A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Disc. : Processos de Fabricação II Prof

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Disc. : Processos de Fabricação II Prof"— Transcrição da apresentação:

1 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Disc. : Processos de Fabricação II Prof
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Disc.: Processos de Fabricação II Prof. Jorge Marques Aula 8 Processos de Conformação Mecânica Introdução – propriedades plásticas dos metais Referências: CHIAVERINI, V. Tecnologia Mecânica. Vol. I Telecurso Processos de Fabricação.

2 Processo de Conformação Mecânica
Introdução Por conformação mecânica são produzidas diversas formas, perfis e peças acabadas Principais processos de conformação mecânica Laminação Extrusão Forjamento Estampagem

3 Processo de Conformação Mecânica
Introdução

4 Processo de Conformação Mecânica
Introdução

5 Processo de Conformação Mecânica
Introdução

6 Propriedades Mecânicas dos Metais
Propriedade é uma característica mensurável do material em determinada temperatura e pressão. As propriedades mecânicas dos materiais fornecem informações necessárias aos projetos de engenharia e também aos processos de fabricação. No caso dos metais, algumas propriedades mecânicas de interesse são: resistência à tração/compressão (resistência mecânica), dureza, tenacidade, elasticidade, plasticidade.

7 Propriedades Mecânicas dos Metais
Processar um metal, ou seja, modificar a sua forma e/ou dimensão, exige a ultrapassagem de ao menos um dos limites de resistência do material; isto é, de sua propriedade mecânica. O processamento de metais por conformação, como o nome diz, deforma permanentemente o material. A propriedade diretamente relacionada à deformação é a plasticidade. Plasticidade é a capacidade de deformar-se permanentemente.

8 Propriedades Mecânicas dos Metais
A plasticidade nos diz até onde podemos provocar a deformação no metal. Mas outras propriedades precisam ser levadas em conta, seja para vencer os limites de resistência iniciais, seja para determinar o limite máximo de esforço. Estas propriedades são: Elasticidade: capacidade de retornar à forma original após retirada a carga. Dureza: capacidade de resistir à penetração Resistência mecânica: capacidade máxima de resistência à tração, compressão ou cisalhamento.

9 Propriedades mecânicas dos metais
Tensão x deformação

10 Propriedades mecânicas dos metais
Nos processos de conformação, estamos particularmente interessados das deformações. Deformação elástica: o material volta a sua forma inicial após a retirada da carga. Ela ocorre dentro de limites característicos de cada corpo, chamado de limite de elasticidade. Deformação plástica: quando a carga ultrapassa o limite de elasticidade, o metal deforma-se permanentemente, entrando na zona de deformação plástica.

11 Propriedades mecânicas dos metais
Deformação plástica Os processos de conformação mecânica ocorrem na zona de plasticidade. A plasticidade dos metais depende fundamentalmente das suas estruturas cristalinas, que corresponde ao modo como os átomos são organizados

12 Propriedades mecânicas dos metais
Deformação plástica (continuação) Não vamos aprofundar no estudo das estruturas cristalinas, mas é importante saber que dependendo da estrutura, há maior ou menor facilidade de haver deslizamentos interratômicos, favorecendo a deformação plástica. Alguns metais, como o ferro, mudam de estrutura cristalina em certas temperaturas.

13 Propriedades mecânicas dos metais
Deformação plástica (continuação) Metais como o alumínio (Al), o Cobre (Cu), o Estanho (Sn), o Chumbo (Pb) e suas ligas apresentam deformidade plástica elevada. Os Aços (ligas Fe-C com até 2% de C e adição ou não de outros elementos) são os mais versáteis industrialmente, quanto às propriedades mecânicas, térmicas e químicas. Quanto maior o teor de carbono, menos plasticidade tem o aço.

14 Mudanças nas Propriedades mecânicas
Encruamento Após sofrer deformação plástica, o metal endurece, aumenta a resistência à novas deformações e melhora a sua elasticidade. A este fenômeno é dado o nome de encruamento. Quanto mais encruado o metal maior a sua dureza, a sua resistência mecânica e o seu limite de elasticidade.

15 Mudanças nas propriedades mecânicas
Encruamento (continuação) Estruturalmente, o encruamento corresponde a uma deformação do reticulado cristalino do metal. Para muitas aplicações, o encruamento é estado final do metal a ser utilizado. Mas em outras aplicações, os resultados do encruamento não são desejados. O processo para devolver ao metal as características originais é executado por meio de aplicação de calor, elevando a temperatura do metal.

16 Mudanças nas propriedades mecânicas
Recristalização O metal encruado (ou tratado termicamente, temperado) tem sua estrutura cristalina deformada. Com aplicação de certo nível de calor a estrutura cristalina volta a sua forma original (de solidificação e resfriamento lento). Este procedimento é chamado de recristalização. Assim, na conformação a frio, o metal encrua e para sofrer nova conformação, passa antes por forno de recristalização.

17 Temperaturas de Recristalização (TR) e de Fusão (TF) de alguns metais
METAL TR (°C) TF (°C) Chumbo 15 327 Zinco 25 420 Alumínio 150 660 Cobre 200 1083 Ferro 450 1536 Níquel 600 1450 Tungstênio 1200 3410 Temperaturas médias, relativas a metais comercialmente puros. Nas ligas metálicas, os valores podem variar significativamente. Há também variação de TR de acordo com o nível de encruamento Fonte: Chiaverini


Carregar ppt "ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Disc. : Processos de Fabricação II Prof"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google