A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Recursos humanos e materiais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Recursos humanos e materiais."— Transcrição da apresentação:

1 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Recursos humanos e materiais

2 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Recursos humanos Coordenação de Execução e Monitoramento (C.E.M.) Supervisores Regionais (S.R.) Supervisores de Campo (S.C.) Equipe de Coordenação da Escola – Coordenador Geral – Coordenador Pedagógico – Coordenador Local

3 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Equipe C.E.M. Equipe composta por técnicos, com formação multidisciplinar, atuando desde o início do programa, na sede da FUNDAP, responsáveis pelas atividades de planejamento, coordenação e gerenciamento do monitoramento e supervisão nas instituições executoras. Tem por objetivo propor ações e elaborar diretrizes para efetivar a função de execução e monitoramento das turmas.

4 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Atividades - Equipe CEM Analisar o produto da OSEX de montagem da escola e solicita a OSEX de execução. Atribuir as turmas em execução para S.C. e vincular ao S.R. Preparar e realizar Capacitação para Supervisão aos S.C. e S.R. Analisar a realidade do DRS e solicitar contratação de S.C. e S.R. Orientar para utilização do sistema SIGES-RH

5 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Conferir os dados quantitativos e qualitativos das turmas inseridas no SIGES-RH Preparar planilhas de atesto, a partir das informações dos S.C., para pagamento das escolas. Receber e analisar os relatórios sínteses dos S.C. e S.R. Preparar atesto das horas trabalhadas da equipe S.C. e S.R. Elaborar relatório mensal consolidado de execução de todas as turmas Atividades - Equipe CEM

6 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Promover e conduzir as reuniões mensais de S.R., da reunião mensal do DRS I e eventualmente dos demais DRS. Fazer o apoio logístico: reserva de salas e equipamentos à equipe de supervisão Preparar a logística de entrega dos NETBOOKS. Mediar as dúvidas enviadas ao Call Center – FUNDAP entre as Escolas e Equipe de Supervisores Esclarecer dúvidas relativas a execução do programa, como: – Licença Maternidade, Finalização de Turmas, Especialização, formação docente, outros. Atividades - Equipe CEM

7 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Supervisores Regionais (SR) Equipe composta por profissionais Enfermeiros atuando no planejamento e na implementação das diretrizes técnicas do TECSAÚDE. Responsáveis pelo processo de trabalho desenvolvido por todos os supervisores de campo devendo conhecer e compartilhar estratégias pedagógicas que facilitem a aprendizagem e contribuam para a efetiva qualidade do processo de formação dos alunos além de dominar os aspectos gerenciais do Programa.....

8 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Analisar as características das escolas e campos de estágios com instrumento próprio Apresentar novos S.C. para acompanhamento de turmas às escolas Orientar alunos e coordenadores dos procedimentos iniciais quando iniciam novas turmas Abertura de Livro Ata junto ao núcleo de ensino para registros de Supervisão de Campo e Regionais além de Reuniões de Capacitação para docentes realizados pela escola. Atividades – S.R.

9 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Acompanhar a realização da Complementação de Carga Horária da Qualificação Avaliar o desempenho da Gestão Escolar incluindo as atividades de secretaria e prontuários de alunos e docentes Conferir o preenchimento das visitas pelos SC(s) no SIGES-RH Conferir os Relatórios Sínteses elaborados pelos SC(s) Atividades – S.R.

10 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Elaborar Relatório Síntese Mensal com base nos relatórios dos S.C. e SIGES-RH Elaborar pauta para Reunião Mensal da Equipe de Supervisores juntamente com a equipe C.E.M. Convocar os S.C.(s) para as reuniões mensais Avaliar e participar das sugestões para melhoria do desempenho das escolas contratadas. Atividades – S.R.

11 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Supervisores de Campo (S.C.) Equipe composta por profissionais Enfermeiros responsáveis pela supervisão in loco dos cursos no âmbito do TECSAÚDE e tem por atribuição efetuar o monitoramento e a avaliação das atividades das Escolas. Com base na concepção de supervisão como a ação de colaboração e co-participação contínua nos processos educativos e considerando-se os aspectos técnico-legais, de orientação e de assessoramento da educação

12 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Visitar os Campos de Estágios Visitar as escolas e as turmas em execução Verificar diários de classe conferindo frequência nas aulas e atividades docentes Conferir lista inicial de alunos matriculados no SIGES- RH com o registro dos diários de classe observando a movimentação dos alunos e informando a equipe C.E.M. as alterações. Atividades – S.C.

13 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Trabalhar junto com o S.R. no processo de finalização de turmas Vistoriar regularmente a biblioteca das escolas avaliando o acervo Vistoriar regularmente os laboratórios de Enfermagem avaliando os recursos e uso nas aulas teóricas-práticas Avaliar a documentação nos prontuários dos alunos: pessoais, de formação como ensino médio, histórico da qualificação, certificados, fichas de estágios, caderneta de vacinação, contrato e Seguro de Vida Atividades – S.C.

14 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Equipe de Coordenação da Escola Coordenador Geral Coordenador Pedagógico Coordenador Local

15 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Coordenador Geral Profissional responsável pela gestão da Proposta Técnica apresentada pela instituição contratada

16 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Responsável pela execução das turmas e manutenção do contrato para cada núcleo de ensino Responsável pela contratação, gestão e capacitação dos coordenadores pedagógicos e locais Responsável pela manutenção da infra-estrutura de apoio aos alunos e docentes Principal responsável pela execução técnica e pedagógica Atividades do Coordenador Geral

17 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Coordenador Pedagógico Profissional responsável pelo acompanhamento da execução do Curso em até 10 (dez) turmas, não podendo acumular a função de Coordenador Local ou de docente

18 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Organizar reuniões com docentes e coordenadores locais Acompanhar os alunos de Complementação de Carga Horária e de Recuperação paralela devido às faltas Verificar atividades do secretario escolar em relação aos registros de status no SIGES-RH Avaliar conteúdos das aulas em conformidade com a Proposta Pedagógica Atividades do Coordenador Pedagógico

19 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Participar ativamente das reuniões pedagógicas e conselho de classe Avaliar e distribuir os alunos nos campos de estágios Participar das Visitas dos SC Atividades do Coordenador Pedagógico

20 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Coordenador Local Profissional enfermeiro responsável pelo acompanhamento técnico e pedagógico de até 5 (cinco) turmas, podendo exercer a docência caso as turmas estejam localizadas no mesmo espaço físico ou próximas umas das outras. É o principal elo entre o trabalho da Equipe de Supervisão com as turmas e trabalha com o foco no acompanhamento das turmas.

21 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Verificar diários de classe controlando frequência e registros das aulas Acompanhar o desempenho dos alunos e docentes Acompanhar a freqüência e aproveitamento dos alunos de Complementação de Carga Horária e em recuperação paralela Receber e acompanhar as visitas da equipe de Supervisão Atuar como multiplicador das observações da Equipe de Supervisão Visitar os Campos de Estágios Atividades do Coordenador Local

22 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Recursos Materiais Equipamentos Instrumentos didáticos Ambientes

23 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Equipamentos Netbook

24 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Instrumentos Didáticos Apostilas para treinamento do sistema operacional de controle de movimentação de alunos (SIGES-RH) Planilha de distribuição de supervisores por região no Estado de São Paulo Mapa geográfico com demarcação das áreas de abrangência do TecSaude

25 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Instrumentos Didáticos Instrumentos criados pela Equipe de Supervisores – Controle dos alunos para complementação – Controle de Visitas aos Campos de Estágios

26 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010

27 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010

28 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Instrumentos Didáticos Instrumentos criados pela Equipe de C.E.M. – Caracterização dos Campos de Estágios: (preenchida pelo SR) – Controle de Movimentação de Alunos por turma (preenchido pelos SC) – Manual de Monitoramento de Supervisão – Proposta Pedagógica de Execução da Habilitação – Manual de Legislações do Ensino para a Habilitação Profissional em Enfermagem – Guia de orientações para a Realização da Complementação de Carga Horária da Qualificação.

29 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Ambientes Laboratório de informática para treinamentos Salas de reuniões

30 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Organização x Recursos Humanos

31 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 DRS(s)17 Escolas87 Turmas663 Equipe C.E.M.8 Supervisores Regionais12 Supervisores de Campo64 Coordenadores Locais133 Coordenadores Pedagógicos67 Docentes3.315 Alunos Total26.664

32 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Obrigado – Angela – Carlos – Gerciel – Oneide


Carregar ppt "Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Recursos humanos e materiais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google