A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FACULDADE ATLÂNTICO / FOLCLORE BRASILEIRO Disciplina: Tic's Professor: Toniclay Andrade Alunas: Maria Vilma Faria / Valdeci Tenório dos Santos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FACULDADE ATLÂNTICO / FOLCLORE BRASILEIRO Disciplina: Tic's Professor: Toniclay Andrade Alunas: Maria Vilma Faria / Valdeci Tenório dos Santos."— Transcrição da apresentação:

1 FACULDADE ATLÂNTICO / FOLCLORE BRASILEIRO Disciplina: Tic's Professor: Toniclay Andrade Alunas: Maria Vilma Faria / Valdeci Tenório dos Santos

2 O QUE É FOLCLORE. Podemos definir folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas.

3 SACI-PERERÊ O saci-pererê é representado por um menino negro que tem apenas uma perna. Sempre com seu cachimbo e com um gorro vermelho que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso. Adora espantar cavalos, queimar comida e acordar pessoas com gagalhadas.

4 CURUPIRA Curupira como um índiozinho montado em um porco selvagem, outros dizem que tem o corpo coberto por pêlos. Ele cuida dos animais da florestas, protegendo contra a devastação das florestas e a caça de animais. Quando entramos na mata e ouvimos barulhos estranhos pode ser ele. Ele é tão rápido que muitas vezes ao passar pela mata, parece um vento forte. Ao entrar numa mata deve-se levar uma oferenda para o Curupira, assim ao agradá-lo não se perderá na mata.

5 O Negrinho do Pastoreio O fazendeiro mandou um menino fosse pastorear seus cavalos,quando o menino voltou com os cavalos o fazendeiro reclamou que faltava um, como castigo chicoteou o menino até sangrar e mandou o menino procurar o cavalo. Ao retornar à fazenda, o menino encontrou o fazendeiro ainda mais irritado. chicoteou o garoto e o amarou em cima de um formigueiro. No dia seguinte o fazendeiro retornou ao local e se assustou com o que viu: o menino estava lá, de pé, sem nenhuma marca de chicotada, nem mordida de formigas, ao lado dele a Virgem Maria e próximo a eles o cavalo baio.

6 LOBISOMEM Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo. Somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo. MÃE-D'ÁGUA Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá- los para o fundo das águas. MULA-SEM-CABEÇA Surgido na região interior, conta que uma mulher teve um romance com um padre. Como castigo, em todas as noites de quinta para sexta- feira é transformada num animal que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pelas narinas.

7 O BOTO COR DE ROSA Diz a lenda que ao anoitecer o Boto se transforma em um belo rapaz, alto e forte. Vai a várias festas, dança muito, costuma beber bastante. Seduz alguma mulher bonita, casada ou não, a convida para dançar e depois saem da festa para namorar. Antes do amanhecer ele retorna ao rio, deixando a namorada que geralmente não torna a vê-lo. Pouco tempo depois a moça descobre que ficou grávida. No Amazonas sempre que uma moça solteira engravida suspeita-se logo que se trata de um filho do boto.

8 PISADEIRA É uma velha de chinelos que aparece nas madrugadas para pisar na barriga das pessoas, provocando a falta de ar. Dizem que costuma aparecer quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio.

9 LENDA DA CUCA A cuca é representada por uma velha, com cabeça de jacaré, que possui uma voz assustadora. De acordo com a lenda, a Cuca assusta e pega as crianças que não obedecem seus pais. Acredita-se que esta lenda tenha surgido na Espanha e Portugal, A figura aparecia principalmente nas procissões. A lenda teria chegado ao Brasil junto com os portugueses durante o período da colonização.

10 Superstições populares Quem é que nunca entrou em um casa nova com o pé direito ou não bateu na madeira para isolar o azar? Segue algumas supertições Pé direito - Devemos sair de casa e entrar em qualquer lugar, sempre com o pé direito, para evitar o azar. Gato - Se tivermos um gato e formos mudar de casa, é bom passar manteiga em suas patinhas, para que ele não volte para a casa antiga. Sal grosso - Deixar um copo de vidro cheio de sal grosso no canto da sala, traz sorte. Escada - Nunca devemos passar por debaixo de uma escada? mal sinal na certa!

11 Brincadeiras do folclore O que são? Além dos contos, danças, festas e lendas, o folclore brasileiro é marcado pelas tradicionais brincadeiras. As brincadeiras folclóricas são aquelas que passam de geração para geração. Muitas delas existem há décadas ou até séculos. - Soltar pipa: as pipas, também conhecidas como papagaios, são feitas de varetas de madeira e papel. Coloridas, são empinadas (soltadas) pelos meninos em dias de vento. Com uma linha, os garotos conseguem direcionar e fazer malabarismos no céu. - Estilingue: também conhecidos como bodoques, são feitos de galhos de madeira e borracha. Os meninos usam pedras para acertar alvos (latas, garrafas e outros objetos).

12 FOLGUEDOS O que são? Os folguedos são festas de caráter popular cuja principal característica é a presença de música, dança e representação teatral. Grande parte dos folguedos possui origem religiosa e raízes culturais dos povos. É no Nordeste que se fazem mais presentes. Congada: espécie de dança. Representam a coroação dos antigos reis do Congo (África). Maracatu: dança-cortejo típica de Pernambuco, ocorre no período do Carnaval.

13 FOLCLORE SERGIPANO Sergipe guarda em sua história e tradição muito das culturas portuguesa e negra e um dos mais ricos folclores do Brasil. São inúmeras as manifestações culturais que nos remetem ao passado e garantem, no presente, uma permanente interação entre as mais diversas comunidades responsáveis pela continuidade do nosso folclore. A seguir, você fará uma viagem pelo que há de mais belo na cultura popular sergipana.

14 Reisado Dança do período natalino em homenagem ao nascimento do menino Jesus. A "brincadeira" começa em dezembro e vai até fevereiro, antes da quaresma, quando se realiza o "enterro do boi" - artefato que imita a figura do boi, enfeitado por fitas e tecidos coloridos -, que só é desenterrado dias antes do período de dançar. Vários personagens formam o grupo. Os instrumentos que acompanham o Reisado são geralmente, o violão, sanfona, pandeiro, zabumba, triângulo e ganzá. Um detalhe curioso é o fato de existir no estado um Reisado formado apenas por crianças. Não há registros de nada similar em todo o país.

15 Lambe Sujo Meninos e homens pintados de preto, unidos aos Caboclinhos (que se vestem a maneira indígena), encenam um folguedo baseado nos episódios de destruição dos quilombos. Cangaceiros Em 1960, foi criado, por um morador local, que é apaixonado pelo tema do cangaço, um grupo composto de 17 homens e 2 mulheres (representando Maria Bonita e Dadá), que saiu cantando e dançando pelas ruas de Lagarto, costume vivo até hoje.

16 PARLENDAS: São rimas infantis, em versos de cinco ou seis sílabas, para divertir as crianças. -Amanhã é domingo, pé de cachimbo. O cachimbo é de ouro, bate no touro. O touro é valente, bate na gente. A gente é fraco, cai no buraco. O buraco é fundo, acabou-se o mundo. -Um, dois, feijão com arroz, Três, quatro, feijão no prato. Cinco, seis, falar inglês. Sete, oito, comer biscoito. Nove, dez, comer pastéis. -Batatinha quando nasce, Se esparrama pelo chão, Mamãezinha quando dorme, Põe a mão no coração.

17 TRAVA-LÍNGUA os trava-línguas muitas vezes não são estórias, mas jogos de palavras difíceis de serem pronunciadas. São antes brincadeiras. Todos os trava-línguas são propostos por fórmulas tradicionais, como : ''fale bem depressa ''; ''repita três vezes ' O importante no trava-língua é que ele deve ser repetido de cor, várias vezes seguidas e tão depressa quanto possível. Lido, e devagar, perde a graça O peito do pé do pai do padre Pedro é preto. A babá boba bebeu o leite do bebê. A ARANHA E A JARRA Debaixo da cama tem uma jarra. Dentro da jarra tem uma aranha. Tanto a aranha arranha a jarra, como a jarra arranha a aranha.

18 LITERATURA DE CORDEL A literatura de cordel é típica da região Nordeste do Brasil. É um gênero da poesia narrativa popular impressa representante da cultura popular. O poeta popular é o representante do povo, a voz do povo, um repórter dos acontecimentos da vida. O Cordel são folhetos,livretos,encontra dos nas feiras turísticas, praças e mercados de grandes cidades nordestinas.Hoje podemos encontrá-los também em bancas de jornais, livrarias, aeroportos, praças de artesanatos, pela internet.

19 ADIVINHAS O que são adivinhas, advinhações, o que é o que é, folclore, humor, cultura popular. Alguns exemplos de adivinhas: - O que é que é surdo e mudo, mas conta tudo? Resposta: o livro - O que é o que é que sempre se quebra quando se fala? Resposta: o segredo - O que é o que é feito para andar e não anda? Resposta: a rua - O que é o que é que dá muitas voltas e não sai do lugar? Resposta: o relógio

20 CURIOSIDADES: - É comemorado com eventos e festas, no dia 22 de Agosto, aqui no Brasil, o Dia do Folclore. - Em 2005, foi criado do Dia do Saci, que deve ser comemorado em 31 de outubro. Festas folclóricas ocorrem nesta data em homenagem a este personagem. A data, recém criada, concorre com a forte influência norte-americana em nossa cultura, representanda pela festa do Halloween - Dia das Bruxas. - A palavra folclore é de origem inglesa. A termo "folk", em inglês, significa povo, enquanto "lore" significa cultura.

21 CONCLUSÃO Conclui-se que o folclore, teve sua origem a partir do século XVIII após a segunda Guerra mundial, e que até hoje é lembrado por gerações a gerações, bem como através das televisões, que mostram figuras como: Saci-Pererê, Mula sem cabeça, a Cuca, Caipora dentre outros. Assim sendo tem sua presença marcante nos interiores dos estados brasileiros com uma diversidades de dança, crenças e credos populares. De acordo com a cultura de cada povo, para muitos o folclore são só figuras do ilusionismo (inexistente) mas tem a parte musical e as danças que são reais e reconhecidas pelo poder público saindo assim do anonimato.


Carregar ppt "FACULDADE ATLÂNTICO / FOLCLORE BRASILEIRO Disciplina: Tic's Professor: Toniclay Andrade Alunas: Maria Vilma Faria / Valdeci Tenório dos Santos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google