A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. MS António Manuel C P Fernandes 2014.1 CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e Urbanismo Aula complementar destacando e manipulando os procedimentos de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. MS António Manuel C P Fernandes 2014.1 CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e Urbanismo Aula complementar destacando e manipulando os procedimentos de."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. MS António Manuel C P Fernandes CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e Urbanismo Aula complementar destacando e manipulando os procedimentos de Fanger (ISO 7730) para a previsão do nível de satisfação das pessoas envolvendo as 4 varáveis ambientais e as 2 variáveis humanas.

2 COMPORTAMENTO HIGRO-TÉRMICO DO CORPO HUMANO CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e no Urbanismo Prof. MS Antonio Manuel Fernandes VOTO MÉDIO PREDITO Fanger derivou uma equação geral de conforto para calcular a combinação das variáveis ambientais (...) atividade física e vestimenta. (...) O voto médio predito consiste em um valor numérico que traduz a sensibilidade humana ao frio e ao calor. O PMV para conforto térmico é zero, para o frio é negativo e para o calor é positivo O PMV, de -3 a +3, no eixo horizontal e no vertical o percentual de insatisfeitos, o PPD. A norma ISSO 7730 (1984), adotou o trabalho de Fanger e recomenda que a PPD deve ser menor que 10% (PMV entre -0,5 e +0,5).

3 COMPORTAMENTO HIGRO-TÉRMICO DO CORPO HUMANO CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e no Urbanismo Prof. MS Antonio Manuel Fernandes T (°C) UR (%)90 40 V (m/s) TMR(°C) Rp (clo) M(W/m2) PMV PPD (%) Do calor ao conforto... Alterando uma a uma... Utilizando o programa CONFI (um algorítmo que calcula o PMV e o PPD de Fanger...

4 COMPORTAMENTO HIGRO-TÉRMICO DO CORPO HUMANO CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e no Urbanismo Prof. MS Antonio Manuel Fernandes T (°C) UR (%)40 60 V (m/s) TMR(°C) Rp (clo) M(W/m2) PMV PPD (%) Do frio ao conforto... Alterando... Este programa fará os cálculos mas o importante é reconhecer e explicar o motivo da melhora ocorrida no nível de conforto utilizando os conceitos adquiridos nos estudos da revisão de Termologia e que ainda estão em andamento: as formas de transferência de calor!

5 COMPORTAMENTO HIGRO-TÉRMICO DO CORPO HUMANO CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e no Urbanismo Prof. MS Antonio Manuel Fernandes REFERÊNCIAS LAMBERTS, R.; DUTRA, L.; PEREIRA, F. O. R. Eficiência energética na arquitetura. S. Paulo: PW Editores, EVANS, J. M.; Programa CONFI, Centro de Investigación Habitat y Energia; FADU; UBA; 1993


Carregar ppt "Prof. MS António Manuel C P Fernandes 2014.1 CONFORTO TÉRMICO na Arquitetura e Urbanismo Aula complementar destacando e manipulando os procedimentos de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google