A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Metrologia (slide 1) Conceitos Iniciais Metrologia é a ciência da medição. Trata dos conceitos básicos, dos métodos, dos erros e sua propagação, das unidades.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Metrologia (slide 1) Conceitos Iniciais Metrologia é a ciência da medição. Trata dos conceitos básicos, dos métodos, dos erros e sua propagação, das unidades."— Transcrição da apresentação:

1 Metrologia (slide 1) Conceitos Iniciais Metrologia é a ciência da medição. Trata dos conceitos básicos, dos métodos, dos erros e sua propagação, das unidades e dos padrões envolvidos na quantificação de grandezas físicas.

2 Metrologia (slide 2) Medições no dia-a-dia Potência da lâmpada Temperatura da geladeira Volume de leite Tempo de cozimento Velocidade do automóvel Pressão dos pneus Volume de combustível Quantidade de arroz Consumo de energia Tamanho do peixe Dimensões das peças Rotação do motor Horário do despertador Comprimento da calça

3 Metrologia (slide 3) Importância de medir "O conhecimento amplo e satisfatório sobre um processo ou fenômeno somente existirá quando for possível medi-lo e expressá-lo através de números". Lord Kelvin, 1883

4 Metrologia (slide 4) Exemplo de medição ,4 unidades mensurando instrumento de medição indicação unidade

5 Metrologia (slide 5) Exemplo de medição 2 tensão do gerador: 5,305 V constante do sistema de medição: 15,080 (km/h)/V velocidade: 5,305 V. 15,080 (km/h)/V = 80,0 km/h

6 Metrologia (slide 6) O que é medir? Medir é o procedimento experimental através do qual o valor momentâneo de uma grandeza física (mensurando) é determinado como um múltiplo e/ou uma fração de uma unidade, estabelecida por um padrão, e reconhecida internacionalmente.

7 Metrologia (slide 7) Algumas definições Mensurando é o objeto da medição. É a grandeza específica submetida a medição. Mensurando é o objeto da medição. É a grandeza específica submetida a medição. Indicação é o valor de uma grandeza fornecido por um sistema de medição. Indicação é o valor de uma grandeza fornecido por um sistema de medição. Indicação direta é o número mostrado pelo sistema de medição. A indicação direta pode ou não ser apresentada na unidade do mensurando. Indicação direta é o número mostrado pelo sistema de medição. A indicação direta pode ou não ser apresentada na unidade do mensurando.

8 Metrologia (slide 8) tensão do gerador: 5,305 V constante do sistema de medição: 15,080 (km/h)/V velocidade: 5,305 V. 15,080 (km/h)/V = 80,0 km/h indicação diretaindicação mensurando

9 Metrologia (slide 9) Medir para que? Monitorar Monitorar Observar passivamente grandezas Observar passivamente grandezas Controlar Controlar Observar, comparar e agir para manter dentro das especificações. Observar, comparar e agir para manter dentro das especificações. Investigar Investigar Descobrir o novo, explicar, formular. Descobrir o novo, explicar, formular.

10 Metrologia (slide 10) Medir para monitorar... Compra e venda de produtos e serviços: Compra e venda de produtos e serviços: consumo de água, energia elétrica, taxímetro, combustíveis, etc. consumo de água, energia elétrica, taxímetro, combustíveis, etc. Sinais vitais: Sinais vitais: pressão arterial, temperatura, pressão arterial, temperatura, nível de colesterol Atividades desportivas: Atividades desportivas: desempenho, recordes desempenho, recordes

11 Metrologia (slide 11) Medir para monitorar...

12 Metrologia (slide 12) Medir para controlar... Medir Comparar Especificações xxxx ± xx yyyy ± yy zzz ± z Agir

13 Metrologia (slide 13) Medir para controlar...

14 Metrologia (slide 14) pressãoaltitude temperaturarota velocidade Medir para controlar...

15 Metrologia (slide 15) Medir para investigar...

16 Metrologia (slide 16) Medir para investigar... Pequenas diferenças nas medidas podem levar a conclusões completamente diferentes.

17 Metrologia (slide 17) Medir para investigar... Compreender Compreender Descobertas científicas, estudar fenômenos Descobertas científicas, estudar fenômenos Dominar Dominar Validar, know-how Validar, know-how Evoluir Evoluir Melhorar continuamente, expandir limites Melhorar continuamente, expandir limites Inovar Inovar

18 Metrologia (slide 18) Idéia invento oportunidade pesquisa aplicada processos fabricação ensaios prototipagem desenvolvimento produçãodesign plano produção CQ marketing patenteamento certificação Produto Serviço Inovador pesquisa aplicada processos fabricação ensaios prototipagem desenvolvimento produção plano produção CQ certificação Ond e tem metrologia ? Elementos da inovação tecnológica

19 Metrologia (slide 19) Medições geram erros Sistema de medição mensurando indicação imperfeições do sistema de medição má definição do mensurando condições ambientais influência do operador ± ERROS procedimento de medição Errar é inevitável Errar é inevitável

20 Metrologia (slide 20) Processo de medição resultado da medição definição do mensurando procedimento de medição condições ambientais sistema de medição operador Diagrama de Ishikawa "Diagrama de Causa e Efeito" ou "Espinha-de-peixe"

21 Metrologia (slide 21) Resultado da medição Sistema de medição mensurando indicação RB+ U- U VV

22 Metrologia (slide 22) Resultado da medição É a faixa de valores dentro da qual deve se situar o valor verdadeiro do mensurando. É a faixa de valores dentro da qual deve se situar o valor verdadeiro do mensurando. Resultado base é a estimativa do valor do mensurando que, acredita-se, mais se aproxime do seu valor verdadeiro. Resultado base é a estimativa do valor do mensurando que, acredita-se, mais se aproxime do seu valor verdadeiro. Incerteza da medição (U) é o tamanho da faixa simétrica, e centrada em torno do resultado base, que delimita a faixa onde se situam as dúvidas associadas à medição. Incerteza da medição (U) é o tamanho da faixa simétrica, e centrada em torno do resultado base, que delimita a faixa onde se situam as dúvidas associadas à medição. RM = (RB ± U) unidade

23 Metrologia (slide 23) Pilares da Metrologia HonestidadeConhecimentoBom-senso

24 Metrologia (slide 24) A linguagem da metrologia Até 1995: Até 1995: Torre de Babel Em 10 de Março de 1995: Em 10 de Março de 1995: Portaria INMETRO n° 029 Vocabulário de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia (VIM) Em sintonia com: ISO, BIPM, IEC, IFCC, IUPAC, IUPAP

25 Unidades de Medida e o Sistema Internacional

26 Metrologia (slide 26) Medir Medir é o procedimento experimental através do qual o valor momentâneo de uma grandeza física (mensurando) é determinado como um múltiplo e/ou uma fração de uma unidade, estabelecida por um padrão, e reconhecida internacionalmente. Medir é o procedimento experimental através do qual o valor momentâneo de uma grandeza física (mensurando) é determinado como um múltiplo e/ou uma fração de uma unidade, estabelecida por um padrão, e reconhecida internacionalmente.

27 Um pouco de história das unidades de medida...

28 Metrologia (slide 28) Um pouco de história... O desenvolvimento da linguagem... O desenvolvimento da linguagem... A necessidade de contar... A necessidade de contar... Só os números não bastam... Só os números não bastam... Unidades baseadas na anatomia... Unidades baseadas na anatomia...

29 Metrologia (slide 29)

30 Metrologia (slide 30) O cúbito do Faraó Ramsés II, o cúbito real

31 Metrologia (slide 31) O pé médio da idade média

32 Por que um único sistema de unidades?

33 Metrologia (slide 33) Importância do SI Clareza de entendimentos internacionais (técnica, científica)... Clareza de entendimentos internacionais (técnica, científica)... Transações comerciais... Transações comerciais... Garantia de coerência ao longo dos anos... Garantia de coerência ao longo dos anos... Coerência entre unidades simplificam equações da física... Coerência entre unidades simplificam equações da física...

34 As sete unidades de base do SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES (SI)

35 Metrologia (slide 35) As sete unidades de base Grandezaunidade símbolo Comprimentometrom Comprimentometrom Massaquilogramakg Massaquilogramakg Temposegundos Temposegundos Corrente elétricaampereA Corrente elétricaampereA TemperaturakelvinK TemperaturakelvinK Intensidade luminosacandelacd Intensidade luminosacandelacd Quantidade de matériamolmol Quantidade de matériamolmol

36 Metrologia (slide 36) O metro 1793: décima milionésima parte do quadrante do meridiano terrestre 1793: décima milionésima parte do quadrante do meridiano terrestre 1889: padrão de traços em barra de platina iridiada depositada no BIPM 1889: padrão de traços em barra de platina iridiada depositada no BIPM 1960: comprimento de onda da raia alaranjada do criptônio 1960: comprimento de onda da raia alaranjada do criptônio 1983: definição atual 1983: definição atual

37 Metrologia (slide 37) O metro (m) É o comprimento do trajeto percorrido pela luz no vácuo, durante um intervalo de tempo de 1/ de segundo É o comprimento do trajeto percorrido pela luz no vácuo, durante um intervalo de tempo de 1/ de segundo Observações: Observações: assume valor exato para a velocidade da luz no vácuo assume valor exato para a velocidade da luz no vácuo depende da definição do segundo depende da definição do segundo incerteza atual de reprodução: m incerteza atual de reprodução: m

38 Metrologia (slide 38) Comparações... Se o mundo fosse ampliado de forma que m se tornasse 1 mm: Se o mundo fosse ampliado de forma que m se tornasse 1 mm: um glóbulo vermelho teria cerca de 700 m de diâmetro. um glóbulo vermelho teria cerca de 700 m de diâmetro. o diâmetro de um fio de cabelo seria da ordem de 50 km. o diâmetro de um fio de cabelo seria da ordem de 50 km. A espessura de uma folha de papel seria algo entre 100 e 140 km. A espessura de uma folha de papel seria algo entre 100 e 140 km. Um fio de barba cresceria 2,0 m/s. Um fio de barba cresceria 2,0 m/s.

39 Metrologia (slide 39) O segundo (s) é a duração de períodos da radiação correspondente à transição entre os dois níveis hiperfinos do estado fundamental do átomo de Césio 133. é a duração de períodos da radiação correspondente à transição entre os dois níveis hiperfinos do estado fundamental do átomo de Césio 133. Observações: Observações: Incerteza atual de reprodução: s Incerteza atual de reprodução: s

40 Metrologia (slide 40) Comparações... Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: um avião a jato levaria pouco mais de 120 anos para percorrer 1 mm. um avião a jato levaria pouco mais de 120 anos para percorrer 1 mm.

41 Metrologia (slide 41) Comparações... Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: o tempo em que uma lâmpada de flash ficaria acesa seria da ordem de 30 anos. o tempo em que uma lâmpada de flash ficaria acesa seria da ordem de 30 anos.

42 Metrologia (slide 42) Comparações... Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: uma turbina de dentista levaria cerca de 200 anos para completar apenas uma rotação. uma turbina de dentista levaria cerca de 200 anos para completar apenas uma rotação.

43 Metrologia (slide 43) Comparações... Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: Se a velocidade com que o tempo passa pudesse ser desacelerada de tal forma que s se tornasse 1 s: um ser humano levaria cerca de 600 séculos para piscar o olho. um ser humano levaria cerca de 600 séculos para piscar o olho.

44 O quilograma (kg) Lavousier definiu em 1793 a unidade básica de massa, como sendo o peso de 1 decímetro cúbico de água a temperatura de fusão do gelo. Em 1799 foi definido como a massa de 1 litro de água a 4 o C, que é quando essa se encontra mais densa.

45 Metrologia (slide 45) O quilograma (kg) Em 1799 foi definido como a massa de 1 litro de água a 4 graus Celsius, que é quando essa se encontra mais densa. A partir dessa definição foi criado um cilindro de platina pura e foi batizado como o Quilogramadosarquivos

46 Metrologia (slide 46) O quilograma (kg) Desde então essa é a definição do quilograma e é chamado de IPK (International Prototype Kilogram) (International Prototype Kilogram) Le Grand K Big K Em 1889 foi atualizado para um cilindro de platina e irídio.

47 Metrologia (slide 47) 6 cópias BIPM

48 Metrologia (slide 48) 40 cópias O quilograma (kg)

49 Metrologia (slide 49) O quilograma (kg)

50 Metrologia (slide 50) O quilograma (kg) Das 7 unidades básicas, 4 delas depende do quilograma. mol, candela, ampere e o quilograma. E as derivações como: Newton, joule, volt e Watt

51 Metrologia (slide 51) Seria necessário recalibrar a Constante de Avogrado Nova definição da Massa

52 Esfera de 1 kg de silício : 2,25 x átomos Só a matéria prima custou 1 milhão de euros !!! E é considerado o objeto mais redondo do mundo. Será calculado o numero de átomos existente. Sendo de silício não há vazios nem deformações 1 isótopo de Silício 28

53 Metrologia (slide 53) Nova definição da Massa Poderá se dizer que 1kg é igual a massa de 2,25 x átomos de Silício 28

54 Nova definição da Massa: outra abordagem Recalibrar a Constante de Planck Utilizando a Balança de Watt

55

56 Nova definição da Massa São frentes complementares, uma pode validar a outra. E se forem capazes de registros em uma margem de erro abaixo de 20 microgramas Elas podem redefinir o quilograma até ASSISTA !! World's Roundest Object!

57 Metrologia (slide 57) O quilograma (kg) Hoje, o quilograma é igual à massa do protótipo internacional do quilograma. Hoje, o quilograma é igual à massa do protótipo internacional do quilograma. incerteza atual de reprodução: g incerteza atual de reprodução: g busca-se uma melhor definição... busca-se uma melhor definição...

58 Metrologia (slide 58) Comparações... Se as massas das coisas que nos cercam pudessem ser intensificadas de forma que g se tornasse 1 g: Se as massas das coisas que nos cercam pudessem ser intensificadas de forma que g se tornasse 1 g: um mosquito 1,5 kg um mosquito 1,5 kg

59 Metrologia (slide 59) Comparações... Se as massas das coisas que nos cercam pudessem ser intensificadas de forma que g se tornasse 1 g: Se as massas das coisas que nos cercam pudessem ser intensificadas de forma que g se tornasse 1 g: uma moeda de R$ 0,01 teria 8 t uma moeda de R$ 0,01 teria 8 t

60 Metrologia (slide 60) Comparações... Se as massas das coisas que nos cercam pudessem ser intensificadas de forma que g se tornasse 1 g: Se as massas das coisas que nos cercam pudessem ser intensificadas de forma que g se tornasse 1 g: a quantidade de álcool em um drinque seria de 24 t a quantidade de álcool em um drinque seria de 24 t

61 Metrologia (slide 61) O ampère (A) é a intensidade de uma corrente elétrica constante que, mantida em dois condutores paralelos, retilíneos, de comprimento infinito, de seção circular desprezível, e situados à distância de 1 metro entre si, no vácuo, produz entre estes condutores uma força igual a newton por metro de comprimento. é a intensidade de uma corrente elétrica constante que, mantida em dois condutores paralelos, retilíneos, de comprimento infinito, de seção circular desprezível, e situados à distância de 1 metro entre si, no vácuo, produz entre estes condutores uma força igual a newton por metro de comprimento. incerteza atual de reprodução: A incerteza atual de reprodução: A

62 Metrologia (slide 62) O kelvin (K) O kelvin, unidade de temperatura termodinâmica, é a fração 1/273,16 da temperatura termodinâmica do ponto tríplice da água. O kelvin, unidade de temperatura termodinâmica, é a fração 1/273,16 da temperatura termodinâmica do ponto tríplice da água. incerteza atual de reprodução: K incerteza atual de reprodução: K

63 Metrologia (slide 63) A candela (cd) é a intensidade luminosa, numa dada direção, de uma fonte que emite uma radiação monocromática de freqüência hertz e cuja intensidade energética nesta direção é de 1/683 watt por esterradiano. é a intensidade luminosa, numa dada direção, de uma fonte que emite uma radiação monocromática de freqüência hertz e cuja intensidade energética nesta direção é de 1/683 watt por esterradiano. incerteza atual de reprodução: cd incerteza atual de reprodução: cd

64 Metrologia (slide 64) O mol (mol) é a quantidade de matéria de um sistema contendo tantas entidades elementares quantos átomos existem em 0,012 quilograma de carbono 12. é a quantidade de matéria de um sistema contendo tantas entidades elementares quantos átomos existem em 0,012 quilograma de carbono 12. incerteza atual de reprodução: mol incerteza atual de reprodução: mol

65 As unidades suplementares

66 Metrologia (slide 66) C O radiano (rad) É o ângulo central que subtende um arco de círculo de comprimento igual ao do respectivo raio. É o ângulo central que subtende um arco de círculo de comprimento igual ao do respectivo raio. R 1 rad C = R

67 Metrologia (slide 67) Ângulo Sólido R A = A/R 2

68 Metrologia (slide 68) O esterradiano (sr) É o ângulo sólido que tendo vértice no centro de uma esfera, subtende na superfície uma área igual ao quadrado do raio da esfera. É o ângulo sólido que tendo vértice no centro de uma esfera, subtende na superfície uma área igual ao quadrado do raio da esfera. São exemplos de ângulo sólido: o vértice de um cone e o facho de luz de uma lanterna acesa.) São exemplos de ângulo sólido: o vértice de um cone e o facho de luz de uma lanterna acesa.)

69 As unidades derivadas

70 Metrologia (slide 70) Unidades derivadas Grandeza derivadaUnidade derivadaSímbolo área volume velocidade aceleração velocidade angular aceleração angular massa específica intensidade de campo magnético densidade de corrente concentração de substância luminância metro quadrado metro cúbico metro por segundo metro por segundo ao quadrado radiano por segundo radiano por segundo ao quadrado quilogramas por metro cúbico ampère por metro ampère por metro cúbico mol por metro cúbico candela por metro quadrado m 2 m 3 m/s m/s 2 rad/s rad/s 2 kg/m 3 A/m A/m 3 mol/m 3 cd/m 2

71 Metrologia (slide 71) Grandeza derivadaUnidade derivada SímboloEm unidades do SI Em termos das unidades base freqüência força pressão, tensão energia, trabalho, quantidade de calor potência e fluxo radiante carga elétrica, quantidade de eletricidade diferença de potencial elétrico, tensão elétrica, força eletromotiva capacitância elétrica resistência elétrica condutância elétrica fluxo magnético indução magnética, densidade de fluxo magnético indutância fluxo luminoso iluminamento ou aclaramento atividade (de radionuclídeo) dose absorvida, energia específica dose equivalente hertz newton pascal joule watt coulomb volt farad ohm siemens weber tesla henry lumen lux becquerel gray siervet Hz N Pa J W C V F S Wb T H lm lx Bq Gy Sv N/m 2 N. m J/s W/A C/V V/A A/V V. S Wb/m 2 Wb/A cd/sr lm/m 2 J/kg s -1 m. kg. s -2 m -1. kg. s -2 m 2. kg. s -2 m 2. kg. s -3 s. A m 2. kg. s -3. A -1 m -2. kg -1. s 4. A 2 m 2. kg. s -3. A -2 m -2. kg -1. s 3. A 2 m 2. kg. s -2. A -1 kg. s -2. A -1 m 2. kg. s -2. A -2 cd cd. m -2 s -1 m 2. s -2

72 Múltiplos e submúltiplos

73 Metrologia (slide 73) Múltiplos e submúltiplos FatorNome do prefixo SímboloFatorNome do prefixo Símbolo yotta zetta exa peta tera giga mega quilo hecto deca Y Z E P T G M k h da deci centi mili micro nano pico femto atto zepto yocto d c m n p f a z y

74 Unidades em uso e unidades aceitas em áreas específicas

75 Metrologia (slide 75) Unidades em uso com o SI GrandezaUnidadeSímboloValor nas unidades do SI tempo ângulo volume massa pressão temperatura minuto hora dia grau minuto segundo litro tonelada bar grau Celsius min h d ° ' " l, L t bar °C 1 min = 60 s 1 h = 60 min = 3600 s 1 d = 24 h 1° = ( /180) 1' = (1/60)° = ( /10 800) rad 1" = (1/60)' = ( / ) rad 1 L = 1 dm 3 = m 3 1 t = 10 3 kg 1 bar = 10 5 Pa °C = K - 273,16

76 Metrologia (slide 76) Unidades temporariamente em uso GrandezaUnidadeSímboloValor nas unidades do SI comprimento velocidade massa densidade linear tensão de sistema óptico pressão no corpo humano área comprimento seção transversal milha náutica nó carat tex dioptre milímetros de mercúrio are hectare ângstrom barn tex mmHg a há Å b 1 milha náutica = 1852 m 1 nó = 1 milha náutica por hora = (1852/3600) m/s 1 carat = kg = 200 mg 1 tex = kg/m = 1 mg/m 1 dioptre = 1 m -1 1 mm Hg = Pa 1 a = 100 m 2 1 ha = 10 4 m 2 1 Å = 0,1 nm = m 1 b = m 2

77 A grafia correta

78 Metrologia (slide 78) Grafia dos nomes das unidades Quando escritos por extenso, os nomes de unidades começam por letra minúscula, mesmo quando têm o nome de um cientista (por exemplo, ampere, kelvin, newton,etc.), exceto o grau Celsius. Quando escritos por extenso, os nomes de unidades começam por letra minúscula, mesmo quando têm o nome de um cientista (por exemplo, ampere, kelvin, newton,etc.), exceto o grau Celsius. A respectiva unidade pode ser escrita por extenso ou representada pelo seu símbolo, não sendo admitidas combinações de partes escritas por extenso com partes expressas por símbolo. A respectiva unidade pode ser escrita por extenso ou representada pelo seu símbolo, não sendo admitidas combinações de partes escritas por extenso com partes expressas por símbolo.

79 Metrologia (slide 79) O plural Quando pronunciado e escrito por extenso, o nome da unidade vai para o plural (5 newtons; 150 metros; 1,2 metros quadrados; 10 segundos). Quando pronunciado e escrito por extenso, o nome da unidade vai para o plural (5 newtons; 150 metros; 1,2 metros quadrados; 10 segundos). Os símbolos das unidades nunca vão para o plural ( 5N; 150 m; 1,2 m 2 ; 10 s). Os símbolos das unidades nunca vão para o plural ( 5N; 150 m; 1,2 m 2 ; 10 s).

80 Metrologia (slide 80) Os símbolos das unidades Os símbolos são invariáveis, não sendo admitido colocar, após o símbolo, seja ponto de abreviatura, seja "s" de plural, sejam sinais, letras ou índices. Os símbolos são invariáveis, não sendo admitido colocar, após o símbolo, seja ponto de abreviatura, seja "s" de plural, sejam sinais, letras ou índices. Multiplicação: pode ser formada pela justaposição dos símbolos se não causar ambiguidade (VA, kWh) ou colocando um ponto ou x entre os símbolos (m.N ou m x N) Multiplicação: pode ser formada pela justaposição dos símbolos se não causar ambiguidade (VA, kWh) ou colocando um ponto ou x entre os símbolos (m.N ou m x N) Divisão: são aceitas qualquer das três maneiras exemplificadas a seguir: Divisão: são aceitas qualquer das três maneiras exemplificadas a seguir: W/(sr.m 2 )W.sr -1.m -2 W sr.m 2

81 Metrologia (slide 81) Grafia dos números e símbolos Em português o separador decimal deve ser a vírgula. Em português o separador decimal deve ser a vírgula. Os algarismos que compõem as partes inteira ou decimal podem opcionalmente ser separados em grupos de três por espaços, mas nunca por pontos. Os algarismos que compõem as partes inteira ou decimal podem opcionalmente ser separados em grupos de três por espaços, mas nunca por pontos. O espaço entre o número e o símbolo é opcional. Deve ser omitido quando há possibilidade de fraude. O espaço entre o número e o símbolo é opcional. Deve ser omitido quando há possibilidade de fraude.

82 Metrologia (slide 82) Alguns enganos Errado Errado Km, Kg Km, Kg a grama a grama 2 hs, 15 seg 2 hs, 15 seg 80 KM 80 KM 250°K 250°K um Newton um Newton Correto Correto km, kg km, kg m m o grama o grama 2 h, 15 s 2 h, 15 s 80 km/h 80 km/h 250 K 250 K um newton um newton

83 Uso CorretoExemplos de uso incorretoPara kmKm, km., KM, kms, K, kkilometer mM, m.meter mmMm, mm., MMmillimeter L or lL., l.liter mL or mlML, Ml, mL., ml., mlsmilliliter kgKG, KG., Kg, Kg., kgr, kgs, kilokilogram g G, G., g., gr, gm, GR, GM, GRM, grms gram µgmcg 1 microgram hhr, hrs, HR, h., HR., HRS.hour ssec, S, SEC, sec., s., S.second cm 3 cccubic centimeter km/hKPH, kph, kmph, km/hrkilometer per hour kHzKHz, KHZ, Khzkilohertz MHzMHZ, Mhzmegahertz hPaHPa, HPA, Hpa, mbhectopascal kPaKPa, KPA, Kpakilopascal °CC, deg C, ° C, C°degree Celsius K°K, deg Kkelvin

84 Metrologia (slide 84) Outros enganos

85 Metrologia (slide 85)

86 Metrologia (slide 86)

87 Metrologia (slide 87)

88 Metrologia (slide 88)

89 Metrologia (slide 89)

90 Metrologia (slide 90)

91 Metrologia (slide 91)

92 Metrologia (slide 92)

93 Metrologia (slide 93) Albertazzi, A., Souza, A. R. Fundamentos Metrologia Cientifica e industrial. 407p., Editora Manole, Albertazzi, A., Souza, A. R. Fundamentos Metrologia Cientifica e industrial. 407p., Editora Manole, VIM VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE METROLOGIA VIM VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE METROLOGIA SI - SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES SI - SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES BIBLIOGRAFIA


Carregar ppt "Metrologia (slide 1) Conceitos Iniciais Metrologia é a ciência da medição. Trata dos conceitos básicos, dos métodos, dos erros e sua propagação, das unidades."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google