A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE NILTON LINS DISCIPLINA EPIDEMIOLOGIA CLÍNICA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE NILTON LINS DISCIPLINA EPIDEMIOLOGIA CLÍNICA"— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE NILTON LINS DISCIPLINA EPIDEMIOLOGIA CLÍNICA
HIPÓCRATES( a.c.) ADRIA AGUIAR ARIENE AGUIAR DANIELLA COELHO HERCILIA AGUIAR JACKLEY SERODIO VANESSA AGUIAR LOPES WELLINGTON ALVES DE LIMA JR

2 INTRODUÇÃO Hipócrates recebe o título de pai da medicina, foi um homem revolucionário para o conhecimento médico, tendo em vista a tecnologia e conhecimentos da época, criou o modelo de medicina conhecido ainda hoje.

3 História e biografia Nasceu na ilha grega de Cós em 460 a.C. e morreu em 377a.C. Conhecido como pai da medicina moderna Acreditava que todas as doenças tinham uma causa natural

4 História e biografia Ensinou que os médicos devem estar a serviço de seus pacientes e seguir padrões rígidos de conduta Hipócrates, afresco do século XIII numa igreja de Lácio, 1231.

5 “... A morte súbita é mais comum no gordo que no magro...”.
Aforismos “... A morte súbita é mais comum no gordo que no magro...”. “... O sono que põe fim ao delírio é bom, sono fora de hora e sonolência indicam doença, bem como cansaço sem motivo...”. criou 412 aforismos

6 Tratado dos ares, das águas e dos lugares
É uma das obras mais importantes de Hipócrates que, ao invés de atribuir uma origem divina às doenças, discute suas causas ambientais. Sugere que considerações tais como o clima de uma população, a água ou sua situação num lugar em que os ventos sejam favoráveis são elementos que podem ajudar ao médico a avaliar à saúde geral de seus habitantes.

7 Propôs que os procedimentos terapêuticos se baseassem numa base racional, com o objetivo de corrigir os efeitos nocivos das forças naturais. Com ele, a medicina afastou-se do misticismo e do endeusamento e baseou-se na observação objetiva e no raciocínio dedutivo.

8 Teoria dos Quatro humores
Considerou que o bem estar da pessoa estava sob a influência do seu ambiente, dos locais que freqüentava e da alimentação. A saúde era a expressão de um equilíbrio harmonioso entre os humores corporais, os quais eram representados pelo sangue, pelas bílis negra e amarela e pela linfa ou fleuma. Estes quatro fluidos primários eram constantemente renovados pela comida que é ingerida e digerida. O sangue originava-se no coração, a bílis amarela, no fígado, a bílis negra, no baço e a fleuma, no cérebro.

9 De fato, propôs a existência de uma relação direta entre os humores e os quatro elementos: o fogo, o ar, a terra e a água. Neste sentido, a fleuma, o humor frio e úmido, era mais evidente no inverno enquanto que a bílis amarela prevalecia no calor seco do verão. A saúde relacionava-se não apenas com os humores contidos no corpo humano, mas também com o resto do universo no qual estava incluído. Considerava-se que o ambiente e o estilo de vida da pessoa influenciavam o seu estado de saúde. A doença podia resultar de um desequilíbrio destes quatro humores, devido à influência de forças exteriores, como é o caso das estações do ano.

10 Estas asserções representam um princípio básico da medicina hipocrática: a natureza tem um papel formativo, construtivo e curativo.

11 Se o Estilo de Vida tem sido qualificado como padrão de decisões, o que subentende toda uma cadeia de cognições, expectativas, emoções e comportamentos, interligados com antecedentes, consequentes e colaterais susceptíveis de influenciá-los, então pode ser reduzido a uma constelação de comportamentos conducentes a uma boa saúde.

12 Juramento de Hipócrates
Juro por Apolo médico, Asclépio, Higía e Panacéia e todos os deuses e deusas, e os tomo por testemunhas, que conforme minha capacidade e discernimento, cumprirei este juramento e compromisso escrito: Considerar igual a meus pais aquele que me ensinou essa arte, compartilhar com ele meus recursos e se necessário prover o que lhe faltar; considerar seus filhos meus irmãos, e aos do sexo masculino ensinar essa arte sem remuneração ou compromisso escrito, se desejarem aprendê-la; compartilhar os preceitos, ensinamentos orais e todas as demais instruções com os meus filhos, os filhos daquele que me ensinou, os discípulo que assumiram compromisso por escrito e prestaram juramento conforme a lei médica, e com ninguém mais.

13 Utilizarei a dieta em beneficio dos que sofrem, conforme minha capacidade e discernimento, e alem disso repelirei o mal e a injustiça; Não darei, a quem pedir, nenhuma droga mortal, nem recomendarei essa decisão; do mesmo modo, não darei a mulher algum pessário para abortar; Com pureza e santidade conservarei minha vida e minha arte; Não operarei ninguém que tenha a doença da pedra, mas cederei o lugar aos homens que fazem isso;

14 Em quantas casas eu entrar, entrarei para beneficio dos que sofrem, evitando toda a injustiça voluntária e outra forma de corrupção, e também atos libidinosos no corpo de mulheres e homens, livres ou escravos; O que vir e ouvir, durante o tratamento, sobre a vida dos homens, sem relação com o tratamento, e que não for necessário divulgar, calarei, considerando tais coisas segredo. Se cumprir e não violar esse juramento, que eu possa desfrutar minha vida e minha arte afamado junto a todos os homens, para sempre; mas se eu transgredir e não cumprir, que o contrario aconteça.

15 Críticas ao juramento Hipocrático
Contém intenções filosóficas louváveis; Pregava uma medicina não corrupta; Princípios da Bioética; Ritual solene bem visto aos olhos da sociedade;

16 Críticas ao juramento Hipocrático
Não faz sentido jurar por Apolo, Asclépios, Higeia e Panaceia “Não operarei ninguém que tenha a doença da pedra, mas cederei o lugar aos homens que fazem isso”. Prometer ensinar nossa profissão gratuitamente aos filhos homens de nossos professores.

17 Sustenta uma visão corporativista e estendia a saúde aos cidadãos Atenienses.
Repetir o juramento escrito por ele sem fazer menção ao papel do médico na preservação da saúde e na prevenção de doenças na comunidade é fazer vistas grossas à responsabilidade social inerente à profissão.

18 CONCLUSÃO Hipócrates desenvolveu um trabalho indiscutivelmente importante, inventou a medicina clínica. Procurou detalhes nas doenças dos seus pacientes para chegar ao diagnóstico, afastando o pensamento da medicina baseada na superstição, realizando a medicina baseada em evidências. Pois a medicina era baseada em superticoes e exercida por sacerdotes, criou a primeira faculdade de medicina e uniu conhecimentos do egito e persia aos gregos

19 CONCLUSÃO Após suas obras disseminou para estudiosos gregos, o pensamento em que as inúmeras epidemias relacionavam-se com fatores climáticos, raciais, dietéticos e do meio onde as pessoas viviam Fascie hipocratica: face da morte

20 Bibliografia REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
GORDON. R; A assustadora história da medicina; 5 ed. editora ediouro; São Paulo.2004. VARELLA; D. O juramento de Hipócrates. Acessado em em: drauziovarella.com.br/wiki-saude/o-juramento-de-hipocrates/ FMUAN;Hipócrates.Acessado em em: http//www.fmuan.ao/Hipocrates.html Grecia antiga; Acessado em em: http: /greciantiga.org/arquivo.asp/ num=0246


Carregar ppt "UNIVERSIDADE NILTON LINS DISCIPLINA EPIDEMIOLOGIA CLÍNICA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google