A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-0 CAPÍTULO 12 Risco, Custo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-0 CAPÍTULO 12 Risco, Custo."— Transcrição da apresentação:

1 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-0 CAPÍTULO 12 Risco, Custo de Capital, e Orçamento de Capital Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Produção e Gestão Curso de Finanças Corporativas Prof. Edson Pamplona (www.iem.efei.br/edson)

2 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-1 Administração Financeira c c Permanente AtivoPassivo Cap Próprio E Circulante Capital de Terceiros D R D = 10 % Capítulo 1: Funções do Administrador Financeiro Títulos: Obrigações e Ações Tipos de Sociedades Agency Mercados Financeiros: Primário/Secundário WACC= TMA = 16,65 % R E = 20 % Ações ou Quotas Dividendos Valor da Ação Obrigações Cupons ou juros Valor de Face Capítulo 2: Demonstrações Financeiras e sua Análise Investimentos Retorno Valor Residual Capítulos 3, 4, 6, 7, 8: Orçamento de Capital: Eng. Econômica Capítulos 5: Avaliação de Obrigações e Ações Capítulos 9: Retorno Médio de Ações R M Retorno Livre de Risco R F Prêmio pelo Risco de Mercado (RM –RF) Capítulos 10: Diversificação e CAPM Capítulos 12: WACC Beta (RM – RF) Ri = Rf + (RM – RF)

3 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-2 Sumário 12.1 Custo de Capital Próprio 12.2 Estimação de Beta 12.3 Fatores Determinantes de Beta 12.4 Extensões do Modelo Básico 12.5 Estimativa do Custo de Capital da International Paper 12.6 Sumário e Conclusões 12.1 Custo de Capital Próprio 12.2 Estimação de Beta 12.3 Fatores Determinantes de Beta 12.4 Extensões do Modelo Básico 12.5 Estimativa do Custo de Capital da International Paper 12.6 Sumário e Conclusões

4 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-3 Whats the Big Idea? Capítulos anteriores sobre Orçamento de Capital focalizaram os Fluxos de Caixa. Este Capítulo discute a Taxa de Descontos apropriada quando o Fluxo de Caixa tem risco. Capítulos anteriores sobre Orçamento de Capital focalizaram os Fluxos de Caixa. Este Capítulo discute a Taxa de Descontos apropriada quando o Fluxo de Caixa tem risco.

5 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-4 Whats the Big Idea? c c O Custo de capital depende principalmente do uso dos fundos, e não de suas fontes Retorno Exigido Taxa de desconto apropriada Custo de Capital = = = O Custo de capital associado a um Investimento depende do risco desse investimento

6 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-5 c c Whats the Big Idea? Custo de capital próprio (Equity): Retorno que os investidores em ações da empresa exigem por seus investimentos Custo de Capital reflete Custo de capital de Terceiros (Debt): Retorno exigido pelos financiadores das dívidas da empresa Obrigações Cupons ou juros Valor de Face Ações ou Quotas Dividendos Valor da Ação

7 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-6 Custo Médio Ponderado de Capital - WACC c c Ativo Permanente Circulante Passivo Cap Próprio E Capital de Terceiros D R D = 10 % WACC = E / Passivo x R E + D / Passivo x R D x (1 – ) Se: D /Passivo = 25% E / Passivo = 75% = 34% WACC = 0,75 x 20 % + 0,25 x 10 % x (1 – 0,34) = 16,65 % TMA EMPRESA = 16,65 % R E = 20 %

8 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-7 Investe em projetos 12.1 O Custo do Capital Próprio Empresa com excesso de caixa Valor do Acionista Paga dividendos Acionista investe em ativos financeiros Os acionistas desejam que a empresa invista em projetos somente quando o retorno esperado do projeto é maior que o de Ativo Financeiro de mesmo risco Uma empresa com excesso de caixa pode pagar dividendos ou investir em projetos

9 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-8 O Custo do Capital Próprio Da perspectiva da empresa, o retorno esperado é o Custo do Capital Próprio: Para estimar o Custo do Capital Próprio, precisamos de três ítens: Da perspectiva da empresa, o retorno esperado é o Custo do Capital Próprio: Para estimar o Custo do Capital Próprio, precisamos de três ítens: )( F M iF i RRβRR 1.A taxa livre de risco, R F F M RR 2.O prêmio pelo risco de mercado, 2, )( ),( M Mi M Mi i σ σ RVar RRCov β 3.O beta da empresa,

10 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-9 Exemplo Suponha que a ação da Stansfield Enterprises, uma editora de apresentações PowerPoint, tem um beta de 2.5. A empresa é 100 % financiada por Capital Próprio. Considere a taxa livre de risco de 5% e um prêmio pelo risco de mercado de 10%. Qual é a taxa de descontos adequada para uma expansão desta empresa? Suponha que a ação da Stansfield Enterprises, uma editora de apresentações PowerPoint, tem um beta de 2.5. A empresa é 100 % financiada por Capital Próprio. Considere a taxa livre de risco de 5% e um prêmio pelo risco de mercado de 10%. Qual é a taxa de descontos adequada para uma expansão desta empresa? %105.2%5 R%30 R

11 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Custo Médio Ponderado de Capital - WACC c c Ativo Permanente Circulante Passivo Cap Próprio E WACC = E / Passivo x R E + D / Passivo x R D x (1 – ) Se: D /Passivo = 0% E / Passivo = 100% = 34% WACC = 1,00 x 30 % = 30 % TMA EMPRESA = 30 % R E = 30 %

12 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Exemplo (continuação) Suponha que a Stansfield Enterprises está avaliando os seguintes projetos não-mutuamente exclusivos. Cada um custa $100 e dura um ano. Projeto do Projeto Estimativa do Fluxo de caixa do Projeto no próximo ano TIRVPL a 30% A2.5$15050%$15.38 B2.5$13030%$0 C2.5$11010%-$15.38

13 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Usando a SML para estimar a Taxa de Descontos ajustada ao risco para Projetos Uma empresa com apenas Capital Próprio deveria aceitar um projeto cuja TIR seja superior ao Custo de capital. TIR do Projeto Risco da Empresa (beta) 5% Bom Projeto TIR=50% Mal Projeto (TIR = 10%) 30% 2.5 A B C

14 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Outra forma de calcular o custo de capital próprio Modelo de avaliação de dividendos (já visto no capítulo 5) De acordo com o modelo, para crescimento constante: D 1 P 0 = R E - g Rearranjando, D 1 R E = + g P 0 Desvantagens: Se não paga dividendos ? G constante? Sensibilidade alta a g Não considera o risco

15 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Estimativa de Beta: Medindo o Risco de Mercado Carteira de Mercado – Carteira de todos os Ativos da Economia. Na prática um índice geral de Bolsa de valores, tal como o S&P 500, é usado para representar o mercado. Beta – Sensibilidade do retorno de uma Ação ao retorno da Carteira de Mercado. Carteira de Mercado – Carteira de todos os Ativos da Economia. Na prática um índice geral de Bolsa de valores, tal como o S&P 500, é usado para representar o mercado. Beta – Sensibilidade do retorno de uma Ação ao retorno da Carteira de Mercado.

16 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Estimation of Beta Teoricamente, o cálculo do Beta é direto: Problemas 1.Betas podem variar com o tempo. 2.O tamanho da amostra pode ser inadequado. 3.Betas são influenciados pelas mudanças de endividamento e pelo risco do negócio. Soluções –Problemas 1 and 2 (acima) podem ser atenuados por técnicas estatísticas mais sofisticadas. –Problem 3 pode ser reduzido pelo ajuste para mudanças no negócio e risco financeiro. –Observar as estimativas médias de Beta de empresas similares no setor. Teoricamente, o cálculo do Beta é direto: Problemas 1.Betas podem variar com o tempo. 2.O tamanho da amostra pode ser inadequado. 3.Betas são influenciados pelas mudanças de endividamento e pelo risco do negócio. Soluções –Problemas 1 and 2 (acima) podem ser atenuados por técnicas estatísticas mais sofisticadas. –Problem 3 pode ser reduzido pelo ajuste para mudanças no negócio e risco financeiro. –Observar as estimativas médias de Beta de empresas similares no setor.

17 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Estabilidade de Beta Muitos analistas sustentam que Betas são geralmente estáveis para empresas que permanecem em um mesmo setor. Isto não quer dizer que o Beta de uma empresa não pode mudar. Mudanças nas linhas de Produtos Mudanças na tecnologia Mudanças no endividamento Muitos analistas sustentam que Betas são geralmente estáveis para empresas que permanecem em um mesmo setor. Isto não quer dizer que o Beta de uma empresa não pode mudar. Mudanças nas linhas de Produtos Mudanças na tecnologia Mudanças no endividamento

18 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Estabilidade de Beta.. General Eletric – 1976 a 1980 S&P 500 GE Beta=1,10 General Eletric – 1981 a 1985 S&P 500 GE Beta=1,04 General Eletric – 1986 a 1990 S&P 500 GE Beta=1,14 General Eletric – 1991 a 1995 S&P 500 GE Beta=1,22

19 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Utilização de Betas setoriais Se as operações da empresa são similares à operações do resto do setor: Você poderia usar o Beta do Setor. Se as operações da empresa são fundamentalmente diferentes das do setor: Você deveria usar o Beta da empresa. Se as operações da empresa são similares à operações do resto do setor: Você poderia usar o Beta do Setor. Se as operações da empresa são fundamentalmente diferentes das do setor: Você deveria usar o Beta da empresa.

20 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Determinantes de Beta Risco do Negócio Ciclicidade das Receitas Alavancagem Operacional Risco Financeiro Alavancagem Financeira Risco do Negócio Ciclicidade das Receitas Alavancagem Operacional Risco Financeiro Alavancagem Financeira

21 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Ciclicidade das Receitas Ações altamente cíclicas tem altos Betas. Evidência empírica sugere que empresas de automóveis flutuam conforme o mercado. Empresas de transporte e de utilidades são menos dependentes do ciclo de negócios. Note que ciclicidade não é o mesmo que variabilidade ações com alto desvio padrão não tem, necessariamente, altos Betas. Estudios de cinema tem receitas que são variáveis, dependendo se seu produto hits or flops, mas suas receitas não são dependentes do ciclo de mercado. Ações altamente cíclicas tem altos Betas. Evidência empírica sugere que empresas de automóveis flutuam conforme o mercado. Empresas de transporte e de utilidades são menos dependentes do ciclo de negócios. Note que ciclicidade não é o mesmo que variabilidade ações com alto desvio padrão não tem, necessariamente, altos Betas. Estudios de cinema tem receitas que são variáveis, dependendo se seu produto hits or flops, mas suas receitas não são dependentes do ciclo de mercado.

22 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Alavancagem Operacional O Grau de Alavancagem Operacional mede o quão sensível é uma empresa (ou projeto) aos seus Custos Fixos. Alavancagem Operacional amplifica o efeito da ciclicidade da receita sobre o Beta. O Grau de Alavancagem Operacional é dado por: O Grau de Alavancagem Operacional mede o quão sensível é uma empresa (ou projeto) aos seus Custos Fixos. Alavancagem Operacional amplifica o efeito da ciclicidade da receita sobre o Beta. O Grau de Alavancagem Operacional é dado por: GAO = EBIT Vendas EBIT ×

23 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Alavancagem Operacional Volume $ Custos Fixos Total costs EBIT Volume Alavancagem Operacional aumenta com a elevação dos custos fixos e queda dos custos variáveis. Custos Fixos Total costs Receita

24 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Alavancagem Financeira e Beta Alavancagem Operacional se refere à sensibilidade da empresa ao custo fixo da produção. Alavancagem Financeira é a sensibilidade da empresa ao custo fixo do financiamento. A relação entre os Betas e as dívidas, capital próprio e ativos da firma é dada por: Alavancagem Financeira sempre aumenta o Beta do Capital Próprio em relação ao Beta do Ativo. Alavancagem Operacional se refere à sensibilidade da empresa ao custo fixo da produção. Alavancagem Financeira é a sensibilidade da empresa ao custo fixo do financiamento. A relação entre os Betas e as dívidas, capital próprio e ativos da firma é dada por: Alavancagem Financeira sempre aumenta o Beta do Capital Próprio em relação ao Beta do Ativo. Ativo = Dívidas + Cap próprio Dívidas × Debt + Dívidas + Cap próprio Cap Próprio × Equity

25 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Alavancagem Financeira e Beta: Exemplo Considere a Grand Sport, Inc., que só tem capital próprio a um beta de A firma decidiu alavancar a estrutura de capital para 1 parte capital de tercieros e 1 parte de capital próprio. Já que a firma permaneceu no mesmo setor, seu beta deveria permanecer Entretanto, considerando o beta zero de seu capital de terceiros, seu beta do capital próprio se torna 2 vezes maior: Considere a Grand Sport, Inc., que só tem capital próprio a um beta de A firma decidiu alavancar a estrutura de capital para 1 parte capital de tercieros e 1 parte de capital próprio. Já que a firma permaneceu no mesmo setor, seu beta deveria permanecer Entretanto, considerando o beta zero de seu capital de terceiros, seu beta do capital próprio se torna 2 vezes maior: Asset = 0.90 = × Equity Equity = 2 × 0.90 = 1.80

26 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Extensões do Modelo Básico A empresa versus o projeto O Custo de capital com dívidas A empresa versus o projeto O Custo de capital com dívidas

27 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona A Empresa versus o Projeto Qualquer Custo de Capital de projetos depende do uso ao qual o capital está sendo alocado – não de sua fonte. Portanto, ele depende do risco do projeto e não do risco da empresa. Qualquer Custo de Capital de projetos depende do uso ao qual o capital está sendo alocado – não de sua fonte. Portanto, ele depende do risco do projeto e não do risco da empresa.

28 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Orçamento de Capital & Risco do Projeto Uma empresa que usa uma taxa de descontos para todos projetos pode aumentar o risco da empresa, reduzindo seu valor. TIR do Projeto Risco da empresa (beta) rfrf FIRM Projetos Incorretamente rejeitados Projetos incorretamente aceitos Taxa de corte A SML pode dizer-nos porquê:

29 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Retorno esperado (%) Beta SML WACC = 15% = 8% Aceitação incorreta Rejeição incorreta B A R f =7 A =.60 firm = 1.0 B = 1.2 Orçamento de Capital & Risco do Projeto

30 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Suponha que a Conglomerate Company tem um custo de capital, baseado no CAPM, de 17%. A taxa livre de risco é 4%; O prêmio pelo risco de mercado é 10% e o Beta da empresa é % = 4% × [14% – 4%] Esta é a taxa mínima para projetos de investimentos da empresa : Suponha que a Conglomerate Company tem um custo de capital, baseado no CAPM, de 17%. A taxa livre de risco é 4%; O prêmio pelo risco de mercado é 10% e o Beta da empresa é % = 4% × [14% – 4%] Esta é a taxa mínima para projetos de investimentos da empresa : 1/3 concessionária de automóveis = 2.0 1/3 fabricante de Hard Drivers = 1.3 1/3 Utilidades em Eletricidade = 0.6 average of assets = 1.3 Quando avaliar um novo investimento em geração elétrica, qual o custo de capital deveria ser usado? Orçamento de Capital & Risco do Projeto

31 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Orçamento de Capital & Risco do Projeto TIR do Projeto Risco do Projeto ( ) 17% r = 4% + 0.6×(14% – 4% ) = 10% 10% reflete o custo de oportunidade do capital em um investimento em geração elétrica, dado o risco do projeto. 10% 24% Investimentos em hard drives ou concessionárias deveriam ter taxas de descontos mais altas. SML

32 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Orçamento de Capital & Risco do projeto e Abordagem Subjetiva Retorno esperado (%) Beta SML 20 WACC = R f = 7 Baixo risco (–4%) Risco moderado (+0%) Alto risco (+6%) A Com a abordagem subjetiva a empresa posiciona projetos em uma das vária classes de risco. A taxa de descontos para avaliar o projeto é, então, determinada por adição (para alto risco) ou subtração (para baixo risco) de um fator de ajuste ao ou do WACC da empresa. = 8%

33 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona O Custo de Capital com dívidas The Weighted Average Cost of Capital is given by: As despesas financeiras (juros) são dedutíveis e, por isso, o último termo é multiplicado por: (1 – TC) The Weighted Average Cost of Capital is given by: As despesas financeiras (juros) são dedutíveis e, por isso, o último termo é multiplicado por: (1 – TC) r WACC = Equity + Debt Equity × r Equity + Equity + Debt Debt × r Debt ×(1 – T C ) r WACC = S + B S × r S + S + B B × r B ×(1 – T C )

34 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Custo Médio Ponderado de Capital - WACC c c Ativo Permanente Circulante Passivo Cap Próprio E Capital de Terceiros D R D = 10 % WACC = E / (D + E) x R E + D / (D + E) x R D x (1 – ) Se: D /(D + E) = 25% E / (D + E) = 75% = 34% WACC = 0,75 x 20 % + 0,25 x 10 % x (1 – 0,34) = 16,65 % TMA EMPRESA = 16,65 % R E = 20 %

35 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Estimando o Custo de capital da International Papers First, we estimate the cost of equity and the cost of debt. We estimate an equity beta to estimate the cost of equity. We can often estimate the cost of debt by observing the YTM of the firms debt. Second, we determine the WACC by weighting these two costs appropriately. First, we estimate the cost of equity and the cost of debt. We estimate an equity beta to estimate the cost of equity. We can often estimate the cost of debt by observing the YTM of the firms debt. Second, we determine the WACC by weighting these two costs appropriately.

36 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Estimating IPs Cost of Capital The industry average beta is 0.82; the risk free rate is 8% and the market risk premium is 9,2%. Thus the cost of equity capital is The industry average beta is 0.82; the risk free rate is 8% and the market risk premium is 9,2%. Thus the cost of equity capital is r S = R F + i × ( R M – R F ) = 8% ×9,2% = 15,54%

37 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Estimating IPs Cost of Capital The yield on the companys debt is 8% and the firm is in the 37% marginal tax rate. The debt to value ratio is 32% The yield on the companys debt is 8% and the firm is in the 37% marginal tax rate. The debt to value ratio is 32% 12,18 percent is Internationals cost of capital. It should be used to discount any project where one believes that the projects risk is equal to the risk of the firm as a whole, and the project has the same leverage as the firm as a whole. = 0.68 × 15,54% × 8% × (1 – 0.37) = 12,18% r WACC = S + B S × r S + S + B B × r B ×(1 – T C )

38 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Calcular o WACC da Ambev e da Cemig considerando: que R F corrente é de 6% ao ano e o Prêmio pelo risco de mercado (R M – R F ) é de 9% que a Cemig tem 50% de capital próprio e a Ambev 30% que a alíquota de IR é de 34% para ambas Custo Médio Ponderado de Capital - WACC

39 McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona Summary and Conclusions The expected return on any capital budgeting project should be at least as great as the expected return on a financial asset of comparable risk. Otherwise the shareholders would prefer the firm to pay a dividend. The expected return on any asset is dependent upon. A projects required return depends on the projects. A projects can be estimated by considering comparable industries or the cyclicality of project revenues and the projects operating leverage. If the firm uses debt, the discount rate to use is the r WACC. In order to calculate r WACC, the cost of equity and the cost of debt applicable to a project must be estimated. The expected return on any capital budgeting project should be at least as great as the expected return on a financial asset of comparable risk. Otherwise the shareholders would prefer the firm to pay a dividend. The expected return on any asset is dependent upon. A projects required return depends on the projects. A projects can be estimated by considering comparable industries or the cyclicality of project revenues and the projects operating leverage. If the firm uses debt, the discount rate to use is the r WACC. In order to calculate r WACC, the cost of equity and the cost of debt applicable to a project must be estimated.


Carregar ppt "McGraw-Hill/Irwin Corporate Finance, 7/e © 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All Rights Reserved. Adaptado por: Pamplona 12-0 CAPÍTULO 12 Risco, Custo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google