A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

3 Teorias da Aprendizagem Matemática Descrever os aspectos essenciais de cada teoria de aprendizagem da Matemática.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "3 Teorias da Aprendizagem Matemática Descrever os aspectos essenciais de cada teoria de aprendizagem da Matemática."— Transcrição da apresentação:

1 3 Teorias da Aprendizagem Matemática Descrever os aspectos essenciais de cada teoria de aprendizagem da Matemática

2 Alunos aprendem Através de experiências informais não estruturadas. Ocorridas no meio,quer através do ambiente formal da sala de aula.

3 A Psicologia Aprendizagem por associação. Aprendizagem cognitiva.

4 Aprendizagem por associação Conexões ou associações entre estímulo e resposta. Aprender Matemática, conexões apropriadas.

5 Aprendizagem cognitiva Reorganização de percepções.

6 Teorias Perspectiva comportamentalista. Gestaltista. Estruturalista. Construtivista

7 Comportamentalista (Sandford,1942) Todos os processos mentais consistem no funcionamento de conexões inatas e adquiridas entre : Situação X Resposta

8 Comportamentalista O comportamento seria a única realidade observável. (Pavlov,Thorndike,Skinner) Paradigma comportamentalista: aprendizagem seria igual a uma série de conexões entre situações que mais tarde os comportamentalistas chamariam de estímulos x respostas.

9 Conexionismo Pensa semelhante em situações semelhantes. É um produto da doutrina do associacionismo. É uma teoria de aprendizagem. Orientação evolutiva.

10 Conexionismo Comportamento humano comparado aos dos animais inferiores. Aprender é conectar.Neurônios x neurônios, sinápse de aprendizagem. Atomista= não holístico. Realça aspéctos mecânicos do comportamento.

11 Conexionismo Quanto maior o número de ligações maior a sua inteligência. Experimenta constantemente.

12 Thorndike= Exercício/Efeito Lei do Efeito: Situação x Resposta. –Quando uma conexão modificável é seguida de uma satisfação,a força da conexão é aumentada. –O inverso, o incômodo enfraquece.

13 Aprendizagem Aprendizagem é positiva com maior satisfação. Aprendizagem é negativa com a punição.

14 Lei do Exercício Freqüência ou uso e desuso. Situação x Resposta Quanto mais uma conexão for utilizada mais forte a conexão. Quanto menos utilizada, mais fraca a conexão.

15 Lei do Exercício Watson A Lei do Exercício isolada não produz aprendizagem, é necessário associá-la com a Lei do Efeito. A prática sem conhecimento das conseqüências do ato não tem qualquer efeito na aprendizagem.

16 Lei da Prontidão Quando uma ligação está pronta para agir, a ação dá satisfação e não agir dá incomodo. Quando uma ligação não pronta para agir, é obrigada a agir,acontece incômodo.

17 Três Leis Disponibilidade dos neurônios se ligarem uns aos outros. O Raciocínio é a cooperação de hábitos organizados e para o explicar apenas precisam das três leis.

18 Comportamentalista Falhou Skinner (1957) O Comportamento lingüístico falhou em termos de estímulo e resposta. Devido a Criatividade, pois temos inteira liberdade de falar do que queremos e da forma que queremos.

19 Comportamentalista Explica bem a aquisição de competências básicas. Era capaz de interpretar satisfatoriamente os aspéctos mais complexos da cognição. Mas cabe-lhe no entanto o mérito de ter chamado a atenção para os conceitos como a motivação e a transferência.

20 Comportamentalista A perspectiva comportamentalista em especial a versão mais radical de Skinner, de que a aprendizagem humana era fundamentalmente idêntica à aprendizagem de pombos, gatos ou ratos esteve na origem da desumanização da educação, especialmente nos Estados Unidos.

21 3.5 Construtivista Qualquer tentativa de testar a verdade do conhecimento é, ela própria, um ato de conhecimento, e portanto subjetiva. O conhecimento da verdade objetiva é pois impossível.

22 Construtivista A proposta central dos construtivistas é a de que a mente é modelada como uma experiência organizativa de modo a lidar com um mundo real que não pode ser conhecido em si.

23 Construtivista Os construtivistas usam o ato de abrir uma porta à chave como uma metáfora. Metáfora da forma como a mente constrói o conhecimento. Tal como a chave pode abrir a fechadura.

24 Chave x fechadura Sem saber se a chave foi fabricada para aquela fechadura- o conhecimento é uma adaptação mental. Chave adaptada à fechadura - não um encaixe com a realidade precisamente para aquela fechadura.

25 Abrir a porta No momento de abrir a porta, apenas podemos ter certezas sobre as chaves que não abrem a fechadura. Apenas podemos ter a certeza do conhecimento que não se adapta. Nunca podemos ter a certeza sobre as que foram fabricadas especificamente para aquela fechadura.

26 Dois Princípios 1) O conhecimento é construído ativamente pelo sujeito cognisciente e não passivamente recebido do meio. 2) Conhecer é um processo adaptativo que organiza o mundo experiencial de cada um, não descobre um mundo independente pré- existente, exterior à mente do sujeito.

27 O Construtivismo Cada um constrói o significado para a linguagem que usa à medida que vai construindo o seu mundo experiencial. O construtivismo radical é uma teoria de aprendizagem. Não é uma teoria de ensino.

28 Visão construtivista da prática educativa Ensinar é muito diferente de treinar. Os processos no interior da cabeça do aluno são mais interessantes do que os comportamentos. A comunicação lingüística torna-se um processo para guiar a aprendizagem e não uma transferência de aprendizagem.

29 Construtivismo Os desvios dos alunos das expectativas do professor tornam-se um meio para compreender os seus esforços de compreensão. As entrevistas de ensino tornam-se meios não apenas de inferir estruturas cognitivas, mas também de as modificar.

30 Os desvios dos alunos...compreender Esta abordagem tem sido a preferida por investigadores na área de inteligência artificial procurando desenvolver programas de ensino através de computadores. A concepção das crianças aprendendo não são erradas. Apresentam verdadeiros conceitos alternativos, passíveis de serem matematizados.

31 Postura A postura deverá ser a de aceitar as respostas do aluno e não avaliar da sua correção ou incorreção. Explicar os conhecimentos dos alunos numa base individual corre riscos de conduzir a interpretações solipsistas, em que o conhecimento do indivíduo é desenvolvido individual e isoladamente.

32 Cognição Cognição situada propõe que todo conhecimento permanece associado às experiências que lhe deram origem. Revelam respeito pela inteligência e pela capacidade de investigação e invenção das crianças. Procurando sobretudo o significado matemático que os conceitos tinham para os alunos.

33 Avaliação Avaliar o conhecimento dos alunos em relação a uma matemática pré-existente é muito pouco útil se se pretende entender a raiz intelectual das suas dificuldades. Não existe transmissão de conhecimento do professor para os alunos, antes estes constróem os conhecimentos matemáticos de raiz.

34 Conexionismo Caso especial de aprendizagem associativa. Amadurecemos em reflexos e instintos. Mas temos de praticar ou exercitar para aprender os nossos hábitos. Base hereditária.

35


Carregar ppt "3 Teorias da Aprendizagem Matemática Descrever os aspectos essenciais de cada teoria de aprendizagem da Matemática."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google