A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA ESTADO DO PARANÁ Curitiba, Maio de 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA ESTADO DO PARANÁ Curitiba, Maio de 2012."— Transcrição da apresentação:

1 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA ESTADO DO PARANÁ Curitiba, Maio de 2012

2 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA PROCESSO DE CUIDADO U = G x R T

3 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA PROCESSO DE CUIDADO 1.Redução da incidência de agravos urgentes 2.Identificação e manejo imediato de situações de urgência e emergência 3.Viabilização de acesso eficaz do paciente a serviços de saúde qualificados e resolutivos 4.Garantia de assistência adequada em todos os pontos de atenção 5.Adoção de critérios de tempo-resposta para toda a rede assistencial 6.Garantia da continuidade da assistência pós-evento agudo 7.Desenvolvimento da capacidade de resposta a eventos de massa e múltiplas vítimas

4 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DIRETRIZES GERAIS Organização da Atenção Primária em Saúde em todos os municípios, de forma a ter equipe de Atenção Primária de referência para 100% da população; Implantação da Classificação de Risco em todos os Níveis de Atenção, com adoção da metodologia Manchester no Estado; Estabelecimento de parâmetros de atendimento, com definição de tempo-resposta, segundo critérios técnico-assistenciais contemporâneos; Estabelecimento das competências de cada Ponto de Atenção, que devem ser garantidas pelos gestores; Definição do Modelo de Atenção por Linhas de Cuidado, com prioridade para as Cardiovasculares, Cerebrovasculares e Traumatismos; Definição dos pontos de atenção secundários e terciários, regionalizados e articulados, com implantação de transferência sob regulação; Monitoramento e avaliação da qualidade dos serviços através de indicadores de desempenho que investiguem a efetividade e a resolutividade da atenção; Implementação de pactuações interestaduais, quando aplicável para o sistema de emergência; Adoção de Planos de Manejo de Desastres e Catástrofes; Definição e implantação de Programa de Educação Permanente para as equipes de Saúde na Atenção às Urgências.

5 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA COMPONENTES 1.Promoção, Prevenção e Vigilância 2.Atenção Primária em Saúde 3.Serviço de Atendimento Móvel de Urgência / SAMU / SIATE 4.Atendimento Aeromédico 5.Sala de Estabilização 6.UPA / Unidades 24 horas 7.Hospitais / Portas de Urgência Hospitalares 8.Atenção Domiciliar 9.Complexo Regulador 10.Telemedicina / Linhas de Cuidado Cardiovascular, Cerebrovascular e Trauma

6 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA LINHAS DE CUIDADO TEMPO-RESPOSTA

7 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA COMPEXO REGULADOR NÍVEL DE ATENÇÃO ABRANGÊNCIA LOCAL REGIONAL MACRORREGIONAL COMPONENTE UBS / USF / ATENÇÃO DOMICILIAR SE PA / UPA HOSPITAL C OU D HOSPITAL A OU B TELEMEDICINA UNIDADE DE REFERÊNCIA CV / AVC SAMU REGULAÇÃO MÉDICA DE URGÊNCIA REGULAÇÃO DE LEITOS HOSPITALARES REGULAÇÃO INTER-MACRORREGIONAL: SESA

8 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA TIPOLOGIA HOSPITALAR

9 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA COMPOSIÇÃO MÍNIMA DAS EQUIPES ASSISTENCIAIS

10 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA PORTAS DE ENTRADA HOSPITALARES

11 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA MATRIZ DE COMPETÊNCIA Hospital Tipo D: Município / microregião / regional Serviço de emergência, porta aberta, médico generalista Especialidades básicas na internação Classificar risco / Primeiro atendimento para todos os graus de urgência Assistência resolutiva para o amarelo mediante protocolo Assistência resolutiva para verdes e azuis fora do horário de funcionamento das unidades Acionar 192 Possuir Centro Cirúrgico e Terapia Intensiva, UCP desejável

12 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA MATRIZ DE COMPETÊNCIA Hospital Tipo C: Regional Possuir Centro Cirúrgico e Terapia Intensiva, UCP desejável Serviço de emergência, porta aberta, emergencista, especialistas ä distância Classificar risco / Primeiro atendimento para todos os graus de urgência Assistência resolutiva para o vermelho, laranja e amarelo mediante protocolo Acionar 192

13 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA MATRIZ DE COMPETÊNCIA Hospital Tipo A ou B: Macroregião Possuir Centro Cirúrgico e Terapia Intensiva, UCP obrigatória Serviço de emergência, porta aberta, emergencista, especialistas presenciais Classificar risco / Primeiro atendimento para todos os graus de urgência Assistência resolutiva para o vermelho, laranja e amarelo

14 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA HABILITAÇÕES

15

16

17 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA PROCESSO DE ASSISTÊNCIA DE EMERGÊNCIA NO HOSPITAL 1.Gestão de fluxo interno na Unidade 2.Recepção do paciente 3.Classificação de risco 4.Diagnóstico inicial / estabilização 5.Diagnóstico definitivo 6.Tratamento cirúrgico / clínico 7.Transferência 8.Internação hospitalar 9.Alta hospitalar 10.Atendimento ambulatorial

18 REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA ESTADO DO PARANÁ OBRIGADO! VINÍCIUS AUGUSTO FILIPAK DIRETORIA DE POLÍTICAS DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA (41) / (41)


Carregar ppt "REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA ESTADO DO PARANÁ Curitiba, Maio de 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google