A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DESENVOLVIMENTO HUMANO Prof.ª Dr.ª Rita Melissa Lepre Psicóloga, Mestre e Doutora em Educação Professora Assistente Doutora do Departamento de Educação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DESENVOLVIMENTO HUMANO Prof.ª Dr.ª Rita Melissa Lepre Psicóloga, Mestre e Doutora em Educação Professora Assistente Doutora do Departamento de Educação."— Transcrição da apresentação:

1 DESENVOLVIMENTO HUMANO Prof.ª Dr.ª Rita Melissa Lepre Psicóloga, Mestre e Doutora em Educação Professora Assistente Doutora do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências da Unesp (Campus Bauru)

2 DESENVOLVIMENTO HUMANO E EDUCAÇÃO O QUE É UMA ESCOLA INCLUSIVA?

3 Uma escola inclusiva caracteriza-se, fundamentalmente, pelo compromisso com o direito de todos à educação, à igualdade de oportunidades e à participação de cada uma das crianças, adolescentes, jovens e adultos nas várias esferas da vida escolar. Entende-se por escola inclusiva aquela na qual o ensino e a aprendizagem, as atitudes e o bem-estar de todos os educandos são considerados igualmente importantes. É uma escola na qual não há discriminação de qualquer natureza e que valoriza a diversidade humana como recurso valioso para o desenvolvimento de todos. DUK, Cynthia. Educar na diversidade: material de formação docente. Brasília: MEC/Secretaria da Educação Especial, 2005.

4 AS DIFERENTES CONCEPÇÕES SOBRE DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM

5 INATISTA (RACIONALISTA) AMBIENTALISTA (EMPIRISTA) INTERACIONISTA (CONSTRUTIVISTA) SÓCIO-HISTÓRICA (CULTURAL)

6 1. A CONCEPÇÃO INATISTA Primazia dos fatores endógenos ou hereditários. Os seres humanos já nascem com todas as suas características prontas, e essas serão desenvolvidas durante a vida. O ambiente deve interferir o mínimo possível para não desvirtuar tais características. Trazemos em nossa inteligência não só os princípios racionais, mas também algumas idéias verdadeiras que são idéias inatas. Alguns autores considerados inatistas: Platão (IV a.C.), Descartes (Séc. XVII), Rousseau (Séc. XVIII)

7 Frases que trazem embutidas as idéias inatistas: Pau que nasce torto, morre torto. O pai dele nunca foi bom aluno, é claro que ele também não pode ser muito inteligente. A força de vontade para aprender já nasce com a pessoa. Se nasceu sem, não vai aprender. Com certeza vai mal na escola porque nasceu com algum problema daqueles que não deixa aprender.

8 2. A CONCEPÇÃO AMBIENTALISTA Esta concepção atribui um poder ao ambiente no desenvolvimento e na aprendizagem Acredita que o homem nasça um folha em branco, na qual vão sendo impressas características durante toda a sua vida, de acordo com o ambiente onde esteja inserido. Homem = ser extremamente plástico (pode ser moldado facilmente) Corrente filosófica: Empirismo: a razão, a verdade e as idéias racionais são adquiridas através da experiência, principalmente a sensorial. Exemplo de ambientalista: Thorndike e Watson

9 Frases que trazem embutidas as idéias ambientalistas: É de pequenino que se torce o pepino. Devemos planejar, ao máximo, nosso trabalho. Assim, conseguiremos controlar nossos alunos. Quer se livrar da indisciplina? Dê castigos rígidos, como ficar em pé a aula toda ou perder os intervalos. Em menos de 2 meses a tal indisciplina acaba.

10 3. A CONCEPÇÃO INTERACIONISTA A criança constrói o seu conhecimento na sua interação com o meio, com seus semelhantes e consigo mesma Fatores internos e externos se inter-relacionam continuamente, formando uma combinação de influências. O desenvolvimento e a aprendizagem apóiam-se na idéia de interação entre o organismo e o meio, sendo o conhecimento algo construído pelo indivíduo durante toda a vida, não estando pronto ao nascer (inatismo), nem sendo adquirido graças às pressões do meio (ambientalismo). ORGANISMO + MEIO = INTERAÇÃO Criança: ser ativo que ao interagir com o mundo, o reconstrói, desenvolvendo novas estruturas cognitivas. Principal interacionista: Jean Piaget ( )

11 A CONCEPÇÃO SÓCIO-HISTÓRICA (CULTURAL) O desenvolvimento humano, na perspectiva sócio- histórica, é entendido como algo que se torna possível porque o homem está imerso em uma sociedade na qual atividades instrumentais e relações sociais direcionam o desenvolvimento humano. (BOCK). A cultura torna-se parte da natureza humana e o homem se desenvolve à sua própria imagem e semelhança. A aprendizagem ocorre na interação com membros mais maduros da cultura que apresentam os conteúdos acumulados historicamente. No entanto, a aprendizagem refere-se à formação de conceitos pelo próprio sujeito, de forma ativa. Principal representante: L. S. Vygotsky ( )

12 O DESENVOLVIMENTO HUMANO FÍSICO-MOTOR COGNITIVO (INTELECTUAL) SÓCIO-MORAL AFETIVO (EMOCIONAL)

13 DO NASCIMENTO AOS 02 ANOS FÍSICO-MOTOR Grandes avanços em relação ao desenvolvimento físico. Sustentação da cabeça, sentar, engatinhar, andar, correr. Desenvolvimento neurológico (córtex). COGNITIVO Período sensório-motor. Reflexos. Desenvolvimento da linguagem. Egocentrismo total. Centralização. AFETIVO Desenvolvimento da ligação afetiva com a mãe, pai e depois outras pessoas. Entre 08 a 12 meses é freqüente o aparecimento do medo de estranhos. Fase oral/anal. SÓCIO-MORAL Regras puramente motoras. Ausência de regras coletivas. Anomia.

14 DOS 02 AOS 06 ANOS FÍSICO-MOTOR Aprimoramento das capacidades motoras. Anda com segurança, corre, pula, sobe escadas, anda de bicicleta. COGNITIVO Período pré-operatório. Egocentrismo. Pré-conceitos. Pensamento irreversível. A atenção torna-se mais focalizada e seletiva. AFETIVO Possibilidade de distanciar-se dos pais. Primeiras amizades. Brigas/agressões físicas, na escola, acontecem mais no início e depois declina. Identificação com o pai ou a mãe. Definição da sexualidade. Fase anal/fálica. SÓCIO-MORAL Fase de heteronomia. Regras que vem dos outros. Obediência e transgressão. Raciocínio moral pré-convencional. Imitação.

15 DOS 06 AOS 12 ANOS FÍSICO-MOTOR o crescimento físico continua num ritmo lento até a puberdade. Consegue andar de bicicletas sem as rodinhas de apoio, jogar bola e fazer outras atividades que requerem considerável coordenação. COGNITIVO Período operatório-concreto. Queda do egocentrismo. Operações mentais. Conservação de quantidades/ reversibilidade. AFETIVO Energia (libido) fica voltada para a aprendizagem. Sexualidade fica latente. Personalidade já está organizada. O grupo de amigos torna-se muito importante e normalmente é formado por crianças do mesmo sexo. Período de latência. SÓCIO-MORAL Heteronomia. Sinais de autonomia crescente. Necessidade de controle mútuo e unificação das regras.

16 DOS 12 ANOS AOS 30 ANOS FÍSICO-MOTOR Estirão de crescimento. Puberdade. Surgimento das características sexuais. Há poucas mudanças nas capacidades perceptivas e motoras. COGNITIVO Período operatório-formal. Pensamento hipotético- dedutivo. Possibilidades ilimitadas do pensamento. AFETIVO Grupos de companheiros mistos. Construção da identidade ocupacional e sexual. Desenvolvimento da intimidade e maturidade afetiva e sexual. Fase genital. SÓCIO-MORAL Possibilidade de construção da autonomia. As regras devem ser conhecidas por todos os membros do grupo. Consentimento mútuo

17 IDADE ADULTA (30-65 ANOS) FÍSICO-MOTOR É na idade adulta que se define a base para o funcionamento físico de todo o restante da vida. Entre os 20 e 45 anos de idade, o ser humano atinge o auge de sua condição física. COGNITIVO Pensamento pós-formal (segundo pesquisas realizadas após Piaget). Diferenças entre o pensamento do adolescente e do adulto. AFETIVO Intimidade x Isolamento. Envolvimento profundo com outras pessoas. Busca de plenitude sexual (fase genital). Matrimônio/filhos. SÓCIO-MORAL Possibilidade de construção de um raciocínio moral pós-convencional. Justiça. Moralidade que pode estar baseada em princípios universais (embora muitos não a alcancem).

18 TERCEIRA IDADE (65 ANOS EM DIANTE) FÍSICO-MOTOR Diminuição muscular. Perdas sensoriais (auditivas e visuais). Funções motoras diminuídas como força, resistência, equilíbrio e tempo de reação. COGNITIVO Ganhos e perdas na área cognitiva. Os ganhos estão relacionados à experiência e aos conhecimentos construídos ao longo da vida. As perdas referem-se às falhas na memória e às mudanças nas capacidades de processamento de informações. AFETIVO Integridade do ego x desespero. Estabilidade dos traços de personalidade. Fase Genital. A manutenção do funcionamento sexual vai depender, entre outros fatores, da atividade sexual regular ao longo dos anos. SÓCIO-MORAL Aposentadoria. Necessidade de reconhecimento pela vida que levou. O raciocínio moral pode ser pós-convencional. Todo adulto precisa de ajuda, de afeto, de proteção... em muitos aspectos diferentes, mas em muitos outros semelhantes às necessidades das crianças. (FROMM, 1955)

19 Daquilo que eu sei (Ivan Lins) Daquilo que eu sei Nem tudo me deu clareza Nem tudo foi permitido Nem tudo me deu certeza Daquilo que eu sei Nem tudo foi proibido Nem tudo me foi possível Nem tudo foi concebido Não fechei os olhos Não tapei os ouvidos Cheirei, toquei, provei Ah! Eu usei todos os sentidos Só não lavei as mãos E é por isso que eu me sinto Cada vez mais limpo... Cada vez mais limpo... Cada vez mais limpo...

20


Carregar ppt "DESENVOLVIMENTO HUMANO Prof.ª Dr.ª Rita Melissa Lepre Psicóloga, Mestre e Doutora em Educação Professora Assistente Doutora do Departamento de Educação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google