A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

01.Moral 01 – Introdução (8 slides) 10. Moral 10 – Conversão (8 slides) 02.Moral 02 – Fundamento da Moralidade (8 slides) 03. Moral 03 – Fim último (9.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "01.Moral 01 – Introdução (8 slides) 10. Moral 10 – Conversão (8 slides) 02.Moral 02 – Fundamento da Moralidade (8 slides) 03. Moral 03 – Fim último (9."— Transcrição da apresentação:

1 01.Moral 01 – Introdução (8 slides) 10. Moral 10 – Conversão (8 slides) 02.Moral 02 – Fundamento da Moralidade (8 slides) 03. Moral 03 – Fim último (9 slides) 04.Moral 04 – Liberdade humana (14 slides) 05.Moral 05 – Actos humanos (14 slides) 06. Moral 06 – Consciência moral ( 13 slides) 07. Moral 07 – Leis Moral ( 12 slides ) 08. Moral 08 – Virtudes (11 slides) 09. Moral 09 – Pecado (10 slides) Aulas previstas: Moral Fundamental 03 – Moral – Fim último

2 1/9 Fim último Deus criou o homem para a felicidade, mas pelo pecado original tal fim ficou obscurecido. => Se o homem pode esquecer Deus, Deus não cessa de chamar todo o Homem a que O procure, para que encontre a vida e a felicidade CCE 30 ( CCE 30 ). Fim último sobrenatural do homem = orientar a vida toda para Deus, participando da vida trinitária, no qual encontra a sua verdadeira e máxima felicidade. O desejo de Deus está inscrito no coração do homem, porque o CCE 27 homem foi criado por Deus e para Deus ( CCE 27 ).

3 2/9 Fim último Veritatis splendor 73 Veritatis splendor 73 : A vida moral possui um carácter teleológico essencial, porque consiste na ordenação deliberada dos actos humanos a Deus, sumo bem e fim último do homem. Mas esta ordenação ao fim último não é uma dimensão subjectivista que depende só da intenção. Aquela pressu- põe que tais actos sejam em si mesmos ordenáveis a este fim, enquanto conformes ao autêntico bem moral do homem, tutelado pelos mandamentos.

4 3/9 CCE 1723 CCE 1723 : A bem-aventurança prometida coloca-nos perante opções morais decisivas. Convida-nos a purificar o nosso coração dos seus malvados instintos e a buscar o amor de Deus acima de tudo. Ensina-nos que a verdadeira dita não reside nem na riqueza ou bem-estar, nem na glória humana ou no poder, nem em nenhuma obra humana, por útil que seja, como as ciências, as técnicas e as artes, nem em nenhuma criatura, mas só em Deus, fonte de todo o bem e de todo o amor. Introdução Não exclui que o homem se proponha fins como o bem-estar, as ciências, as artes, as técnicas, etc., mas que estes fins não possam ser nem últimos nem absolutos.

5 4/9 Fim último O centro do universo não é o homem, Mas Deus. A pessoa humana deve buscar em tudo a glória de Deus : deste modo aceita e respeita a grandeza divina. A glória de Deus repercute também na glória humana. Mt 5, 16 Mt 5, 16 : as vossas boas obras glorifiquem o vosso Pai que está nos céus. Fim último de toda criatura: a glória de Deus. Jo 15, 8 Jo 15, 8 : meu Pai é glorificado se dais muito fruto e sois meus ´ discípulos.

6 5/9 Fim último De modo positivo : render culto a Deus (virtude da religião: actos fundamentais = adoração, acção de graças, desagravo e oração de petição); culto máximo pela acção litúrgica (Cume = Eucaristia). De modo negativo : a Moral contempla os pecados. Entre os mais graves : ateísmo, agnosticismo, indife- rença religiosa, blasfémia, sacrilégio ou profanação das coisas sagradas, uso indevido do nome de Deus (superstições), uso irregular do juramento, incumprimento dos votos livremente assumidos. Deveres morais do homem com o seu Criador : 1 2

7 6/9 Fim último Só o baptizado pode aspirar a ele e consegue alcançá-lo (também com baptismo de desejo): a graça divina eleva sobrenaturalmente o homem. Supera as forças humanas : utilizar os meios sobrenaturais (sacramentos e oração).. O fim último sobrenatural: A B Permite que o baptizado possa comunicar com Deus; mais ainda, que participe da vida Trinitária. C

8 7/9 Fim último Ajuda a rejeitar todo o pecado, e o amor a Deus com que se levam a cabo as obras em si boas engrandece -as. Serve de critério para medir a moralidade de cada acto: serão acções moralmente boas aquelas que garantam a consecução do fim último. Dá lugar a uma moral de altos valores éticos porque se põe Deus como fim da existência O fim último deve exercer um influxo real no actuar actuar humano: Além de projectar para a vida um ideal mais elevado, conta-se com a graça de Deus para o alcançar. 4

9 8/9 Fim último Alguns erros actuais sobre o fim último: os que professam uma moral sem Deus (existencialistas ateus); os que reduzem o homem a pura biologia (a origem da conduta moral situar-se-ia nos genes); os que fazem derivar a moralidade dos costumes sociais de cada época; os que afirmam que o homem não tem em si mesmo uma entidade que lhe permita realizar actos verdadeiramente responsáveis ; os que reduzem o homem a pura matéria (materialismo dialéctico, defensores do acaso, etc.); os que negam uma diferença essencial entre o homem e o animal. O fim último reduz-se então ao bem-estar pessoal, ou no limite, a conseguir uma convivência pacífica no âmbito social.

10 9/9 Ficha técnica Bibliografia Estes Guiões são baseados nos manuais da Biblioteca de Iniciação Teológica da Editorial Rialp (editados em português pela editora Diel) Slides Original em português europeu - disponível em:


Carregar ppt "01.Moral 01 – Introdução (8 slides) 10. Moral 10 – Conversão (8 slides) 02.Moral 02 – Fundamento da Moralidade (8 slides) 03. Moral 03 – Fim último (9."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google