos (80 anos ou mais)

23 Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa: Instrumento para a organização da atenção à saúde da população idosa

24 Pol í tica Nacional de Sa ú de da Pessoa Idosa – 18/10/2006 É propósito da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa trabalhar em dois grandes eixos, tendo como paradigma a capacidade funcional da população idosa Idosos Independentes Idosos Frágeis

25 PAI Vila Jacuí

26 Dr. Jose Magaldi DA Itaim Bibi Vila Romana DA Lapa Joaquim Eirado DA Santana Vila Jacui DA São Miguel Cidade Ademar DA StoAmaro/Cid.Ademar N. Sra Brasil DA Sé Boracéa DA Sé Vila Formosa DA Vila Formosa São Vicente de Paula DA Ipiranga Vila Bertioga DA Mooca Composição da Equipe: 1 Assistente Social (Coordenador) 1 Médico 1 Enfermeiro 2 Auxiliares de Enfermagem 10 Acompanhantes de Idosos 1 Administrativo 1 Motorista Italo Le Vocci DA Mooca Coordenação da Atenção Básica Área Técnica de Saúde da Pessoa Idosa Mariquinha Sciacia DA Santana Capela do Socorro (2 unidades) DA StoAmaro/Cid.Ademar Cachoeirinha DA CasaVerde Brasilândia DA FO/Brasilândia Sta Cecília DA Sé Pari DA Pari NSraCarmo DA Itaquera

27

28 OBJETIVOS Oferecer acompanhamento domiciliar e apoio às atividades de vida diária, desenvolvendo: Oferecer acompanhamento domiciliar e apoio às atividades de vida diária, desenvolvendo: Ações de cuidado e suporte a idosos em situação de dependênciaAções de cuidado e suporte a idosos em situação de dependência Ações de cuidado e suporte aos familiares e/ou cuidadoresAções de cuidado e suporte aos familiares e/ou cuidadores Promoção da autonomia e independênciaPromoção da autonomia e independência Integração socialIntegração social Ampliação do acesso aos serviços de saúdeAmpliação do acesso aos serviços de saúde Melhoria da qualidade de vidaMelhoria da qualidade de vida Evitar ou postergar a institucionalização Evitar ou postergar a institucionalização

29 PÚBLICO ALVO PESSOAS IDOSAS: Dependência funcional para as atividades da vida diária, decorrentes de agravos à saúde Dependência funcional para as atividades da vida diária, decorrentes de agravos à saúde Insuficiência de suporte familiar e social Insuficiência de suporte familiar e social Acesso prejudicado aos serviços de saúde Acesso prejudicado aos serviços de saúde Risco de institucionalização Risco de institucionalização

30 Público Atendido incluídos cadastrados (lista de espera) atendimentos procedimentos Mês de referência: jun/11

31 PAI Mooca

32 Rede de Servi ç os Geri á tricos Recursos Existentes (Cidade de São Paulo) 8 Unidades de Referência à Saúde do Idoso 8 Unidades de Referência à Saúde do Idoso (URSIs) – municipais (URSIs) – municipais 2 Centros de Referência do Idoso 2 Centros de Referência do Idoso (CRIs) – estaduais (CRIs) – estaduais 19 unidades Acompanhante de Idosos 19 unidades Acompanhante de Idosos 11 unidades de Atendimento Domiciliar 11 unidades de Atendimento Domiciliar

33 Organizar a Rede de Atenção Atenção Básica Atenção Básica URSI URSI PAI PAI UAD UAD Centro-Dia Centro-Dia Centros de Referência (alta complexidade) Centros de Referência (alta complexidade)

34 Desafios Idosos Frágeis e Dependentes Capacitação dos profissionais Capacitação dos profissionais Rede de Serviços Rede de Serviços Planejamento de novas modalidades Planejamento de novas modalidades Financiamento Financiamento Sensibilização dos gestores Sensibilização dos gestores


Carregar ppt "SEMINÁRIO Saúde do Idoso na Região Metropolitana de São Paulo 19/08/2011 Sérgio Márcio Pacheco Paschoal Área Técnica de Saúde da Pessoa Idosa Atenção Básica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google