A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RFC 3209 RSVP-TE: Extensões do RSVP para Túneis LSP TE 723 – Comunicação de Dados Aluno: Marcos Vinícius de Paula Pinto Prof.: Eduardo Parente Ribeiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RFC 3209 RSVP-TE: Extensões do RSVP para Túneis LSP TE 723 – Comunicação de Dados Aluno: Marcos Vinícius de Paula Pinto Prof.: Eduardo Parente Ribeiro."— Transcrição da apresentação:

1 RFC 3209 RSVP-TE: Extensões do RSVP para Túneis LSP TE 723 – Comunicação de Dados Aluno: Marcos Vinícius de Paula Pinto Prof.: Eduardo Parente Ribeiro RSVP-TE: Extensions to RSVP for LSP Tunnels D. Awduche, Movaz Networks, Inc., L. Berger, D. Gan, Juniper Networks, Inc., T. Li, Procket Networks, Inc., V. Srinivasan, Cosine Communications, Inc., G. Swallow, Cisco Systems, Inc. RFC 3209 – Dezembro 2002

2 Tópicos Abordados Introdução –Prática –Terminologia Visão Geral –Túnel LSP –Operação de túneis LSP –Estilos de reserva Formato das Mensagens –Path –Resv Objetos Relacionados ao Túnel Considerações de Segurança

3 Introdução MPLS – orientado à conexão – obtida com a adição de um rótulo de comprimento fixo no início dos pacotes IP. Os pacotes são encaminhados com base na busca exata do identificador do MPLS. LSP – Label Switch Path – Caminho feito pela troca de rótulos

4 Introdução - Prática Quando MPLS e RSVP são combinados, a definição de um fluxo pode ser feita mais flexível. Uma vez que um LSP é estabelecido, o tráfego através deste caminho é definido pela etiqueta aplicada no nó de entrada do LSP. Uma vez que o tráfego que flui através do LSP é definido pela etiqueta, estes caminhos podem ser tratados como túneis. Quando uma LSP é usada neste sentido, nos referimos a isto como sendo um túnel LSP. Túneis LSPs: automaticamente ou manualmente roteado longe de falhas na rede, congestionamento e gargalos Vantagem do RSVP Habilita a alocação de recursos ao longo do caminho.

5 Introdução - Terminologia Nó abstrato Um grupo de nós na qual a topologia interna é opaca ao nó de entrada de um LSP. Um nó abstrato é dito ser simples se contém somente um nó físico. LSP O caminho criado por uma concatenação de um ou mais salto por troca de etiquetas, permitindo um pacote ser encaminhado por troca de etiquetas de um nó MPLS para outro nó MPLS. LSP explicitamente roteado Um LSP no qual o caminho é estabelecido pó um meio diferente do roteamento IP normal. Túnel LSP Um LSP que é usado para tunelar através de roteamento normal IP e/ou mecanismos de filtro.

6 Visão Geral – Túnel LSP O nó de entrada de um LSP pode utilizar uma variedade de meios para determinar quais pacotes são associados a determinado caminho. Uma vez que a etiqueta é designada a um grupo de pacotes, esta etiqueta efetivamente define um fluxo através do LSP. Nos referimos a tal como um túnel LSP por causa do tráfego através dele ser opaco aos nós intermediários ao longo do caminho.

7 Visão Geral – Operação de túneis LSP Características suportadas pelo RSVP (1) a capacidade de estabelecer túneis LSP com ou sem necessidade de QoS, (2) a capacidade de re-rotear dinamicamente um túnel LSP estabelecido, (3) a capacidade de observar a rota atual estabelecida pelo túnel, (4) a capacidade de identificar e diagnosticar túneis LSP, (5) a capacidade de ocupar um túnel LSP estabelecido sobre política de controle administrativa, (6) a capacidade de promover alocação, distribuição e junção de etiquetas

8 Formato das Mensagens Mensagem Path ::= [ ] [ ] [ ] [... ] ::= [ ]

9 Formato das Mensagens Mensagem Resv ::= [ ] [ ] [ ] [... ] ::= |

10 Objetos Relacionados ao Túnel LSP LABEL | (top label) | Os conteúdos da etiqueta é um rótulo simples, codificado em 4 octetos. Cada etiqueta genérica MPLS é um inteiro positivo entre 0 e LABEL_REQUEST | Reserved | L3PID | Reserved Este campo é reservado. Deve ser setado para zero na transmissão e ignorado na recepção. L3PID Um identificador do protocolo de camada 3 usado neste caminho. Valores padrões Ethertype são usados.

11 Objetos Relacionados ao Túnel LSP EXPLICIT_ROUTE |L| Type | Length | IPv4 address (4 bytes) | | IPv4 address (continued) | Prefix Length | Resvd | L O bit L é um atributo do sub-objeto. É setado se o sob-objeto representa um salto na rota explicita. Type O campo Type indica o tipo do conteúdo do sub-objeto. Comumente os valores definidos são: 1 IPv4 prefix 2 IPv6 prefix 32 Autonomous system number Length O campo Length contém o comprimento total do sub-objeto em bytes, Incluindo os campos L, Type e Length. Este comprimento deve ser pelo menos 4, e deve ser múltiplo de 4.

12 Objetos Relacionados ao Túnel LSP RECORD_ROUTE – IPv4 address | Type | Length | IPv4 address (4 bytes) | | IPv4 address (continued) | Prefix Length | Flags | Type 0x01 Endereço IPv4 Length O campo comprimento contém o total em bytes do subobjeto, incluindo os campos Type e Length. O Length é sempre 8. IPv4 address Endereço de host de 32 bits. Prefix length 32 Flags Flags de Proteção 0x01 Proteção local disponível 0x02 Proteção Local em uso

13 Códigos de erros para ERO e RRO Valor Erro: 1 Bad EXPLICIT_ROUTE object 2 Bad strict node 3 Bad loose node 4 Bad initial subobject 5 No route available toward destination 6 Unacceptable label value 7 RRO indicated routing loops 8 MPLS being negotiated, but a non-RSVP-capable router stands in the path 9 MPLS label allocation failure 10 Unsupported L3PID

14 Objetos Relacionados ao Túnel LSP Objeto Seção LSP_TUNNEL_IPv | IPv4 tunnel end point address | | MUST be zero | Tunnel ID | | Extended Tunnel ID | IPv4 tunnel end point address Endereço IPv4 do nó de saída do túnel. Tunnel ID Um identificador de 16 bits usado na seção que se mantém Constante em toda a vida do túnel. Extended Tunnel ID Um identificador de 32 bits usado na seção que se mantém constante em toda a vida do túnel. Normalmente tudo zeros. Nós de entrada que querem manter o escopo da seção no par entrada-saída devem colocar seus endereços IPv4 aqui como identificador global único.

15 Considerações de Segurança A princípio, estas extensões para RSVP não propõem seguranças discutidas na RFC Entretanto, há uma pequena mudança no modo confiável. O tráfego enviado numa sessão normal RSVP pode ser filtrado de acordo com os endereços de fonte e destino. Por esta razão uma administração é desejada para limitar o domínio sobre quais túneis LSP podem ser estabelecidos. Isto pode ser alcançado aplicando filtros em várias portas para negar a ação da mensagem RSVP Path com um objeto seção do tipo LSP_TUNNEL_IPv4 ou LSP_TUNNEL_IPv6.


Carregar ppt "RFC 3209 RSVP-TE: Extensões do RSVP para Túneis LSP TE 723 – Comunicação de Dados Aluno: Marcos Vinícius de Paula Pinto Prof.: Eduardo Parente Ribeiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google