A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANTROPOLOGIA FORENSE E IDENTIFICAÇÃO Reconhecimento- implica em conhecer de novo, ou seja, verificar utilizando os órgãos dos sentidos, principalmente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANTROPOLOGIA FORENSE E IDENTIFICAÇÃO Reconhecimento- implica em conhecer de novo, ou seja, verificar utilizando os órgãos dos sentidos, principalmente."— Transcrição da apresentação:

1 ANTROPOLOGIA FORENSE E IDENTIFICAÇÃO Reconhecimento- implica em conhecer de novo, ou seja, verificar utilizando os órgãos dos sentidos, principalmente a visão (e a memória), que aquela pessoa que estamos vendo, corresponde aquela que estamos procurando.

2 Identificação

3 INSTITUTO MÉDICO LEGAL AFRÂNIO PEIXOTO- IML AP Necessidade de utilizar-se o reconhecimento como elemento de prova de identificação. Grande parcela da população não possui documentos de identidade. Trocas de cadáveres e reconhecimento errado.

4 IDENTIFICAÇÃO No exame de corpo de delito- carteira de identidade ou uso da impressão digital. Catatimia- É um distúrbio da percepção provocado pela afetividade.

5 O Reconhecimento?????

6 IDENTIFICAÇÃO Consiste em um reconhecimento técnico, objetivo; de comprovação passível de ser analisada e comprovada por pessoas diferentes.

7 TRAÇO BIOLÓGICO Unicidade ou Exclusividade – O traço que se estuda deve ser exclusivo, isto é único. Imutabilidade ou Perenidade – O traço biológico não deve sofrer modificações permanentes, ao longo da vida; podem no entanto ocorrer alterações temporárias.

8 TRAÇO BIOLÓGICO Classificabilidade- que os resultados obtidos possam ser classificados. Praticidade- que o método de análise do traço seja prático, simples de ser avaliado.

9 Identificação de coisa ou pessoa Confronto entre os registros 1° registro 2° registro

10 IDENTIDADE É a qualidade de ser a mesma coisa( a mesma pessoa) e não diversa. Para que se possa provar que uma determinada pessoa é aquela e não outra, inúmeras técnicas são utilizadas. Assim, a identificação é o método utilizado para se conhecer a identidade.

11 IDENTIDADE É muito importante que se entenda que a identificação será tão mais correta, quanto mais exatos forem os registros anteriores que serão usados para o confronto futuro.

12 A Evolução do Processo de Identificação Código de Hamurabi- Dos caldeus e babilônios; identificação dos criminosos, como a amputação da orelha, nariz, dedos, etc. França- Ferrar os ladrões no rosto ou na escápula.

13 A IDENTIFICAÇÃO MÉDICO- LEGAL Espécie- ossos (formas, microscopia) e sangue (microscopia). Raça- Caucásico, Mongólico,Negróide, Indiano e Australóide. Sexo- Genético, cromossomial, psíquico, morfológico,jurídico.

14 IDENTIFICAÇAÕ MÉDICO- LEGAL Idade- Em Medicina Legal na maioria dos casos onde se faz necessária a decisão pericial, os ossos e os dentes prestam a maioria das informações ao especialista. Desde os ponto de ossificação do feto, do adolescente e do adulto; os ossos participam de modo importante desta análise.

15 IDADE A radiografia das epífises, isto é, extremidades dos ossos, notadamente, dos ossos de punho, entre tantos outros, tem grande utilidade em exames deste tipo.

16 SINAIS INDIVIDUAIS Má Formações Sinais Profissionais Tatuagens Cicatrizes

17 TATUAGEM

18 Identificação pelos Dentes A identificação pela arcada dentária é algo relevante, principalmente em se tratando de cadáveres carbonizados ou esqueletizados, para tanto, é preciso dispor de uma ficha dentária fornecido pelo dentista da vítima.

19 Superposição Crânio- Facial por Vídeo. Modernamente, com as técnicas de reprodução de imagens de raios-X em fotografia, vídeo e computadores, avanços em computação gráfica, a possibilidade de novas técnicas é promissora e viável.

20 Impressão Digital Genética do DNA O estudo do genoma humano desenvolveu a hemogenética médico-legal. Além das perícias de investigação do vinculo genético da paternidade, abriu-se um novo campo na CRIMINALÍSTICA.

21 DNA

22 Impressão Digital Genética do DNA A análise de vestígios humanos pode trazer grande contribuição no INTERESSE PERICIAL, através dos marcadores genéticos e da aplicação do polimorfismo do DNA.

23 DNA – Ácido Desoxiribonucleico DNA é a proteína da célula sangue sêmen saliva pêlos

24 DNA – Ácido Desoxiribonucleico Dificuldade do exame - financeiro - banco de dados - metodologia - fundamentos - legislação processual


Carregar ppt "ANTROPOLOGIA FORENSE E IDENTIFICAÇÃO Reconhecimento- implica em conhecer de novo, ou seja, verificar utilizando os órgãos dos sentidos, principalmente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google