A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

História da educação na Colônia Por Suelen Maria Marques Dias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "História da educação na Colônia Por Suelen Maria Marques Dias."— Transcrição da apresentação:

1 História da educação na Colônia Por Suelen Maria Marques Dias

2 Os Jesuítas Por serem as missões muito necessárias nesta terra e principal fim das fundações de colégios. LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Rio de Janeiro, P Imagem: Benedito Calixto, Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu. (Coleção João Calixto)

3 De acordo com a imagem, responda: Quem são os personagens? O que eles estão fazendo? Qual é a relação com a educação? Quem ensina e quem aprende?

4 Os Jesuítas e as missões

5 Qual a localização das principais missões em relação à linha do Tratado de Tordesilhas? Qual a importância das missões na ocupação do território? Qual a sua importância na colonização do Brasil? As principais missões Observe o mapa e responda:

6 Mapa: Colégios Jesuítas no Brasil Colonial. Agora, observe o mapa dos Colégios Jesuítas do Brasil Colonial: Compare sua localização com a localização das missões. Quais são as principais cidades onde eles se localizam? Na sua opinião, existe alguma ligação entre a localização dos Colégios e a importância das cidades no cenário colonial?

7 Em aldeias de índios a cargo do Colégio da Bahia: se "ensinam aos Índios as cousas necessárias à sua salvação, lhes dizem missa e ensinam a doutrina cristã duas vezes em cada dia, e também em cada uma ensinam aos filhos dos Índios a ler, escrever, contar e falar português, que aprendem bem e falam com graça, ajudar as missas, e desta maneira os fazem polidos e homens. Em uma delas lhes ensinam a cantar e tem seu coro de canto e flautas para suas festas, e fazem suas danças à portuguesa (...) "Breve Narração das Coisas Relativas aos Colégios Residenciais da Companhia nesta Província Brasílica, no ano de 1584". In: ANCHIETA, José de. Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões. Belo Horizonte: Itatiaia: São Paulo: Edusp, 1988, p Leia o trecho abaixo:

8 Com base trecho anterior, responda: Que aspectos eram valorizados pelos jesuítas no ensino dos gentios? O que era ensinado?

9 Leia atentamente os textos a seguir:

10 Texto 1: O que acontecia com os curumins depois que saíam dos colégios? Meninos índios ensinados pelos jesuítas que, ao chegarem à puberdade, retornam aos costumes gentílicos, muito piores que antes, sobrepujando seus pais em maldade ANCHIETA, José de. Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões. Belo Horizonte: Itatiaia: São Paulo: Edusp, 1988, p. 163 e 173.

11 Texto 2 – Um índio velho diante do dogma da Virgindade de Maria Um índio velho, muito interessado em cristianizar-se, ficou abismado com a virgindade de Nossa Senhora, e diante de Anchieta, mostrou grande espanto e contentamento de Nossa Senhora parir e ficar virgem, perguntando particularidades acerca disso (o que é bem alheio dos outros, que nem sabe duvidar nem perguntar nada). ANCHIETA, José de. Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões. Belo Horizonte: Itatiaia: São Paulo: Edusp, 1988, p. 199.

12 Texto 3 – O índio velho diante do ideal cristão da castidade e das disciplinas que se auto-aplicava o padre E, sabendo que não tínhamos mulheres, se espantou muito, perguntando-nos : E não as desejais, quando vedes algumas formosas? Nós como resposta lhes mostramos as disciplinas com que se domava a carne, quando se desmandava a esses maus desejos, falando-lhe também dos jejuns, abstinências e outros remédios que tínhamos, e que tudo fazíamos por não ofender a Deus, que manda o contrário. E ele replicou: E Deus que lhes há de fazer? Por que tendes medo dEle?Então lhes falamos do inferno e glória, etc. do que ele ficou maravilhado, e tendo-nos grande crédito [...] ANCHIETA, José de. Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões. Belo Horizonte: Itatiaia: São Paulo: Edusp, 1988, p. 217.

13 Como era a assimilação dos costumes e idéias passadas pelos jesuítas por parte dos indígenas? Com base nas informações anteriores, reflita:

14 Importante: Além dos jesuítas, outras ordens religiosas também participaram do processo de colonização do Brasil, dentre estas as ordens dos franciscanos, carmelitas e beneditinos. O papel do jesuítas não era apenas de catequese dos índios e de auxiliar na formação dos futuros padres. Seus colégios atendiam também à população de origem européia laica.

15 As Reformas Pombalinas

16 Leia, a seguir, um trecho do alvará expedido em 28 de julho de 1759, pelo Marquês de Pombal, expulsando os jesuítas de Portugal. Como se sabe, até 1759, o ensino em Portugal e suas Colônias era em boa parte de responsabilidade dos jesuítas.

17 Da cultura e das ciências depende a felicidade das Monarquias, conservando-se por meio delas a Religião e a Justiça na sua pureza e igualdade.(...) [os jesuítas] com o escuro fastidioso método que introduziram nas escolas destes Reinos, e seus Domínios, e muito mais com a inflexível tenacidade com que sempre procuraram sustentá-la contra as evidências das sólidas verdades.fastidioso Clique aqui para saber mais sobre o Marquês de Pombal

18 Para refletir... De acordo com o texto, a Reforma Pombalina pretendia um rompimento com a Igreja? Quem eram considerados culpados pelo atraso no ensino português? Quais eram os objetivos da Reforma Pombalina?

19 As reformas pombalinas Instituíram um sistema público de ensino em Portugal. Levaram à fundação do Colégio dos Nobres. Alteraram os estatutos e o ensino na Universidade de Coimbra, entre 1770 e 1772, imprimindo-lhe uma orientação que privilegiava as ciências naturais e a experimentação. Procuravam criar uma nova elite cultural, mais aberta a um pensamento racional e empírico, e disseminar uma nova mentalidade na sociedade portuguesa, europeizando-a. Com a expulsão dos jesuítas, criaram as Aulas Régias (aulas avulsas de latim, grego, retórica, gramática, filosofia e primeiras letras).

20 Observe, no mapa, a distribuição dessas aulas e dos estabelecimentos de ensino em Minas Gerais:

21 A partir da análise do mapa, responda: Quais as principais regiões onde se localizavam os estabelecimentos de ensino em Minas Gerais? Na sua opinião, tais estabelecimentos eram suficientes para atender à população da capitania?

22 Problemas das aulas régias Localização. Falta de professores. Atrasos de salários A maior parte da população continuou sem acesso à educação. Somente os alunos que podiam pagar professores particulares estudavam. Assim, o ensino, que após a reforma deveria adquirir um caráter público, continuou com um caráter privado.

23 Nessa Corte, anos há, se tem fundado, Uma cousa, chamada Academia; Mas isto, quanto a mim, sem diferença, É um corpo sem alma que não pode Produzir ação própria, ou um fantasma Que em poucos minutos dissipa. Leia abaixo o trecho extraído do poema Reino da estupidez, de Francisco do Mello Franco (1785): Este trecho foi adaptado clique aqui para ver a versão original.clique aqui A Universidade de Coimbra após a queda de Pombal (1777)

24 O poema O Reino da Estupidez, publicado em 1818, reproduz as inquietações da atmosfera literária em Coimbra, em meados dos anos 1780, os efeitos da Ilustração e as contradições do Reformismo Ilustrado português. O livro, uma sátira poética à Universidade de Coimbra, circulou em manuscrito em Atribuí-se a autoria do poema a Francisco de Mello Franco, mineiro de Paracatu, que foi perseguido pela Inquisição. No poema, após ser escorraçada de toda a Europa culta, banida dos quatro cantos do mundo, a deusa Estupidez refugiou-se em Portugal, onde se uniu à macilenta Inveja, à vingadora Raiva, ao duro Fanatismo, à Hipocrisia e à Superstição, já que a capital portuguesa sob Dona Maria I (quando Pombal já não participava do governo) já não respirava os mesmos ares do reinado de D. José, podendo, assim a Estupidez instalar seu reino em terras lusas. Ou seja, o poema não critica diretamente a proposta do Marquês do Pombal, mas sim o retrocesso que o autor acredita ter ocorrido no reinado de D. Maria I.

25 Agora responda: Na sua opinião, o autor demonstra uma visão favorável sobre a Universidade nesse período? Como estava o restante da Europa nesse período? Considerando o conteúdo do poema, você acredita que a Universidade vivenciava a situação dos outros países europeus? Os objetivos da Reforma Pombalina estavam sendo concretizados?

26 Seminário de Olinda (1800)

27 Leia com atenção o texto abaixo: Desde a sua fundação em 1800, [o seminário de Olinda] exerceu uma poderosa influência na formação intelectual do norte do Brasil. Era o curso secundário mais completo do país. Acolhia elevado número de alunos, não só os que se destinavam ao sacerdócio, como ainda todos quantos não podiam ir à Coimbra fazer os seus estudos. A filosofia em voga em suas cadeiras era cartesiana, a ponto do Seminário se converter em ninho de idéias liberais e adotar como evangelho político a doutrina dos filósofos do século 18. Mais que as ciências eclesiásticas eram divulgadas os episódios da Revolução francesa, partindo daquele núcleo intelectual o gosto pelas idéias subversivas, cujos adeptos passaram a organizar academias secretas. MOACIR, P. A instrução e as províncias (Subsídios para a Historia da educação no Brasil): São Paulo, Nacional, 1936, 1º.v., p.31.

28 Para refletir O ensino no Seminário de Olinda têm relações com os objetivos propostos pela reforma Pombalina?

29 Que causa fastio; enfadonho; tedioso; importuno. Voltar Fastidioso:

30 Governando sob os princípios do iluminismo, Pombal propôs projetos para equilibrar a balança comercial, estimular a indústria, reformar o ensino, etc. Também com contribuições do Brasil, reconstruiu Lisboa, arrasada pelo terremoto de Expulsou os jesuítas de Portugal e das colônias. Criou Juntas de Justiça na colônia e ordenou a mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro (1762). Em 1769 foi nomeado marquês de Pombal. Voltar O Marquês de Pombal Sebastião José de Carvalho e Melo ( ) nasceu em Lisboa, filho de um capitão da cavalaria real. Seu pai morreu cedo e sua mãe se casou novamente. Foi criado pelo tio Paulo de Carvalho, professor da Universidade de Coimbra, instituição em que se formou em direito, história e política. Em 1738, por recomendação do tio, foi nomeado embaixador na Inglaterra, onde estudou a política e a economia do país. Ao retornar a Lisboa, tornou-se secretário dos Negócios Estrangeiros em Em pouco tempo o rei José I lhe deu carta branca para decidir sobre os assuntos de Estado.

31 Nesta Côrte, annos ha, se tem fundado, Huma cousa chamada Academia: Mas isto quanto a mim sem differença He hum corpo sem alma, que não pode Produzir acção propria, ou hum phantasma Que em bem pouco minutos se dissipa. Voltar Texto Original: Trecho extraído do poema Reino da Estupidez de Francisco de Mello Franco.


Carregar ppt "História da educação na Colônia Por Suelen Maria Marques Dias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google