A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Wundt e depois... Alemanha Universidade de Berlim (1830): Modelo humboldtiano: Ensino e pesquisa Kant – Herbart – Weber – Lotze Inglaterra Decadência do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Wundt e depois... Alemanha Universidade de Berlim (1830): Modelo humboldtiano: Ensino e pesquisa Kant – Herbart – Weber – Lotze Inglaterra Decadência do."— Transcrição da apresentação:

1 Wundt e depois... Alemanha Universidade de Berlim (1830): Modelo humboldtiano: Ensino e pesquisa Kant – Herbart – Weber – Lotze Inglaterra Decadência do associacionismo mentalista Ascensão das idéias evolucionistas EUA Pragmatismo

2 Psicologia de Wundt Método Objetivo: Analisar os elementos que constituem os processos conscientes Objeto: conteúdo da consciência imediata Evidência: experimental e observacional Contexto: laboratório Relação entre estímulos sensoriais experimentalmente controlados e estados subjetivos relatados - psicofísica Técnica: Descrição dos elementos da experiência imediata por indivíduos treinados em introspecção Teoria Atomismo associacionista Paralelismo psicofísico Titchener: estruturalismo

3 Laboratório de Leipzig (Wundt) Centro internacional de pesquisas em psicologia Presença de estudantes estrangeiros: franceses, russos, ingleses, norte-americanos Traduziram a obra de Wundt para vários idiomas Deu um lugar à psicologia Até 1900 foram fundados 42 laboratórios em universidades dos EUA e Canadá W. James (EUA) - funcionalismo J. M. Cattel (EUA) – testes, psicologia diferencial E. Kraepelin (ALE) – psiquiatria G. Stanley Hall (EUA) – desenvolvimento E. B. Titchener (ING/EUA) – estruturalismo O. Külpe (ALE) – Wurzburg, antielementismo H. Münstenberg (ALE/EUA) – psicologia industrial

4 O Laboratório concorrente Hermann Lotze ( ) Sucessor de Herbart na Universidade de Gottingen ( ) Outlines of Psychology (1886) Descrição dos elementos (psicologia empírica) Natureza do sujeito em sua vida completa, forças e condições eficientes que o compelem a ser daquele jeito (psicologia explicativa, ou metafísica) Significado da existência da alma (psicologia especulativa, ou ideal) Discípulos: Franz Brentano Psicologia do ato, intencionalidade, fenomenologia Karl Stumpf Percepção Gestaltistas: Wertheimer, Külpe, Kofka, Köhler

5 Evolução e Psicologia

6 Charles Darwin ( ) Antecedentes Lamarck – evolução e herança de caracteres Lyell – evolução geológica Malthus – disputa pela sobrevivência Seleção artificial – como criadores selecionam linhagens de animais e plantas Viagem no Beagle – montante estarrecedor de dados sobre espécies em todo o mundo

7 1859 – A Origem das Espécies Competição pela sobrevivência premia indivíduos melhor adaptados ao meio Caracteres corporais e comportamentais Adquiridos por mutações aleatórias Transmitidos por herança à prole Seleção sexual Maior probabilidade de procriar Instinto x hábito

8 1871 – A descendência do homem Ancestral comum para homem e demais primatas Traços morais e espirituais podem ser herdados Instintos sociais x individuais Motivação instintiva é prévia ao julgamento de prazer x desprazer e à reflexão sobre consequências da ação Diferença mental entre homem e outros animais é de grau, e não de tipo

9 1872 – A expressão das emoçoes nos homens e nos animais Estados emocionais do organismo Refletidos em contração de músculos faciais e emissão de sons Arqueologia das emoções: Mais antigas e mais recentes

10 Inglaterra: evolucionismo Herbert Spencer ( ) A vida como um ajustamento contínuo (1855) Principles of Psychology (1855/1897) Survival of the fittest (sobrevivência do mais apto) Evolução ~ progresso Inatismo psicológico Francis Galton ( ) Gênio Hereditário (1869) Inatismo psicológico Inteligência é uma das características vantajosas à adaptação Quantificação das diferenças individuais: Psicologia Diferencial Estatística – Curva de Gauss e normalidade

11 Evolucionismo (cont.) Psicologia Comparada Relação entre homem e outros animais é um contínuo Comportamento animal pode ser modelo simplificado do comportamento humano Menos complexo Sem interferências culturais George John Romanes ( ) A inteligência animal (1882) Lloyd Morgan ( ) An introduction to comparative Psychology (1894)

12 Evolucionismo (cont.) Psicologia do Desenvolvimento (América) Comportamento da criança Análise genética Na ontogênese, a criança repete passo-a-passo a filogênese (Baldwin) Entendimento do desenvolvimento humano permite Explicar o comportamento do adulto Explicar o que leva os adultos a serem como são (comparar com inatismo britânico)

13 França: positivismo e psicopatologia Auguste Comte ( ) - Positivismo Hipolytte Taine ( ) Psicologia positivista e determinista Théodule Ribot ( ) Primeiro Laboratório na Sorbonne (1889) Psicopatologia e faculdades Alfred Binet ( ) Testes psicológicos, inteligência Pierre Janet ( ) Psicopatologia dinâmica Debate com Freud Henri Bergson ( ) Vitalismo (élan vital), consciência

14 EUA: funcionalismo e pragmatismo William James ( ) Funcionalismo Pragmatismo James McKeen Cattel ( ) Testes psicológicos – 16 PF Edward L. Thorndike ( ) Aprendizagem animal – ensaio e erro; prêmio e castigo Conexionismo – repetição: lei do efeito J. M. Baldwin ( ) Princípio biogenético (filogênese => ontogênese) Laboratório Toronto (1890) G. Stanley Hall ( ) Evolucionismo – desenvolvimento humano

15 Movimento da Psicologia Funcional Sistema de psicologia genuinamente americano; Dewey, Angell e Baldwin A psicologia é o estudo da atividade mental, que é o termo genérico para comportamento adaptativo. Implica três fases essenciais: (1) um estímulo motivador, (2) uma situação sensorial e (3) uma resposta que altera a situação para satisfazer as condições motivadoras.

16 Conceitos Centrais - Funcionalismo Função: Uma série de atos ou fenômenos agrupados harmonizados com vistas a um resultado determinado Estrutura: Todos os órgãos formando um sistema único. Sistema de transformações que comporta leis enquanto sistema e que se conserva ou se enriquece pelo jogo destas transformações. Auto-regulação: Processos fisiológicos de caráter compensatório – meio interno adaptando- se ao meio externo. Comportamento: Respostas do organismo às mudanças ambientais modificam O próprio organismo O ambiente

17 Organismo O que é inato? Nativismo Hereditariedade Instinto Nativismo psicológico Kant Müller Chomsky Adaptação Formas de interação Interacionismo Baldwin Freud Piaget Ambiente Ambiente determinando a aprendizagem Experiência Hereditariedade Controle ambiental Ambientalismo Psicológico Helmholtz Watson Skinner Variações do funcionalismo

18 Ambientalismo Helmholtz Sensação = pura e real Percepção = aprendida (experiência e treinamento) Exemplo da observação de um objeto com diferentes pontos de vista Aprendizagem como um objeto de pesquisa independente (e não mais como apenas um recurso interpretativo dos filósofos) (Thorndike e Ebbinghaus) Watson Inicialmente: posição equilibrada entre empirismo e nativismo: A psicologia que eu tentaria construir consideraria como ponto de partida o fato observável de que os organismos, tanto humanos quanto animais, se ajustam a seus ambientes através da bagagem hereditária e dos hábitos Ambientalista-nativista ambientalista radical Nega caráter ativo do organismo: sujeito reagente ao ambiente Ênfase no controle ambiental

19 Ambientalismo Skinner Ambientalista experimentalista Motivos primários da ação são reduzidos: respostas reflexas Comportamentos adaptativos complexos: têm estrutura determinada exclusivamente pelas experiências Funcionalista: organismo ativo emite respostas intencionalidade da conduta (e esta conduta é aprendida – ênfase na história do indivíduo. Reforço condicionado: cultural e historicamente determinado

20 Nativismo J. Müller Psicofisiologia: Qualificação da sensação ao acionamento interno ou externo das energias específicas dos nervos. Sensação é determinada pelo que há de específico em cada via sensorial Crítica à experimentação J. McDougall Lista de 13 instintos gerais (incluía até comportamentos sociais)

21 Nativismo K. Lorenz Etologia No homem o componente inato se retrai mas jamais é eliminado Estudo do comportamento instintivo – experimento de privação de filhote Chomsky Aspecto criativo do uso da linguagem: a fala não está determinada pela associação fixa de palavras a estímulos externos ou a estados fisiológicos. O homem é capaz de emitir livremente frases nunca antes ditas e interpretar sem dificuldades enunciados absolutamente originais.

22 Interacionismo Ênfase na história do indivíduo (ontogênese) supervalorização da aprendizagem e da experiência em um determinado ambiente ênfase na história da espécie (filogênese) supervalorização do organismo e na determinação do curso do seu desenvolvimento e na qualidade de suas experiências e reações Não encontramos nunca respostas ambientalistas e nativistas em forma pura e exclusiva Síntese capaz de apreender o organismo e o ambiente como elementos de uma totalidade auto- sustentada.

23 Interacionismo Plasticidade inata (Morgan): capacidade de aprender com a experiência. Além das estruturas e formas de reagir estereotipadas o organismo herda uma certa plasticidade inata; em situações estáveis é mais vantajoso a estereotipia das formas; em situações variáveis o mais vantajoso é a plasticidade que permite modificações comportamentais originadas da experiência do indivíduo em um determinado ambiente. Estas modificações não são transmitidas hereditariamente, como diriam os Lamarckistas, mas podem afetar o rumo da evolução da espécie. (...) Quando as condições ambientais se alteram sobrevivem aqueles cuja plasticidade é adequada à mudança, facilitando a adaptação ontogenética.

24 Interacionismo Piaget Interesse nos fenômenos de adaptação ontogenética que tinham repercussão na filogênese Nega que a variabilidade seja puramente aleatória, afirmando que ela pode ser dirigida no sentido das adaptações ontogenéticas As reações do organismo não têm o caráter casual presumido nas teorias de ensaio e erro, mas obedecem uma sistemática derivada da dimensão estrutural dos processos coginitivos, afetivos e motivacionais.

25 Interacionismo Freud Natureza e ambiente (social) associados Desenvolvimento individual luta entre o natural (instinto) e as possibilidades oferecidas pelo ambiente físico e social À atualização da natureza.

26 ExperiênciaConsciênciaComportamentosensaçãovontade Idéias EU Percepção Emoção Paixão Desejo Apetites Afeto Ambiente Imaginação Memória Hábitos Inatismo ? Tábula rasa? Associações Mente Corpo Inconsciente Gestalt Behaviorismo Psicanálise Estruturalismo Fragmentação em Escolas

27 Períodos do séc. XX Grandes sistemas disputa ontológica: o que é psicologia? Estruturalismos – Wundt, Titchener Funcionalismos –James, Thorndike, Dewey Behaviorismos –Pavlov, Watson, Skinner Gestalt – Wertheimer, Kofka, Köhler Psicanálise –Freud, seguidores e dissidentes Método e operacionalismo lógico 1955-presente Redescoberta da consciência e retorno ao cognitivismo

28 Matrizes no séc. XX Nomotética – quantificadora Atomista – mecanicista Funcionalista e organicista Ambientalismo vs. nativismo Idiográfica – qualitativa (compreensão) Estruturalismo, fenomenologia, existencialismo


Carregar ppt "Wundt e depois... Alemanha Universidade de Berlim (1830): Modelo humboldtiano: Ensino e pesquisa Kant – Herbart – Weber – Lotze Inglaterra Decadência do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google